A gota d’água?

Decano do STF Celso de Melo, próximo de se aposentar, vem protagonizando serie de infantilidades contra o representante do poder máximo do Brasil.

Militares estão com paciência nos limites e já estariam vendo atitudes dos ministros como provocação de alguém usando o poder Judiciário para avacalhar a autoridade do presidente da República. O recado foi dado.

Abaixo, trecho da Coluna Diário do Poder:

General Heleno vê pedido de apreensão de celular de Bolsonaro como “inacreditável”

Helenão!

Ministro do GSI disse que se trata de uma tentativa de comprometer a harmonia e pode ter “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”

Ministro do GSI disse que se trata de uma tentativa de comprometer a harmonia e pode ter “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”

O ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Augusto Heleno, afirmou ser “inconcebível e, até certo ponto, inacreditável” o pedido de apreensão do celular do presidente da República, Jair Bolsonaro, feito pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo Heleno, a atitude é uma “afronta” e uma “interferência inadmissível de outro Poder” na privacidade do presidente Jair Bolsonaro e na “segurança institucional do País”. Em nota, o general alertou que se trata de “uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

A iniciativa de Celso de Mello fez a alegria dos críticos de Bolsonaro e à oposição, mas causou estranheza generalizada no meio jurídico por não estar dentro das competências de nenhum magistrado.

Confira a resposta do Helenão!

Para entender o atraso e a pobreza do Maranhão, entendam como agem.

Explicações dum desembargador sobre toda bagunça como nuvem de fumaça, planejada pelos que lutam contra o Brasil, mesmo durante uma pandemia mortal.

Desembargador falando sobre a desobediência de governadores, um golpe contra a nação, o Exército deveria agir.

Bolha comunista: No Maranhão atuaL, o comunismo produzindo mais atraso e pobreza. 

Viram o deputado mais votado do Maranhão, o ex-secretário Márcio Jerry, ontem 21, nas redes sociais pedindo impechment do presidente, em Brasília, foi para isso que pediu os votos dos maranhenses?

Onde estava o governador do Maranhão, ontem, 21, que não apareceu na reunião dos governadores?

O Maranhão está piorado, pobre, e doente, muitos já morreram sem tratamento de saúde. O povo sendo enganado e conduzido à morte por irresponsáveis que tentam sabotar o Brasil.

Em plena pandemia do covid-19, mortes, doenças e destruição, grupo ligado a Lula e Haddad e Manu do PCdoB de Flávio Dino, que perderam as eleições em 2018, tenta a todo custo, politizar em meio às mortes dos brasileiros.

Vale lembrar que foi Flávio Dino quem iniciou essa revolta de separar o Nordeste do restante do Brasil, para não aceitarem ordens democráticas de Brasília, não aceitarem o presidente do Brasil, e juntamente com o poder Judiciário (STF, aquele Tribunal Superior lotado de ministros, alguns desses votaram pela cassação do governador Jackson Lago, que devolveram o governo do Maranhão à filha do Sarney, Roseana, e lá na frente, após alguns anos, afirmarem que foi um erro tirar o governador, rasgando os votos dos maranhenses). É assim que agem contra o Brasil, atrasando.

Sobre Jerry:

Nosso deputado federal, que foi eleito com soma de votos esmagadora em 2018, coisa que nunca conseguiu antes na vida, sem antes ocupar duas secretarias do governo do estado do Maranhão, por onde passam muitas articulações com prefeitos e vereadores, muita verba, inclusive, o dobro da verba da Comunicação da Presdência da República, atual líder dos comunistas no país, é uma espécie de “diplomata da esquerda” nos grandes jornais do sul do Brasil. E tome varada em Bozo.

Jurista explicando ação anti-Brasil dos comunistas:

Fiquem abaixo com a entrevista completa:

As explicações dum desembargador de SP sobre toda bagunça como nuvem de fumaça, planejada pelos que lutam contra o Brasil, mesmo durante uma pandemia mortal.

Pode isso?

Grupo comunista responde com ódio os milhões enviados para socorrer o Maranhão, que está quebrado, sem hospitais.

Eis o motívo do ódio comunista: Roberto Rocha provou que Flávio Dino recebeu mais de 100 milhões direto nos cofres enviados por Bolsonaro, que foi quem de fato cuidou da saúde dos maranhenses durante a pandemia.

Sem transparência alguma, Dino segue mentindo sobre cloroquina e escondendo os gastos.

Em entrevista à Rádio Nova FM, o senador Roberto Rocha, entre outros assuntos, destacou o montante de recursos que o governo do estado já recebeu do governo do federal. Mais tarde o senador participou de uma live com outros jornalistas.

