Efeito STF? Lula tem rejeição recorde, segundo pesquisa Paraná…

Pesquisa detona pretensão de Lula: 70% dos brasileiros não querem nem que ele seja candidato.

Ex-presidente ficou conhecido no Maranhão pela obra fantasma da Refinaria Eleitoreira da Petrobras, que só serviu para eleger Dilma e Roseana Sarney…

Jornal da Cidade Online – Levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas mostra uma rejeição estrondosa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Sua impopularidade está em alta.

Segunda a pesquisa, para 70% dos entrevistados Lula não deve voltar às urnas em 2022. Ou seja, a esmagadora maioria não quer sequer que Lula seja candidato. Os que torcem por uma candidatura do petista são míseros 26%.

Já para 65% dos consultados, mesmo que dispute, não será o principal rival de Jair Bolsonaro. Entre os dias 10 e 12, o Paraná Pesquisas ouviu 2.008 brasileiros em todas as unidades da federação.

O grau de confiança do levantamento é de 95,0% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 2,2% para os resultados gerais.

A verdade sobre a volta da Alumar: Dinocomunistas são desmentidos e envergonhados novamente…

Dino agiu rápido, mentiu, mas foi desmascarado…

Dino tomou conta das vacinas de Bolsonaro, das obras do Ipham na Deodoro, e quis tomar conta até da Alumar… Interna.

Após 7 anos, já no final do segundo mandato de Flávio Dino, uma empresa gigantesca que por anos empregou boa parte dos ludovicenses, mas que tinha fechado as portas resolveu voltar.

Zona de Exportação é o nome do “pai da criança”.

Sem perder tempo, Flávio Dino foi para as redes sociais mentir, como sempre faz, só que desta vez a máscara caiu diante da verdade dos fatos.

O comunista Flávio Dino, um mentiroso descarado, fez foi aumentar os encargos da Alumar, aumentando ICMS sobre energia elétrica.

Segundo o senador Roberto Rocha, que por anos lutou sozinho no estado para tornar realidade a aprovação da Zona de Exportação (ZEMA), a única razão para o retorno da fabrica de alumínio seria a mudança da lesgislação, que favoreceu a criação da Zema, que nas palavras do senador Roberto Rocha, nunca voltaria para São Luís novamente, pois o governador comunista assim que pôde fez foi afugentar a empresa que empregava nossos trabalhadores.

Confira aqui:

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Roberto Rocha (@robertorocha_ma)

Sobre traição, exploração da pobreza em plena pandemia, e crimes de lesa-pátria…

Exclusivo: Deputado denuncia sabotagem dos governadores para aumentar preço dos combustíveis (veja o vídeo)…

Jornal da Cidade Online – Em entrevista à equipe da TV JCO, em Brasília, o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) falou algumas verdades sobre o cenário político nacional e não poupou ninguém!

Ele denunciou o golpe de alguns governadores para aumentar o preço dos combustíveis e sabotar o governo Bolsonaro:
“O presidente Bolsonaro não tem culpa alguma nisso. No início do ano, ele zerou os tributos federais sobre os combustíveis.

Quando ele zerou, os governadores aumentaram ainda mais o ICMS para ter mais arrecadação”, explicou.

Ele também criticou a implantação do passaporte sanitário, segundo ele, um verdadeiro atentado aos direitos individuais. “Muitos prefeitos totalitários, como Eduardo Paes, começam a tomar atitudes para forçar os cidadãos a se vacinar.

Eu soube que o prefeito de Nitéroi, Axel Grael, que envergonha o nome da família Grael, que é uma família renomada de esportistas, está querendo implantar o passaporte sanitário em Niterói, minha cidade”, desabafou.

A culpa é do Bolsonaro?

Em análise certeira, o deputado Carlos Jordy mostrou como o velho sistema sente-se livre para agir: “Os ministros do Supremo, sabendo que nada cai na conta deles, dobram a aposta.

Eles fazem essa disputa pública de poder e, no final das contas, se a economia for mal, vai cair na conta do presidente Bolsonaro”, ressaltou.

