Monthly Archives: abril, 2020

“Lockdow-branco”: Flávio Dino falhou, o sistema de saúde precário foi motivo do crescimento da doença causada pelo vírus chinês no Maranhão.

Em todo o estado, nas 217 cidades há gente sem alimentação, fraca, doentes. Covid fazendo festa. O vírus chinês mostrou ao Brasil quem de fato é o chefão do comunismo.

Após mostrar doentes morrendo nos hospitais sem a minima condição, deputado mostra o resultado do Maranhão: o pior em tudo…

Em novo decreto, Dino prometeu fechar Rua Grande (que já estava fechada), nesta quinta-feira, 30.

A verdade é que o Maranhão inteiro já estava fechado mas o coronavírus piorou, tudo indica pela desmantelo do sistema de saúde.

A pobreza escondida veio à tona. Covid-19 expôs a verdade que Flávio Dino tentou mascarar. População sem alimentação, fraca, governo midiático, que investiu em 6 anos de regime comunista maciçamente muito mais em publicidade que em saúde, estruturas sanitárias e alimentação.

Sem ter hospitais qualificados para tratar dos casos graves do covid-19, a maioria da população buscou a rede particular. Com o colapso nos hospitais da rede particular, e total desqualificação da rede pública, o quadro de mortes quadruplicou colocando o Maranhão nos holofotes do Brasil.

Diferente das publicidades, o Maranhão sob o comunismo de Flávio Dino mostra a sua verdade: um estado pobre, atrasado, explorado. Foi para isso que votamos no candidato da “mudança”?

Dino falhou. Sistema de saúde precário foi motivo do crescimento da doença causada pelo vírus chinês.

O vírus chinês (covid-19) mostrou ao Brasil quem de fato é o chefão do comunismo.

Apesar de manter as escolas sem aulas, comércio fechados, acessos às praias impedidos, shoppings centers, cinemas, e até restaurantes e bares fechados, nada impediu o progresso da pandemia.

O covid-19 mostrou quadro drástico do Maranhão sob o Dinismo. Aos eleitores que recentemente o reelegeram, Dino é enquadrado como mentiroso e sem caráter, pior que o Sarney.

Bolsonaro “paz e amor” na posse do Ministro da Justiça. Posse de novo ministro o recado de Bolsonaro aos corruptos que tentam boicotar a nova gestão.

Alexandre Garcia fala sobre termometro da política, sobre o momento covid-19, da perseguição e prisão do povo e da tentativa dos que não aceitam a vitória de Bolsonaro de tentar barrar sua gestão.

O prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio, editou novo decreto, em 22 de Abril, prorrogando para 05 de maio a vedação de acesso às praias do Araçagy, Panaquatira, do Meio e Praia de Banho (na Sede), conforme Decreto 1671, de 8 de abril de 2020.

Acessos às praias continuam proibidos

O decreto não atinge a prática de pesca artesanal e nem os moradores, cuja residência tenha acesso exclusivo pela faixa de areia, mas os restringem quanto a permanência na praia.

Estão excetuados, também, do decreto os agentes públicos, no exercício de atividades essenciais, de controle e fiscalização das medidas de prevenção e combate ao estado de calamidade pública.

No início do mês, a ação foi determinada durante reunião comandada pelo prefeito Eudes Sampaio, com o objetivo de coibir as aglomerações e, assim, reduzir a curva de contágio da Covid-19.

As ações estão ocorrendo de forma cooperada entre a Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Corpos de Bombeiros. Equipes da Guarda Municipal e Polícia Militar realizam rondas pelas praias para garantir o cumprimento dos decretos estadual e municipal, que tratam da proibição da aglomeração e circulação de pessoas no período.

De acordo com o prefeito Eudes Sampaio, a prorrogação foi de extrema necessidade haja vista o crescimento significativo dos casos de Novo Coronavírus no município.

“Estamos tomando todas as medidas necessárias, mas precisamos da contribuição de todos nesse esforço. Não vamos vencer essa guerra sem a participação direta da população, seguindo as orientações das autoridades em saúde e observando os termos de cada medida que temos tomado”, lembrou o prefeito.

A Câmara Municipal de São Luís realizou, nesta quarta-feira (29), mais uma sessão extraordinária remota na qual foram aprovados Projetos de Lei que beneficiam a população, que continua sofrendo com a proliferação do Novo Coronavírus (COVID-19) na capital maranhense.

Parlamentares se reuniram remotamente, mais uma vez, e aprovaram vários projetos de lei.

As proposições possuem caráter autorizativo e são de autoria dos vereadores César Bombeiro (PSD), Chico Carvalho (PSL), Astro de Ogum (PC do B), Pavão Filho (PDT), Antônio Garcez (PTC) e Dr. Gutemberg (PSC).

