Carmelo Neto e Weverton Rocha

Ao comentar o envio de congratulações ao senador Cid Gomes (PDT/CE) por ter assumido a liderança do partido no Senado Federal o vereador de Fortaleza, Carmelo Neto em discurso na Câmara Municipal na sessão desta quinta-feira (25), fez um breve relato sobre a bancada pedetista e entre eles o senador maranhense Weverton Rocha.

O jovem vereador de Fortaleza ficou surpreso com as informações que colheu. “Senador Weverton Rocha, o sujeito conseguiu a proeza de ser denunciado por desvio de verbas pela primeira vez aos 18 anos, pasmem os senhores! Hoje ele tem 41 e responde por mais de 20 processos, entre eles improbidade administrativa, fraude em processo licitatório, corrupção passiva, corrupção ativa, peculato, dispensa indevida de licitação. Rapaz se abrir o Código Penal em qualquer parte o sujeito vai tá!”, disse o vereador Carmelo Neto.

Assista a abaixo a íntegra do discurso do vereador Carmelo Neto. (Blog do Ludwig Almeida)

 

 

Esses partidos mequetrefes e esquerdopadas foram os responsáveis e transformar o STF no poder supremo e seus ministros em “deuses”, cujos resultados foram catastróficos para a democracia, visto que a intervenção nas votações do Legislativo vem tornando o Congresso Nacional numa espécie de um órgão subordinado ao STF…

PT e PSOL questionam autonomia do Banco Central no STF

Criem vergonha e aceita suas posições de minoria, pois assim estarão seguindo o rito normal da democracia.

Nesta quinta-feira 25), o PT e o PSOL protocolaram no Supremo Tribunal Federal (STF), uma ação que pede que o Supremo cobre explicações do Governo Federal sobre a lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro que estabeleceu a autonomia do Banco Central (BC).

O texto do projeto de lei sancionada ontem por Bolsonaro estabelece que o Banco Central passa a se classificar como autarquia de natureza especial caracterizada pela “ausência de vinculação a ministério, de tutela ou de subordinação hierárquica”. Até então, o BC era vinculado ao Ministério da Economia.

Os partidos de esquerda alegam que apesar de a lei aparentar que Banco Central não atuará de maneira descoordenada da política fiscal, o papel fundamental continuará a ser o controle de preços.

“Há mais de 30 anos se pretende a autonomia do Banco Central do Brasil. Apesar de amplamente adotada, os benefícios da autonomia dos bancos centrais são questionáveis. Não há evidências empíricas de que ter o Banco Central sujeito ao controle do Poder Executivo resulta em consequências econômicas negativas. Pesquisas, ao revés, mostram que ciclos eleitorais não influenciam as taxas de juros”, diz o texto da ação dos partidos.

“Não se pode pensar em um Banco Central com objetivos distintos das políticas do governo federal, quando mais em um país em desenvolvimento e repleto de demandas sociais, políticas e econômicas prementes”, explicam. (Blog do Caio Hostílio)

Emissora alugada do Lobão troca de apresentadores ao perder “bagatela”?

Tlinta por cento?

Está sendo muito comentada a troca de apresentadores na emissora de Edinho Lobão, vulgarmente chamado de “Edinho tlinta”.  Para o blogueiro ‘pinga-fogo’, a economia servirá para contemplação de outro conhecido “sistema de Comunicação”.

Uma das causas apontadas pela “limação” de  apresentadores seria economizar vários milhões gastos em “emissoras da Oligarquia”.

Alguns culpam o atual secretário de comunicação do estado, Ricardo Capelli, como causa sine qua non para a limação. Recebido com pompa e circunstância, agora, é visto como perigo iminente. Emputecidos, trataram de remover matérias dos seus respectivos apócrifos, quando perceberam que a casa estava sendo colocada em ordem. Como diz o ditado: ‘terra que não tem leão, macaco deita e rola’.