Nas redes sociais, o deputado Márcio Jerry, e exército de seguidores atacaram o senador tucano Roberto Rocha, que respondeu com os extratos de envios dos milhões para socorrer nossa população empobrecida, mal alimentada, fraca, doente, que estava sem hospitais, como comprovado abaixo por um jornalista.

As respostas aconteceram simutaneamente nas redes sociais do senador, enquanto dava uma entrevista numa emissora que não faz parte das emissoras alugadas pelo comunismo.

O senador Roberto Rocha responde ao ex-secretário de Articulação e Comunicação do Maranhão,  Márcio Jerry, que pelo visto, ficou com ódio pelos milhões enviados ao Maranhão.

O jornalista da Mirante, Marco Deça, mostrou que os hospitais que foram deixados da gestão passada foram destruidos e alguns não foram concluidos.

Em resposta ao ex-secretário de Comunicação do Estado do Maranhão, Márcio jerry, eleito deputado federal com votação recorde de votos em 2018, o senador Roberto Rocha comprovou que o presidente Jair Bolsonaro já enviou mais de 100 milhões direto para os cofres do governo do Maranhão, e ainda socorreu as prefeitusras com outros vários milhões, provando que apesar do STF ter tirado sua responsabilidade sobre os estados e municípios, foi o presidente quem de fato cuidou dos doentes do Maranhão, essa deve ter sido a raiva que motivou os ataques do grupo comunista.

Confira trecho da entrevista dada aos jornalistas durante live:

 

Após a conclusão dos estudos de viabilidade técnica e preliminar, a Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura autorizou, no último dia 15, o processo de abertura de licitação para a contratação dos serviços para a elaboração do projeto básico do novo Aeroporto de Balsas. O processo será conduzido pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

As obras do novo aeroporto são de iniciativa do senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Ele será construído às margens da BR-230, em uma área que fica 17 km de distância do centro do Balsas. Desde 2015, o congressista tem atuado na Esplanada dos Ministérios para priorizar os recursos para a construção. No fim do ano passado, o parlamentar conseguiu viabilizar R$ 2,4 milhões para serem aplicados na fase de licitação.

De acordo com o senador, a obra está orçada em R$ 90 milhões e será composta por um moderno e avançado terminal de passageiros, pátio de estacionamento de aeronaves, pista de pouso e decolagem, seção contra incêndio, pista de táxi, dentre outros equipamentos para melhor acomodar os usuários e passageiros. Dessa forma, aeronaves de grande porte terão condições de pousar e decolar no Balsas. Atualmente, somente São Luís e Imperatriz recebem voos de grandes companhias aéreas.

“É uma obra importante, pois fomenta o desenvolvimento econômico do Maranhão do Sul e, consequentemente, de toda a região do Matopiba”, afirmou Roberto Rocha.

O senador ressaltou, ainda, que o novo aeroporto vai impulsionar atividade turística da região, sobretudo, do complexo da Chapada das Mesas.

“As cidades de Riachão e Carolina, que ficam próximas, serão as principais beneficiadas. Outros municípios como Pastos Bons, São João dos Patos e outros também serão contemplados com esse importante investimento do Governo Federal”, completou.

As próximas fases do novo aeroporto serão o lançamento do edital, que deverá ser publicado no mês de junho. Em seguida, vem a emissão da ordem de serviço para a elaboração do projeto.

A decisão que recebeu a denúncia foi dada na segunda-feira (18) pelo juiz Gustavo André Oliveira dos Santos, da Subseção Judiciária de Caxias/MA.

A Justiça Federal recebeu a petição inicial da ação civil de improbidade administrativa que pede a condenação do prefeito Luciano Leitoa, do empresário Luiz Carlos Magno Silva e da empresa Locar Transportes. Com o recebimento, todos passam oficialmente a condição de réus no processo. A decisão que recebeu a denúncia foi dada na segunda-feira (18) pelo juiz Gustavo André Oliveira dos Santos, da Subseção Judiciária de Caxias/MA.

Segundo o juiz, “as provas que acompanham a petição inicial, a princípio, são aptas a indicar a existência de diversas irregularidades na aplicação de recursos do Fundeb repassados ao Município de Timon/MA nos exercícios de 2014 e 2015, envolvendo os requeridos, o que, ao menos em tese, caracterizam-se como atos de improbidade administrativa”.

De acordo com a decisão, o prefeito não promoveu as medidas necessárias para a efetiva fiscalização dos contratos decorrentes dos pregões 37/2013 e 24/2014, permitindo assim que o serviço de transporte escolar fosse prestado de maneira precária.

