Browsing: Ricardo Santos

Durante a sessão plenária da última segunda-feira (08), o vereador Francisco Chaguinhas – PP utilizou a tribuna da Câmara Municipal de São Luis, para denunciar a situação precária em que se encontram as UPAS – Unidades de Pronto Atendimento no Maranhão.

Segundo o parlamentar,  vários funcionários constataram problemas na estrutura e com medicamentos. Ainda de acordo com Chaguinhas, a situação é grave e precisa de uma resolução imediata por parte do governo estadual, com a atenção redobrada do secretário estadual de saúde do MA, Carlos Lula.

“A situação em que se encontram as UPAS é grave; muitas delas não possuem sequer medicamentos, causando constrangimento aos pacientes que precisam da Unidade de Pronto Atendimento. O mais grave ainda é a  estrutura de alguns prédios, que não têm a mínima condição de atender a população do Maranhão”, disse.

De acordo com o progressista, o governo do Maranhão se preocupa mais com propaganda do que tentar resolver a problemática.  Chaguinhas diz que o que  governo passa para a população não condiz com a realidade.

“O Governo do Estado se preocupa mais com as propagandas do que tentar resolver a situação. É hora de o Governo colocar em prática aquilo que passa através dos meios de comunicação aos maranhenses”, finaliza. (Blog do Davi Max)

O deputado estadual e membro da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, Wellington do Curso (PP), realizou Audiência Pública na manhã da última segunda-feira (8), no auditório Plenarinho da Assembleia Legislativa com o tema Avanços e Retrocessos na Educação.

O evento contou com a presença da Promotora Especializada na Educação, Luciane Belo; a Defensoria Pública; representante da Secretaria Municipal de Educação de São Luís, Secretária Municipal de Educação de São José de Ribamar, Carla Veras; o vereador Marquinhos (DEM); representantes dos Conselhos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), de Educação e da Alimentação Escolar; além da presidente do Sindicato Municipal dos Professores de São Luís (Sindeducação), Elizabeth Castelo Branco.

A promotora de justiça, Luciane Belo destacou uma ação civil pública, onde o Ministério Público solicita o planejamento para aplicação das verbas destinadas para a construção das creches em São Luís.

“Apresentamos Ação Civil Pública, a fim de que seja condenado o Município de São Luís em prazo assinalado judicialmente, à obrigação de fazer, consistente na construção das 25 creches anunciadas no início de 2014, com a devida reserva orçamentária, até o final do exercício 2017, bem como execute planejamento para aplicação das verbas até então destinadas aos convênios com creches comunitárias e/ou filantrópicas, na construção e aparelhamento da Rede Oficial de Educação Infantil, como proposta paralela às verbas provenientes do FNDE, para funcionamento do ano letivo de 2018 já nas instituições oficiais de ensino”, disse a promotora.

A professora Helena Assunção, desabafou sobre as condições da escola UEB Paulo Freire, que fica no bairro Liberdade e está sem funcionar. “Já denunciamos várias vezes para a Semed, inclusive na imprensa. No último dia 27, passou em rede nacional a denúncia que fizemos da escola. A UEB está abandonada. Não tinha água na escola. Se nós professores não levássemos água, os alunos ficariam com sede. Por isso pedimos uma visita do deputado Wellington através do projeto “De Olho nas Escolas” de sua autoria”, disse a professora.

Após ouvir inúmeros relatos de professores e da sociedade civil presente, o deputado Wellington, que também é educador, concluiu a Audiência constatando que houve mais retrocessos do que avanços na educação de São Luís.

“Discutimos sobre os Avanços e Retrocessos na Educação Pública de São Luís. Ouvimos dezenas de educadores e a sociedade civil, e de acordo com os relatos e depoimentos, percebemos que houve mais retrocessos do que avanços na educação da nossa cidade. O nosso objetivo foi encontrar projetos e ações que enfatizem a qualidade do ensino e garantam a valorização do professor. Destacamos ainda, o nosso projeto “De Olho nas Escolas”, que tem a finalidade de conhecer e fiscalizar a realidade das unidades de ensino em todo o Maranhão”, disse Wellington.

