Senador chama Flavio Dino de covarde e manda recado para secretário de fuxicos: “sou casado”..

“Sou casado”, resposta do Roberto Rocha para Márcio Jerry.

A resposta que repercutiu nas redes sociais foi dada logo após retrucada dos comunistas sobre aumento dos combustíveis feitos pelo governador, que tentou negar tudo, mas foi desmentido pelo senador Roberto Rocha.

Na imagem do dia, as respostas dadas aos “comunistas”, Flávio Dino e Márcio Jerry (esse último chamado de “pau de mexer em merda), pelo senador, que tornou público, inclusive com o link, o ato covarde do governador de aumentar combustíveis e elevar o ICMS a níveis absurdos, tudo isso, em plena pandemia do covid19.

De traição, e mexer em merda, comunistas mostraram que entendem bem.

Enfim, Flávio Dino encontra-se com a verdade…

Sobre as constantes fakenews comunistas:

“Atira a pedra e esconde as mãos”.

Sobre os aumentos dos preços dos combustíveis e de todo o mecanismo criado para explorar a população pobre:

Como nos regimes ditatoriais, déspotas que governam contra o povo, que mandam fazer suas maldades, e, logo  depois, negam o feito. Assim acontece no Dinismo.

Alguma pessoa do bem poderia dar um presente, um espelho, para essa criatura maligna se enxergar e se encontrar com a verdade, que é uma criatura que serve à mentira.

O mecanismo Dinista é fácil de compreender, o chefe maior manda, os subalternos cumprem. Cito o exemplo dos aumentos de ICMS, que a ordem chega na Assembleia Legislativa, que Flávio Dino controla milimetricamente.

Desta feita, a mentira de Flávio Dino foi revelada, e o ex-comunista, agora “socialista”, juntamente com outros subalternos tiveram que sair e mostrar a cara. Cada vez se afundam mais.

Abaixo, o senador Roberto Rocha mostrando o mecanismo da mentira Dinista. Desta vez, Flávio Dino não escapou e teve que se encontrar com a verdade, que é uma mentiroso contumaz.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Roberto Rocha (@robertorocha_ma)

Roubalheira, genocídio? Assembléia Legislativa questiona onde Flávio Dino enfiou os envistimentos que deveriam ter ido para o saneamento básico…

Cadê o dinheiro, Flávio Dino?

Investir em saneamento básico é o mesmo que investir em saúde. Mas no Maranhão, ao que tudo indica, a bolada do dinheiro para os investimentos foi jogada no ralo…

Na imagem do dia, o deputado César Pires fez os questionamentos básicos sobre a falta de investimentos em água  potável, e redes de esgotos nas 217 cidades pobres dum estado cada vez mais atrasado.

Se o governador socialista que se diz “bom gestor” (melhor do Brasil) parasse um pouco suas tuitadas, talvez tivesse tempo e dinheiro, para cuidar e investir nos pobres. Mas parece que Dinbo só tem tempo para atacar o residente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro. Parece loucura.

Abaixo, perguntas feitas pelo deputado estadual da Assembleia Legislativa do Maranhão:

Veja no vídeo: a Ilha dos Esgotos, entenda como em 7 anos Flávio Dino aumentou a pobreza e piorou índices sociais do Maranhão…

 Nível de perversidade ao extremo:

Como esperado, o comunismo Dinista atrasou as vidas dos pobres das 217 cidades.

Reportagem nacional mostra a verdade sobre o Maranhão, que paga o alto preço por não saber votar e escolher seus políticos.

Gestor de araque:

Vergonhoso, o Maranhão não tem esgotos nas 217 cidades, tudo é lançado nas praias. Para piorar, políticos ligados ao governador votaram contra politicas de esgotamentos sanitários.

Uma pena que o nosso lindo estados ficou, novamente, em último lugar em tudo, para piorar, vem perdendo bilhões, tudo pela falta de gestão.

