Deputado Wellington é nomeado membro da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa

O deputado estadual Wellington do Curso foi nomeado membro titular da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Maranhão.

É o que consta na Resolução Administrativa nº 424/2022, publicada no Diário Oficial.

Atualmente, Wellington do Curso é um dos deputados estaduais que mais participa de comissões, contribuindo para a elaboração e aprovação de importantes projetos de lei.

“É com alegria que encaro a missão de ser membro titular da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia. Como deputado estadual, sempre procuro trabalhar para dar o meu melhor e, assim, contribuir com avanços para o Maranhão. Agora, enquanto membro da CCJ, continuarei firme na elaboração e análise de importantes projetos de lei que possam beneficiar os maranhenses. Os trabalhos não param”, afirmou o deputado estadual Wellington do Curso.

Roberto Rocha realiza entrega de títulos para assentados do INCRA, em Bacabal

Nesta quinta-feira, 23, o senador Roberto Rocha (PTB) participou da solenidade de entrega de títulos de domínio para assentados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária-INCRA, em Bacabal.

Foram entregues 484 títulos de domínio para as famílias dos assentados dos povoados Pau Santo, Seco das Mulatas, Três Setúbal e Santo Antonio dos Velozos. Com o documento, os beneficiários passam a ter segurança jurídica e acesso ao crédito rural para investir e ter acesso a políticas públicas de apoio aos produtores rurais.

Os títulos foram viabilizados por meio de emenda do senador Roberto Rocha, que disponibilizou R$ 30 milhões para ações de titularização nos assentamentos do Estado do Maranhão. Em seu discurso, o parlamentar maranhense afirmou que todos os títulos entregues já foram registrados em cartórios, sem nenhum custo para os contemplados.

Roberto Rocha também fez questão de destacar que o evento de Bacabal foi o primeiro, de uma série que serão realizadas em todo o estado, pelo INCRA, em parceria com a Universidade Federal do Maranhão-UFMA. O objetivo é garantir a titularização de milhares de famílias de assentados e pequenos produtores rurais.

“Vamos realizar ainda muitos eventos como este, ainda este ano. Não é apenas um pedaço de papel. Para essas famílias, esses títulos são a realização do sonho de uma vida inteira. Continuaremos fazendo a nossa parte, sempre em sintonia com o governo federal, para valorizar e levar cada vez mais dignidade aos pequenos trabalhadores rurais maranhenses”, garantiu Roberto Rocha.

Quem comemorou a conquista foi o Sr. Benedito Luís, um dos beneficiados com o título. Ele reside no Povoado Seco das Mulatas, em Bacabal, e desde 1982 sonha em obter a documentação definitiva de sua terra.

“Hoje é um dia muito importante, porque recebemos o título da nossa terra. Agora, temos certeza que ela é da gente. Eu esperei a vida toda por isso e, graças a Deus, chegou a hora”, celebrou.

A Regularização Fundiária é uma das prioridades do governo federal. De acordo com informações fornecidas pelo INCRA, de 2019 a 2022, foram disponibilizados no estado do Maranhão R$ 198.588.400,00 em créditos para famílias assentadas. Deste valor, cerca de R$ 133 milhões foram investidos em construção e reforma de 3.900 unidades habitacionais. (Codó Notícias)

As delícias da culinária junina do Arraial Mais Mais no estacionamento da Loja Havan…

Clic na imagem para aumentar

A deliciosa paçoca de carne de sol pisada no pilão será o prato principal da barraca Arraial Balde do Chef & Belmai.

Comidas típicas do São João maranhense, feitas pelo chef Thiago Cassas e os doces Belmai, juntinhos bem ali no estacionamento da Loja Havan da Cohama.

No cardápio de hoje, do Arraial Mais Mais, as comidas deliciosas para relembrar nossos antigos arraiais.

Abaixo, a programação do dia.

Novidade zero: As narrativas anti-Bolsonaro ganhando as capas de jornais Sarno-Lulistas…

“Tudo como dantes”…

Sabem aquele sujeitinho com voz chata que vive falando em CPI, enquanto faz campanha aberta para ficha-suja?

Qual o crime, Randolfe?

