Monthly Archives: fevereiro, 2020

Operação abafa sobre os números vergonhosos da pobreza?
Enxurrada de notícias sobre casos de coronavírus teve efeito de retardar da população os números vergonhosos da pobreza mostrados pelo PNAD.
Inédito isso, aliás, muito estranho que o governo que sempre tenta esconder, a exemplo dos casos de meningite registrados, esteja agora, “noticiando” com toda intensidade, os casos de coronavírus no Maranhão.

 Charge de Flávio Dino divulgada nas redes.

Dados do Pnad caíram como uma bomba no Kremlin da Pedro II, justamente quando o governador comunista tenta se impor ao resto do Brasil, com criticas constante ao governo federal, mesmo cobrando uma carga gigantesca de impostos que rendem bilhões, mas que ninguém sabe onde Flávio Dino enfia tamanha bolada.
A pobreza que o comunismo tentou “maquiar” apareceu em números vergonhosos, diferente da falácia comunista, o Maranhão permanece no último lugar em tudo.
Os números da pobreza no Maranhão, mostrados pelo IBGE, foram combatidos com uma verdadeira avalanche de notícias sobre os casos de corona vírus em hospitais da capital, pela imprensa comunista.
Não teve como esconder os dados do Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgados pelo IBGE, nessa sexta-feira 28, contraposta por uma verdadeira enxurrada de notícias sobre casos de Coronavirus, que colocou a população apavorada, e contribuindo para desviar as verdades gritantes de outra pesquisa sobre a pobreza extrema no Maranhão.

Cobranças e troca de farpas na coligação de Braide…

Aliados dos vereadores do PHS não escondem de ninguém toda antipatia aos novos aliados de Braide, “a conversa era que tudo seria feito às claras, não desta forma, longe de nossa presença”.

Vereadores do PHS, Edson Gaguinho e Sá Marques, poderão deixar coligação de Braide, e pular para governo. Bastidores da disputa municipal, gente que esteve desde o início da formação da coligação de Braide afirmam, que o vereador Gaguinho já teria “calado”, e ficado para trás, enquanto Sá Marques, estaria quase sem voz, no meio político do Podemos.

Embates políticos, Gaguinho calou, Sá Marques ainda fala…

Aliados do pré-candidato a prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), reclamam da “intromissão” de “novos aliados”, gente que se achegou apenas no “último instante” na coligação, o que teria causado um clima de “ciumeiras” na base do Podemos.

Outra coisa que irritou os aliados do Podemos, teria sido a passividade em relação aos embates políticos e enfrentamento diários dos vereadores que compõem sua base eleitoral na capital.

A gota d’água teria sido a falta de solidariedade do prefeitável na Câmara federal, em Brasília, que, esqueceu de mencionar os problemas da prefeitura de São Luís, durante a movimentação de vereadores na porta da Prefeitura, em que o vereador Sá Marques reivindicava obras para a capital.

Aliados do vereador Gaguinho não escondem de ninguém sua antipatia aos novos aliados de Braide, “a conversa era que tudo seria feito às claras, não desta forma, longe de nossa presença”.

Os vereadores que compõem a “bancada” do Podemos, e portanto, aliados de primeira hora de Eduardo Braide, que foram “rifados”, ficando “de fora” de algumas obras que beneficiariam suas bases, estariam dendo orientadas a serem feitas apenas em bairros dos vereadores da legenda do prefeito.

Notícias retiradas das redes sociais mostraram os embates pelo municipio de São Luís.

Diante da celeuma e clima de ciúmes, aliados contam que estão sendo convidados pelos próprios comunistas, mas negam que estejam de saída, e não escondem que poderão mudar para outras coligações, caso o Podemos continue se abrindo demais para “novatos” e esquecendo os aliados de sempre.

Em recente visita à Universidade Federal do Maranhão, ocorrida nesta sexta-feira, 28, o senador Roberto Rocha assegurou o seu empenho para garantir recursos que possibilitem a conclusão da obra da Biblioteca Central da Universidade.