Se eles infligem sofrimento ao povo para atingir o presidente, não merecem nossa confiança…

De forma corajosa, o deputado Carlos Jordy falou ainda sobre os crimes de Lula, a terceira via que tenta pavimentar caminho para os velhos caciques de esquerda, censura no Brasil e muito mais!

Confira:

Em Pinheiro, Osmar Filho acompanha forte adesão à caravana “Maranhão Mais Feliz”

Desde quando lançou seu nome como pré-candidato ao governo, o senador Weverton tem arrastado multidões pelo Maranhão. O presidente da Câmara de São Luís, Osmar Filho (PDT), tem acompanhado constantemente os eventos pela baixada maranhense, apoiado e também fortalecido seu nome para uma vaga futura no Legislativo estadual, em 2022.

Em suas redes sociais, o vereador registrou os momentos durante a comitiva.

“Sou filho da baixada e estar aqui neste momento, presenciando a grande adesão dos pinheirenses a este projeto, só engrandece nossa luta por um Maranhão melhor e mais feliz. Contem conosco, juntos podemos ser mais uma voz de todos os maranhenses”, destacou ele.

Diversas lideranças políticas, comunitárias, simpatizantes e militantes pedetistas vibraram com os projetos do pré-candidato ao governo, Weverton.

Osmar ressaltou a caravana de Cajari, cidade natal dos seus pais, e que tem como gestora, sua mãe Dra Maria Félix.

“Destaco o grupo de Cajari, liderado por minha mãe Dra Maria Félix e seu vice-prefeito, Constâncio que levaram uma linda caravana pro evento ontem e mostraram que eles também estão firmes nesse projeto.
Seguimos dialogando por um Maranhão Mais Feliz”, finalizou ele.

Vale destacar que o presidente aproveitou, e no mesmo dia participou da inauguração da Praça da Juventude, na região.

Senador chama Flavio Dino de covarde e manda recado para secretário de fuxicos: “sou casado”..

“Sou casado”, resposta do Roberto Rocha para Márcio Jerry.

A resposta que repercutiu nas redes sociais foi dada logo após retrucada dos comunistas sobre aumento dos combustíveis feitos pelo governador, que tentou negar tudo, mas foi desmentido pelo senador Roberto Rocha.

Na imagem do dia, as respostas dadas aos “comunistas”, Flávio Dino e Márcio Jerry (esse último chamado de “pau de mexer em merda), pelo senador, que tornou público, inclusive com o link, o ato covarde do governador de aumentar combustíveis e elevar o ICMS a níveis absurdos, tudo isso, em plena pandemia do covid19.

De traição, e mexer em merda, comunistas mostraram que entendem bem.

Enfim, Flávio Dino encontra-se com a verdade…

Sobre as constantes fakenews comunistas:

“Atira a pedra e esconde as mãos”.

Sobre os aumentos dos preços dos combustíveis e de todo o mecanismo criado para explorar a população pobre:

Como nos regimes ditatoriais, déspotas que governam contra o povo, que mandam fazer suas maldades, e, logo  depois, negam o feito. Assim acontece no Dinismo.

Alguma pessoa do bem poderia dar um presente, um espelho, para essa criatura maligna se enxergar e se encontrar com a verdade, que é uma criatura que serve à mentira.

O mecanismo Dinista é fácil de compreender, o chefe maior manda, os subalternos cumprem. Cito o exemplo dos aumentos de ICMS, que a ordem chega na Assembleia Legislativa, que Flávio Dino controla milimetricamente.

Desta feita, a mentira de Flávio Dino foi revelada, e o ex-comunista, agora “socialista”, juntamente com outros subalternos tiveram que sair e mostrar a cara. Cada vez se afundam mais.

Abaixo, o senador Roberto Rocha mostrando o mecanismo da mentira Dinista. Desta vez, Flávio Dino não escapou e teve que se encontrar com a verdade, que é uma mentiroso contumaz.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Roberto Rocha (@robertorocha_ma)

Roubalheira, genocídio? Assembléia Legislativa questiona onde Flávio Dino enfiou os envistimentos que deveriam ter ido para o saneamento básico…

Cadê o dinheiro, Flávio Dino?