Ao final do evento foram apresentados vários encaminhamentos: solicitando da Secretaria Municipal de Educação de São Luís (Semed) a relação todos os endereços de escolas polos e anexos; O relatório da quantidade de seguranças nas escolas; A relação de todas as creches comunitárias conveniadas com a prefeitura e o valor repassado a cada uma delas; Solicitar relatórios da prefeitura com ações de cumprimento dos Termos de Ajustamento de Condutas (TACs) firmados com o Ministério Público, como o TAC 01/2014; A criação do Fórum permanente de discussão da educação; À fiscalização das Escolas Paulo Freire, Leonardo Brizola, Nossa Senhora de Nazaré, Anexo Ferreira Gullar, Rubens Rosa, dentre outras UEBs, e por último, os professores solicitaram a criação da Frente Parlamentar de Educação na Assembleia Legislativa, bem como estudar a possibilidade da criação de uma CPI da Educação.

O deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) lamentou, nesta segunda-feira (09), a resposta da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) em relação ao convite para participar da Audiência Pública sobre atentado contra o povo Gamela, no último dia 30, em Viana. Segundo ele, o órgão alegou não ter condições financeiras para mandar um representante.

“Uma resposta no mínimo lamentável. A Funai não tem dinheiro nem para pagar passagem para um representante comparecer a uma audiência na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão”, afirmou.

O parlamentar respondeu a mensagem, no mesmo dia, garantindo as condições necessárias para a vinda do representante. “Nós estamos colocando à disposição da Funai a passagem aérea, a hospedagem e a alimentação para que o representante discutir com os representantes do povo esta questão que é extrema gravidade”, afirmou.

Para Bira, gravidade que ficou mais clara depois dos últimos acontecimentos, com a exoneração do presidente da Funai, após este ter apontado a falta de dinheiro como problema central para não resolver as questões de responsabilidade da Fundação em todo território nacional, inclusive, no Estado do Maranhão.

“O ministro da Justiça reagiu contra o presidente da Funai, que foi exonerado do cargo e saiu fazendo sérias denúncias contra o governo, alegando inclusive supostas irregularidades de indicações e solicitações feitas a ele por membros do Legislativo e também do Executivo. Portanto, vivemos uma situação muito delicada no País e precisamos ficar atentos aos vários conflitos e ataques. É preciso acompanhar e buscar uma equação adequada e resolver esta problemática no país”, acrescentou.

O deputado defendeu que toda situação seja debatida com a clareza necessária até para evitar que tragédias como a sofrida pelo povo Gamela não se repitam no Maranhão e em nenhum outro lugar do Brasil.

“A sociedade inteira ficou impactada com o que aconteceu em nosso estado, e, até hoje, repercute no Brasil e no mundo. Então é preciso que a gente encontre uma solução, e a solução tem que ser dialogada, pensada e construída. É uma situação complexa, que envolve muitos interesses, mas nós não vamos conseguir fazer isso se esquivando ou evitando a discussão”, acrescentou.

Bira destacou que cabe a Funai responder a questão e a negligência do Estado Brasileiro é a principal responsável por ter chegado a esse ponto. Mas reforçou a defesa no sentindo de avançar o discussão e a participação da Fundação é essencial.

A Audiência Pública foi solicitada pelo parlamentar na terça-feira (02) a Comissão de Direitos Humanos e das Minorias da Assembleia Legislativa do Maranhão. (Assecom Assembleia)

Demostração clara de troca de favores: Flávio Dino risca prefeito e negocia com vereadores o controle da cidade…

Vereadores de Imperatriz estariam sendo cooptados pelo governo, que mercadeja abertamente “apoios em troca de votos”. O prefeito Assis Ramos do PMDB, “partido golpista” de Michel Temer, não participou das negociações. 

Durante todo o dia de ontem, vereadores de Imperatriz, cidade que decidiu dizer um sonoro “não” aos comunistas durante as eleições municipais de 2016, estiveram reunidos no Palácio dos Leões.  A ida dos vereadores à sede do Executivo estadual seria para buscar recursos.

