Covid-19: relato dramático de um pai que está há 11 dias lutando para ser internado numa UPA de São Luis, sendo mandado para casa sem ao menos receber medicação…

5

Carta de uma maranhense mostra o estrago do covid-19: Dinheiro para os hospitais sumiram no Maranhão? 

Relato de uma maranhense que teme pela morte do pai, que foi esquecido num hospital mal equipado de São Luis, capital do Maranhão:

“Não podemos fazer o teste porque não tem, só estamos fazendo quando chega aqui mesmo nas últimas quase morrendo, porque está em falta”. (Palavras do médico ao paciente moribundo)

Família relata o sofrimento de um pai em busca de um leito nos hospitais de São Luís…

Com a população fraca e doente, o Maranhão tornou-se a sexta pior do Brasil, confira o relato dramático de umajovem que há dias luta pela internação de seu pai, que segue doente, e acada dia com sua saúde pior. A família que teme pelo pior, sua morte, diz que precisa de uma UTI com respirador, e que só foi recebido numa UPA da cidade, após passar pors várias, por causa do estado critico, pois sequer testes para o covid-19 tinha nas UPAS.

O coronavírus fez que Maranhão tomasse lugar de 6º pior em saúde pública dos estados do Brasil. Flávio Dino, reeleito governador em outubro de 2018, que passa o tempo toda nas redes sociais provocando o presidente Bolsonaro, esqueceu-se da população fraca, mal alimentada, doente, entregues à própria sorte (ou morte).

No dia 08/04/2020 Ronaldo começou a sentir uma leve dor na garganta, dor no corpo, sintomas como se estivesse pegando um resfriado, no dia 09/04 ele já estava com febre e falta de ar, então ele foi até a Upa-vinhais, preocupado pois ele é do grupo de risco, a esposa foi junto com ele, chegando a upa ele foi informado que não estavam medicando, nem internando e também não estavam fazendo teste nas pessoas com sintomas assim (ele já estava com desconforto respiratório), verificaram a pressão dele e estava 18×9 então falaram que era pressão alta, sendo que ele estava com falta de ar e febre.

Mandaram ele pra casa, no sábado (12/04) ele e a esposa Mohana estavam com febre, tosse, desconforto respiratório (sintomas esses, classificados como grave) acessaram diversas páginas direcionadas a tirar dúvidas sobre o covid19 e em todas a resposta foi: “você apresenta sintomas, procure imediatamente uma unidade de saúde para atendê-ló”.

Familiares denúnciam falta de teste e medicação

Então no domingo (12/04) falaram com familiares e como teve o atendimento daquela forma na quinta-feira na Upa do Vinhais se direcionou a Upa da Cidade Operária, com a esperança de que seria atendido, mas não foi assim, ele e a esposa ouviram de médicos: “não estamos medicando, pois está em falta e nem fazendo o teste, pois está em falta também. Só estamos realizando o teste em último caso! Se a pessoa chegar aqui já morrendo”. Qual paciente vai melhorar ouvindo isso de um médico?

Voltaram pra casa novamente, agora com o desconforto respiratório cada vez pior e a febre persistente ainda. A família preocupada, as noites sem dormir e nada sendo feito a seu favor.

Na terça-feira (14/04) sua esposa Mohana ligou desesperada para a filha, pedindo socorro que ele estava passando muito mal e não conseguia respirar, então o genro imediatamente se deslocou para levá-los novamente em alguma das upas designadas para atender esses casos, mais uma vez o descaso, o médico o avaliou, disse que ele estava com todos os sintomas do COVID 19 e mais uma vez ele ouviu a mesma resposta já dada para ele em outra UPA:

“Não podemos fazer o teste porque não tem, só estamos fazendo quando chega aqui mesmo nas últimas quase morrendo, porque está em falta” e mais uma vez foi mandado pra casa com receita de medicamento para febre e dor (paracetamol e dipirona para tomar em dias alternados, no caso paracetamol em um dia e dipirona em outro, e também foi receitado KOIDE um antialérgico).

Na quarta-feira (15/04) passaram o dia ruim, mas estavam tomando as mediações que o médico receitou, então estavam esperando melhorar.

Na quinta-feira (16/04) Ronaldo passou muito mal e ligaram para a Samu, ligaram pela manhã entre 9-10 horas da manhã, esperaram o tanto que conseguiram e nada de ambulância aparecer, chateado por ser um cidadão com seus compromissos todos em dias e não obter um atendimento resolveu ficar em casa, na quinta-feira ainda pela manhã avisou pra filha que não dormiu nada, passou a noite muito mal, com desconforto respiratório.

