Senador Roberto Rocha comemora ao lado de Bolsonaro aumento do Auxílio Brasil…

Oposição perdeu outra, pobres vão receber maior auxilio já pago no Brasil.

Mais dinheiro aos pobres: Relator do Programa comemora ao lado do presidente aumento do Auxílio Brasil que subiu para R$ 415 e concretiza mudanças do Senado.

Diário do Poder – Decisão do presidente Jair Bolsonaro neutralizou a mudança na PEC sem Precatórios, que foi aprovada no Senado sob a condição de que os recursos sejam aplicados apenas em programas sociais.

A oposição falou tanto em “evitar outro destino a não ser o Auxílio Brasil”, que acabou dando ideia a Bolsonaro de aumentar o valor do benefício para R$415 e elevar os gastos do programa para R$90,5 bilhões em 2022. Quase todo o espaço fiscal criado pela PEC vai para o Auxílio Brasil.

O maior do mundo

A Câmara vota hoje (14) mudanças aprovadas no Senado. A PEC vai permitir a Bolsonaro pilotar o maior programa social do mundo.

Guedes já formalizou.

Após a decisão de Bolsonaro, Paulo Guedes informou a reestimativa do programa ao relator-geral do Orçamento, Hugo Leal (PSD-RJ).

Cuidado burocrático.

A reestimativa foi sugerida por ofício de Guedes, e não por mensagem presidencial, porque o relatório de Leal já fora aprovado na comissão.

Pobres atendidos.

A novidade de Bolsonaro considera a inclusão de famílias elegíveis e a mudança nas linhas de pobreza e extrema pobreza previstas na PEC.

Negócio rentável? Lula passou na frente de todos e abriu a cancela para impunidades…

Inocentar Bandidos abrindo caminho para impunidade suprema:

Enquanto o pobre padece para sair da cadeia, os grandes escritórios (no Maranhão tem vários) com negócios e sociedades no entorno do Supremo Tribunal crescem assustadoramente.

Inocentar bandidos tornou-se um negócio mais que rentável no Brasil: Levantamento do jornal O Estado de S. Paulo mostra que condenações que somavam 277 anos e 9 meses de cadeia foram anuladas pelos tribunais. Desse total, 78 anos e 8 meses eram penas aplicadas a agentes políticos.O MPF chegou a apresentar nova denúncia sobre o sítio, mas ela foi rejeitada pela juíza Pollyana Kelly, da 12.ª Vara Federal do DF, que afirmou que a prova não podia ser reutilizada, por ter sido invalidada pelo STF. Com isso, restaram a ação em que Lula é acusado de tráfico de influência e lavagem de dinheiro na compra de caças suecos.
Há ainda um caso remanescente da Lava Jato, em que ele é acusado de receber R$ 12 milhões da Odebrecht na forma de um terreno destinado ao Instituto Lula. O processo foi anulado e enviado a Brasília onde houve nova denúncia, mas o caso foi suspenso pelo STF.

Retrocesso motivado pelo PT no Brasil: Os tribunais descaradamente parece que se colocaram a favor da criminalidade, demonstrando na cara dura,  que estão se lixando para quem paga seus salários de marajás. E o povo? Ora, permanece refém dos políticos corruptos, dos bandidos e dos traficantes.

Rasgaram por completo a Constituição que alegam defender.

Sem falar do juiz federal que vive de pé de ouvido com governador arrolado em crimes com interesses na defesa dos bandidos tarimbados, que foram presos pela Operação Lava Jato, mas estão sendo soltos.

Enquanto as eleições não chegam, tem “operador da bandidagem” doido para ser “representante do povo” em Brasília, querendo lucrar com a “causa” em todo Nordeste.

Sem transparência e inconstitucional: Já em campanha, Carlos Brandão repetirá manobra espúria de Flávio Dino?

Inconstitucional e sem transparencia: deputados deverão votar golpe a mando de Flávio Dino.

Carlos Brandão, candidato do Palácio dos Leões, deverá viajar sem dar satisfações e com tudo pago pelos contribuintes, com aval dos deputados do Maranhão. Tá bom para vocês, eleitores do “comunismo”?

Trecho da reportagem do Folha do MA:
Esse é o mesmo mecanismo realizado por Flávio Dino nos últimos anos. O obejtivo é pegar uma unica autorização dos deputados para realizar diversas viagens durante o ano. Essa manobra política pode difultar a transparência de gastos e de agendas do governador.
O pedido deverá ser analisado e aprovado nesta semana, pois essa será a última semana de trabalho na Assembleia Legislativa. Em caso de viagens após o vice-governador assumir, que assume o comando do governo é presidente da Alema, Othelino Neto (PCdoB).

