Resistência infantil:

Não esperem coerência da parte de comunistas. Quer dizer que Flávio Dino se acha detentor dos mandatos dos senadores, deputados estaduais e federais, eleitos pelos votos do povo do Maranhão?

Em Brasília, Flávio Dino foi visto visitando gabinetes da “resistência” contra Bolsonaro a tira colo com a nova senadora do MA.

Quer dizer que o governador reeleito Flávio Dino (PCdoB) esteve ontem em Brasilia com a senadora eleita pelos evangélicos, Eliziane Gama (PPS), após decretar que as escolas infantis do Maranhão vão ter influência e doutrinação comunista?

Evangélicos traídos:

Até agora, no Maranhão, nenhuma liderança se posicionou contra a atitude ditatorial de Flávio Dino. A própria Eliziane Gama, que em tese é cristã, que deveria cobrar, está calada, um túmulo caiado, calado.

Não esperem  nesta manhã a presença do governador reeleito do Maranhão na reunião com o novo presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro. Parece que a agenda de Flávio Dino neste pós eleição é continuar em palanques.

Ao que tudo indica, gasta tempo e dinheiro se apresentando no plano federal como candidato a presidente do Brasil, isso, após decretar, sem ao menos passar na Assembleia Legislativa, sem perguntar ao povo do Maranhão, sobretudo aos evangélicos, sobre sua intenção de liberar a doutrinação comunista às crianças maranhenses.

Isso que é resistência? Pura infantilidade por parte de quem se mostra dono do Maranhão, dos votos do povo e dos mandatos dos novos deputados e senadores eleitos pelo povo do Maranhão. Obviamente, na visão do Sr. governador reeleito, o povo é marcado como gado.

Após quatro anos, o povo continua pobre, o Maranhão entrou na extrema pobreza, depois das eleições, os aposentados tiveram seu dinheiro mexido, o estado está em crise, sem dinheiro, literalmente no “vermelho”.

Coisa de quem tem um rei na barriga?

Flávio Dino dando provas da arrogância comunista ou da fraqueza que acusou Bolsonaro. Bateu medinho?

Desça do palanque, Sr governador reeleito do pobre estado do Maranhão.

Afinal, de quem é o mandato de governador do Maranhão? É do povo ou do comunismo? Governador tem que vencer o medo e encarar de frente, tem que pensar no povo e não na sua própria barriga, ou no caso, na sua vontade de ser presidente.

O presidente eleito Jair Bolsonaro cumprirá agenda nesta quarta-feira (14) em Brasília e em seguida voltará para o Rio de Janeiro, onde reside.

Ao meio-dia, Bolsonaro tem uma reunião com os governadores eleitos e reeleitos em outubro.

Esperava-se que o nome do governador comunista estivesse presente, mas, infelizmente, foi o único que faltou na lista dos que confirmaram sua presença. Coisa de quem tem um rei na barriga. Abaixo, publicações das redes sociais, onde Dino manda espalhar, através de perfis de seus seguidores, funcionários, súditos e puxas de plantão, que será o próximo presidente do Brasil na chapa do PT de Lula.

A professora doutora em Letras trouxe a tona a prática que Flávio Dino (PCdoB), adotou na UEMA em 2015. O governador editou na segunda-feira (12), um Decreto garantindo Escolas com Liberdade e Sem Censura no Maranhão, nos termos do artigo 206 da Constituição Federal. 

“Falar em “Escola Sem Partido” tem servido para encobrir propósitos autoritários incompatíveis com a nossa Constituição e com uma educação digna”, disse o chefe do executivo estadual.

De acordo com a professora, ela foi vítima de censura. Ao produzir o documentário “Simplesmente Gullar”, que foi exibido na XIII Semana de Letras da UEMA, Maya Felix teve parte do seu trabalho “cortado” por uma funcionária designada para a assistir a tudo que seria exibido no evento universitário. A parte suprimida era uma crítica de Ferreira Gullar ao PCdoB.

Maya Felix diz ter fica estarrecida com a postura da UEMA e comparou o Maranhão a Coreia do Norte.