Iniciada durante uma gestão anterior do professor Natalino Salgado, como reitor da UFMA, a obra está parada há quatro anos.

A obra de conclusão, de acordo com o senador, também será uma obra de modernização da biblioteca, com a aquisição modernos aparelhamentos, com sala de videoconferência, auditório, anfiteatro e equipamentos tecnológicos que possibilitem uma evolução para biblioteca digital.

Segundo Roberto Rocha os recursos para a obra poderão vir do Ministério da Educação. “Só vamos aguardar o orçamento da união abrir para buscar recursos que venham finalizar esse importante obra”, garantiu o senador, que além da visita a Biblioteca central, também esteve reunido com pró-reitores, assessores e representantes dos Campi dos municípios.

De acordo com o reitor Natalino Salgado, a visita do senador Roberto Rocha a UFMA foi muito proveitosa.

“Temos recebido parlamentares em nossa Cidade Universitária, mas o senador Roberto Rocha tradicionalmente, no exercício do seu mandato, muito tem ajudado a nossa universidade. Expusemos nossas demandas ao senador, visitamos instalações importantes, entre elas o prédio da Biblioteca Central, sobre o qual ele ficou sensibilizado”, declarou o reitor.

De acordo com reitor, quase 100% da estrutura da Biblioteca está pronta, falta pouco para o acabamento. Segundo levantamento feito na obra, com cerca de seis milhões de reais a obra poderá ser concluída.

Programa Ação Federal acontece nesta segunda em Chapadinha.

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa-MA) realizará, nesta segunda, 02, a 4°edição do Programa “Ação Federal” na Região dos Cocais.

O evento acontece no município de Chapadinha, no Auditório da Faculdade do Baixo Parnaíba (FAB), a partir das 8 horas.

 Idealizado pelo senador Roberto Rocha e pela Superintendente da Funasa no Maranhão, Maura Jorge, o programa “Ação Federal”  tem como objetivo aproximar a Funasa e os demais órgãos federais dos problemas existentes nos municípios, debater com as comunidades locais e levar os benefícios diretamente aos cidadãos, mudando, assim a realidade do povo maranhense.

“Por meio do programa Ação Federal, podemos conhecer e conversar pessoalmente com a população sobre os problemas de seus municípios e, deste modo, levar os benefícios que cada órgão pode oferecer diretamente ao cidadão maranhense”, disse Roberto Rocha.

Esta edição conta com o apoio da Prefeitura de Chapadinha e vai ter a presença de representantes de vários municípios da região dos Cocais. Além do senador Roberto Rocha, o evento terá a participação dos órgãos federais Funasa, CODEVASF, Conab, superintendência Regional do Trabalho, INCRA, INSS e Caixa Econômica Federal.

A intenção era “lacrar” mas a “ofensa” tronou-se honra.

Parece que não adiantou gastar milhões dos pobres para alegorias de carnavais. Abaixo, trecho do Jornal Correio Brasiliense sobre homenagem do palhaço Bozo.

Palhaço Bozo diz a Bolsonaro que esquerda o elogia quando compara os dois

Em vídeo compartilhado pelo presidente, o ator que interpreta o personagem afirma que apelido deve ser motivo de orgulho.

“Resolvi gravar esse vídeo por causa dessas coisas que estão acontecendo nesse carnaval e já há muito tempo, que as pessoas vêm chamando o presidente da República de palhaço Bozo. Eu sou o primeiro palhaço Bozo do Brasil, fiz todo aquele sucesso nos anos 80, conquistei cinco troféus imprensa, conquistei três discos de ouro e três de platina. Fui embaixador da Boa Vontade da Unesco nos EUA. O meu nome foi parar na calçada da fama, em Los Angeles, porque fui considerado o maior palhaço do mundo. Não foi o maior palhaço de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo. Não, foi o maior palhaço do mundo. Eu fui o maior palhaço do mundo. Portanto, a esquerda está elogiando o nosso presidente quando chamam ele de Bozo, porque o Bozo conquistou uma legião de amigos”, apontou.