Uma manobra que pretende autorizar viages do vice-governador, com afastamentos de vários dias, até para o exterior, deverá ser votada esta semana no parlamento estadual, pelos deputados da Assembléia Legislativa.

A pergunta que fica: Será que o vice-governador, Carlos Brandão do PSDB, tem algo a esconder, será que o candidato do Palácio dos Leões, seguirá o mesmo obscurantismo de Flávio Dino?

Só lembrando, que o mesmo golpe foi dado na Constituição do Maranhão, recentemente, sendo votado e aprovado, para que Flávio Dino pudesse sumir para onde quisesse o tempo que quisesse, sem dar satisfação a ninguém, mas com tudo pago pelos nossos impostos. Que chic, hein?

Nada mal para um estado atrasado que a população é enganada. Como sempre, os eleitores continuarão sendo feitos de bestas, ao mesmo tempo deverão ter que pagar tudo.

Sobrevida para a “Elite burguesa”: Além das práticas, Flávio Dino deixará os espólios da “Oligarquia Sarney” para seu sucessor…

Sobre a “herança maldita”:  Ou muda o grupo, ou lasca-se de vez o Estado. Quem herdará o caos deixado por Flávio Dino?

Não foram apenas as boladas milionárias para a TV Mirante nem os super salários aos “aliados”, nem os “novos ricos” (empresários que seriam operadores ligados ao comunismo).Flávio Dino deu vida longa aos agentes do atraso.

Após Vitórino Freire (centro da foto) Sarney e Flávio Dino construíram impérios a partir do uso da maquina pública. Reza a lenda, que o Vitorinismo tinha residencia no Palácio, fazia banquetes até para bandidos. A diferença de antes e agora? Nenhuma.  “Vitorino Freire nunca foi governador do Estado, mas de tão influente, tinha residência fixa num cômodo especial, localizado no mirante do Palácio dos Leões. De cima do gabinete palaciano, ele construiu um poderoso naco de poder e fama sobre a pobreza e o analfabetismo dos maranhenses, escorado no prestígio e na habilidade amealhada no meio militar no começo da era Vargas”. (Trecho extraído do blogueiro Raimuando Borges)

Ontem na “noite de natal” os funcionários do governo protestavam com cartazes na frente do “presépio natalino” na frente do Palácio dos Leões. Diferente dos assalariados do governo, estão os que recebem mensalmente acima de 10 mil, os “amigos do peito”, das “folhas santas”, os “importados  de outros estados”, os “comunistas de luxo”, a “elite burguesa”, as “agremiações secundaristas”, etc.

Vidas dos pobres importam?

A lista de “herdeiros” será grande. Mas a herança vai além dos salários de marajás, e dos rombos deixados nos cofres públicos. Se aquele “juiz federal” não estivesse colado nos ouvidos do STF, tem chefão do comunismo tupiniquim que já teria sido até preso. Mas o fim vem, está próximo.

Voltando a “elite” que precisava ser “combatida”: Flávio Dino, enfim, deu vida longa no Maranhão ao que existia de pior. No Maranhão da atualidade, o pobre cada vez fica mais pobre, entramos no extremo da pobreza. Até quando vão explorar a pobreza de nosso sofrido povo e não as riquezas naturais do estado?

O Dinismo, assim como no Sarneyzismo e Vitorinismo, conseguiu a proeza de deixar tudo junto e misturado, entregando os espólios (além da desastrosa gestão) da herança política das oligarquias que duraram mais de meio século, maior e pior grupo político do Brasil.

Uma desmoralização para o “comunismo” Dinista: Flávio Dino que iniciou sua gestão se dizendo contra o Sarney, mas no final de 8 anos (dois mandatos), está atolado nas mesmas práticas, e o que é pior, totalmente envolvido nos derrames da máquina pública em tempos de eleições, que era o que todos nesse imenso estado que por décadas foi dilapidado, atrasado, roubado, desejavam mudar, será entregue da pior forma: originalmente como era: uma farsa eleitoral.

O Maranhão piorado.

Quem será o herdeiro deste imenso caos? Ou muda-se o grupo, ou a herança maldita seguirá até o fim. (já estamos próximo dele).

Mesmo calado, sem dizer que é candidato, Roberto Rocha demonstra que está no jogo e assusta inimigos do Estado…

Roberto Rocha aparece bem nas pesquisas e poderá disputar pelo governo em 2022.