Surpresa zero: tudo como dantes 

Já viram que não vão conseguir derrotar o presidente Bolsonaro no voto e vão criar outra “CPI da vagabundagem”. Por trás dela está o Randolfe, aquele que tentou abrir uma CPI usando assinatura falsa.

Ora, por décadas as noticias que saiam nos jornais tradicionais eram criadas na redação do palácio. A regra segue.

Ninguém em sã consciência, eleitor algum no mundo, votaria em um ladrão, que alega ser “inocente” com tantos crimes nas costas, inclusive com um esqueleto insepulto de uma REFINARIA eleitoreira de Bacabeira.

A narrativa começou bem aqui no estado mais pobre onde só existe corrupção e ladroagem, mas, apareceu uma denuncia de um “prefeito honesto”.  Em tempos eleitorais vale tudo, inclusive apelar para CPIs polítiqueiras que gastam muito dinheiro, mas de nada servem para mehorar as vidas dos brasileiros.

Abaixo, as capas contendo a “novidade” sobre senadores que só pensam em criar CPIs politiqueiras, sem ao manos esconder que trabalham para atrasar ainda mais o Brasil.

Undime: Empresários aproveitam Fórum criado pelo governo para fornecer tecnologia e inovação às escolas municipais do Maranhão

Forum tem como principal objetivo levar conhecimento aos educadores dos municípios maranhenses.

Entender a gama de oportunidades que as escolas públicas podem oferecer e apresentar ideias como a do Turismo Pedagógico, que pode ser implantado nas escolas de todo Maranhão, que visa apresentar às nossas crianças, adolescentes e jovens, as maravilhas do nosso Estado, disse Mário do Turismo sobre o Fórum.

Durante os dias, 23 e 24 de junho, vários expositores vindos de todo o Brasil estarão disputando as atenções dos gestores municipais de todo o estado para mostrar novidades, métodos e tecnologias, para serem aplicados no aprendizado de seus alunos.

No total, cerca de 217 cidades enviaram representantes para o Fórum Extraordinário da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação – Undime, que está acontecendo no Multicenter Sebrae do Cohafuma.

O Forúm, trocando em miúdos, está servindo para que os gestores possam vislumbrar novas ferramentas e tecnologias do mercado para que possam facilitar o aprendizado de seus alunos.

Palestras aos educadores:

Gestores no espaço do Bobby Educ

Na manhã de ontem, o governador Paulo Velten (substituto do governador Carlos Brandão), abriu o Fórum com uma breve fala, logo após, teve inicio a palestra proferida pelo conferencista Renato Casa Grande (PHD Educação), que falou sobre os papeis dos gestores e dos líderes da educação.

Na imagem em destaque, o desembargador Paulo Veltem, que está substituindo o governador Carlos Brandão ao lado do turismólogo, Mário Júnior (Mário do Turismo).

 

Prisão de pastor foi por motivação política para abertura de CPI do MEC…

Ativismo no Judiciário:

Tudo jogo político.
Não tem nada haver com justiça.

Prisão de pastor pela PF deverá servir para abertura de uma CPI do MEC

Quem lembra daquela tentativa de Randolfe abrir uma CPI que teve até falsificação de assinatura?

Pois é, desta vez o pedido de prisão inventado pelos militantes da toga, poderá levar a nova CPI, depois da prisão preventiva pedida pelo juiz que tem histórico de peitar autoridades.

Lahésio fora do palanque de Braide?

Voo solo?

Lahésio Bonfim poderá ter palanque próprio em 2024!!!

Aparentemente parece cedo para falar de uma eleição que só vai acontecer daqui a dois anos, mas em plena briga pelo governo do estado, já se fala de 2024.

Aliados de Lahésio Bonfim pressionam  apoio dado pelo PTC  em 2020. Teremos casamento ou divórcio em 2024? 

Ora, se eleição é casada: em 2020 o PTC foi crucial para eleger quem apoiasse seu partido em 2022. Neste sentido, as escolhas do prefeito da capital deverão ser acertadas nos próximos dias com quem foi decisivo para sua vitória ainda no primeiro turno.

Pelo menos é o que desejam os aliados do candidato a governador pelo PTC, que foram importantes para a eleição do prefeito da capital, Eduardo Braide, e parecem querer logo uma resposta.