Também aponta que há indícios de que a Locar Transportes e o empresário Luiz Carlos Magno Silva ao sublocarem praticamente a totalidade dos serviços de transporte escolar para particulares que não detinham capacidade técnica e material para fazê-lo, se beneficiaram de forma direta do ato de improbidade, estando abrangidos pela Lei de Improbidade Administrativa.

O magistrado determinou a citação dos réus para contestarem a ação no prazo de 15 dias.

Entenda o caso:

No dia 12 de junho de 2017, o procurador Marcelo Santos Correa ingressou na Vara Federal Cível e Criminal de Caxias no Maranhão com Ação Civil de Improbidade Administrativa contra o empresário Luiz Carlos, a Locar Transportes e o prefeito de Timon, Luciano Leitoa.

De acordo com a petição inicial, entre os anos de 2014 e 2015, ocorreu na gestão do prefeito, malversação de recursos públicos federais do Fundeb, o que teria causado enriquecimento ilícito por parte da Locar Transportes e de Luiz Magno. Frisa o MPF que foram realizados dois procedimentos licitatórios objetivando a formação de ata de registro de preços para a futura contratação de empresa para realização de transporte, em especial o transporte escolar na municipalidade. Em ambos os pregões, a empresa Locar saiu vencedora.

“A empresa contratada disponibilizava 36 veículos para atender a demanda no transporte de alunos, porém, a maior parte deles (29 veículos), o que representa 81% de sua frota, eram subcontratados de terceiros. A respeito, a fiscalização empreendida pela Controladoria Geral da União (CGU) evidenciou que apenas sete veículos (19% da frota) estavam entre os bens patrimoniais da Locar Transportes LTDA”, afirmou o procurador.

Ele ainda destacou que a Locar “formalizou contratos com diversos proprietários de veículos, inclusive com a transferência de custos operacionais, tais como abastecimento, manutenção, conservação, remuneração do condutor do veículo. Em contrapartida, a empresa requerida repassava pagamentos a menor aos proprietários dos veículos objeto da subcontratação, pois os remunerava apenas com parte do que recebia do município de Timon”.

Segundo o MPF, foi fornecida à Prefeitura de Timon veículos em péssimas condições, conduzidos por motoristas sem habilitação ou treinados para o transporte coletivo, o que aponta malversação de recursos públicos federais .

O procurador pediu a concessão de liminar para o bloqueio dos bens para garantir o ressarcimento, e ainda que os réus fossem condenados até o limite de R$ 4.008.349,56 (quatro milhões, oito mil trezentos e quarenta e nove reais e cinquenta e seis centavos), acrescido do valor de futura multa civil (duas vezes o valor do dano), totalizando R$ 8.016.699,12 (oito milhões, dezesseis mil, seiscentos e noventa e nove reais e doze centavos).

A Justiça deferiu liminar decretando a indisponibilidade de bens dos réus até o montante equivalente ao valor do dano, acrescido de multa civil, com o bloqueio de bens móveis e imóveis, por meio dos sistemas informatizados.

Tribunal excluiu multa civil:

Os réus ingressaram com agravo de instrumento no Tribunal Regional Federal da 1ª Região e em 24 de maio de 2019, o desembargador federal Néviton de Oliveira, deferiu liminar para excluir a multa civil, limitar a construção ao valor do dano de R$ 4.008.349,56 (quatro milhões, oito mil trezentos e quarenta e nove reais e cinquenta e seis centavos), em quantia proporcional à cota-parte de cada uma, de 1/3 (um terço) do montante do dano, no caso R$ 1.336.116,52 (um milhão, trezentos e trinta e seis mil, cento e dezesseis reais e cinquenta e dois centavos) por réu, devendo ser excluídos os valores bloqueados em conta corrente inferiores a 50 salários mínimos ou de poupança inferiores a 40 salários mínimos, dada a natureza alimentar da verba e, ainda, os valores bloqueados em contas bancárias onde depositados os ativos financeiros da empresa.

Não satisfeitos com a decisão, a Locar e Luiz Carlos afirmaram que estava sendo afetada a garantia da manutenção da atividade empresarial e segurança alimentar, então indicaram como garantia 30 ônibus que poderiam substituir os valores bloqueados, já que atingem o montante de R$ 2.677.830,00 (dois milhões, seiscentos e setenta e sete mil e oitocentos e trinta reais).

Operação Topique

Luiz Carlos foi preso no Piauí em razão da Operação Topique que investiga um esquema criminoso formado por empresas com o objetivo de realizar fraudes em licitações da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) no Piauí e em prefeituras piauienses em relação ao transporte escolar.