Há quem diga, também, que Flávio Dino estaria perdido ao ter feito, supostamente, um contrato de mídia na bagatela de R$ 20 milhões com o Sistema Mirante de comunicação. (Com informações do Blog do Neto Cruz)

O senador Roberto Rocha do PSDB-MA, festejou a decisão do STF de afastar os mais de 36 capelãs nomeados, segundo o deputado Wellington do Curso do PSDB, de forma eleitoreira.

E agora Flávio Dino, vai culpar Bolsonaro, por obrigar o povo pobre pagar a “farra dos capelães”?

O caso ficou conhecido em todo o Brasil, sendo inclusive, comparado ao vizinho estado do Piaui, governador por um aliado de Lula do PT, que durante sua gestão não nomeou capelãs, mostrando ao Brasil inteiro que o ‘modus operandi’ comunista é bem pior do que da antiga governadora Roseana Sarney, a quem os comunistas acusavam de roubar os cofres públicos.

Vale ressaltar que, na gestão da ex-governadora Roseana Sarney, os cofres públicos bancavam um número bem reduzido de capelãs comparados aos atuais.

Muita gente no pobre e explorado estado do Maranhão ainda espera que o governador-militante, Flávio Dino, escreva algo no seu tuíter como sempre faz, acusando o presidente Bolsonaro. É bem capaz de Dino jogar a culpa no presidente do Brasil.

A decisão liminar, tomada na segunda-feira, 22, ainda será submetida ao plenário do tribunal. O ministro atendeu a um pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, que levou o caso ao Supremo.Os capelães são representantes religiosos que trabalham na prestação de assistência espiritual a pessoas presas e agentes das forças de Segurança. Pelas leis maranhenses, as vagas podem ser preenchidas por nomeação do governador. Na avaliação de Nunes Marques, no entanto, a brecha para indicações coloca em risco o princípio da liberdade religiosa. Para o ministro, a seleção deve ser feita via concurso público. (Com informações do G1)

Após incasáveis denúncias, a própria PM do Estado convocou o deputado para ouvir as denuncias contra o governador-militante do Petismo de Lula, que, lamentávelmente não deu em nada. Entenda o caso clicando aqui:

Abaixo, senador Roberto Rocha comentando decisão de ministro do STF em conter abusos do comunista Flávio Dino.

Para quem espalhou aos ‘quatro ventos’ que Carlos Brandão não cumpriria a palavra empenhada, durante a sua mais recente interinidade como chefe do executivo maranhense, soou frustrante a notícia de que o vice-governador iniciou a autorização de convênios municipais com prefeituras maranhenses.

Pouco mais de um mês depois de receber 153 prefeitos no Palácio dos Leões, agora representando o governador Flávio Dino, Brandão iniciou a autorização dos convênios municipais, e já na segunda-feira, 22, foram liberadas solicitações de sessenta cidades.

Carlos Brandão pretende dar respostas rápidas aos pedidos feitos pelos prefeitos que estiveram com ele em janeiro, e continuar as conversas com os demais gestores, para que sejam atendidos os 217 municípios do estado. Preocupado com o êxito desse trabalho, o vice-governador afirmou destacou a importância dos prefeitos e equipe serem auxiliados desde a apresentação das propostas de obras e criação de programas para cada localidade até a execução dos projetos, que devem ser elaborados de acordo com a necessidade e a capacidade orçamentária relativa aos municípios.

O governo tem um teto financeiro a ser respeitado e é isso que garantirá o bom êxito da empreitada, segundo Brandão. Pautas como essa reforçam o caráter municipalista adotado por Dino e Brandão. Nos encontros com os gestores municipais eleitos e reeleitos, o vice-governador tem reforçado a sua opinião de que as soluções para os problemas do Maranhão passam pelo municipalismo, pelo desenvolvimento social e econômico em todas as regiões maranhenses, considerando sempre as suas respectivas vocações para negócios, investimentos, ações e programas, respeitando as peculiaridades de cada cidade.