Vídeo:

 

Criaram uma constituição Frankenstein, na qual o presidente, que é responsável pelo governo, não tem os poderes para governar; quem tem esses poderes é o Congresso, que não tem a responsabilidade de governar.

“Há no Congresso uma minoria que se preocupa e trabalha pelo país, mas há uma maioria de uns 300 picaretas que defendem apenas seus próprios interesses.”

A constatação é de 1993, do presidente do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, depois de ter sido, por quatro anos, deputado constituinte. Dois anos depois, a constatação virava música dos Paralamas do Sucesso: “Luiz Inácio avisou, Luiz Inácio avisou/São trezentos picaretas com anel de doutor”.

O tempo passou, a prática continuou, e, em fevereiro de 2015, foi o ministro da Educação de Dilma, Cid Gomes, que avisou: “Tem lá uns 400, 300 deputados que, quanto pior, melhor pra eles, que querem que o governo esteja frágil, porque é a forma de eles achacarem mais, tomarem mais, tirarem mais dele e aprovarem suas emendas impositivas.”

Semana passada foi a vez de um ministro de Bolsonaro, general Augusto Heleno, dar o aviso. Não o fez em público, mas numa queixa privada, para o ministro Paulo Guedes, captada por um microfone indiscreto: “Não podemos aceitar esses caras chantageando a gente o tempo todo. F…-se.” Mais tarde, em nota, o ministro da Segurança Institucional acrescentou: “Isso prejudica o Executivo e contraria os preceitos de um regime presidencialista. Se desejam o parlamentarismo, mudem a Constituição.”

A Constituição de 1988 é a origem disso. Logo que foi promulgada, entrevistei o presidente José Sarney na TV e ele disse: “Esta Constituição torna o país ingovernável”. Em 2014, com 28 anos de observação, Sarney, que viveu a maior parte da carreira política no parlamento, acrescentou: “A compulsão de expandir poderes torna o país ingovernável. O parlamento desmoralizou-se, instituiu práticas condenáveis.”

Eu cobri a Constituinte e sei como aconteceu. Estavam fazendo uma constituição parlamentar e o presidente Sarney se mobilizou contra. De consolo, fizeram uma emenda presidencial, dando ao presidente a medida provisória. E criaram uma constituição Frankenstein, na qual o presidente, que é responsável pelo governo, não tem os poderes para governar; quem tem esses poderes é o Congresso, que não tem a responsabilidade de governar.

O resultado é que, para governar, os presidentes se entregaram aos partidos, cedendo ministérios e estatais, o que gerou a maior corrupção institucionalizada. Chamou-se isso de “presidencialismo de coalizão” — um eufemismo para esse “Frankenstein”.

O atual governo interrompeu o acesso do monstro e afetou as “práticas condenáveis” e “os próprios interesses”, aplicando a separação de poderes, prevista na Constituição. A situação foi agravada com as emendas impositivas — dê o dinheiro aos deputados, ainda que falte para quem tem o ônus de cobrar os impostos e governar.

E agora articulam a derrubada de um veto do presidente para usar mais R$ 30 bilhões em ano de eleição municipal.

O cinegrafista Gilson Cardoso Rodrigues, de 42 anos, morreu na noite de terça-feira (25), vítima de ataque cardíaco, na Praça Maria Aragão, quando fazia a cobertura da última noite do Carnaval de São Luís pela TV Assembleia.

Ele acompanhava a jornalista Milena Dutra, quando passou mal. A equipe do SAMU foi acionada e, imediatamente, prestou atendimento emergencial ao cinegrafista, que veio a óbito apesar das várias tentativas de reanimação.

Gilson Cardoso Rodrigues era sobrinho do também jornalista José Ribamar Cardoso, do jornal O Estado do Maranhão, e morava no Bairro de Fátima. Começou a trabalhar na Assembleia Legislativa ainda muito jovem, como office boy. Em 2011, passou a fazer parte do quadro da TV Assembleia como auxiliar de cinegrafista e, em seguida, dedicando-se à função em que atuava.