Segundo investigação realizada pela Polícia Federal, entre janeiro de 2013 e dezembro de 2015, a Locar movimentou, considerando operações de débito e crédito, valores que totalizam R$ 346.659.942,39 (trezentos e quarenta e seis milhões, seiscentos e cinquenta e nove mil, novecentos e quarenta e dois reais, trinta e nove centavos).

No mesmo período, a movimentação financeira pessoal do empresário e ex-professor Luiz Carlos Magno da Silva foi de R$ 12.316.764,43 (doze milhões, trezentos e dezesseis mil, setecentos e sessenta e quatro reais, quarenta e três centavos). A empresa que possuía em 2013 apenas 5 veículos e 6 em 2014, saltou para 63 em 2015, 97 em 2016 e 138 em 2017.

Com atuação em apenas dois municípios no ano de 2012, a empresa passou para 21 em 2013. No período, a quantidade de empregados declarados pela empresa entre janeiro e agosto de 2013 na GFIP variou entre 4 e 12 pessoas. A empresa se transformou em pouco tempo na maior empresa prestadora de serviços de transporte escolar do estado, com faturamento anual de dezenas de milhões de reais.

Outro lado: Luiz Carlos e Luciano Leitoa não foram localizados pelo GP1.

Proibição: manifestantes novamente indo para delegacia no Maranhão…

Ditadura no Maranhão, “tudo dominado”, “tudo patrulhado”? Alô, secretaria da Mulher, alô, secretaria dos Direitos Humanos, tem alguém aí?

Perseguição? Professora foi atacada e deturpada. Onde estão os representantes do povo, onde estão as secretarias da Mulher e Direitos Humanos?

Professora e outros profissionais de São Luís teriam sido monitorados em grupo de whstsapp, logo após, tiveram que dar explicações na polícia pelo conteúdo das conversas.

Tudo indica que as intimações (ou perseguições como dizem os membros do grupo) foram causadas por conversas num grupo de whatsapp de membros da direita favoráveis ao presidente Bolsonaro.

O certo é que, de forma deturpada, a imagem duma mãe, mulher, educadora está sofrendo ataques nas redes sociais só por causa de uma foto em que a professora aparece ao lado da prefeita de sua cidade.

“Como líder comunitária do Caiaré, nome indígena dado ao bairro de Paço do Lumiar, fui com outros líderes de comunidade do Paço reunir com a prefeita em busca de beneficios aos bairros, mas acabei sendo noticiada num blog da cidade, como sendo aliada e membro do PCdoB, beneficiada pela prefeita, uma mentira, sou concursada. Por causa disso estou indo registrar um BO na delegacia do Maiobão”, disse a professora Ana Melo.

Carcarás UFMA

Pior que isso, a motivação da perseguição foi por causa de um vídeo gravado pela professora Ana Melo Sekeff, da rede municipal de Paço do Lumiar, que explica que ao chegar em casa tinha uma viatura da policia com uma intimação para dar explicações de uma manifestção que “vazou” do whatsapp e foi parar, com prints, nomes de cada participante do grupo sem que tivesse acontecido o evento, sendo que estava marcado para o dia depois do ‘lockdow’, e foi parar nas mãos da polícia, que está sob o comando do delegado Jefferson Portela, do PCdoB, que está ocupando o cargo de secretário.

O grupo Carcarás da UFMA escreveu sobre o assunto no Instagram, confira clicando aqui:

Além da profesora, mãe, mulher perseguida e deturpada, outros profiissionais gravaram mensagens nos grupo de whatsapp, abaixo áudio e também um vídeo:

AÚDIO DOS MANIFESTANTES:

Coincidencias?

Até um deputado de oposição ao grupo governista do PCdoB teria sido monitorado:

A politica do Maranhão parece favorecer em todos os aspectos o grupo governista e, segundo alguns acontecimentos, tem colaborado para encobrir ações nada republicanos do grupo comunista, que apesar dos pesares, passa incolome diante das evidencias gritantes que no Maranhão não se vive uma república, mas seim, uma ditadura.

Confira abeixo clicando nos linkes:

Após denúncia do deputado Wellington, MP investiga espionagem sob comando de Flávio Dino

Essa não seria a primeira vez que a secretaria de segurança teria agido de forma anti-republicana, pesam acusações graves contra o secretário e sua gestão, conforme mostram as notícias dadas pela imprensa local:

“Lava-Jato” maranhense teria sido barrada por Portela para proteger aliados de Dino

 

Vídeo de manifestantes sendo intimados pela polícia que tem como secretário o amigo pessoal do governador Flávio Dino, que também é membro do PCdoB.