Carlos Brandão segue conversando com os prefeitos esta semana, inteirando-se dos pleitos e desafios dos municípios. As autorizações dos convênios são uma ducha de água fria naqueles que quiseram desacreditar o vice-governador do Maranhão, tentando convencer os gestores municipais de que a palavra de Carlos Brandão não seria cumprida. É o primeiro sinal claro do que está pensando o governador Flávio Dino em relação à sua sucessão, em 2022.

Por enquanto, apesar da rebeldia protagonizada por integrantes do grupo governista nas eleições para prefeito de São Luís, a base de apoio do governo tecnicamente permanece unida, graças ao esforço de um dos braços direito de Dino, o deputado licenciado e secretário das Cidades, Márcio Jerry. Não se sabe se essa união perdurará por muito tempo; afinal, o senador Weverton Rocha, com toda legitimidade que lhe é garantida, estaria mesmo disposto a disputar o governo do Maranhão no ano que vem. (Jornal Pequeno)

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), tem diante de si um verdadeiro “presente de grego”, deixado pelo antecessor, Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Trata-se do inevitável realinhamento da tarifa do transporte coletivo, que deveria ter sido aplicado em setembro de 2020, conforme prevê o contrato da licitação do serviço, em vigor desde 2017, mas não foi tratado como prioridade, tantas eram as questões a resolver pelo antigo gestor no final do mandato.

Sistema de transporte público de São Luís opera sob pressão após altas sucessivas do diesel e outros fatores

Na época, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) chegou a oficializar um pedido de reposição de R$ 0,30 (trinta centavos) do preço da passagem de ônibus, o que resultaria na elevação para R$ 4,00 (quatro reais) da tarifa mais alta – a mais baixa custa R$ 3,20 (três reais e vinte centavos).

Acontece que passados quase cinco meses desde a solicitação do SET e pouco menos de dois meses da posse de Braide como prefeito de São Luís, alguns fatos novos tornam não só inevitável e urgente o realinhamento tarifário, como impõem a necessidade de recálculo do percentual de reajuste da passagem inicialmente apresentado.

Diesel disparou

Um deles é a alta do preço do óleo diesel, combustível que abastece a frota de coletivos da capital e de toda a região metropolitana. Como o valor do insumo disparou nas bombas, após sucessivos aumentos implementados pela Petrobras nas refinarias, as empresas e consórcios que detêm as concessões das linhas de transporte público da Ilha de São Luís viram seus ganhos ficarem ainda mais defasados, com risco iminente de queda brusca da qualidade dos serviços.

Outro fator que torna inevitável a readequação da tarifa é a ampliação de uma para duas horas do Bilhete Único, benefício instituído pela gestão passada que permite aos usuários de ônibus se locomoverem para diferentes destinos por determinado período pagando uma só passagem. A duplicação do tempo para uso do Bilhete Único, concedida no apagar das luzes da administração de Edivaldo, também impactou o sistema.

Para completar, está se aproximando a data-base dos rodoviários, o que obriga as empresas a repor, pelo menos, as perdas inflacionárias sofridas pela categoria em seus salários no último ano. Este, certamente, é mais um fator a pressionar o preço da tarifa de ônibus de São Luís, que, por sinal, é a mais baixa dentre todas as capitais brasileiras.

Caso semelhante

Em meio ao impasse, vale citar que várias cidades já paralisaram o serviço de transporte público, como a vizinha Teresina. Para piorar, há capital piauiense não há, até agora, perspectiva de retorno da circulação dos ônibus, já que a prefeitura local deve mais de R$ 10 milhões em subsídios às empresas do setor.

Ao prefeito Eduardo Braide, cabe buscar o melhor para a população, o que inclui, além de uma.passagem de ônibus justa e acessível, atuar para garantir o direito pleno e legítimo à mobilidade, proporcionando ao serviço meios para subsistir e livrando-o da ameaça de um colapso. (Blog do Daniel Matos)

Na imagem do dia, uma boa sugestão ao deputado e candidato derrotado do “consórcio comunista” ao cargo de prefeito de São Luís, Duarte Júnior.