Muito comprometido e extremamente preocupado, destacava-se pela capacidade e habilidade com a sua profissão. Isso fez com que conquistasse muito respeito dos colegas e, também, por parte dos parlamentares da Casa.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto, e o diretor de Comunicação, Edwin Jinkings, lamentaram, em notas de pesar, o falecimento precoce do cinegrafista. Abaixo as notas:

NOTA DE PESAR

É com muito pesar que recebemos a notícia do falecimento do cinegrafista Gilson Cardoso Rodrigues, 42 anos, na noite desta terça-feira (25), vítima de ataque cardíaco, no exercício da profissão, enquanto cobria o último dia de Carnaval em São Luís pela TV Assembleia.

Gilson era um profissional competente, extremamente dedicado e que deixa agora uma grande lacuna na Comunicação maranhense.

Neste momento de pesar, a Assembleia Legislativa solidariza-se com os familiares e amigos de Gilson, rogando a Deus o conforto para suportar a profunda dor da perda de uma pessoa tão querida.

Deputado Othelino Neto,

Presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão.

NOTA DE PESAR DA DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO

Lamentamos profundamente a morte súbita do cinegrafista Gilson Cardoso Rodrigues, ocorrida na noite desta terça-feira (25), na Praça Maria Aragão, quando fazia a cobertura do último dia de Carnaval em São Luís.

Gilson Cardoso deixou um legado no jornalismo maranhense, sendo reconhecido como um profissional extremamente dedicado, competente e que conquistou o respeito dos colegas com quem dividiu espaço no Legislativo e na Comunicação do Maranhão.

Perdemos um grande profissional e companheiro. A Comunicação está de luto. Neste momento de dor, solidarizamo-nos também com seus familiares e amigos por sua partida inesperada.

Edwin Jinkings

Diretor de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão

A Prefeitura de São José de Ribamar deu início no último sábado (22) às festividades carnavalescas em todo o município. A festa, que acontece até o dia 25 de fevereiro, tem como foco a valorização aos artistas e bandas locais e ainda a garantia da segurança com o apoio da Polícia Militar do Maranhão e do Governo do Estado.

Eudes Sampaio em visita aos circuitos

Nos dois primeiros dias de festança, os circuitos na Sede, Vilas, Parque Vitória, Vilas e Mata, foram palcos de muita alegria com a presença marcante do público mesmo com chuva torrencial, como foi o caso do primeiro dia.

E como a marca do Carnaval este ano é a “Valorização, Alegria e Segurança”, os circuitos estão todos preparados com estrutura de som e palco, presença efetiva das forças de segurança e com uma programação de peso para levantar os brincantes em todos os ritmos.

Além dos 11 circuitos oficiais, a Prefeitura garantiu o apoio às festas carnavalescas nos bairros Laranjal, São José dos Índios, Quinta, Miritiua, Cidade Alta, Alto do Turu e Ubatuba. Os reforços para a garantia da saúde dos foliões durante as festividades também foram providenciados.

Além do efetivo médico de prontidão no Hospital Municipal, o Centro de Saúde Honório Gomes funcionará normalmente das 13h às 22h e a Barraca da Saúde localizada na Avenida Gonçalves Dias prestará atendimentos aos foliões que necessitarem.

Público lota o circuito do Parque Vitória

Já no domingo (23), o prefeito Eudes Sampaio fez questão de prestigiar alguns dos 11 circuitos oficiais. Ele esteve na Matinha, Maiobinha, Parque Jair e Parque Vitória. Em todos, ele constatou a alegria da população, que lotou os espaços.

“Tem sido uma grande festa. Só tenho a agradecer ao nosso povo que reconhece o esforço que estamos fazendo para manter a tradição do nosso carnaval viva. Fizemos um planejamento para que isso acontecesse e aqui estamos vendo o resultado: alegria, segurança e valorização”, comentou o prefeito, durante visita ao circuito da Matinha.