Veja a postagem da professora na íntegra:

Sabe o que é engraçado? Muito engraçado, mesmo? É que em 2015 eu era diretora do Curso de Letras da Universidade Estadual do Maranhão e fui ao Rio de Janeiro gravar uma entrevista para um documentário com o Ferreira Gullar. Esse documentário seria apresentado na abertura da XIII Semana de Letras da Uema, que organizei. Pois bem. Na entrevista, Ferreira Gullar criticou não só a esquerda, mas o PC do B, partido desse governador democrático. Isso tudo foi censurado do vídeo. Foi cortado do documentário “Simplesmente Gullar”, produzido por mim e pela Universidade Estadual do Maranhão. Havia uma funcionária designada para assistir a tudo e ver o que era “adequado” ou não, bem ao estilo Coreia do Norte de ser. Isso tudo eu vivi. Fiquei estupefata de ver Ferreira Gullar sendo CENSURADO em pleno século XXI, dentro de uma universidade, com o aval de professores e de autoridades. O maior poeta que o Maranhão já teve foi censurado em suas opiniões políticas dentro de seu próprio estado. Isso o governador do PC do B não conta. Também não conta os casos de perseguição política e de assédio moral em órgãos públicos do Maranhão. É uma memória muito seletiva. (Blog do Diego Emir)

Chegou a esta blog documentos que comprovam um escândalo da gestão Macieira na OAB, envolvendo justamente Carlos Brissac, seu atual candidato a presente.

Os documentos comprovam que no dia 05 de dezembro de 2013, no mesmo dia em que constituído, e ainda sem nenhuma certidão, o escritório de Brissac foi agraciado por Mário Macieira com um contrato junto a OAB, tendo recebido 125.000,00 mil reais.

Há o agravante, ainda, de que naquele tempo já se enxergava Brissac como o único nome jovem do grupo capaz de, no futuro, substituir Mário na OAB, o que foi antecipado para esta eleição devido a surpreendente derrota de Valéria Lauande nas últimas eleições.

O fato é que a notícia caiu como uma bomba na campanha da chapa Brissac, que vinha tentado a todo custo afastar seu nome do nome de Macieira, que, hoje, tem grande rejeição junto à categoria.

Isso reforça a acusação de que Brissac seria apenas um laranja de Mário, e quer pegar a OAB de novo pra ganhar dinheiro na Instituição! Um escândalo!

As circunstâncias do contrato são constrangedoras, afirmaram alguns juristas, e podem servir para abertura de sindicância e processo disciplinar contra os dois no momento em que pretendem voltar novamente ao comando da entidade de classe.

Fonte: blog do Davi Max:

O famoso advogado, Italo Azevedo, detentor de contratos, inclusive prestando serviços jurídicos para o Estado, teria emplacado a esposa na Chapa de Carlos Brissac em um cargo importantíssimo para o funcionamento da instituição.

Google

Patricia Azevedo, mesmo sem experiência profissional e nenhum trabalho prestado para a Ordem, concorre para um cargo graças ao peso do seu marido, a quem não contraria as vontades.

Existem fortes críticas que a esposa do conhecido advogado deverá driblar: não ser vista como referência feminina entre as mulheres advogadas até mesmo pela forte influência que sofre do marido sobre seus atos, ou seja, submissão masculina; o relato dos jovens advogados trabalharem com uma demanda excessiva e exaustiva ganhando muito pouco, embora o contrato seja uma fábula no escritório de Ítalo Azevedo; e o contrato com o DETRAN, por dispensa de licitação, que o marido teria abocanhado por meio do seu amigo pessoal, o também advogado e Diretor geral do DETRAN à época, Antônio Nunes.

Patrícia Azevedo é uma das mais engajadas nos pedidos de voto, sonhando em ser a representante feminina na Diretoria, prestar um bom serviço para a Ordem através dos conselhos do marido e, quem sabe, finalmente, poder alavancar o seu nome no mercado.

Em suas postagens nas redes sociais, explica sua contribuição à Ordem, que se deu de forma indireta apoiando o marido Ítalo Azevedo em outras campanhas.

Resta saber: será se a classe aprovou a indicação do nome da obediente esposa e causídica? As urnas irão dizer.

Maranhão sempre o último, no rabo da fila:

Governador eleito de SP, estado rico, saiu na frente e marcou encontro com governadores eleitos, demostrando que pensa no povo. Enquanto isso, Flávio Dino, governador reeleito, de um estado pobre, gasta tempo no tuíter a xingar Bolsonaro.

“Estamos unidos para apoiar a agenda em prol do desenvolvimento do Brasil. Vamos trabalhar de forma integrada”.

Frase do governador eleito do principal e mais rentável estado do Brasil, São Paulo.Diferente do governador de estado pobre do Brasil, que prefere picuinhas, que deixou o maranhão entrar na Extrema Pobreza, que passa horas preciosas em redes sociais a atacar o novo presidente eleito do Brasil, o governador eleito de São Paulo,  João Doria, propõe encontro com outros governadores que demostraram pensar nos eu povo para contribuírem com novo presidente. 

Abaixo, reportagem do Diário do Poder:

Às vésperas da reunião de governadores em Brasília, o governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB) se reuniu com colegas eleitos e reeleitos para definir ações em áreas que despertam preocupação, como saúde e segurança pública, além de geração de empregos.

