Monthly Archives: agosto, 2020

E a promessa da mudança Weverton Rocha?

Qualquer outro político poderia fazer aliança com o grupo Sarney, menos o PDT.

Traição histórica:

Jackson Lago e Brizola, que odiavam Sarney, devem estar se debatendo em seus heroicos túmulos.

Ninguém se engane, o PDT fez uma aliança com seu maior inimigo político, o grupo Sarney, que em 2007, retirou o governador Jackson Lago do governo através de um golpe (cassá-lo através do TSE), inclusive, o próprio Weverton Rocha, que, à época, estava em seu primeiro emprego como secretário  estadual da Juventude.

Confira o “maragato” em dois momentos:

Weverton Rocha, rindo da cara dos eleitores que o elegeram senador em 2018, na casa de Roseana Sarney, é hoje o maior interessado na aliança do PDT com o MDB, para emplacar o menudo de Flávio Dino, Neto Evangelista, atual secretário de Desenvolvimento Humano, que nunca desenvolveu nada, a não ser uma politicagem da pior espécie.

O pior inimigo é hoje aliado?

Weverto Rocha, apelidado de “maragato”, ou “maragatuno”, depois que foi eleito senador montado nas estruturas politicas do PDT, partido que teve maior expressão do Maranhão pelas oposições ao Sarney, tomado após a morte do ex-governador cassado Jackson Lago, fez uma aliança para continuar mandando na prefeitura de São Luís, com vistas a lançar candidatura a governador em 2022, com Roseana indicando o vice-governador, ou nome para o senado.

Os fins justificando os meios, deste forma que se faz “mudança no Maranhão”, se aliando com inimigos.

A “mudança” óóó!!!!

A palavra “traição”, muito em moda hoje nos blogues do comunismo e emissoras alugadas pelo esquema Dino-pedetista, deverá ter uma explicação para o texto a seguir, escrito pelo então deputado federal Weverton Rocha (PDT), marcado na foto de braços erguidos, punhos cerrados, como bom militante esquerdista, mas que deve ter se esquecido por completo seu slogan predileto: “é de lutas”?

Atraso que chama?

Eleições 2020: Agora lascou! Alguma surpresa ou dúvida do apoio do grupo Sarney ao candidato de Flávio Dino?

A notícia do dia: MDB de Roseana Sarney foi puxado pelo beiço pelos novos “donos do MA”, o PDT de Weverton Rocha está disposto a repetir o feito de 2016, e ganhar as eleições de 2020, com muitos derrames.

Mas lógico que Flávio Dino mantem conversas e negócios com o grupo Sarney, que até pouco tempo era chamado de “Oligarquia Sarney”,como se fossem grandes inimigos. O pior que teve incauto que acreditou na malandagem comunista.

Para garantir as eleições de 2020, e chegar nas eleições de 2022, os oligarcas são capazes de tudo na políticagem para não perder o controle da maquina.

Sem falar dos altos negócios, faturamento de emissoras pagas, sabe-se lá como, dos negócios rentáveis bancados pela maquina pública estatal, sob as garantias de um jogo político espúrio, com dobradinhas e casadinhas, nada democráticos, que traduzindo significa:

Duas oligarquias buscando o controle duma cidade explorando e atrasando nossa população por décadas, para renovarem-se às custas do sofrimento da população que não aguenta mais PDT-MDB-PCdoB.

Acorda povo!

 

Os acusadores do presidente estão cada vez mais perversos. A arma da esquerda é a língua afiada e nojenta…

O artigo de Antonio Prata, publicado na “Foice de São Paulo” neste sábado (29), acusando o governo Bolsonaro, é uma verdadeira confissão projetiva do que a própria esquerda é.

Jornal da Cidade Online

Vejam a ousadia do artigo sob o título: “Nazistas, assassinos, abusadores de crianças, corruptos, delinquentes e milicianos estão no poder.

Quando vi esse caso sabia que iam achar um jeito de acusar o presidente Bolsonaro, mas, não com essa perversidade:

“A cantora, deputada e pastora evangélica Flordelis não podia se separar do filho adotivo com quem havia se casado – ex-marido de uma de suas filhas também adotada – porque um divórcio escandalizaria a Deus: então, obviamente, decidiu matá-lo.

Com a ajuda dos filhos, claro.