Números do IBGE mostram que o Maranhão piorou, em 7 anos promentndo “mudança” e “prosperidade”, tudo que o que fez foi se beneficiar da maquina pública para fazer “resistência” contra o governo federal.

Só atraso e destruição.

A reportagem mostrou o óbvio, quem esperava que comunismo progredisse um estado que por 50 anos ficou preso numa oligarquia, acabou sendo atrasado por mais 8 anos, por conta do comunismo Dinista.

Confira no vídeo:

No mesmo saco de Flávio Dio e Lula, turma da “terceira via” de Doria e Ciro Gomes sofre derrota das ruas…

Fiasco de primeiro grau:

Os organizadores das manifestações públicas contra o presidente Jair Bolsonaro chamaram o povo, e o povo não compareceu.

O povo não compareceu às manifestações (André Ribeiro/Futura Press/Estadão)

As manifestações públicas contra o presidente Jair Bolsonaro, contra seu governo e contra os “atos antidemocráticos”, convocadas para este fim de semana, foram um fiasco de primeiro grau.

Aconteceu o pior: os organizadores chamaram o povo, e o povo não apareceu. O resultado é que conseguiram exatamente o contrário do que pretendiam. O inimigo, que deveria ser enfraquecido, saiu mais forte do que estava.

Em outra ocasião, o fracasso seria apenas um fracasso. Vindo logo depois de Bolsonaro ter enchido as ruas com as maiores manifestações desde as “Diretas Já” ou o “Fora Dilma” de 2016, foi um desastre com perda total.

A culpa por isso é de um dos mais velhos e resistentes vícios da política brasileira: os donos das manifestações acham que são eles, e não os manifestantes, que têm o poder de lotar a praça. Dá nisso: se o povo não quer ir, podem ficar convocando a vida inteira que não vai acontecer nada.

O contraste patético entre os atos a favor de Bolsonaro, no 7 de Setembro, e as paupérrimas aglomerações da “oposição” deixa claro que o presidente, até agora, está com o comando das massas que vão para a rua. Seu grande adversário nas eleições de 2022, o ex-presidente Lula, não consegue nada parecido com seu sucesso de público — por isso, aliás, não está querendo ganhar o jogo na Avenida Paulista, na Esplanada dos Ministérios ou na Praia de Copacabana. Na derrota deste fim de semana, o PT nem quis se aliar aos organizadores, que ficaram falando sozinhos — mesmo porque, nas suas teorias, eles querem um Brasil sem nenhum dos dois, Bolsonaro ou Lula.

Movimentos que fizeram parte do comando das manifestações anti-Dilma e anticorrupção estão entre os organizadores dos atuais protestos em “defesa da democracia”; imaginam, como dito acima, que o sucesso de 2016 se deve a eles, e não ao povo brasileiro. É como o galo da fábula, que se convenceu que o sol só nascia a cada dia porque ele cantava. Sua causa, então, era diferente. É claro que colhem agora um resultado também diferente.

A esquerda e o PT, a mídia e os intelectuais, o “centro liberal” e quem mais se coloca na oposição ao presidente da República insistem em praticar o mesmo erro. Acreditam que o povo brasileiro só pode pensar igual a eles; quem não faz isso é “gado”. Não se conformam com a realidade; negam que multidões tenham se reunido para apoiar Bolsonaro. Mas então o que era aquele mar de gente vestido de verde e amarelo, com bandeiras do Brasil e gritando “mito”?

“Gado” inconsciente, irrelevante e irresponsável, diz a oposição. É um equívoco fundamental. O que os comandantes da guerra contra o presidente não percebem é que o “antibolsonarismo” não é, nem vai ser, uma causa popular no Brasil.

Enquanto não enxergarem essa evidência, continuarão a sonhar com as “pesquisas de opinião” que garantem que a popularidade de Bolsonaro “nunca esteve tão baixa” — justo no momento que fotos, vídeos e o testemunho dos participantes mostram as ruas tomadas por seus aliados. (J. R. Guzzo, publicado no jornal Gazeta do Povo em 13 de setembro de 2021)

Tapa com luva de pelica: Uma boa explicação sobre a carta de Bolsonaro aos Dinocomunistas que estrebucharam de ódio…

A resposta de Bolsonaro aos que esperavam o caos.