Vírus chinês que matou vários humanos sendo comentado de forma assustadora por um monstro que deveria estar preso cumprindo pena por crimes de lesa-pátria.

A extrema imprensa em grande parte, se mantém em silêncio, por que a maioria dos seus membros são militantes comunistas transvestidos de jornalistas, que utilizam do meio para difundir ideologias autoritárias e defender o Larápio e o restante da quadrilha PT, ao invés de notíciar os fatos.

Luladrão e a esquerda em geral torcem pelo vírus, para usar caixões como palanque e cadáveres como narrativa.

Não se engane, nenhum esquerdista está torcendo pela recuperação dos enfermos ou para que se encontre logo a cura, muito pelo contrário, eles estão torcendo é pelo vírus, torcendo para que milhares de pessoas morram, para então usar esses mortos como moeda eleitoral em nas próximas eleições. Pois a preocupação da esquerda sempre foi o poder e nunca a vida das pessoas!

Um desrespeito total a memória das vítimas e seus familiares, que estão sendo usadas por um criminoso e por sua quadrilha, como massa de manobra e marketing para alcançar o poder. (Com informações do Intervencionistas)

CNN destaca nome de médico maranhense como possível substituto do ex-ministro Nelson Teich.

O canal de TV CNNBrasil saiu na frente da Globo e divulgou em primeira mão, o nome do médico maranhense, Allan Garcês, como cotado para Ministro da Saúde. Nos bastidores do Planalto, conta-se que a indicação do médico tem crescido muito e caiu na graça de gente forte do governo em seu favor.

Na reportagem, a jornalista fez até um comentário que pareceu ser “preconceituoso” sobre o maranhense falar bem, mas depois explicou que sua crítica foi por causa do ministro anterior parecer mudo, que nunca falava.

Assista a matéria completa no vídeo abaixo:

Sabem aqueles políticos que não aceitam o uso da cloroquina para salvar vítimas do coronavírus, mas que vivem pedindo a liberação do uso de drogas como a maconha?

Jean Willys do PSOL  quer maconha liberada…

Alô, STF: maconha pode, cloroquina não?

Pois é, resta saber se o ministro do STF, Alexandre de Moraes, o “Xandão”, que mandou prender na semana passada alguns manifestantes próximo do condomínio onde reside também aprova.

Justamente o STF, que em 2011 tinha liberado a marcha da maconha por achar que é livre manifestação, deveria ser contra a prisão de manifestantes que lutam pela liberdade de expressão de pedir a cloroquina, por exemplo.

O Vídeo, apesar de ter sido feito antes da pandemia do covid-19, serve para demostrar que os politicos da extrema esquerda que desejam a liberação das drogas não deveriam se opor ao uso, por exemplo, daquilo que vem salvando vidas, como é o caso da cloroquina.

Por meio do Ministério de Desenvolvimento Regional- MDR, o senador Roberto Rocha (PSDB) destinou recursos para a recuperação de estradas vicinais de Satubinha, cidade maranhense que fica à 280 km da capital São Luís.

O dinheiro vai garantir a conclusão das obras, que vão contemplar cerca de 23 povoados do município, entre eles, o povoado Juçaralzinho; Juçaral do Vital; povoado Cigana; povoado Acácio; Tapera; Esperdião; Brejinho; Bacuri; Sumaúma; Maçaroca, Santo Antonio, Francilina Jejuí; Parida, entre outros. Ao todo, 1.098 famílias serão beneficiadas.

Os trabalhos já estão em andamento e visam promover à população dos povoados de Satubinha, estradas mais trafegáveis, melhorias nas condições do transporte da produção agrícola e contribuir para a manutenção do bem-estar das pessoas que trafegam pela região.

Para o senador Roberto Rocha, com a recuperação dessas estradas vicinais, espera-se que o sofrimento da população rural seja minimizado, uma vez que elas vêm sofrendo com a falta de acesso nos períodos de chuvas, que provoca sucessivos atoleiros e compromete tanto o deslocamento, quanto o escoamento da produção agrícola. O parlamentar destacou, ainda, a importância da liberação de emendas, em parceria com o Governo Federal, para ajudar nas necessidades dos agricultores dos municípios maranhenses.

“Há uma necessidade premente de ser criada toda uma infraestrutura básica nessas localidades rurais. O nosso objetivo é tornar esses povoados melhor estruturados e organizados, proporcionando às famílias de agricultores, os benefícios socioeconômicos mínimos necessários à fixação deles no campo”, afirmou.

1 2 3 4 612