Aliado do Presidente do Brasil, o senador tem se consolidado como democrata que não faz política por birra ou vingança, como se faz no Maranhão na atualidade, sem pensar no povo.

“Fazer Política pelo Estado, e não fazer política pelo partido”, tem afirmado o senador por onde passa, deixando suas ideias e falando de seus planos (como a ZEMA-Zona de Exportação do Maranhão) para tirar o Maranhão do atraso.

Confira trecho da reportagem do jornalista Marco D’éça.

Rocha está em segundo lugar na maioria das pesquisas para o governo, perdendo apenas para o senador  Weverton Rocha (PDT), líder em todos os cenários; o senador também disputa com força a reeleição, numa polarização clara com o governador Flávio Dino (PSB).

A presença de Roberto Rocha na disputa – seja para o Senado, seja para o governo – fortalece, sobretudo, a oposição, que hoje, em suas várias correntes, detém a maioria dos votos.

Independentemente de que cargo disputar em 2022, o senador tem até abril para definir seu rumo partidário.

Nas imagens do dia, aberta a temporada de caça aos votos?

Prévias de 2022?

O mesmo modus operand da “oligarquia Sarney” (derrames da máquina pública para se manter no poder).

Flávio Dino estaria descaradamente demonstrando, junto com seu fiel escudeiro, Márcio Jerry, que hora está deputado em Brasília, apenas para votar contra o povo do Maranhão, hora está de volta, comandando a Super secretaria de Cidades,  que de uma hora para outra, sem interferência do MP nem TJ, passou a ter os maiores orçamentos do governo do Maranhão,  parecem demonstrar que vão derramar, sem pena, as estruturas públicas nas eleições de 2022.

Não eram eles (Flávio Dino e Márcio Jerry) chefões do PCdoB, que criticavam, prometiam fazer diferente do Sarney, mas em 8 anos de mando total, fizeram e continuam fazendo pior que o Sarney?

Alô, Ministério Público, Tribunal de Justiça, tem alguém aí?

Com dados do IBGE deputado mostra na Assembleia Legislativa do Maranhão os números da gestão desastrosa do comunista Fávio Dino…

Blog Daniel Matos – “Com Flávio Dino, o Maranhão só cresceu na miséria e nos impostos”, repudia deputado mostrando os números do IBGE que 48,3% da população vive abaixo da linha de pobreza.

O deputado estadual Wellington do Curso utilizou as redes sociais, nesta terça-feira (07), para divulgar dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que atestam que, no Maranhão, 48,3% da população vive abaixo da linha de pobreza. Os dados revelam que, com Flávio Dino, a pobreza aumentou no Maranhão.

Em nota, o deputado Wellington questionou a incoerência de tantos reajustes nos impostos estaduais no Maranhão e aumento da pobreza no Maranhão.

“Dados do IBGE apontam que, no Maranhão, 48,3% da população vive abaixo da linha de pobreza. É incoerente isso porque, durante todo esse tempo, Flávio Dino reajustou, sucessivas vezes, os impostos estaduais no Maranhão. A população, infelizmente, não teve o retorno disso. Com Flávio Dino, o Maranhão só cresceu na miséria e nos impostos. Como deputado estadual, fiscalizo e tento impedir que o estrago seja ainda maior. Vou continuar firme e com a esperança que, em breve, esse (des)governo vai chegar ao fim. Os maranhenses serão felizes de novo”, disse o deputado Wellington.

Confira o quadro:

Encenação para trouxas, tá tudo em Casa no TCE, Tavares?

E agora, será que os Tavares não vão se sentir impedidos? 

Processo indigesto de Flávio Dino, cheio de “pai nossos” e “aves marias” que tramita no TCE, adivinhem, acaba de cair justamente no colo do então secretário do governo comunista.

Flávio Dino, que prometeu “mudar o Maranhão”, imitou Roseana Sarney até nisso.   Investigação no TCE sobre irregularidades em hospital de campanha de Dino contra Covid-19. Redistribuição ao ex-chefe da Casa Civil ocorreu após o conselheiro-substituto Antônio Blecaute haver se declarado suspeito para julgar processo. (Informação do blog Atual7)

Marcelo Tavares, ex-deputado estadual pelo PSB (partido do governador Flávio Dino) antes de renunciar o mandato de deputado, e sair do cargo de secretário de Estado da Casa Civil, deixou o tio, Zé Reinaldo, no cargo de diretor de relações institucionais do Porto do Itaqui.