Constantemente sob ataques de inescrupulosos, Bolsonaro novamente surpreendeu a todos (a todes os lacradores Dino-comunistas) e saiu por cima. Fiquem abaixo, com outra analise refinada feita pelo jornalista e médico, João Bentivi.

Bolsonaro estadista:

Lacradores piram…

O título dessa matéria tem vários efeitos, incluindo pruridos pudendos intensos, em região posterior. Faz bem, já é um dos objetivos que alcanço. Vamos ao principal.

O 7 de setembro bombou e eu pude ver gente de todos os tipos e cores e quando eu penso que a esquerdalha nos chamava de fascistas, trago dois exemplos de fascistas perigosos: dona Raimundinha, amiga dos meus velhos tempos de adolescência, com mais de 80 anos, enrolada em uma bandeira nacional e Sofia, linda loira de 2 anos, a cara do avô, fardada de verde-amarelo. Sofia é minha neta.

A imprensa bandida engoliu na marra: não dá para negar os milhões que foram às ruas.

De repente a decepção: Bolsonaro não deu um murro na mesa e não quebrou vidraças. Muito pelo contrário, dá uma mensagem em nível de benção de Arão. A decepção minha e de milhões tem explicação científica: a burrice é sempre mais apressada e não dá bolas para a razão. Basta raciocinar. Raciocinei.

Bolsonaro tinha e tem, em mãos, todos os elementos e argumentos, quer jurídicos ou logísticos, para muitas medidas, inclusive para fazer a volta imediata da constitucionalidade perdida, mas isso seria com um custo alto, terrível e o Brasil teria que arcar.

Os inimigos da pátria sabem disso muito bem, estão desesperados, sem saídas e, em não tendo saídas, procuram o caos. Bolsonaro, estadista, não descarta o caos, mas trabalhará para, se isso for inevitável, que o seu ônus não seja debitado em sua conta pessoal e política.

Não posso dizer o teor das conversas com Temer et caterva, mas posso afirmar que ao fazer um discurso apaziguador, Bolsonaro simplesmente jogou no colo do STF uma bomba. O Brasil e o mundo irão acompanhar não as ações e palavras do Bolsonaro, porém todos acompanharão os movimentos do STF, Câmara e Senado.

As medidas de força, se em um determinado momento forem necessárias, serão postas e todos sabem disso. O que não se sabe (pelo menos eu não sei), ainda, é se os outros atores da querela cumprirão seus scripts.

Bolsonaro teve outro lucro. Uma parte dos brasileiros que durante muito tempo engoliu o discurso bandido da esquerda, de que o presidente era um sujeito belicoso, nesse episódio entende o erro dessa percepção e entende que, apesar de declarações, às vezes, inconvenientes, o presidente é, acima de tudo, sincero e não radical. Ponto para Bolsonaro e aumento de percentuais de apoio.

Os bolsonaristas e conservadores mais radicais, que no primeiro momento se rebelaram, começam a entender os nós do novelo e um fato é relevante, com cara amarrado, ou encrespada seguirão o presidente, mais ou menos como aquele episódio em que Jesus, após dá uma dura lição nos discípulos, perguntou: vocês querem me abandonar? São Pedro respondeu por todos: para quem iremos nós, pois tu tens as palavras de vida eterna.

O exemplo serve como luva. Para quem é cristão, que defende os valores familiares e as pautas da seriedade, que não compactua com a corrupção, que não sonha com uma ditadura de esquerda, etc. etc., quer goste ou não goste, a única opção é o Messias, aliás, Jair Messias.