Investir em saneamento básico é o mesmo que investir em saúde. Mas no Maranhão, ao que tudo indica, a bolada do dinheiro para os investimentos foi jogada no ralo…

Na imagem do dia, o deputado César Pires fez os questionamentos básicos sobre a falta de investimentos em água  potável, e redes de esgotos nas 217 cidades pobres dum estado cada vez mais atrasado.

Se o governador socialista que se diz “bom gestor” (melhor do Brasil) parasse um pouco suas tuitadas, talvez tivesse tempo e dinheiro, para cuidar e investir nos pobres. Mas parece que Dinbo só tem tempo para atacar o residente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro. Parece loucura.

Abaixo, perguntas feitas pelo deputado estadual da Assembleia Legislativa do Maranhão:

Veja no vídeo: a Ilha dos Esgotos, entenda como em 7 anos Flávio Dino aumentou a pobreza e piorou índices sociais do Maranhão…

 Nível de perversidade ao extremo:

Como esperado, o comunismo Dinista atrasou as vidas dos pobres das 217 cidades.

Reportagem nacional mostra a verdade sobre o Maranhão, que paga o alto preço por não saber votar e escolher seus políticos.

Gestor de araque:

Vergonhoso, o Maranhão não tem esgotos nas 217 cidades, tudo é lançado nas praias. Para piorar, políticos ligados ao governador votaram contra politicas de esgotamentos sanitários.

Uma pena que o nosso lindo estados ficou, novamente, em último lugar em tudo, para piorar, vem perdendo bilhões, tudo pela falta de gestão.

Números do IBGE mostram que o Maranhão piorou, em 7 anos promentndo “mudança” e “prosperidade”, tudo que o que fez foi se beneficiar da maquina pública para fazer “resistência” contra o governo federal.

Só atraso e destruição.

A reportagem mostrou o óbvio, quem esperava que comunismo progredisse um estado que por 50 anos ficou preso numa oligarquia, acabou sendo atrasado por mais 8 anos, por conta do comunismo Dinista.

Confira no vídeo:

No mesmo saco de Flávio Dio e Lula, turma da “terceira via” de Doria e Ciro Gomes sofre derrota das ruas…

Fiasco de primeiro grau:

Os organizadores das manifestações públicas contra o presidente Jair Bolsonaro chamaram o povo, e o povo não compareceu.

O povo não compareceu às manifestações (André Ribeiro/Futura Press/Estadão)

As manifestações públicas contra o presidente Jair Bolsonaro, contra seu governo e contra os “atos antidemocráticos”, convocadas para este fim de semana, foram um fiasco de primeiro grau.

Aconteceu o pior: os organizadores chamaram o povo, e o povo não apareceu. O resultado é que conseguiram exatamente o contrário do que pretendiam. O inimigo, que deveria ser enfraquecido, saiu mais forte do que estava.

Em outra ocasião, o fracasso seria apenas um fracasso. Vindo logo depois de Bolsonaro ter enchido as ruas com as maiores manifestações desde as “Diretas Já” ou o “Fora Dilma” de 2016, foi um desastre com perda total.

A culpa por isso é de um dos mais velhos e resistentes vícios da política brasileira: os donos das manifestações acham que são eles, e não os manifestantes, que têm o poder de lotar a praça. Dá nisso: se o povo não quer ir, podem ficar convocando a vida inteira que não vai acontecer nada.

O contraste patético entre os atos a favor de Bolsonaro, no 7 de Setembro, e as paupérrimas aglomerações da “oposição” deixa claro que o presidente, até agora, está com o comando das massas que vão para a rua. Seu grande adversário nas eleições de 2022, o ex-presidente Lula, não consegue nada parecido com seu sucesso de público — por isso, aliás, não está querendo ganhar o jogo na Avenida Paulista, na Esplanada dos Ministérios ou na Praia de Copacabana. Na derrota deste fim de semana, o PT nem quis se aliar aos organizadores, que ficaram falando sozinhos — mesmo porque, nas suas teorias, eles querem um Brasil sem nenhum dos dois, Bolsonaro ou Lula.