Essa lógica tão cristalina quanto um bloco de granito é um resumo perfeito do bolsonarismo.”

O que o “Bolsonarismo” tem a ver com isso?

Ah sim, está se referindo a lógica da psicopata em questão, que usou a religião para enganar o povo, como deve ter aprendido com os políticos na condição de deputada.

Para entender o grau de insanidade, e para que o leitor não precise buscar a fonte e dar ibope, segue na íntegra a continuidade do artigo: “Nas eleições de 2018, Bolsonaro se apresentou como anti-establishment e antipolítico, embora tivesse passado as últimas três décadas bundando na Câmara dos Deputados.

Durante os anos em que bundou em Brasília, Bolsonaro mantinha um apartamento funcional, pago por nós, embora contasse com um imóvel próprio. Quando questionado, disse que o apartamento funcional, pago por nós, era ‘pra comer gente’.

E quem mama nas tetas do Estado, segundo ele e seu asseclas, é o coreógrafo, o ator de teatro, o aluno cotista, o pesquisador da Capes, do CNPq que contam, ou, em grande parte, contavam, com incentivos estatais.

Este velho político que usava o nosso dinheiro ‘pra comer gente’, que está no terceiro casamento, que elogia publicamente o músico espancador da namorada, coloca-se como ‘defensor da família’”. É uma defesa da família bem parecida com a da deputada Flordelis. Um duplo twist carpado na lógica já torta do Maluf, ‘estupra, mas não mata’: é o ‘mata, mas não desquita’.

Os cruzados da família não vão atrás do tio pedófilo que violentava a criança dos seis aos dez anos, vão atrás é da menina no hospital para fazer um aborto legal depois de ser engravidada pelo estuprador. A criança teve que entrar no hospital dentro do porta-malas de um carro, enquanto os defensores da família gritavam ‘assassina!’.

A neonazista Sara Winter (leiam o perfil na última Piauí) divulgou os dados da criança em suas redes, de forma a garantir que ela siga sendo para sempre abusada, agora não mais pelo tio, mas por todos os cidadãos e cidadãs ‘de bem’.” Aqui ele faz uma salada de acusações e interpretações conforme as próprias lentes. O que estava em questão no caso do apartamento, era o auxílio-moradia a que Bolsonaro tinha direito. Respondeu “pra comer gente” à uma pergunta idiota do repórter, que questiona de forma abusiva o que ele fazia com o dinheiro do auxílio já que ele possuía moradia.

As questões de quem mama ou não nas tetas do estado, só posso considerar que o autor tem um problema com desmame.

O músico foi elogiado por ser apoiador do presidente, e nada tem a ver com espancar mulher. Tinha que culpá-lo por isso também? Sobre o Bolsonaro estar no terceiro casamento, vejo aqui o preconceito do acusador.

Pois, ao que se sabe, ele nunca abandonou nenhum dos 05 filhos e tem um comportamento exemplar como pai. E para completar a salada de acusações, cita o caso da menina que sofreu um aborto encabeçado pelos fanáticos abortistas que querem impor a coisa certa a fazer, a única saída possível, que foi matar e arrancar a criança do ventre da criança mãe. São incapazes de entender que Sara e companhia queriam salvar as duas vidas.

E não distorçam os fatos: “assassinos” e “assassinas” eram todas as pessoas envolvidas no aborto, que na verdade, foi um assassinato.

O autor se esqueceu de atualizar os fatos. Onde está a menina depois do abuso e do aborto espetaculoso?

Está protegida de uma nova gravidez? Ou ela pode voltar a procurá-los caso engravide novamente?

Por que não se preocupam com as milhares de crianças que sofrem abusos diariamente?

Continuo a discorrer sobre o artigo, para ficar claro as divagações, inferências e delírios:

“’Brasil acima de tudo, Deus acima de todos’. Quando eu ouvi pela primeira vez o slogan inconstitucional com que Bolsonaro batizou nosso Estado laico, lamentei profundamente. Hoje em dia, diante da demolição moral, institucional, ambiental, enfim, da implosão civilizacional a que estamos assistindo, lamento profundamente é que não tenhamos no lugar deste herege um presidente um presidente ‘profundamente evangélico’.

” A incoerência gritante ao dizer que lamentou profundamente o slogan do presidente por falar de Deus?

E a seguir diz que preferiria um presidente “profundamente evangélico a um herege”?