Essa é uma das explicações do sucesso do presidente, a ponto de muitos chamá-lo de mito. Entrementes, um sujeito nonodáctilo, para ir à praia, com a sua namorada, precisa de guarnição policial e quando se encontra com sete pessoas, recebe vaias de seis.

Uma última observação. Eu não desejaria, jamais, ter um adversário como Bolsonaro. Aprendeu a falar com o povão, a ponto de dizer palavrão e não perder voto de fundamentalista religioso. E é muito favorecido por seus adversários. Três exemplos.

As ações do STF contra o presidente, assim como o perdão jurídico ao Lula agregaram apoio ao presidente e foram desastrosos para a imagem do STF, basta alguém fazer uma pesquisa formal ou informal, com uma única pergunta: você ama o STF?

O segundo exemplo é o próprio Lula. Perdeu, definitivamente, o status de líder popular e carismático. Desde 2007, salvo engano, não consegue ir às ruas. Porém a presença de Lula no cenário elimina o surgimento de qualquer nova liderança na esquerda, e aniquila a tal “terceira via”. Sabe quem ri e se lambuza de satisfação com isso? Bolsonaro.

Terceiro, a CPI do covid. Um fiasco. Já foi da cloroquina, da ivermectina, da vacina, da Copa América, do Pazzuello, da Nise, do futebol, do vazamento de sigilos e outras coisas mais (nunca encontrou o Gabas!). Porém não consegue encontrar falha no governo, está engolindo o sucesso da Vacinação, a diminuição da pandemia e tem uma acusação que será anedota histórica. Afirmará que o governo Bolsonaro é corrupto, sem que nenhuma pessoa tenha recebido um único centavo de corrupção.

Mais ou menos bêbado sem álcool, lombrado sem maconha ou assassino sem cadáver. É ou não é para gargalhar.

Mas o pior é pior ainda. Uma CPI cujo trio representativo é Omar, Randolfe e Renan, caso acusasse Al Capone, Al Capone seria inocentado.

Caso alguém de mim discorde, observe a tristeza da esquerda com a nota do Bolsonaro, alguns choram até agora, nada demais, estão treinando para chorar em 2022.

Tenho dito.

(João Melo e Sousa Bentivi)

Desastre: A rodovia da morte de Flávio Dino que consumiu quase um Bilhão e não ficou pronta, segue causando tragédias…

Mais duas mortes na Rodovia que Flávio Dino prometeu um BRT:

Genocida? Só falta agora Flávio Dino jogar a culpa das mortes na Rodovia da morte em Bolsonaro. 

Dino adora falar mal e acusar outros, mas nada fala da falta de feijão, das mortes nas rodovias, ou “genocidios” constantes no Maranhão. Tudo que acontece de errado joga a culpa no Presidente do Brasil, como se fosse o culpado pelas mortes no território do Maranhão, em especial, no Araçagi, em plena estrada da morte.

Nem quero prolongar sobre os milhões que fez sumir, mas da problemática que tem causado tragédias no local.

O governador socialista, que não tem moral alguma para apontar seu dedo sujo, acusar, e fazer criticas, como se não tivesse contra sua gestão um imenso telhado de vidros, cheio de buracos.

Flávio Dino fez sumir quase um bilhão, sendo que nem o BRT foi capaz de fazer rodar na rodovia, conforme o projeto original. Um bolada de dinheiro que dava para comprar muito feijão, e não apenas dar banquetes para aliados no Palácio em palanques eleitoreiros.

Um desastre chamado pelo nome comunismo:

Uma obra que arrastou-se por vários anos, consumiu perto de um bilhão de reais do dinheiro dos pobres e explorados, não tem sinalizações adequadas, o transito é confuso.

Ora, uma obra que custou muito dinheiro, que dava para ter comprado muito feijão e arroz, artigos de luxo na mesa dos pobres que entraram na Extrema Pobreza durante a gestão calamitosa do comunista, deveria ter o mínimo, mas, não.