Movimentos que fizeram parte do comando das manifestações anti-Dilma e anticorrupção estão entre os organizadores dos atuais protestos em “defesa da democracia”; imaginam, como dito acima, que o sucesso de 2016 se deve a eles, e não ao povo brasileiro. É como o galo da fábula, que se convenceu que o sol só nascia a cada dia porque ele cantava. Sua causa, então, era diferente. É claro que colhem agora um resultado também diferente.

A esquerda e o PT, a mídia e os intelectuais, o “centro liberal” e quem mais se coloca na oposição ao presidente da República insistem em praticar o mesmo erro. Acreditam que o povo brasileiro só pode pensar igual a eles; quem não faz isso é “gado”. Não se conformam com a realidade; negam que multidões tenham se reunido para apoiar Bolsonaro. Mas então o que era aquele mar de gente vestido de verde e amarelo, com bandeiras do Brasil e gritando “mito”?

“Gado” inconsciente, irrelevante e irresponsável, diz a oposição. É um equívoco fundamental. O que os comandantes da guerra contra o presidente não percebem é que o “antibolsonarismo” não é, nem vai ser, uma causa popular no Brasil.

Enquanto não enxergarem essa evidência, continuarão a sonhar com as “pesquisas de opinião” que garantem que a popularidade de Bolsonaro “nunca esteve tão baixa” — justo no momento que fotos, vídeos e o testemunho dos participantes mostram as ruas tomadas por seus aliados. (J. R. Guzzo, publicado no jornal Gazeta do Povo em 13 de setembro de 2021)

Efeito Marcelo Tavares? Respiradores desviados seguem sem a devida tranparência, para piorar, processo está travado, sob sigilo…

Um pouco de luz sobre os “genocídios” da Covid-19… 

Alô, TCE!!!

Governo comunista faz pouco caso dos respiradores desviados, orgãos de fiscalização parecem ter ficados cegos, surdos e mudos. Até o TCE parece fingir-se de morto.

Os respiradores que deveriam salvar as vidas de milhares de pacientes acometidos pela doença, nunca chegaram nos hospitais públicos, mas o governador socialista, Flávio Dino, vive xingando o presidente da República de Genocida, logo ele que não tem moral de acusar ninguém.

Se os orgãos de controle e fiscalização funcionassem a favor da população que paga seus gordos salários, há muito que os assaltantes dos cofres públicos (boa parte desse dinheiro foi enviado pelo presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro) já teriam sido presos, ou enquadrados pela Justiça para pagarem pelos seus crimes. Mas, parece que tais orgãos, como TCE, MP, do Maranhão, parecem dormir um sono profundo.

Teve caso escabroso, que o governo do Maranhão pagou até antecipado, mas até hoje os hospitais nunca receberam as mercadorias. É roubo ou genocídio que chama?

Pelo teor da urgência, acho que seria esta a hora do novo Conselheiro do TCE mostrar a que veio. Alô, Marcelo Tavares, já passou da hora de mostrar diferença.

Vale lembrar que, boa parte dos bilhões enviados pelo governo federal para socorrer a rede hospitalar do Nordeste, que foi sucateada por anos, foi desviada pelos representantes dum tal “Consórcio do Nordeste”.

Confira trecho da reportagem do site Atual7:

Aberto desde junho de 2020 e com as primeiras irregularidades constatadas menos de um mês depois, o processo aguarda parecer do conselheiro-substituto Antônio Blecaute, relator do caso, e travou após o chefe da Secretaria de Fiscalização do tribunal, Fábio Alex de Melo, reforçar a gravidade de irregularidades apontadas pelo núcleo de fiscalização da corte e sugerir a instauração de uma tomada de contas especial, tipo de apuração que busca quantificar danos ao erário e identificar seus responsáveis.

Paralisado por mais de dois meses, o processo voltou a ter movimentação na sexta-feira (10), cerca de 1 hora depois de o ATUAL7 questionar Blecaute, com o envio dos autos para o Ministério Público de Contas, para manifestação.