Na imagem do dia, a primeira aparição do novo prefeito eleito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), para conduzir a equipe de transição da gestão antiga para a nova, que iniciará em janeiro de 2021.

Enfim, a mudança…

A presença do novo prefeito eleito se deu após anuncio da sua equipe de transição composta por grandes técnicos, como Enéas Fernandes, Flávio Olímpio, Marília da Conceição, Max Barros e pela professora Elisabeth Castelo Branco.

No encontro estavam o ainda prefeito, Edivaldo Holanda acompanhado da primeira-dama, Camila Holanda, e do secretário Municipal de Governo, Pablo Rebouças. Eduardo Braide estava acompanhado de sua esposa, Graziela Braide, e do coordenador da sua equipe de transição, o advogado Enéas Fernandes.

Que venha o ano novo, que traga transparência e mudança. Chega de “prefeitos marionetes”, de totalitarismos, chega de prefeitura de São Luís ser um mero “puxadinho”.

Valeu, Braide!

O grande dia de uma miss…

Clara Rodrigues, Miss Raposa, 14 anos

“Me chamo Clara Rodrigues, tenho 14 anos, e estarei desfilando num concurso de beleza. Sonho tornar-me uma modelo profissional e desfilar nas passarelas. Apesar de nova, já venho algum tempo lutando para participar do Concurso de Miss Maranhão (pré-teen). É uma grande felicidade representar a Raposa, que é um município importante da Grande Ilha, quero dizer que lutei muito pra fechar parcerias mas não consegui êxito, apesar de tudo, tenho certeza que tudo vai dar certo e realizarei meu sonho”.

O concurso de beleza acontecerá na tarde deste sábado, às 17h, no Class Eventos do Calhau, e terá a participação de 25 representantes da beleza maranhense.

Abaixo, algumas participantes do concurso de beleza sendo produzidas pelo Belíssima Concept do Shopping da Ilha:

Caiu como uma bomba o possível envolvimento de um deputado federal do Maranhão, o pastor evangélico, Gyldenemir, em esquemas de agiotagens.

Deputado conhecido na cena política pode ser entrave para postulantes a cargos majoritários nas eleições de 2022…

Os esquemas sempre existiram, apesar dos constantes cercos das autoridades contra as práticas criminas, ao que tudo indica, em franco desenvolvimento neste antigo e atrasado estado, onde a política vira e torna, se confunde com o crime.

O nome do Deputado Gyldenemir, que é pastor de uma imensa igreja evangélica no Maranhão, apareceu nas listas de possíveis envolvidos, ainda na tarde de ontem, 03 de dezembro, data em que a PF deu uma batida e prendeu um conhecido agiota da cidade, que estaria pressionando um prefeito para obter verbas federais, tudo indica que direcionadas à saúde.

Homem de origem humilde, o pastor deverá ter sua pior prova diante dos eleitores e fieis da igreja.

Além de receber a mancha de falso pastor, deputado corrupto, encrencado com a PF, o deputado federal Gyldenemir, apontado como quem tem possível ligação com esquemas de agiotagens, deverá correr contra a má fama que detonará seus votos da bancada evangélica, inclusive, podendo melar as pretensões políticas de seus aliados em 2022.

Como diz na bíblia:

Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!

Derrota de Flávio Dino mesmo com todo derrame das estruturas públicas em favor de seus candidatos repercutiu no plenário da Câmara Federal em Brasília.

Analise política feita em Brasília pata todo o Brasil saber como é a “democracia” carcomida do governador Flávio Dino e seu grupo de comunistas assalariados, mantidos ao peso de altos impostos que a população pobre e explorada do Maranhão tem que pagar.

Democracia carcomida de Flávio Dino, na fala do deputado federal Edilázio Júnior do PSD:

Em 2020 o Maranhão já mostrou que não quer mais esse tipo de governo, que coage, que persegue, que usa a polícia de forma opressiva. Que nós não aceitamos mais esse tipo de coisa. O governador saí pequeno, se vende como um grande líder nacional, mas lá no seu quintal pegou taca!