As matérias foram aprovadas em 1º e 2º turnos e seguiram para apreciação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

O Projeto nº 044/20, de autoria de César Bombeiro, determina a suspensão das obrigações relacionadas aos empréstimos consignados, junto as instituições financeiras, contraídos por servidores públicos municipais, pelo prazo de três meses, prorrogáveis por igual período ou enquanto persistirem as circunstâncias de calamidade pública instaladas pelo COVID-19.

O PL recebeu emenda, de autoria da vereadora Concita Pinto (PC do B), incluindo no benefício aposentados e pensionistas e determinando que o pagamento das parcelas suspensas seja feito ao término do empréstimo.

Chico Carvalho teve dois Projetos aprovados. O primeiro, de nº 047/20, prorroga automaticamente o pagamento das parcelas de IPTU, ISS, multas de trânsito e ITBI pelo prazo de 180 dias, bem como cria o Programa de Parcelamento de Emergência (PPE). O segundo, de nº 048/20, institui a redução proporcional das mensalidades da rede privada de ensino do Município de São Luís, de no mínimo 30%, durante o Plano de Contingência do Estado do Maranhão para enfrentamento ao Novo Coronavírus.

Este último foi aprovado com emenda do vereador Ivaldo Rodrigues (PDT) determinando que sejam incluídos na obrigatoriedade estabelecimentos de ensino de Educação Infantil.

De autoria do vereador Astro de Ogum, o PL nº 049/20 autoriza o Município a proceder a isenção do desconto de ISS aos profissionais autônomos da área da saúde. A matéria recebeu emenda proposta por Pavão Filho.

Presidente da Casa, Osmar Filho, coordenou mais uma sessão remota da Câmara Municipal.

O pedetista teve aprovada proposição, de nº 050/20, determinando a obrigatoriedade de uso e fornecimento de máscaras em estabelecimentos públicos, industriais, comerciais e de serviços, como medida de enfrentamento à disseminação do COVID-19 em São Luís, durante o estado de calamidade pública.

Já Antônio Garcez teve aprovado Projeto, de nº 051/20, que estabelece a obrigação do uso de kits de EPIs (material de segurança) para prestador de serviço público e privado para o combate à pandemia na capital.

Dr. Gutemberg teve três proposições aprovadas. A primeira, de nº 052/20, autoriza o Executivo Municipal a prorrogar o prazo de validade das certidões negativas de débito durante o período da pandemia. A segunda, de nº 053/20, autoriza o Poder Executivo a implantar o pagamento suplementar de 100% sobre os valores já pagos a título de adicional de insalubridade aos profissionais da área de saúde que estejam envolvidos diretamente no atendimento e tratamento dos pacientes portadores do COVID-19, durante o período de vigência do Decreto nº 54.936, de março de 2020, ou outro instrumento legal que venha a substituí-lo, ou ainda, venha prorrogar os seus efeitos.

Já a terceira, de nº 054/20, autoriza a Prefeitura a suspender temporariamente a cobrança do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN) durante a vigência do Decreto nº 54.936, de março de 2020, ou outro instrumento legal que venha a substituí-lo, ou ainda, venha prorrogar os seus efeitos.

Nova sessão – Após exaustiva análise das matérias colocadas em pauta, o presidente da Câmara, vereador Osmar Filho (PDT), suspendeu os trabalhos às 13h27, determinando a convocação de nova sessão para esta quinta-feira (30), a partir das 9h, quando deverão ser votados mais 12 Projetos de Lei e seis requerimentos, além de mensagem governamental que dispõe sobre concessão de benefício funeral em decorrência de doenças infectocontagiosa.

Diante duma pandemia causada pelo vírus chinês, alguns políticos buscam oportunidades e brechas para desviar dinheiro do governo federal, destinado a ser aplicado na saúde. 

Operações da PF já estariam em andamento em vários estados do Brasil. Abaixo, texto do Crítica Nacional sobre a operação:

Covidão: PF deflagra operação contra irregularidades em licitações no Amapá.

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (29/4) a Operação Virus Infectio, para combater desvio de recursos públicos e investigar superfaturamento na aquisição de insumos utilizados pelas equipes de prevenção e combate à pandemia do vírus chinês, no estado do Amapá.

Segundo nota da Polícia Federal, as “investigações apontaram fortes indícios de superfaturamento na aquisição de equipamentos de proteção individual, em pelo menos seis dos quinze itens comprados, através de contrato firmado pelo Fundo Estadual de Saúde do Amapá (FES), por meio de dispensa de licitação”.

Também verificou-se indícios de superfaturamento em lotes de materiais de proteção hospitalares, mostrando variações de valores significativas, com destaque para as máscaras duplas e triplas que atingiram patamares de 814% e 535% de sobrepreço, respectivamente, conforme informado pela Polícia Federal em nota.