O resultado é trágico. Era previsível, esperado! Por falar em tragédia, veja o comentário do senador Roberto Rocha que fez uma análise sobre a situação:

Confira abaixo, sobre o acidente mais recente:

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Roberto Rocha (@robertorocha_ma)

“Maconha estragada”: Rogério Raposão rebate Blogueiro Raimundo Garrone…

Resposta aos comunistas que lutam contra a liberdade:

“Tenha mais respeito com as pessoas, sem xingar de gado. Resolva seus problemas com o dono das lojas Havan sem descontar nas pessoas de bem, que desejam se manifestar”. Veja o vídeo completo clicando aqui:

Para o organizador da Motocarreata da independência, Rogério Raposão, o blogueiro palaciano (e seu chefe maior, Márcio Jerry) devem se resolver com o dono das lojas Havan, e respeitar as pessoas de bem que se manifestaram pacificamente no último dia 7.

Sobre a fakenews espalhada pelo blogueiro, Raposão mostra um vídeo gravado antes do trio elétrico em que o senador Roberto Rocha estava, chegar na praça Maria Aragão, e falar ao público.

Pelo visto quem anda fumando “maconha estragada” é quem luta contra a liberdade, vive inventando fakenews, xingando os bolsonaristas. Resumindo, mesmo com toda perseguição, ainda é melhor ser gado, que ser dro-gado…

Abaixo, nota enviada por Rogério Raposão ao blogueiro palaciano, Raimundo Garrone:

Primeiramente quero falar ao ilustre jornalista que não somos gados, somos pessoas de bem , pagadores de impostos e pessoas que respeitam a moral e os bons costumes.

 

Eu, Rogério Raposão, particularmente, não escutei em nenhum momento ninguém falar da Dra Maria Aragão durante a manifestação!

Inclusive este Oficial da reserva do Exército Brasileiro fiz um pronunciamento (tenho evidências) pedindo até para que o povo que ali estava tivesse cuidado redobrado com o memorial em respeito a Dra Maria Aragão e também já me adiantando a esse tipo de ataque que poderia vir da parte insatisfeita com o sucesso do ocorrido.

Essa narrativa sem evidências só mostra a falta de competência para discutir algo que você e meia dúzia de Nati democráticos esperavam dar errado.

Seus problemas com o Luciano Hang e com a liberdade não podem ser descontados nas pessoas que ali estavam exercendo um direito de se manifestar.

Tenha mais respeito às pessoas e principalmente a adversidades e opiniões.

Ads,

Se Vis Pacem Parabelum

Rogério Raposão
Organizador da Moto Carreata e pedalada da independência.

Independência e responsabilidade precisam chegar às redações, ou: está claro quem financia ataques à democracia…

E tome ataques, narrativas, desgastes.

A pergunta que não quer calar: Será que o STF vai “desmonetizar” a imprensa militante com suas “narrativas” propagadas para desgastar o presidente do Brasil? Confira a mais nova “narrativa” da Globo:

Narrativa: o “fora Bolsonaro” palaciano sem “manifestantes”, só pichações.  Na falta de “manifestante” jornal maranhense destacou atos de vandalismos para, tudo indica que, agradar o parquet palaciano e seus beneficiados…

É preciso que a “independência” chegue às redações, que possam cumprir o verdadeiro papel social, informar e não repetir “narrativas” que justifiquem o pensamento de governadores frustrados e déspotas ultrapassados.

Há quem pague pela desinformação, pelo clima de “quanto pior melhor”. Mas a justiça que é cega, se faz de morta para tomar a atitude correta.

Também ficou claro, aliás, está clarissimo, cristalino, que governadores do Nordeste, Petistas, Tucanos, uniram-se aos togados para impedir Bolsonaro de governar.

O desejo de Lulo-coministas é um golpe via STF para tirar Bolsonaro, que rompeu com a roubalheira, esta sim, anti-democrática.