Em reuniões separadas, Doria conversou com os governadores do Amazonas, Wilson Lima (PSC), Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB).

“Estamos unidos para apoiar a agenda em prol do desenvolvimento do Brasil. Vamos trabalhar de forma integrada, objetivando o melhor para benefício da população dos nossos estados”, afirmou Doria em sua conta no Twitter.

Ao lado de Wilson Lima, Doria chamou o colega de “jovem governador” e o elogiou. Lima retribuiu, dizendo que o governador eleito de São Paulo era um “grande empreendedor”.

Anteriormente, em Brasília, Doria articulou o que denomina fórum de governadores, que ocorrerá amanhã (14), na capital federal, com os governadores eleitos do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Doria está concluindo as nomeações da futura gestão. Ele escolheu três ministros do governo Michel Temer para integrar sua equipe. O ex-prefeito Gilberto Kassab vai assumir a Casa Civil, o ministro da Educação, Rossieli Soares, comandará a pasta estadual de mesmo nome, e o da Cultura, Sérgio Sá Leitão, será mantido na área em São Paulo, que agregará Economia Criativa.

Nas redes sociais, o governador eleito de São Paulo fez elogios aos nomeados. “Não é o trabalho de uma pessoa, mas de uma equipe.”

Ontem (12), Doria nomeou a deputada estadual Célia Leão para a Secretaria da Pessoa com Deficiência, e Paulo Dimas, que integrou o Tribunal de Contas do Estado, para a Secretaria da Justiça.

No Twitter, Doria avisou que quer acabar com o que chama de “mordomias e regalias” já no próximo ano. “Estamos trabalhando duro na transição de governo para realizar um levantamento de todas as mordomias e regalias que deverão ser cortadas a partir de janeiro de 2019. Respeito total ao dinheiro público.” (ABr)

Agência Assembleia

O advogado Mozart Baldez foi o primeiro entrevistado da rodada de entrevistas com os candidatos à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Maranhão (OAB-MA), promovida pela TV Assembleia (canal aberto 51.2/17 TVN).

O candidato da Chapa 1 – Reconstruir é a Ordem foi entrevistado, ao vivo, nesta segunda-feira (12), pela jornalista Natália Macedo e pelo procurador-geral da Assembleia Legislativa, o advogado Tarcísio Araújo, no “Sala de Entrevista”, quadro do telejornal Portal da Assembleia.

A entrevista completa está disponível no canal da TV Assembleia no Youtube (https://bit.ly/2Pq7IGj) e na página da TV Alema no Facebook (www.facebook.com/rtvalema).

Mozart Baldez foi recebido pelo diretor de Comunicação da Alema, jornalista Edwin Jinkings, que destacou a satisfação da TV Assembleia em receber os candidatos da Ordem, para o debate público de ideias e propostas de interesse não só da advocacia maranhense, mas de toda a sociedade.

O advogado parabenizou a iniciativa da TV Assembleia, em abrir espaço para os candidatos postulantes à presidência da OAB-MA. “Queria parabenizar a direção da TV Assembleia, que teve essa iniciativa de abrir as portas, para que nós pudéssemos falar para parte do Maranhão sobre nossas propostas”, disse.

Sabatina

O candidato teve 15 minutos (13 minutos de entrevista e mais dois minutos para as considerações finais) para responder a temas sugeridos e livres, entre eles, o seu posicionamento quanto à recente decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), que transforma a OAB em órgão da administração indireta. “Tenho certeza que lei é para se cumprir. Se o posicionamento do TCU tiver respaldo legal, a OAB terá que cumprir. Se não foi legal, ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer aquilo que não esteja prescrito em lei”, afirmou Mozart Baldez.

O candidato também respondeu a perguntas sobre os desafios da OAB-MA para garantir a transparência da gestão, bem como a estruturação da Ordem na capital e no interior do estado. “Passamos oito meses estudando os problemas, crises e soluções da advocacia do Maranhão. Chegamos à conclusão que o problema da Ordem é estrutural. Temos que começar do zero, pois até as regras do Conselho Federal são retrógadas. Uma entidade que se propõe a tomar a frente de todas crises políticas e que estão judicializadas no Brasil, ela precisa de uma reciclagem”, assinalou.

“Nós temos que ter cuidado com essa transparência. Nós vamos ter uma administração transparente, com um orçamento participativo, chamando as assembleias para colocar aos associados o que a Ordem tem de patrimônio e onde os seus recursos devem ser investidos”, completou.

Outro tema abordado foi em relação ao posicionamento da OAB-MA no relacionamento com o Poder Judiciário, para a garantia das prerrogativas da advocacia e do primado da lei. Mozart Baldez também apresentou suas propostas para inserir os jovens advogados no mercado de trabalho, entre elas, as incubadoras da advocacia.