Ex-deputado que estava ocupando secretaria de importância no governo comunista, por “mera coincidência” deverá “julgar” as contas do seu governo.

O nome do felizardo chama-se Marcelo Tavares, que recentemente foi catapultado para sentar numa das cadeira do órgão que julgará calhamaços de iregularidades da secretaria de Saúde, que continuou no mesmo sistema do antigo governo de Roseana Sarney-Murad, contendo provas que pesam contra o governo de Flávio Dino, aquele que prometeu “mudar” tudo mas continuou fazendo até pior.

Existe coisa pior na atualidade que receber dinheiro do Governo Federal para equipar hospitais sucateados, mas que o dinheiro foi desviado? Pois é. Dino está encrencado até o pescoço…

Seria bom que o ex-deputado, secretário, que recebeu o cargo de Conslheiro do TCE, das mãos do encrencado governador Flávio Dino, em nome do bom histórico político, e da preservação de seu tio (Zé Reinaldo) não manche seus legados, e declare-se sob suspeição.

Na foto, o ex-secretário da Casa Civil de Flávio Dino, Marcelo Tavares do PSB, tomando posse no TCE, fazendo juramento ao ex-vice governador Washingon Oliveria, que foi indicado por Roseana Sarney, cujo sistema de Saúde, foi combatido e criticado durante as eleições de 2014, pelo “candidato da mudança”, por ter deixado “pai nossos”, “aves marias”, um rosário gigantescos de irregularidades, mas que Flávio Dino, ex-juiz, achou justo dar continuidade.

Para finalizar, deixo o significado da palavra suspeição:

Circunstância em que um dos representantes do Ministério Público (juízes, promotores, advogados etc.) possui uma relação de parentesco, de afinidade ou tem algum interesse no processo, sendo, por isso, impedido de exercer suas funções.

Bolsonaro tem vitórias consecutivas sobre narrativas criadas pela esquerda, no momento que Flávio Dino paga até para xingarem o presidente…

Diferente de Flávio Dino, que paga para se promover, atacar adversários, o presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, é visto de forma aceitável dentro e fora do Brasil.

Movimentos financiados sempre aparecem camuflados com a desculpa promover a educação…

É verdade, Flávio Dino até pagou evento para xingar Bolsonaro nas ruas do Centro Histórico, mas, se surpreendeu com aceitação do presidente nos EUA.

Anti-democraticamente, Flávio Dino inaugurou um novo momento no Maranhão: fazer resistência aos presidentes. Nunca antes na história do Maranhão (último estado do Brasil em tudo, atrasado, passou anos sob duas oligarquias políticas, já se prepara para mais uma).

Educação? O Maranhão nunca viveu um tempo tão hostil, como na atualidade.

Foram dois presidentes hostilizados pelo governador, chefe maior do “comunismo”, que durante sua desastrosa gestão de 8 anos impediu qualquer aproximação do governo federal: Michel Temer (que substituiu a presidente empeachamada, Dilma Roussef) e Jair Messias Bolsonaro, cujo quadro presidencial, contrariando todas as regras de civilidade, democracia e respeito, está impedido de ser colocado no Palácio dos Leões, que Flávio Dino diz que é sua casa eterna, que aliás, pretende se perpetuar através de seu esquema.

Nem vou falar que, o STF levou azar novamente, sendo negada a ordem de extraviar um jornalista que está sendo perseguido, por ser apoiador de Bolsonaro, O pedido do STF, que se baseia em pedidos de esquerdistas, foi negado pelos EUA. Também não quero voltar a falar da manchete de capa da Revista Time, que mostra Bolsonaro.

Secretário de Estado das Cidades fazendo papel de secundarista nas redes sociais. A Secid é secretaria que mais tem recursos na atualidade.

Casa da mãe Joana?

Uma vergonha para quem acreditou na “mudança” prometida por Flávio Dino, que no ano de 2014, ano que venceu o candidato de Sarney, Edinho Lobão (MDB), prometia fazer diferente, mas, enganou a todos, está fazendo pior que o Sarney, e todos os oligarcas que já passaram pelo antigo Palácio.

Confira as fotos dos movimentos hostis que teriam sido “patrocinados” pelo Palácio que Flávio Dino, pré-candidato a senador, chama de “sua casa”.

Nas fotos, movimentos ligados a esquerda,  passaram vários dias xingando o presdiente pelas ruas de São Luís.

Nosso estado nunca viveu períodos de tantas hostilidades.