O chefão dos comunistas que fazem política eleitoral montados na maquina pública demostraram que são piores do que aqueles que vivem acusando.

 

Ofensa ao negro?

Deputado que se diz contra “preconceito”, xinga presidente da Fundação Palmares, um negro, de “capitão do mato”.

O capitão do mato que preside a destruição da Fundação Palmares determinou a exclusão de 27 nomes da lista de personalidades negras e ainda querem dizer que não há racismo no Brasil. Absurdo!

As lamentáveis palavras do deputado federal Bira do Pindaré, direcionadas ao presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, não podem ser justificadas, para um bom entendedor foram ofensivas e o “representante” do povo na Câmara Federal de Brasília, Bira do Pindaré, que se diz “defensor dos negros”, atacou um negro e, segundo as normas civilizadas, dos bons costumes, da educação básica, precisa se retratar.

Acreditem, o absurdo foi postado nas redes sociais de um deputado federal pelo Maranhão, Bira do Pindaré do PSB, que acabou de sair de uma eleição municipal derrotado na última colocação. Talvez a derrota de Bira tenha mexido com sua percepção racial para char que apenas “algumas vidas de negros importam”, outras, talvez, não.

Confira abaixo o ataque de Bira:

CNJ notifica juiz Douglas de Melo Martins de decisão sobre apuração de infrações disciplinares, determinação de apresentação de defesa e de requisição de ficha funcional,  além de nova apuração de fato referente a Dias Toffoli.

Reclamação disciplinar foi movida pelo Senador Roberto Coelho Rocha, que levou ao conhecimento do CNJ fato novo relativo a desobediência a decisão do referido órgão e sobre palavras proferidas em relação ao ex-presidente do STF em entrevista ao programa “Os Analistas”.

O CNJ, em decisão da lavra da Corregedora Nacional de Justiça Maria Thereza de Assis Moura, materializada no dia 25 de novembro, determinou que o Juiz Douglas de Melo Martins apresentasse defesa e se preparasse para deliberação sobre  “a instauração ou não de processo administrativo disciplinar”, o que ocorrerá em sessão que será marcada após o escoamento do prazo defensivo, além de ter requisitado para a Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Maranhão a ficha funcional do mencionado magistrado.

Tais medidas foram tomadas na Reclamação Disciplinar formalizada pelo Senador Roberto Coelho Rocha (Processo 0003341-63.2020.2.00.0000), que também levou ao conhecimento da mencionada instituição, prova  de descumprimento, por parte do citado juiz, de decisão tomada na 55ª Sessão Extraordinária do Plenário do Conselho Nacional de Justiça, esta que ratificou a liminar concedida nos autos da referida Reclamação Disciplinar e que determinava ao magistrado que se abstivesse de participar de debates virtuais públicos (lives) que possuam conotação político-partidária.

Em petição confeccionada pelo advogado Alex Ferreira Borralho, foi informado sobre fato notório ocorrido no dia 31 de julho do corrente ano, ocorrido em entrevista que o magistrado concedeu ao programa jornalístico da TV Guará denominado de “Os Analistas”, com pedido específico de ciência oficial ao ex-presidente do CNJ da íntegra da entrevista concedida, para que fossem tomadas as medidas cabíveis, inclusive na esfera criminal, que traz as seguintes afirmações por parte de Douglas Martins:

“De onde este cidadão que eu não preciso dizer o nome, a minha sensação é que ele não merece que eu pronuncie esse nome, esse ministro que insinuou de forma maldosa que eu estaria utilizando a magistratura como trampolim. O cidadão que disse isso, que disse que eu estou utilizando a magistratura como trampolim, parece que não se olha. Eu nunca utilizei, eu nunca fui para um cargo público por indicação de um político qualquer. O Ministro que me acusa de usar a magistratura como trampolim, ele sim, utilizou cargos anteriores como trampolim para chegar ao Supremo Tribunal Federal. Mas este que me acusa de usar a magistratura como trampolim devia, deveria era imediatamente convocar a imprensa para uma entrevista coletiva e desmentir essas informações que estão circulando nos meios de comunicação, que você acabou de trazer, de que ele teria recebido propina da Odebrecht. Isso eu quero quer que não seja verdadeiro.”