Aqui a projeção ficou clara: após ler a bíblia “de cabo a rabo” e não encontrou em Mateus 7:1-3, a advertência: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.”

Leia o que escreveu e me diga que é o herege? “Ao contrário do presidente, que não leu sequer a bula da cloroquina, li a Bíblia de cabo a rabo. Não encontrei nos Evangelhos um versículo sequer que justifique ter como braço direito da família um miliciano assassino suspeito de organizar rachadinhas no gabinete do filho e repassar dinheiro para a mulher do pai.

Tampouco encontrei nos Evangelhos —o Velho Testamento é outra coisa, ali El Shadai bota pra quebrar— nada que embase o extermínio de 30 mil ímpios. Porrada na boca. Rato na vagina. (Uma tara do ídolo do Bolsonaro, Brilhante Ustra). Jesus fez-se conhecido principalmente por curar doentes.

Não por dar as costas a leprosos dizendo que era ‘só uma micosezinha’ e deixar morrer 120 mil em poucos meses. Jesus sacrificou-se para salvar a humanidade. Bolsonaro sacrifica a humanidade para salvar o próprio rabo. Não é um bundão, é um serial killer. Quando a crise econômica bater feio, ele dirá como Pôncio Pilatos, algoz de Cristo: ‘Lavo minhas mãos’. As mãos de Pilatos estão sujas até hoje, 2020 anos depois.

Nazistas, assassinos, abusadores de crianças, corruptos, delinquentes e milicianos estão no poder, hoje, no Brasil, em nome da família, de Deus e da liberdade. Amém.

” O presidente Bolsonaro quando se refere ao coronel Brilhante Ustra, diz respeito a atos promovidos contra terroristas e também por ele ser declaradamente anticomunista.

Sobre ratos e vaginas, não há registros de que isso tenha acontecido. Deveria o autor estudar melhor a bíblia e descobrir que Jesus era amigo de pecadores. Ele muitas vezes atraia a ira dos escribas e fariseus por comer com pecadores (Lucas 15.2). Conviver com os pecadores não tornava Jesus um pecador.

E, além disso, há registro sobre a análise da personalidade dos discípulos de Cristo, indicando que a muitos deles eram desequilibrados, o que faz sentido, pois, tinha que haver uma conversão.

E assim podemos validar a frase de Oscar Wilde: “Todo santo tem passado. Todo pecador tem um futuro”. Culpar o presidente pelas mortes é o maior indicador de mau-caratismo de todos os que se atrevem.

Querem com isso encobrir as intenções assassinas da oposição. Foram capazes de impedir o uso de um remédio só para não dar mérito ao presidente. De todas as acusações aqui contidas, essa é a mais estapafúrdia.

Mas, o “covidão” deixará claro quem são os verdadeiros genocidas. Jesus nunca falou que curou doentes, e sim: “E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.” Lucas 17:19. Bolsonaro não tem poder de salvar ninguém. Só faz o melhor que pode. Erra ao dar munição para os urubus de plantão, quando responde de forma reativa.

Mas, mais de 57 milhões de pessoas conseguem ver além das palavras dele. Tem o privilégio de ser amado pelo povo, apesar das imperfeições. Definitivamente, não são os defeitos que incomodam a oposição e sim a dificuldade em aceitar o seu sucesso. Bolsonaro em sua ingenuidade, repetiu palavras do médico aclamado pela esquerda, Dr. Drauzio Varella, sobre a tal “gripezinha”.

Deveria ser processado por ter-lhe roubado os direitos autorais da palavra. Deve o presidente, depois de ler o artigo do sr. Prata, processá-lo sem dó e nem piedade. Pois não há sequer um só condenado no governo Bolsonaro.

Portanto, todas as acusações de: “Nazistas, assassinos, abusadores de crianças, corruptos, delinquentes e milicianos” são falsas. E se por ventura alguém da família for condenado por “rachadinha”, a julgar pelos valores divulgados, seria o equivalente ao dinheiro da pinga do outro presidente, bandido de estimação da esquerda. Esse sim, julgado e condenado. O autor desse artigo escreveu um livro sobre memórias de infância.

Fez uma regressão aos fatos marcantes da sua vida. Esclareceu que o fez com os olhos da criança, mas, deixou escapar episódios de preconceitos, que não é comum na criança, e, ao invés de re-significar os fatos, opta por interpretar os personagens atribuindo-lhes as coisas feias e más.