Na sexta-feira (17/04) passou o dia com febre e falta de ar às 23:00 ligou pra filha solicitar um uber ou ambulância, porque ele não estava nada bem, então o genro foi buscá-lo para levar na upa e chegaram a upa do vinhais, verificaram pressão e a saturação e viram que a saturação estava baixa, colocaram ele no oxigênio e solicitaram uma gasometria e oxigênio e o informaram que o teste do seria feito se ele internasse, após o raio x detectaram um pneumonia e finalmente o internaram na quarta-feira feira pela manhã, já deixando solicitado a transferência dele para o Carlos Macieira, foi mandado pra casa suas roupas, documentos e celular. Disseram que nada pode ficar com ele, a família só tem notícias dele indo do maiobão para a upa do vinhais todos os dias. Já assinou um termo e iniciou o protocolo de tratamento com a cloroquina, a assistente social falou para o genro que a situação dele é delicada por causa do desconforto respiratório e que estavam aguardando a transferência para o Hospital Carlos Macieira, como ele estava sem celular, falaram que era pra aguardar a ligação da Upa do vinhais nos celulares cadastrados no sistema para saber da transferência, ontem, domingo (19/04) e irmã dele foi a Upa do vinhais pela tarde para pegar informações, pois a família não está tendo nenhum contato com paciente e foi informada que o quadro dele era estável, aguardando transferência. 

As 18:00 a filha recebeu uma ligação informando que ele ia ser transferido para o Carlos Macieira e que era para buscar seus pertences lá, roupas que ele estava usando, material de higiene(que a família comprou e levou no sábado, foi entregue uma pequena lista para os familiares, com o que era pra comprar) o genro imediatamente se deslocou para upa do vinhais e ficou aguardando notícias sobre a transferência, enquanto isso o paciente conseguiu um celular com um técnica para dar notícias aos familiares, ele falou que estava sendo transferido pois tinha piorado um pouco, estava respirando com mais dificuldade e que está muito preocupado, uma de suas irmãs se deslocou  do Tirirical para a Upa do Vinhais, para juntamente do genro dele saber notícias e aguardar a transferência, ficaram na porta da UPA do vinhais até 1:00 da manhã de hoje (seg. 20/04) com a informação de que as ambulâncias tem todo um critério para transferência, prioridades e atendem outras upas e o paciente esperando sua transferência desde as 18:00 sem retorno nenhum, de 00:00 até 1:00 informaram para o genro que Ronaldo ainda não tinha sido transferido porque as ambulâncias que estavam chegando eram “básicas” e ele necessitava de uma ambulância com UTI.

Agora pela manhã às 5:59 ligaram para o celular da filha, mas como estão dormindo mal esses dias ansiosos por notícias boas, não viram pois estavam dormindo, ligaram novamente as 6:10 e a filha atendeu e era da upa do vinhais para avisar que ele ainda não foi tranferido, pois estão aguardando a transferência dele de um quarto clínico para uma UTI no Carlos Macieira.

Esse relato é para mostrar o descaso com a saúde pública no Maranhão, onde o governador Flávio Dino está querendo se promover diante da luta que o povo está enfrentando, as dificuldades no atendimento público, a falta de recursos na saúde. Onde estão as ambulâncias das propagandas? Onde estão os respiradores que ele tanto fala que “comprou” direto da China? Onde estão os hospitais e os leitos novos que ele mandou construir “especialmente” para atender esses casos? Tem que esperar a pessoa piorar para poderem atender? Descaso total!!! Falta de respeito com a vida!!!

Quero lembrar que esse espaço está aberto para relatos de familiares do covid-19, e que os profissionais da Saúde e Segurança são vistos como herois.

Apesar do heroísmo dos médicos, enfermeiros e socorristas, a estrutura, ou falta dela, no Maranhão nos coloca em total desespero. 

Mande seu relato para o blog pelo número 98 991884199, via whstsapp.

 

5 respostas para “Covid-19: relato dramático de um pai que está há 11 dias lutando para ser internado numa UPA de São Luis, sendo mandado para casa sem ao menos receber medicação…”

  1. Deixo aqui meu repúdio aos governantes todos e a aqueles que querem se promoverem eu sou Brasil.

  2. E ainda tem gente que defende esse governador e sua equipe. Estão terminando de arrasar nosso Estado e tudo pelo poder e dinheiro. Até quando estaremos cegos e aceitamos todo calados?

  3. Eu sempre disse que esse comunista quer p caos e que nunca pensou no bem estar do povo. Gonvernador meu voto nunca mais.

  4. Quando visitei Maranhao em 2018.levaram -me pra conhecer lindos lugares construido na gestao dele. Elogiaram muito ele,por ter conseguido libertar o Maranhao da Ditadura dos Sarneys ,que se fazem donos do Maranhao! Voltei pra Manaus,fiquei acompanhando por aqui sua gestao atual,que faz admira-lo ainda mais,por ser o governado que paga o melhor salário dos professores! Maranhao é imenso e está sendo atacado pelo atual presidente ! E conhecendo o estado da Saúde em todo o Brasil e acompanhando o que está acontecendo no Brasil e no mundo! Deixo aqui minha admiraçao, horror e espanto à esse povo,que: Para defender um presidenre Nazista que ataca o nordeste, aproveita dessa situaçao pra atacar seu governador que está trabalhando com afinco pra desenvolver e livrar o maranhao dos Ditadores locais e da Ditadura imposta por Bolsonaro! Ah povo escroto do caralho! Pior está o Amazonas bichos nojentos ! Pronto ! Falei !