O pedido de Alex Borralho, representando o Senador Roberto Rocha, foi acolhido pela Corregedora Nacional de Justiça, que determinou o apensamento da petição a outro processo para julgamento conjunto.

Veja a íntegra da decisão da Ministra Maria Thereza de Assis Moura:

CNJ – DECISAO – 26.11.2020.pdf

 

A verdade sobre Manu D’Àvila: números não bateram com a realidade do IBGE, nem do IBOPE.

Candidata sustentada por Flávio Dino em 2018 foi sua pior derrota em 2020.

Engana-se quem pensa que a pior derrota de Flávio Dino foi Rubens Junior, candidato a prefeito de São Luís (capital do Maranhão) pelo PCdoB.

IBOPE dava como certa a vitória de Manu Dávila candidata do PCdoB em Porto Alegre, mas depois do debate perdeu feio…

A pior derrota do PCdoB não foi no Maranhão, foi em Porto Alegre, depois que a candidata a prefeita tentou falar de Flávio Dino como a redenção do estado pobre, destruído, durante um importante debate na televisão. A candidata tentou mostrar que PCdoB fez melhor que o MDB. Uma mentira repetida pela candidata, aliás, Roseana Sarney do MDB, deixou muito dinheiro em caixa, mas que sumiram no decorrer da gestão comunista, cujos cofres públicos encontram-se no buraco. 

Um dia antes de sua derrota, a candidata a prefeita pelo PCdoB da cidade de Porto Alegre – RS, falou de Flávio Dino durante um debate na televisão do RS, destacando o governo do Maranhão (veja no vídeo) dizendo que o paupérrimo e atrasado estado (último lugar), conseguindo na atualidade ficar atrás do Piauí, estava vivendo uma prosperidade como nunca antes na história do Maranhão.

Lógico que o eleitor gaúcho não é besta como alguns “comunistas” tentam fazer, através de mentiras.

O Maranhão é o estado mais atrasado do Brasil na atualidade, entrou na extrema pobreza, segundo os números do IBGE.

Quem não sabe em todo o Brasil que o Maranhão está piorado durante a gestão de Flávio Dino?

Não foi dessa vez, Manu. O povo do Rio Grande do Sul, diferente do Maranhão, demostrou que sabe votar e que não aceita a mentira.

A mentira de Manu, que foi a candidato de Flávio Dino, nome sustentado por ele para compor a chapa de  vice-presidente pelo PT nas eleições em 2018, como vice de Fernando Haddad, mas perderam para Bolsonaro.

Sobre as inverdades da comunista sobre o Maranhão, uma simples busca no google, pode comprovar que o Maranhão, diferente das propagandas enganosas, pagas ao preço de ouro nas mídias nacionais, são fakes. Parece que o eleitor gaúcho não caiu nessa.

Pela segunda vez no segundo turno, Manu não conseguiu ganhar. Culpa da mentira?

Quem mentiu, Manu: o IBGE ou IBOPE?

E não adianta falar da “margem de erro” dos institutos de pesquisas, dos números do IBOPE favoráveis que davam vitória à candidata do PCdoB antes da eleição no segundo turno, mas, depois de falar de Flávio Dino no debate, acabou descendo ao pior nível, ao ao nível da derrota.

Sobre as escolas públicas do Maranhão, confira algumas aqui:  

aqui: 

Se a comunista desse um “google” antes de falar do Maranhão num debate, talvez estivesse eleita.

Momentos extremamente difíceis aguardam o povo argentino. Na terça-feira (1º), a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), informou que a Argentina perderá 12,9% do Produto Interno Bruto em 2020, sendo o pior resultado do ano entre os participantes do G20.