Neste sentido, os aliados de Lahésio, parecem concordar plenamente, e parece que estão com toda razão, que o municipalista deva mudar para a capital de uma vez por todas, e já.

A depender dos apoios políticos destas eleições, 2024 poderá ser desenhado pelo próprio Lahésio, que vem crescendo vertiginosamente, inclusive pontuando bem na capital.

Parece que palanque não lhe faltará em 2024, em São Luís.

Veja no vídeo: A revolta de Márcio Jerry…

Comunista paternalista?

O fato ganhou notoriedade depois que o deputado apareceu nas redes sociais, totalmente revoltado, citando um video contendo acusações de enriquecimento a familiares seus.

Turbinou a curiosidade nas redes: Jerry ajudou a propagar uma narrativa que acabou por deixá-lo irritado.

Ora, falam-se muitas coisas, mas nada foi comprovado, portanto, parece tratar-se de apenas narrativas, coisas que o próprio deputado poderia relevar como se tratando de informações falsas ou “fakenews”. Não deu para entender o motivo de tanta revolta.

Quero deixar claro que esta postagem não é para acusar, difamar ou perseguir familiares do ex-secretário do governo comunista, mas explanar um pouco sobre a situação causada pelo próprio Márcio Jerry, acusado por muitos de “atirar pedras e esconder as mãos”.

Jerry, que é líderança política do comunismo maranhense, sempre foi incisivo  em suas acusações e criticas contra familiares não apenas da ex-governadora Roseana Sarney, mas de outros políticos que fazem oposição ou pensam diferente de seu grupo político.

O chefe do comunismo parece que está sofrendo na pele acusações graves jogadas nas redes sociais contendo narrativas que contariam por completo aquilo que sempre afirmou que era, um “comunista”. Pelas narrativas contidas no vídeo, o ex-secretário seria uma espécie de “novo rico”, ou até “milionário”, coisa que ninguém contesta no meio político após seus dois mandatos de (super) secretário.

Parece que Jerry teme ficar conhecido como o pai de um “riquinho”, capitalista.

Visivelmente perturbado, ex-(super)secretário teve que defender-se dos ataques (feitos de forma apócrifa, pois ninguém sabe a origem, quem divulgou nas redes sociais) contendo informações sobre sua família, em especial aos seus filhos, que na minha opinião foram feitos de forma covarde.

Pesa contra o “comunista” Márcio Jerry, acusações piores, como ter repetido os exemplos dos governos tradicionais ligados à “oligarquia” Sarney, que tanto foi combatida pelo “pobre rapaz latino americano sem dinheiro no banco”,  “professor de jornalismo”, que veio do sertão de chinela e sacola para “vencer na vida”.

E pelo visto o “comunista” ascendeu bem rápido, chegando ao cargo de deputado.

Confira trecho do vídeo:

Imoralidades da Assembleia: Dino virou “deputado 43”?

É público ou tem dono? 

Quem imaginou que a haveria mudança para melhor na politica do Maranhão errou feio.

Casa da mãe Joana: Quem manda na Assembleia ainda é Flávio Dino?

Tem dono ou não tem? Dizem que tem ex-governador mandando em tudo em certo poder da Grande Ilha.

Mesmo com as sessões “devagar e quase parando”, estaria um certo “comunista” agindo como se mandasse em tudo, inclusive achando pode dar as cartas na Casa do Povo, acreditando piamente que tudo está normal, que pode enganar todos o tempo todo.

Ainda bem que temos alguns críticos que conseguem mostrar que as coisas estão pioradas e bem diferente daquilo que foi prometido; uma tal de “mudança”.

Chega de “passar pano”!!! 

Outra tirada boa do colega Extra (Walquir Marinho) sobre a cena política maranhense, da dominação da “oligarquia” e do “coronelismo electrônico” mas que na atualidade está piorada.

Presidente da Assembleia Legislativa estaria ganhando destaque além do normal em site oficial da “Casa do Povo”, destacou bem o blog Hora Extra.

Nunca fez tão sentido a frase de um senador maranhense, que recentemente deixou escapar que “no Maranhão a política que faz girar a economia”, dando entender que a cultura do “passar pano” vem de longe e continua como regra geral, arraigada, até institucionalizada.