Destaco dois fatos recentes:

O primeiro fato a destacar foi a interferência direta do STF de tirar poderes do Executivo (democráticos?) em plena pandemia do Covid-19, para que governadores e prefeitos recebessem bilhões dos cofres públicos, a segunda, logo em seguida, o STF, a pedido (sempre a pedido dos partidos de esquerda), mandou abrir uma CPI para investigar o presidente e seus ministros, secretários, assessores, aliados, e colher provas (criadas) para incriminá-lo e empeachmá-lo.

Saímos às ruas neste dia 7 de Setembro para pedir liberdade, mas o desejo de independência precisa chegar mais longe, nas mentes, nas consciências de quem as têm.

Enquanto a esquerda tenta impedir o presidente, nos desinformar, resta pedir, encarecidamente aos profissionais da imprensa, que tenham um pouco de fé no seu povo, tenham o mínimo de responsabilidade, que lutem para que nosso país não caia novamente nas mãos dos bandidos, que lutem pelas suas independências.

Aparelhamentos ideológicos? Flávio Dino estrebucha de ódio em pleno 7 de setembro, mas nada fala sobre o ativismo jurídico que beneficia corruptos que tomou conta do STF…

Dino estrebucha de ódio contra atos democráticos da população…

Liberdade ao Maranhão: viatura da PM foi flagrada desafiando a arrogância palaciana 

O maior beneficiado pelo ativismo jurídico nas cortes federais, que é ex-juiz federal, que torce e age contra a democracia brasielira, Flávio Dino, é o mesmo que está sendo cobrado por crimes de responsabilidades, entre eles, a compra de aparelhos que deveriam equipar os hospitais durante a pandemia, que sumiram junto com o dinheiro enviados pelo presidente Bolsonaro.

Na cabeça desses seres atrasados a população é besta e não deve se manifestar. Como assim, Flávio Dino?

Não é segredo para ninguém que governador Flávio Dino (PSB) vive atacando o presidente do Brasil nas redes sociais. Desde o primeiro dia que sentou na cadeira de presidente, que Bolsonaro vem sendo atacado pelo ex-comunista,que não mede esforços (nem gastos) para tentar impedi-lo de fazer aquilo que Lula e Dilma não fizeram. Haja ódio.

Dino parece que esqueceu dos esqueletos das refinarias de Lula e Lobão (em Bacabeira, cidade pobre do Maranhão) esqueceu, também, dos estádios de futebol, as “arenas” construídas pelas empreiteiras dos esquemas petistas, que deveriam receber os doentes da pandemia. Democrático, hein?

Professor da rede estadual desafiando e furando o cerco comunista.

O ex-comunista Flávio Dino, parece conhecer muitíssimo bem as curvas das justiça de Brasília, seus juízes, promotores, advogados e donos de escritórios de advocacias, dizem que nas folgas das “tuitadas” vive viajando na surdina, de jatinhos pagos com dinheiro dos pobres, ou banqueteando-se com ladrões e corruptos do dinheiro público, posso citar ao menos dois, que estiveram recentemente no Maranhão:

Dirceu, vulgo Daniel, e o Luíz Inácio, vulgo Lula. Sim, Dino parece conhecer, muitíssimo bem, como se portam os juízes, as cortes, e seus trâmites.

Na mentalidade retrograda dos “comunistas” e “socialistas” de Iphones, do estado pobre que entrou na extrema pobreza, todos seus puxas sacos, beneficiados pelos “dois  Leões” da porta do Palácio, que precisam bater continência como se fosse um dever cívico.

Sobre liberdade e aparelhamento: o dia da independência não chegou nas redações…

As mordaças ideológicas impostas às mídias: pano quente que chama?

Muitos ainda não sabem o significado da palavra “liberdade”, infelizmente, nem os combatíveis jornais de São Luís, que outrora insurgiram-se em favor da democracia, dos direitos, da liberdade, conseguem falar a verdade, e “passam pano” para os atos antidemocráticos de Flávio Dino, em plena data do 7 de setembro.

Liberdade ao Brasil, liberdade ao Maranhão!