Governada pelos peronistas Alberto Fernández e Cristina Kirchner, o país enfrenta a pior crise de sua história, suplantando, inclusive, a crise do corralito, de 2002, quando a atividade econômica do país teve um declínio de 10,9%

As medidas sanitárias adotadas pelo governo em razão da pandemia da Covid-19 agravaram ainda mais a situação e, segundo a análise da OCDE, a recuperação da Argentina será lenta.

A previsão é de um crescimento pífio de 3,7% e 2021. (Jornal da Cidade Online)

Ditadores: A turma do “socialismo” que adora ser chamada de “progressista” continua regredindo. Abaixo, um testemunho vivo da falsidade ideológica esquerdista.

Opinião: É proibido ser conservador! Gustavo Gayer foi derrubado do Youtube (veja o vídeo)

Pergunte para qualquer esquerdista qual era a pior parte da “Ditadura Militar”, e eles te responderão, sem pestanejar, que era a censura.

Sim durante décadas de nossas vidas, na nossa formação escolar, na mídia e na cultura, escutamos quase que diariamente a narrativa de como os militares impediam qualquer um com um pensamento diferente do deles, de se manifestar.

Praticamente todo militante intelectual de esquerda tem uma história de perseguição para contar, onde ele obviamente é um herói da resistência e da liberdade de expressão. Tudo firula. O fato é que, não era a censura propriamente dita que os incomodava. Era o fato de que a esquerda não tinha o monopólio desta.

Não há nada mais perigoso para a liberdade do ser humano, do que o poder gigantesco e inconteste que a esquerda progressista exerce hoje em dia contra seus opositores através das grandes empresas de tecnologia. Mais de 90% do debate político atual ocorre nas plataformas do Google, Facebook ou Twitter.

Plataformas que angariaram bilhões de usuários prometendo ser um refúgio para o livre debate de ideias, mas que com o passar do tempo se revelaram máquinas de supressão da liberdade, lubrificadas pela narrativa progressista do politicamente correto e movidas pela justificativa idiótica do “combate ao discurso de ódio”.

Para o pensamento intelectualmente limitado do esquerdista, é muito mais prático silenciar um adversário, do que dedicar tempo construindo um argumento para rebatê-lo. Principalmente quando o seu argumento é baseado em uma visão mutilada da sociedade. O esquerdista simplesmente não consegue competir com os fatos, e ele sabe disso. Resta a ele, somente a censura, dos campos de concentração de opositores de Stalin para os banimentos de hoje, mudaram-se somente os métodos.

A intenção continua sendo impedir que o adversário comunique sua mensagem.

O caso mais recente desta perseguição se deu contra o Professor Gustavo Gayer, cujo canal no Youtube já passava de 320 mil inscritos.

Gayer conquistou seus seguidores a duras penas, sendo atacado tanto pela esquerda (que era diariamente desmascarada em seus vídeos), quanto por “aliados” na direita (que viam nele uma ameaça às suas ambições políticas).

O professor disputou recentemente a prefeitura de Goiânia, ficando em 4° lugar, deixando para trás nomes conhecidíssimos na cidade, (como ex-senadores e deputados) e que gastaram milhões de reais em dinheiro público em suas campanhas. Seu sucesso se deu, pois sua principal ferramenta de trabalho é a honestidade.

Mas nem toda essa visibilidade foi suficiente para livrar o Professor da perseguição descarada sofrida pelos conservadores nas redes sociais. Após bloquear seu canal (e principal meio de comunicação) faltando duas semanas para as eleições, o YouTube decidiu, sem explicação plausível, excluir de vez o canal de Gustavo Gayer.

Do dia para a noite, 320 mil pessoas não poderão mais acompanhá-lo. É um poder de fazer inveja a qualquer ditador. Pelo mundo todo, já surgiram dezenas de relatos parecidos de perseguição e censura a conteúdos de direita nas redes. Desta vez, o caso é ainda mais grave, pois se trata de uma figura extremamente conhecida, disputou cargo político e que foi censurada simplesmente por ser de direita. Se as empresas fazem isso com uma pessoa influente, imagina o que não farão com cidadãos comuns.