Estamos vivendo o “remake” (refilmagem) com o mesmo roteiro elaborado pela ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), quando queria ser reeleita com os votos da população de Imperatriz, após cassar Jackson Lago em 2007.

Liderados pelo vereador Carlos Hermes(PCdoB), que de forma incoerente sugeriu ao prefeito Assis Ramos (PMDB) de parar a cidade e aderir ao movimento nacional por causa de uma Greve Geral mobilizada pelo PT/PCdoB, gerando tensão entre as partes. Assis teria, inclusive, pedido a retirada do vereador de uma reunião, desde então o representante de Flávio Dino no parlamento municipal ganhou total apoio em trazer para o Palácio algumas demandas.

Após esse momento de tensão, os comunistas aproveitaram e escreveram o mesmo roteiro de Roseana Sarney, que derramou “apoio” na cidade em troca de votos nas eleições de 2010.

 

Roberto Rocha encontra-se com cacique Raoni

Atento ao que aconteceu recentemente em Viana, o senador Roberto Rocha se encontrou neste domingo com o Cacique Raoni, reconhecido internacionalmente por sua luta na defesa da Floresta Amazônica e pelos direitos dos povos indígenas.

Na ocasião, discutiram assuntos de demarcação de terras no Brasil e especificamente no Maranhão.

Explorado, motorista diz que não vale a pena pagar impostos no Maranhão.

Em conversa com o motorista que teve o pneu de seu carro cortado numa verdadeira cratera aberta numa via pública que leva ao Jaracati, o desabafo: “no Maranhão não vale a pena pagar impostos”.

Na imagem destacada, veiculo no prego após cair em buracos…

O que seria para melhorar fez foi piorar.

Comunistas exigem pagamento de impostos em dia sob pena de incluírem na dívida ativa o nome do motorista, mas, não conseguem transformar a bolada de dinheiro em benefícios para quem paga tantos imposto. Só no periodo de janeiro a abril de 2017, o contribuinte explorado do Maranhão já teria contribuído com mais de 1 bilhão, segundo o IMPOSTÔMETRO.

Vergonha: imagens de uma cidade emporcalhada, destruída, sem gestores.

Nas imagens destacadas (foto e vídeo) o estado lastimável de nossa cidade na segunda gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, reeleito com com a força da maquina e total apoio do governador Flávio Dino, que diz ter “parceria institucional e política”.

Enquanto sobram destruições, a pergunta continua sem resposta: onde o governo da “mudança”, da “transparência” está enfiando tanto dinheiro se as ruas estão intrafegáveis?

Por Marco D’éça

OAS também mantinha “departamento de propinas”…

Ex-diretor da companhia – que doou, oficialmente, R$ 1,1 milhão a Flávio Dino, em 2014 – revelou que um setor da empresa foi apelidado de “Controladoria”, e tinha a atribuição de repassar vantagens indevidas a políticos.

O ex-executivo da empreiteira OAS, Agenor Franklin Medeiros, confirmou ao juiz Sérgio Moro, coordenador da Lava Jato, que a empresa também mantinha um “departamento de propinas”, igual ao da Odebrecht.

Em destaque as doações a Flávio Dino:

“Existe uma área na empresa que era justamente a área que trabalha nessa parte de vantagens indevidas, uma área chamada controladoria, onde doações a partidos, até de forma oficial, saíam do presidente, iam para o diretor financeiro e para o diretor dessa área”, revelou Medeiros.

No Maranhão, a OAS doou R$ 1,1 milhão – de forma oficial – à campanha do governador Flávio Dino (PCdoB) em 2014.

A partir da delação do ex-executivo, a Operação Lava Jato vai investigar quais doações, mesmo com a chancela de oficial, saíram da tal “controladoria”.

Outros executivos da OAS também já fecharam acordos de delação premiada…

Senador levanta suspeita de estar sendo “grampeado”

Falta de ética, falta de democracia, respeito.Tudo pode acontecer no Maranhão comunista, inclusive falta de privacidade, ser vitima de bisbilhotágens eletrônicas.