Portanto, esse ódio devotado ao Presidente Bolsonaro, neste e em outros artigos, encontra referência em suas vivências e experiências passadas. Daí a projeção. Quem projeta confessa seus traumas, sem querer.

Um dos efeitos colaterais do ódio é que afeta quem o sente. Um dos sintomas é a necessidade de manter o ódio como combustível, para sustentar a narrativa de que há um inimigo a ser combatido para que se restabeleça a ordem. Este homem tem a mesma doença do seu colega jornalista, que escreveu que a morte do presidente resolveria todos os males do Brasil. Está clara a insanidade dessa gente?

O futuro da humanidade depende de pessoas honestas, autênticas, capazes de respeitar hierarquias. Pessoas que não necessitam destruir ninguém para sentir-se melhor.

Com esse texto entendi porque os oposicionistas esquerdistas não precisam de armas. Matam com suas línguas afiadas e longilíneas, de poderoso alcance.

O desafio está em resistir com a verdade.

O caso Flordeliz pode ser usado para tirar boas lições.

Antes de tudo, é preciso buscar referências boas para podermos falar de pessoas. O caso da deputada Flordelis, por ser religiosa, ter perfil CONSERVADOR, ganhou facilmente as vitrines das redes sociais. O fato é que a imprensa-militante está explorando ao máximo os escândalos dos cristãos.

Lições das pedras.

A primeira que, todos têm potencial para praticar o mal: matar, roubar e destruir.

A segunda que, ser cristão depois das eleições de 2018, vitória de Bolsonaro, é desafiar a si mesmo e desagradar a muitos.

A terceira, podendo ter seu nome exposto de forma negativa em postagens nas redes sociais por ser membro de uma igreja, como fizeram com a ministra Damares.

A lista é grande, poderia citar outros religiosos que levaram pedradas, como na foto abaixo, enviada por uma amiga da igreja evangélica, mostrando exemplos de pessoas com suas lições. Mas vamos nos deter na religiosidade cristã.

Religião está deixando de  ser respeitada como escolha pessoal e íntima.  No detalhe da foto, gente que errou e levou pedradas nas mídias.

Capa de blogues e sites “progressistas”, o perfil social da ‘pastora’ Flordelis, acusada de ser mandante do assassinato de seu esposo, foi elevada rapidamente à categoria de um monstro, coisa que tentaram sem sucesso até poucos dias atrás, perseguindo outra pastora evangélica, a ministra Damares Alves, constantemente perseguida, e que foi ridicularizada por falar numa cerimônia cristã (num culto duma igreja) sobre sua triste experiencia na infância (abusos sexuais).

Confesso que tomei ânimo de falar de minha vida após ter visto noutras pessoas referenciais que nunca antes tinha encontrado no meio político.

Falo de vida autêntica, virtudes, transparência e desejo de ajudar ao próximo.

Já errei muito, deixei coisas que me entristeciam e dominavam, como o uso excessivo de álcool e drogas (fármacos), enfim, levei muitas pedradas, mas com ajuda de pessoas amáveis fui recuperado, e hoje estou bem com a vida, em paz comigo, com todos.

Vez por outra surgem pedradas, mas Cristo é minha rocha, meu escudo, não temo.

Pelo exemplo de vidas, entendi que precisamos estender as mãos e não atirar pedras. “Amai-vos como vos amei”, disse o salvador, Jesus Cristo.

Ainda têm os que criticam o dízimo, mas fazem coisas bem piores, posso citar, por exemplo, os gastos com bebidas, cigarros, noitadas, buscas por diversões, e outras coisas muito na moda, que custam caro, mas ninguém reclama do preço.

Se o seu dinheiro está sendo gasto nas bocas de fumo, digo sem pestanejar que, as pedras voltarão contra sua vida, cedo ou tarde.

É bem verdade que no pós-pandemia, neste mundo apressado, de buscas desesperadamente por atenção, vivemos pandemônios diários e ansiedades escomunais, o mundo vive tropeçando e caindo.

Fiquem alertas, quem vacilar ou cair, poderá levar pedradas. Precisamos de mãos estendidas.

Para finalizar, digo aos que gostam de atirar pedras: ainda existem boas referências. A fonte não é religião. A fonte é Cristo, que enche os corações.