Maranhão nas cinzas:

Dino pode fazer “convites”?

Sabem o governador comunista que pagou a imprensa do Brasil para aparecer na mídia, mas virou picolé?  Pois é, Flávio Dino, que nem de longe respeita as leis e Constituição, montou um bloco, ao lado de senadores e deputados (marionetes) nesta última terça-feira de carnaval para dizer que o presidente não cumpre as leis, e, pasmem, deve ser afastado.

Dino critica Bolsonaro daquilo que faz pior!

Vale lembrar que foi do governador comunista, o célebre convite para que autoridades fossem visitar o presidiário Lula e fez intermináveis campanhas do “Lula Livre”. Sem falar do comício fora de época usando as estruturas do palácio.

Governador comunista que fez comício pra Lula usando estruturas do governo, que achou normal que estruturas fossem derramadas durante evento contra o “contingenciamento de verbas da educação”, que entre outras coisas, achou normal, no uso do cargo, fazer campanhas políticas, despejar asfaltos, etc, é o meso que usa a Constituição para acusar Bolsonaro, daquilo que ele, como ex-juiz federal, nunca foi capaz de seguir.

Segundo Dino, Bolsonaro usando o cargo de chefe do Executivo, não pode fazer “convite” nas redes sociais para evento no próximo dia 15.

Ora, Flávio Dino e seus marionetes lá tem moral para acusar alguém?

Basta entrar nas redes sociais de Flávio Dino para ver como esse mesmo “chefe do Executivo” estadual vive fazendo alusão a convites para eventos contra Bolsonaro.

Essa alma quer reza ou votos para seu “Movimento 65”? Sobre as fotos postadas por Flávio Dino visitando igrejas…

Na atualidade existe muita critica sobre a questão das festas populares serem financiadas por dinheiro público, que deveria ser investido em saúde, educação e segurança. Há também a desconfiança, e postura de segurança dos crentes fervorosos, que não se deixam confundir pela politicagem.

Comunistas tirando onda de “crentes” em retiros financiados pelos cofres públicos?

Ainda na igreja cristã, existem os crentes fervorosos que observam com desconfiança quando políticos visitam suas igrejas com meras intenções politiqueiras.

Foto de pré-candidatos em retiros da igreja evangélica rendeu criticas à senadora cristã:

Até o Duarte Jr, que responde na Justiça por “abuso eleitoral” postou sua foto rezando ao lado de Flávio Dino e toda trupe comunista.

“Movimento 65” entrando sorrateiramente nas igrejas? 

Nas redes sociais, o próprio governador comunista, que deverá deixar até as eleições de 2020 os símbolos do comunismo “foice e martelo”, a cor vermelha de seu partido, e usar as cores verde e amarelo com o nome de “Movimento 65”, já se prepara para tentar agir no meio cristão.

Não é de agora que a tentativa de misturar fé com politica ou negócios traz um clima de desconfiança no meio cristão. Desta feita, pegou mal para a senadora da Igreja Assembleia de Deus.

A ideia de “trinta moedas” sempre é sugerida nas redes sociais, aos “vendelhões da fé”, pastores e lideranças cristãs que mercadejam seus rebanhos em troca de benefícios de políticos.

Sobre os “retiros culturais”, não é a primeira vez que o governo do Maranhão financia os eventos da igreja, vem dos tempos da governadora Roseana Sarney, a mesma que Flávio Dino criticava, e prometia fazer diferente.

Torcemos para que não seja o caso da senadora da Igreja Assembleia de Deus, que não esteja, a exemplo de Judas, o discípulo traidor que beijou Jesus Cristo enquanto  vendia por 30 moedas por politicagens.

Ainda sobre os retiros culturais, sua gravidade perante as leis eleitorais, o blogueiro César Bello escreveu o seguinte em 2012:

 

1 2 3 6