Por fim, o candidato ressaltou a sua trajetória pessoal e profissional, bem como sua vasta experiência que, segundo ele, o gabaritam para assumir a presidência da OAB-MA. “Eu e minha equipe somos preparados para comandar a Ordem. Tenho excelentes serviços prestados para a nação brasileira e, agora, quero prestar para a minha terra. Eu quero que todos olhem nossas propostas, nosso currículo e o serviço que nós prestamos”, finalizou.

Que falta faz uma palavra mágica chamada transparência…

Numa gestão compromissada com seu povo não há rombos. Numa gestão voltada para o povo, todos sabem onde seu dinheiro (não dinheiro do governo) está sendo aplicado. Mas, o Maranhão continua sendo uma vergonha.

Números do IMPOSTÔMETRO comprovam que os maranhenses continuam sendo lesados pelo governo, que teima em explorar uma população pobre, sem dar o mínimo retorno em serviços básicos como Educação, Saúde, Segurança, etc.

Confira até agora quanto já pagamos em todo o Maranhão:

17 bilhões, 460 milhões, 604 mil foram arrecadado nas 217 cidades.

Na capital maranhense a coisa tá bem pior:

704 milhões, 240 mil e a cidade está no caos, ninguém sabe onde são aplicados tantos milhões, onde foram parar.

 

Te segura, eleitor explorado:

Menos pior: se for para arrancar o coro, que seja para cobrar dinheiro das grandes empresas, arre-égua, o pobre já não aguenta tanta exploração.

Qual o buraco, governador?

Aliás, só falta o governador dizer onde enfia tanto dinheiro arrecadado. O pior que a sanha de cobrir rombo não vai parar por ai, aguardem mais impostos!

Começou aparecer a ponta do iceberg, muito diferente da propaganda enganosa do governo, que vende um Maranhão  lindo, próspero, a realidade continua sendo de exploração. Continua sem produzir riquezas, apenas explorando, ainda mais, a população pobre, para isso, tendo que votar urgentemente outro aumento.

A medida, ao que tudo indica, servirá para compensar rombo nos cofres. Na tarde de ontem, poucos deputados aparecem, alguns tiveram que retornar de suas viagens para votar pela “urgência” do governo.

Confira trecho da reportagem de O Estado:

Na prática, a proposta – de autoria do deputado Max Barros (PMB) – complementa o Código Mineral, uma vez que, com exceção do Maranhão, todos os estados impactos por mineradoras – como a Vale, por exemplo – são compensados tanto pela Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), como por uma taxa estadual, proposta pelas Assembleias Legislativas.

Essa taxa, agora, está oficialmente criada e os recursos oriundos da suas cobranças, em tese, devem ser repartidos entre estado e municípios.

Interesse

O súbito interesse do Palácio dos Leões pela matéria foi o que mais chamou a atenção de deputados após as eleições deste ano. Em pauta na Assembleia desde 2015, o projeto nunca havia sido aprovado, apesar dos esforços do deputado Max Barros para convencer seus colegas – os governistas, principalmente – de que a instituição desse tipo de pagamento a mineradores seria benéficos para gestões municipais e estadual.

Para o deputado Adriano Sarney – que declarou apoio ao projeto, mas absteve-se de votar, em protesto contra a atitude do governo –, trata-se da comprovação de que a gestão Flávio Dino quebrou o Estado.

“Um projeto importante. Por várias vezes tentamos aprová-lo aqui nesta Casa e o governo, não se sabe por que, nunca permitiu que sua base aliada votasse. Agora que eles quebraram o Estado, que dilapidaram o Fepa, precisam de dinheiro e ordena aos deputados governistas a votar a favor desse projeto no apagar das luzes dessa legislatura”, avaliou o parlamentar.

Segundo ele, a mudança de postura do governo em relação à proposta comprova que há problemas, por exemplo, com a Previdência estadual.

“Muito me preocupam as finanças do Governo do Estado do Maranhão. Tenho recebido muitos aposentados e pensionistas no meu gabinete que não conseguem se aposentar, porque a cada vez que procuram o governo, procuram a Secretaria de Previdência, o governo coloca empecilho para as aposentadorias dos que querem se aposentar. Porque estão negando aposentadorias dos servidores que têm seu direito pelo governo?”, questionou.

Adriano acrescentou que acredita que o governo conseguiu “gastar o dinheiro” que deveria bancar essas aposentadorias e, por isso, agora precisa repor o caixa.

“Não conseguem mais pagar os aposentados e pensionistas, como denunciamos, porque acabaram com o Fepa, porque gastaram todo o dinheiro do caixa do Tesouro em cobras eleitoreiras”, completou.

 

1 2 3 458