Existe em nós espaços para a humildade, bondade, amor ao próximo?

Virtudes, bondade e misericórdia, podem até ser palavrinhas fora de moda, mas fazem uma grande diferença.

Se todos erram, busquemos referências boas, de pessoas que estendam as mãos, ajudam e amam. Apenas desta forma poderemos falar o que é igreja, e da religião verdadeira, aquela que tem como referência, o Senhor Jesus Cristo.

Capitalismo selvagem, roubos e exploração dos pobres no Maranhão?

Se os fatos se confirmarem, essa será outra história de ex-juiz federal, que virou governador, que pode estar todo enrolado em escândalos de desvios de dinheiro público.

Se (apenas se) o MP e Justiça do Maranhão tiverem interesse (até agora parecem cegos, mudos e surdos) de passar essa história a limpo, a população poderá saber: quanto custou e quem pagou para que uma Revista que é composta de jornalistas ‘anti-Bolsonaros’, vivem tecendo elogios ao governador comunista do Maranhão, ex-juiz Flávio Dino, que lançou-se pré-candidato a presidente do Brasil e vive aparecendo nas mídias nacionais como se fosse “o melhor governador do Brasil”.

Revista capitalista selvagem, conforme imagem, teria recebido quase um milhão para atacar Bolsonaro e elogiar ex-juiz federal em seu palanque, conforme trechos da Revista no final desta postagem.

Por hora, a imprensa militante nada falou ou questionou, mas o assunto promete render, devido a gravidade dos fatos que, entre outras coisas mostram, que dinheiro público (quase um milhão) foi repassado da secretaria estadual de Educação para um órgão da Imprensa militante (Revista Carta Capital) que em sua capa mostra Flávio Dino num palanque eleitoral como sendo “uma brutal diferença do Nordeste civilizado, consciente, e o centro do poder”.

Quase um milhão tirado dos pobres para pagar mídia esquerdista, seria apenas a ponta do iceberg?

Novamente torno a dizer, se (apenas se), o MP e Justiça do Maranhão, tiverem interesse de passar a limpo essa triste história, a população do Maranhão (e Brasil) poderão saber outras coisas cabeludas de um ex-juiz federal.

Como fez o governador do RJ (ex-juiz federal) o governador do Maranhão (também ex-juiz federal) que se acham acima de tudo e podem tudo, podem ter feito coisas terríveis que podem estar encobertas pelas capas da impunidade. é preciso rigor e coragem para ir adiante. O povo pobre e explorado do Maranhão, que foi enganado pela promessa de “mudança” precisa saber.

Estão de parabéns aos jornalistas maranhenses, Luis Cardoso e Linhares Júnior, que reviraram até encontra aquilo que pode ser “a ponta do iceberg”.

Vitimismo e imprensa militante:

Abaixo, a peça publicitária feita pela Revista Carta Capital (capitalismo com dinheiro dos estudantes pobres ?) para promover a imagem do governador comunista num palanque eleitoral, usando o vitimismo esdruxulo de que teria sido atacado pelo presidente “boçal”.

A prefeita Dídima Coelho lidera com folga a mais recente pesquisa sobre as eleições de 2020 no município de Vitória do Mearim. É o que mostra levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisas Atitude, no período de 24 a 28 de agosto.

De acordo com o levantamento, no cenário estimulado, a prefeita Dídima Coelho desponta com 29% das intenções de voto. Em segundo lugar, Dóris Rios aparece com 23%.

Em terceiro vem Nato da Nordestina com 14%, seguido de Dr. Washington com 4%, Pastor Pedro Lindoso com 3%, Salma com 2% e Zé Mário com 1%. ‘Não sabe/não respondeu’: 24%.

Este é o resultada da pesquisa divulgada nesta sexta-feira (28), e registrada no TSE sob o número MA 08750/2020.

Num cenário espontâneo, Dídima aparece em primeiro lugar, com 21% das intenções de voto, e Doris vem em segundo, com 15% das intenções.

Nesta pesquisa quantitativa (espontânea), Nato tem 6%. Em seguida, aparecem empatados Dr. Washington e Carlos Ribeiro com 1%. ‘Não sabe/não respondeu’: 56%.

A pesquisa, realizada com 304 entrevistas, tem margem de erro máxima total de 5,6 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando-se um nível de confiança de 95%.