Alô Polícia Federal.

De forma direta, senador socialista responde nas redes sociais às provocações dos comunistas feitas nas emissoras de Edinho Lobão (30%) e blogues palacianos. A denúncia é séria, invadir privacidade ainda é crime neste país.

Abaixo, desabafo do senador Roberto Rocha:

Nota:

Charuto e Cuba seriam apelidos do governador comunista Flávio Dino, segundo delator da Lava Jato sobre recebimento de propina da Odebrecht.

Confira abaixo:

Por hora Flávio Dino ainda controla tudo.

Como quem quer se enganar, governador prefere ficar distante da realidade. Para isso paga caro para ter partidos, pesquisas semanais pagas pelos cofres públicos, reportagens em jornais do Sul do país, uma tropa de bajuladores virtuais nas redes sociais, etc.

Engano: por hora os comunistas pensam que podem comprar tudo…

Nenhuma dúvida quanto aos rumos que algumas legendas estão sendo levadas a tomar. O PSDB, por exemplo, que deveria tomar distancia dos comunistas, se as lideranças tivessem vergonha na cara, a partir da traição de Flávio Dino, no segundo turno das eleições de 2014, quando pulou para o palanque da presidenta.

Por hora ainda comanda tudo. Afinal, seu vice-governador, alguns secretários, se sentem agasalhados. Por hora, o Palácio dos Leões com seu poder de barganha comanda tudo, até as legendas políticas no Maranhão.

Até agora, por força da máquina, o governador comunista discursa como mandatário, da mesma forma como fez Sarney por décadas.

Por hora…

Abaixo, peça publicitária enviada em tempo recorde à redações de sites de todo o Maranhão:

 

Ingratidão, Flávio Dino?

Sugestiva a enquadrada de Zé Reinaldo à classe política, que em tese, deve muito ao ex-governador. No lançamento de sua pré-candidatura ao senado, chamada de gratidão, mas, que, infelizmente não contou com a presença da maior liderança do estado.

O governador comunista (criação) ao que parece preferiu se esquivar de aparecer em evento denominado “gratidão” de seu criador, ex-governador Zé Reinaldo, de quem a classe política toda lhe deve favores, gestos de gratidões.

Vou citar apenas duas ausências: o líder máximo da política da atualidade, o governador do Maranhão, que foi lançado na política pelo então governador Zé Reinaldo. (Entenda aqui). O primeiro ingrato da lista.

O segundo ingrato, com certeza foi o presidente estadual da legenda do ex-governador, que ainda está no PSB, o prefeito de Timon, Luciano Leitoa (PSB). Assim como Flávio Dino, Luciano Leitoa, em gesto de intensa ingratidão, preferiram se ausentar e enviaram representantes.

Para bom entendedor poucas palavras bastam:

O gesto de ingratidão de ambos esbarra na “verticalização” nacional impostas pelas legendas. Zé Reinaldo que ficou conhecido NACIONALMENTE por ter contrariado Flávio Dino na votação pelo IMPEACHMENT de Dilma, que não será bem vindo ao palanque comunista.

Pelo visto, Flávio Dino já tem seus preferidos, que seriam indicados segundo a cota da nacional.

Abaixo, as imagens:

Enquadrada do prefeito de Tuntum, que é presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (FAMEM) Cleomar Tema, ao representante do governador, o secretário geral da província maranhense, Márcio Jerry.

Silêncio geral: enquadrada de Tema em Jerry, momento tenso…

 

Enquanto todos sorriem, Jerry não conseguia desfaçar a tensão…

 

Nota: 

Quero aproveitar e desejar ao nosso ex-governador José Reinaldo Tavares, homem que foi decisivo para promover a alternância política do Maranhão. Por esse motivo, todos nós lhe somos gratos, mesmo que alguns ainda não consigam demostrar.

Enfim, desejo sucesso na sua caminhada rumo ao senado.

1 225 226 227 228 229 412