Boa pergunta ao ‘garoto mídia’ de Flávio Dino, que poderá se estender a todos os 42 deputados da Assembleia Legistativa, sobretudo aos deputados traidores do povo que aprovaram os projetos malignos de Flávio Dino para aumentar impostos, que incidiram nos combustíveis e até no Guaraná de Comunista vendido para a Cocacola, o Jesus.

É impressionante a cara de pau da maioria dos deputados da Assembléia Legislativa do Maranhão em fingir que trabalham para a população.

Ao Duarte Jr., que tudo indica, gosta de ‘pegar carona’ em projetos de outros deputados  foi dada uma boa sugestão neste momento de pandemia em que milhares de maranhenses estão sendo explorados, que foi pedir ao seu ‘chefe maior’, Flávio Dino do PCdoB, que baixasse impostos. Coisa difícil, até impossível para “comunistas” que gastam vários milhões em banquetes e jatinhos de luxo.

Só lembrando que recentemente o candiato derrotado dos comunistas  foi condenado pela justiça eleitoral por execessos midiáticos (confira aqui), o mesmo que queria ser prefeito, mas felizmente seu ‘modis operandi’ ficou conhecido por todos na capital do Maranhão.

Ao Duarte Jr. deixamos aqui outra sujestão: que procure “resolver” concursos para o Procon.

Alô, deputado, não vai ter mais fiscalizações do Procon?

Ah, “resolve”, também sobre as fiscalizações dos preços abusivos praticados pelo Supermercado Mateus (único do Maranhão) que em plena pandemia do covid-19 foi parar na Revista capitalista Forbes, como o que mais lucrou no estado governador por ‘comunistas’.

Que tal?

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), que presidiu os trabalhos na sessão desta terça-feira (23), no Parlamento Ludovicense, destacou o projeto de lei (027/2021), do Executivo, que cria o Auxílio Municipal Emergencial e beneficiará cantores e cantoras, grupos tradicionais, blocos, bandas e agremiações carnavalescas da capital maranhense.

Para o pedetista, o recurso é necessário para garantir o subsídio dos artistas e de outros profissionais de cultura que, segundo ele, estão entre os mais prejudicados pela pandemia no país.

“Vivemos ainda um momento conturbado, devido à proliferação dessa doença, que é a covid-19. A classe cultural, grupos e blocos que estavam acostumados neste período de fevereiro a trabalhar e fazer o que sempre fizeram tiveram que parar e frear seu trabalho, por isso, um novo normal surgiu e o Poder público precisou agir diante dessa crise, e Sao Luís precisava pensar em soluções para esse setor”, pontuou.

Equivalente a isso, o vereador ressaltou os entes culturais do estado e da cidade e o repasse do auxílio como essencial nestes tempos de não carnaval.

“A cadeia produtiva do nosso estado e da cidade é extensa e forte, esse recurso chega em um momento propício e muito contribuirá com os nossos fazedores de cultura que engrandecem a nossa história e o nosso rico Maranhão,” disse o vereador.

Vale destacar que após autorização do colegiado de vereadores, o documento legislativo segue para sanção do prefeito Eduardo Braide (Podemos).

Sobre o benefício

A Secretaria Municipal de Cultura publicará editais de chamamento, com os critérios para a solicitação, e o Auxílio será pago em parcela única e terá valor mínimo de R$ 1.000,00 (mil reais) e máximo de R$ 10.000,00 (dez mil reais). O investimento para o auxílio são próprios e somam o total de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais).

Seria cômico se não fosse trágico:

Veja no vídeo, uma sátira do cotidiano maranhense reproduzindo uma das tantas piadas dos comunistas contra a população pobre.

A construção de moteís em presídios durante Pandemia do Vírus Chinês. Vamos sorrir, afinal no Maranhão dos pobrese e explorados quem paga a conta do governador militante é que sempre chora no final.

Vamos sorrir, quem paga a conta que chora.

1 2 3 685