O Instituto de Pesquisas Attitude, renomado e reconhecido nacionalmente, tendo como clientes no Maranhão a Vale, Grupo Mateus, Fecomércio, Ibope, UFMA, Google e outros, também realizou esta recente pesquisa, na cidade de Vitória do Mearim, aferindo o impacto da pandemia do novo coronavírus junto à população.

ÍNDICE DE APROVAÇÃO

Ainda de acordo com a pesquisa, 79% da população aprova a administração da prefeita Dídima Coelho, 8% desaprova e 13% não soube responder.

Sobre a pergunta como o entrevistado a avalia a maneira como a prefeita Dídima vem combatendo o novo coronavírus, eis as respostas: ótima 53%, boa 19%, regular 10%, ruim 8%, péssima 4% e não sabe/ não respondeu 6%.

Na pesquisa estimulada sobre quais os políticos que tem mais influência no município de Vitória do Mearim, eis o resultado: Lula/Haddad 47%, Flávio Dino 19%, Jair Bolsonaro 12%, Roberto Rocha 8%, Roseana Sarney 3% e não soube/ não respondeu 1%.

Turma de Flávio Dino saindo em defesa de Wellington?

Na imagem do dia, o projeto pessoal de um político, contra o projeto de um grupo que luta para combater o comunismo na capital do Maranhão.

Blogues alinhados ao projeto pessoal Dinista, que sempre bateram em Wellington, saindo em sua defesa?

Lógico que a turma de Flávio Dino, sua mídia, claramente se aproveita da situação para tentar desgastar a imagem da oposição ao esquema Dino-pedetista.

Nas redes sociais, o deputado Wellington do Curso recorreu às postagens dos blogues do esquema comunista para tentar justificar-se diante da negativa ao seu projeto pessoal.

Infelizmente, Wellington do Curso demostra, de forma indireta, que se rendeu à vontade de Flávio Dino, que é impedir a oposição de vencer em São Luís.

 

 

 

O jogo segue:

Roberto Rocha jogou os Dino-pedetitas pro escanteio,  e deu cartão vermelho para Flávio Dino. Chega!

Após o PSDB ter anunciado chapa fechada com o Podemos de Eduardo Braide, em São Luís e Imperatriz, o senador Roberto Rocha usou as redes sociais para mandar um recado aos que queriam intrigar o campo político das oposições unidas contra o líder do comunismo no Maranhão, Flávio Dino, que tenta emplacar seu consórcio de pré-candidatos.

É engraçado, os comunistas querem a qualquer custo levar a eleição em São Luís para o segundo turno. E lá, juntar o governo do estado e a prefeitura para tentar nos esmagar.

Para isso promovem uma enorme divisão com inúmeros candidatos formando um verdadeiro consórcio. Todos estão vendo.

É um direito do governador jogar no gol, na ponta direita, na ponta esquerda, ou até não jogar. Mas ele não tem o direito de querer ser o dono do campo e da bola. Muito menos ainda querer ser o juiz do jogo.

Ele pode fazer o que quiser, mas no campo político dele.

No nosso campo político ele não joga, nem escala nosso time, senão pega cartão vermelho.

 

São Luís- o presidente do PSDB de São Luís, Roberto Rocha Jr., acabou de anunciar a estratégia do partido.

Verticalização:

Rocha Jr garantiu que a composição anunciada, ainda no ano de 2018, com o Podemos do deputado federal Eduardo Braide, deverá seguir uma orientação  nacional entre as duas legendas, que estão casadas, 2018-2020.

Em sua explanação, Rocha Jr disse que as pesquisas favoráveis a Braide foram decisivas para o fechamento da chapa com o Podemos, que esperava por essa decisão para fechar outras chapas como na capital de São Paulo, e Imperatriz-MA.

Moradores disseram ao representante do governo federal que muita gente que não deveria ter recebido os apartamentos, além dos problemas estruturais nos apartamentos, com os esgotos, e água.

No detalhe da foto, o representante da construtora foi chamado ao local e se comprometeu em fazer os reparos no condomínio e nos apartamentos.

Populares denunciaram ao ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que esteve em São Luís para visitar um condomínio feito para moradores de palafitas, que moravam na maré (Ilhinha-São Francisco), que outras pessoas estavam recebendo os apartamentos entregues no início deste mês, pela Secid-Secretaria Estadual das Cidades.

1 2 3 8