“Bolsomínium” dá lição nas Oligarquias do Pará e Maranhão:

Governador de Minas Gerais, apelidado de “Bolsomínium” dá exemplo aos governadores ligados ao PT:

Helder e Dino:
Oligarquias do atraso…

A velha política praticadas pelos governadores do Pará e Maranhão continua dando péssimo exemplo ao povo do Brasil.

Para mostrar o contraste, deixarei o péssimo exemplo que vem do Pará, que é filho de um velho oligarca do MDB, Jader barbalho, Hélder Barbalho (MDB) que gastou somas milionárias para comprar aparelhos com preços acima do normal, enquanto outro governador, de Minas Gerais fez diferente, gastou abaixo da tabela e teve condições de comprar mais.

Já Flávio Dino, governador do Maranhão comprou mercadorias da China, sem passar pelos órgaos de controle, como Receita Federal e Anvisa, sendo que até hoje ninguém sabe ao certo quanto gastou-se, já que o governo federal (Bolsonaro) mandou mais de cem milhôes para o Maranhão, e ninguém sabe ao certo o que Flávio Dino tem feito com a baolada milionária, já que o povo tá morrendo por falta de leitos na rede pública.

Confira abaixo:

Superfaturamento: Governo Helder gasta o dobro do valor que o governo mineiro usou para comprar respiradores pulmonares:

Minas comprou 747 respiradores a R$ 43 milhões e o governo paraense 400 por R$ 50 milhões

Minas comprou 747 respiradores a R$ 43 milhões e o governo paraense 400 por R$ 50 milhões

A divulgação de compra de respiradores pelos governadores de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) e do Estado do Pará, Helder Barbalho (MDB), mostra a diferença de valores que os gestores estaduais estão gastando para adquirir os equipamentos de tratamento de pacientes graves da covid-19, durante o período de pandemia.

O governador mineiro anunciou, nesta segunda-feira, 27, a compra de 747 ventiladores pulmonares ao custo de R$ 43,9 milhões e anunciou que parte dos recursos para compra dos esquipamentos é oriundo da multa que a mineradora Samarco depositou na justiça, como parte da reparação pelo rompimento da barragem na cidade de Mariana, ocorrida em 2015.

Aqui no Pará, o Diário Oficial do Estado (DOE) publicou em março que a compra de 400 respiradores feita sem licitação, baseada no Decreto 687/2020, que declara Estado de Calamidade Pública em todo o território paraense, custaria R$ 100 milhões. O governador Helder Barbalho anunciou o feito pelas redes sociais, alegando que os equipamentos viriam da China.

Após uma série de críticas nas redes sociais e em blogs locais, a Secretaria Estadual de Saúde (Sespa), anunciou no início da tarde desta segunda-feira, 28, que houve uma errata no contrato e que o DOE publicaria o novo custo, reduzindo o valor da compra dos respiradores para R$ 50 milhões.

Apesar de se chegar próximo do valor adquirido pelo governo de Minas Gerais, a quantidade dos equipamentos comprados pelo governo paraense é quase a metade do número de respiradores que o governador mineiro adquiriu, como mostra as publicações abaixo e por custo menor, cerca de R$ 7 milhões mais barato. (Romanews)

O presidente do Diretório Municipal do PSDB na cidade de Caxias, ex- prefeito Paulo Marinho, solicitou ao senador Roberto Rocha, que viabilize junto ao Governo Federal a instalação de mais uma agência da Caixa Econômica Federal no município.

Marinho argumentou que o único órgão da Caixa que existe atualmente na cidade, já não possui condições de atender uma população de 200 mil habitantes.

“É humilhante ver todos os dias milhares de pessoas aglomeradas na porta da única agência da caixa Econômica existente em Caxias. A cidade de Santa Inês, por exemplo, tem um terço da população do nosso munícipio e ganhou recentemente mais uma agência, que vai atender toda a região”, explicou o ex-prefeito, que ressaltou, ainda, que Caxias tem um dos maiores PiBs do Maranhão, porém, segundo ele, fica impedida de crescer por falta de agências fomentadoras de negócios como a Caixa.

Paulo Marinho afirma que está confiante, visto que acompanha o trabalho do senador Roberto Rocha e as ações que ele leva para todo o estado. Em dezembro de 2019, por meio de sua ação política, Roberto Rocha conseguiu a instalação de uma Superintendência Regional da Caixa Econômica na cidade de Imperatriz, que está beneficiando mais de 100 municípios da Região Tocantina.