Não há mais espaço para morosidade e leniência do Congresso em relação a esse tipo de comportamento das redes sociais. É urgente que se abra uma CPMI para investigar a discriminação e a perseguição sofrida por conservadores nas redes. Facebook, Google e Twitter ganham muito com usuários brasileiros, para tentar impor a nós um pensamento monolítico.

Onde quem não pensa como eles querem, é excluído.

As redes sociais precisam decidir se são abertas à pluralidade de ideias, ou se são espaços exclusivos de bajulação de ideias de esquerda. Caso sejam a segunda opção, que se apresentem como tal aos usuários. Mas se insistirem no teatro, que sejam FORTEMENTE reguladas pelo estado.

Não há espaço parta demagogia libertária aqui, quem fere a liberdade de expressão deve sofrer consequências sérias. Se nossos deputados e senadores de direita soubessem que, esse tipo de censura, visa justamente influenciar o eleitorado para que políticos conservadores NUNCA mais sejam eleitos, tomariam atitudes concretas ao invés de ficar fazendo post lacrador e subindo hashtag.

“Quando você corta a língua de um homem, você não prova que ele é um mentiroso. Você apenas prova ao mundo que teme o que ele tem a dizer.” – George R.R. Martin (Jornal da Cidade Online)

Flávio Dino demostrou ser uma negação como liderança. Pior para ele, a fila andou e cresceu.

Um nome foi reverenciado nas eleições de 2020, pela postura. Mesmo perdendo a eleição, o médico Yglésio Moysés cresceu e impressionou a todos.

Destaque das eleições de 2020: Yglésio foi o grande vencedor dos debates, teve postura diferente de “menudo” ou “pau mandado”. 

As eleições de 2020 foram destroçadas pelas mãos de Flávio Dino, que sentado na cadeira de governador, julgava-se um “grande líder”, disposto a comandar a todos. De fato, foi, por algum tempo, até chegar 2020.

Dino perdeu as eleições e esfacelou seu maior capital, perdeu o controle do seu imenso grupo político, ao aventura-se com o candidato do PRB, legenda de Bolsonaro.

Diferente daquilo que fez o então governador José Reinaldo Tavares, em 2006, unificando as lideranças, Flávio Dino, que é criatura de Zé Reinaldo, mas não aprendeu ser líder e destroçou com suas próprias mãos o trabalho político de libertação do Maranhão, que levou décadas.

A maior derrota da esquerda passou pelo Maranhão, Dino, que se julga “grande liderança”, fazendo dia e noite politicagens com os cofres públicos de um estado pobre, arrasado, empobrecido e explorado, que só dá resultados positivos nas contas de seus funcionários, a grande maioria aliados do PCdoB.

É justamente bem aí que entra o médico Yglésio Moysés, mesmo sendo um deputado da base de Flávio Dino, governista, ousou falar contra o governador Flávio Dino, ousou falar verdades, ousou mostrar aquilo que era óbvio mas proibido de ser falado.

O jovem deputado, que busca voos solos, saiu vitorioso nos debates televisivos e se posicionou contrário às imposições de uma liderança que criou candidaturas forjadas pela maquina pública. Yglésio implodiu o modus operandi comunista, sujo, fétido, podre, fadado á derrota em 2022.

A partir de 2021, uma grande construção, ou debandada, vai desenhar os rumo de 2022.

Coincidências à parte, Yglésio Moysés teria sido visto na presença do senador Roberto Rocha, logo após equipe do senador anunciar nas redes sociais, horário e local que o senador  deveria votar no domingo 29, dia que foi destroçada definitivamente a liderança vacilante do comunista Flávio Dino.

Diferente dos “menudos” do consórcio de políticos “paus mandados” do governador comunista, Yglésio demostrou que deseja liberdade, que tem coragem, visão e atitude.

1 2 3 668