Só lembrando que depois das denúncias de fraudes no concurso da Assembleia Legislativa do Maranhão, feitas por alguns deputados, o presidente Othelino Neto  parece que vai anular parte das questões do concurso, que devido a gravidade, foi apenas a ponta de um gigantesco iceberg.

Estariam acontecendo coisas muito piores por lá.

Mas, Othelino, que deveria estar sentado na cadeira de governador (primeiro a substituir o governador que era vice e está afastado por mais 10 dias) por conta da candidatura de sua esposa, seria o primeiro a favorecer a campanha do pré-candidato a senador, ex-governador, que estaria atuando nas horas vagas como deputado.

Segundo contam as más linguas, Dino precisa tanto da maquina leglslativa, que está mais atuante naquele poder que certos “faltosos” que dificilmente pisam nas sessões da AL. O pré-candidato a senador já estaria sendo chamado de “deputado 43”.

Será?

A verdade à deriva

Em 10 de maio subi à tribuna do Senado para tornar pública a situação dos ferryboats da travessia entre São Luís e a Baixada maranhense.

Mostrei que não se tratava de simples problemas operacionais, mas sim de algo muito mais profundo. Era uma situação provocada não pela omissão do Governo do Estado, mas antes pela ação deliberada deste, ao estatizar um serviço que vinha servindo à população por 36 anos seguidos.

Foi um deus-nos-acuda dentro do Governo, que rapidamente tratou de criar um grupo que se reuniu e declarou que, como era um governo sério e voltado para a solução dos problemas, já estava tratando do assunto que seria resolvido em não mais que uma semana.

E, de fato, uma semana depois anunciou a compra de um novo ferryboat que começaria a operar imediatamente, resolvendo o problema. Lá estava ele, nas fotos, pintado em cores vibrantes, quase estalando de novo. Quanta eficiência, não?

Ocorre que logo se viu que não se tratava de um novo ferry, mas de um verdadeiro ferry velho, construído em 1987, que foi garibado para tentar enganar os incautos. E que ainda precisava passar pela vistoria da autoridade marítima local.

Agora, pasmem: o tal ferry velho chegou a São Luís, vindo de Belém, sem uma série de itens obrigatórios, a começar pela identificação da embarcação, condição para obter a certificação segundo as Normas da Atividade Marítima Brasileira. Seria para esconder a idade e o longo histórico prestado nos rios do Pará? Também viajou sem um Sistema de Fundeio devidamente instalado e talvez sem autorização da Capitania dos Portos de Belém. Pois esta não poderia autorizar a saída da capital paraense sem que estivesse em conformidade com as normas.

Mas o pior ainda estava por vir: essa embarcação foi construída para navegar apenas em águas abrigadas dos rios amazônicos. Águas remansosas! Será que possui resistência estrutural suficiente para suportar as fortes correntes do boqueirão, com ventos, ondas e correntes que assolam a região no período de julho a novembro?

Muitas outras perguntas terão que ser respondidas. Listo apenas algumas:

– A motorização instalada possui potência suficiente para navegar na área?
– O sistema de fundeio, que foi instalado em São Luis, foi testado e segurou a embarcação com carga?
– A embarcação consegue navegar com um só motor, em caso de avaria do outro?
– O AIS, Sistema Automático de Identificação, e o radar estão operando?
– O contrato de afretamento foi autorizado pela Antaq e está registrado no cartório e Tribunal Marítimo?
– O Boletim de Atualização foi encaminhado a Marinha do Brasil informando o nome do armador responsável pela embarcação?

Como se vê, não se trata apenas de trazer uma embarcação e colocar em funcionamento. São muitas vidas e muito patrimônio que estarão em jogo a cada travessia. O modo como o Governo do Maranhão praticamente destruiu a empresa responsável pelo serviço deve servir de alerta para que tomemos cuidados redobrados.

A primeira providência, ao anunciarem a chegada de um “novo” equipamento, em prazo exíguo, deve nos deixar de orelha em pé. Por aí já dá para notar que a verdade está à deriva. Ainda bem que a Marinha do Brasil não compactuará com essa pantomima. São vidas da sofrida população da Baixada Maranhense que precisam ser protegidas.

Roberto Rocha é senador pelo PTB do Maranhão.