“Estou muito confiante que vou conseguir esse pleito. O senador Roberto Rocha conhece Caxias e sabe do seu potencial de desenvolvimento. Precisamos de mais uma agência bancária para sanar o problema da superlotação que está causando muitos transtornos e problemas à população. Não faz sentido vincular Caxias a uma nova Superintendência situada em Imperatriz, local onde pouco os caxienses vão, e de quebra manter apenas uma agência em Caxias”.  explica o empresário e ex-prefeito da cidade.

Tudo que a esquerda fala se baseia em “democracia”, deixarei uma importante análise sobre a “facada democrática” que quase tirou Bolsonaro da disputa!

Confira no vídeo abaixo trechos da entrevista que pode levar o caso adiante elucidando um caso que estava esquecido, mas que veio a tona após saída de Ségio Moro do Ministério da Justiça. 

Uma das principais testemunhas do caso Adélio Bispo não foi sequer procurada pela Polícia Federal.

Por Paulo Eneas

Em uma entrevista na noite desse domingo (26/04) em seu canal no youtube, o jornalista Oswaldo Eustáquio conversou com Luciano Mergulhador, que teve contato direto com Adélio Bispo de Oliveira, o criminoso que tentou matar o então candidato Jair Bolsonaro em setembro de 2018.

PSOL confirma que suspeito de esfaquear Bolsonaro foi filiado ao partido, Leandro Prazeres do UOL, – em Brasília06/09/2018.

Luciano revelou que o próprio Adélio havia lhe afirmado da ligação estreita que existia entre o criminoso e o então deputado federal Jean Wyllys, do PSOL do Rio de Janeiro.

Luciano revelou também que nunca foi procurado pela Polícia Federal para tratar do caso, seja como testemunha ou como investigado, apesar de uma foto dele e do criminoso Adélio Bispo ter vindo a público a ter sido amplamente divulgada pela imprensa.

Se Luciano tivesse sido ouvido pela Polícia Federal e tivesse relatado a ligação entre Adélio Bispo e Jean Wyllys, as autoridades brasileiras poderiam ter impedido a fuga do ex-deputado psolista, que saiu do País no início do ano passado após ter renunciado a seu mandato. Diante dessa revelação, cabe ao ex-ministro Sérgio Moro e ao ex-diretor da Polícia Federal, Maurício Valeixo, explicar o porquê de tamanha negligência.

Tanto o ex-ministro quanto o ex-diretor terão oportunidade de dar estas explicações no âmbito da investigação aberta pela Procuradoria Geral da República, após as “denúncias” sem provas feitas por Sérgio Moro contra o Presidente Bolsonaro no dia em que o ex-ministro comunicou à imprensa, e não ao Presidente da República, sua decisão de abandonar o governo.

Confira no vídeo:

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) destacou, em vídeos, por meio de suas redes sociais, a aquisição de mais leitos de UTI e enfermarias, além de custeios do governo federal para hospitais da capital e do interior do Maranhão.

Em um dos vídeos, divulgado nesta segunda-feira, 27, o parlamentar maranhense destacou emenda de sua autoria para a aquisição de 50 novos leitos de UTI e 90 leitos de enfermaria para o Hospital Universitário Presidente Dutra, da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA), quantitativo que dobra a capacidade de atendimento do hospital. No mesmo vídeo, anunciou a aquisição de um hospital de campanha para a cidade de Caxias.

Confira:

Em outro vídeo, o senador comemorou a liberação de 14,6 milhões para instituições da capital e do interior, no combate ao COVID-19 no Maranhão. Os recursos são provenientes do Bloco de Custeio de Ações e Serviços Públicos de Saúde do Ministério da Saúde. O crédito, referente ao custeio de 90 dias, vem em parcela única e poderá ser utilizado, entre outras finalidades, para habilitação de leitos de UTI’s e custeio de serviços e ações, conforme regulamentado pela portaria N° 894/2020, publicada em Diário Oficial da União na última sexta-feira, 24.

Confira:

Confira, abaixo os hospitais que receberão recursos para custeio:

A prefeita de Vitória do Mearim, Dídima Coelho (PMDB), acaba de informar que seu marido, o Sr. Almir Coelho, também testou positivo para o Coronavírus. A informação foi publicada nas redes sociais da gestora.

“Infelizmente recebemos a notícia hoje (27) de que o meu marido, Almir Coêlho, testou positivo para a Covid-19. Além dele, mais dois casos foram confirmados, totalizando nove pessoas com o novo Coronavírus aqui em Vitória do Mearim”, declarou a gestora.

Almir, além de marido da prefeita é o chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal e promotor de Justiça aposentado.

Na cidade, nove pessoas já estão infectadas e outras 35 pessoas estão na condição de suspeitos.

Vejam a nota da prefeita:

As informações são do blog do Jailson Mendes

1 2 3 9