Monthly Archives: janeiro, 2020

O deputado estadual, Dr. Leonardo Sá (PL), teve o prazer de vivenciar o novo modelo de gestão em administração pública de sucesso no Estado da Paraíba, nesta sexta (17).

Seu primo e prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo Pires de Sá (PV), com mais de 80% de aprovação e reeleito em primeiro turno nas últimas eleições foi o anfitrião, na sede da prefeitura, desta agenda positiva, para tratar sobre os avanços tecnológicos em infraestrutura nos municípios.

Devido a sua experiência, Luciano Cartaxo vem ganhando não só credibilidade como gestor público, de uma das capitais mais bem estruturadas e eficientes do país (com destaque no “trade” turístico internacional), mas também comprovando que com boa vontade e planejamento é possível transformar o funcionamento de forma sustentável de uma cidade, em quatro anos e implementar novas ações durante à reeleição.

“Os recursos tecnológicos já estão bem avançados e para gerir uma cidade precisamos levar em consideração tempo, investimento e planejamento das ações. Mas acima de tudo o querer mudar a vida das pessoas para melhor. Assim, com garra e determinação podemos contribuir como gestor, para a qualidade de vida da população gerando emprego e renda”, afirmou o prefeito, Luciano Cartaxo.

Neste ano de 2020, o Dr. Leonardo Sá, a pedido da população pinheirense, disputará as eleições para a Prefeitura da cidade de Pinheiro-MA, na qual já foi vereador mais votado por duas vezes no munícipio, médico no Instituto Federal do Maranhão (IFMA), perito médico do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Atualmente deputado estadual maranhense e vice-secretário de saúde da União Nacional dos Legisladores e Legislativos (Unale).

Nesta viagem, aponta como uma agenda positiva em todos os sentidos. Além de poder contar com conselhos do primo prefeito, também pode ver de perto os avanços que a capital paraibana teve nos últimos anos para atender as necessidades do povo.

“Fico lisongeado de ter um primo político com conduta ética, além de homem visionário, que conseguiu em tão pouco tempo destacar-se como exemplo de gestão pública em uma capital na Região Nordeste do Brasil. É impressionante os índices de crescimento não só em novas tecnologias na infraestrutura da cidade, como também na qualidade de vida proporcionada aos pessoenses. E é em exemplos como este, que quero me ater, para levar ótimas propostas de uma nova gestão em nossa querida Pinheiro”, declarou o deputado, Leonardo Sá.

No momento participaram desta visita o ex-candidato a governador do Estado da Paraíba, Lucélio Cartaxo Pires de Sá; o bioquímico, Dr. Marcos Pires; os amigos Rodrigo e Estênio.

Todavia Pinheiro, conhecida como “Princesa da Baixada”, a principal cidade da região da Baixada Maranhense, poderá ter uma ótima gestão pública, com Leonardo Sá frente à administração do munícipio, já que lidera todas as pesquisas e tem o menor índice de rejeição para prefeito nas eleições de 2020. (Ascom-Deputado Estadual Dr. Leonardo Sá).

Palanque milionário de pré-candidatura?Jovem Pam denuncia que os pobres do Maranhão estão pagando mais impostos para bancar campanha de Flávio Dino a presidente…

Genial:  Flávio Dino faz campanha e quem paga são os contribuintes explorados do pobre Maranhão?

“O governador comunista do Maranhão, Flávio Dino, turbinou o orçamento da Comunicação do governo local. Os deputados da Assembleia Legislativa aprovaram para 2020 um orçamento de quase 73 milhões, como queria o governador. O valor é superior ao  montante destacado para esse valor no ano passado, é que o comunista pretende ser candidato a presidente”.

E agora? A imprensa sulista abriu os olhos e está questionando Flávio Dino sobre aumento dos milhões para sua publicidade eleitoral.

Os apresentadores do programa “Os Pingos nos Is”, da Rádio Jovem Pam de SP, Felipe Moura Brasil, Augusto Nunes, denunciaram Flávio dino em rede nacional e alertaram a população maranhense sobre os gastos com propaganda. Molecagem?

Confira no vídeo:

Da política milionária feita de futricas, passando pelo gigantesco telhado de vidros de Márcio Jerry, até as baixarias da Assembleia, seriam resquícios da política Dinista? 

O comunista Flávio Dino repetiu, aliás, em quase seis anos vem fazendo pior que a ex-governadora Roseana Sarney: prejudicou a Saúde e derramou dinheiro (Milhões e milhões e milhões sem pena) na propaganda enganosa enquanto os pobres ficaram mais pobres.

Até hoje os 18 milhões que foram supostamente desviados da Saúde não foram explicados onde foram parar, no apagar das luzes de 2019, o governador Flávio Dino mandou seus teleguiados da Assembleia Legislativa aprovarem um aumento milionário na “comunicação” para o ano de 2020.

Política de futricas, Jerry quer ser pedra mesmo tendo um imenso telhado de vidro…

Apesar deste aumento milionário no orçamento da Comunicação, o ex-secretário “todo poderoso”, Márcio Jerry, que é o presidente estadual do PCdoB, passou o ano de 2019 em verdadeiras “futricas” em , que nunBrasilia.

Jerry que nunca teve votos pra nada na vida, por “coincidência”, nada a ver com “abusos da máquina pública”, foi eleito deputado federal, com folga, depois que cuidou desta pasta milionária, fazendo “articulações” que elegeram muitos prefeitos e vereadores do seu partido.

Só lembrando que o PCdoB do Maranhão, o único estado do Brasil onde a legenda cresceu assustadoramente após o PCdoB tomar o controle político do estado e, tudo indica, mandar absoluto nos três poderes. Coincidência, Jerry?

Para piorar, pasmem: Márcio Jerry quer cobrar “explicações” da Secom do presidente Bolsonaro. Parece que mesmo tendo um infinito “telhado de vidro” vem agindo como se pudesse atirar pedras no estilo de Lênin, que dizia: “acuse-os do que você faz, chame-os do que você é”.  Será?

A turma do “pedigree vermelho” baixou o nível no primeiro ano da legislatura em 2019. 

Mas a futricagem não ficou por ai, enquanto não se tem notícias oficiais sobre os desvios milionários na Saúde, nos Portos, na Previdência, os aliados de Flávio Dino, safra nova de políticos, os novos deputados da Assembleia Legislativa continuam se comportando feito meninos.

Aliás, devem estar seguindo o triste exemplo do seu líder, que vive “tuitando” desaforos ao presidente e seus ministros, COMO SE AINDA FOSSE ESTUDANTE SECUNDARISTA,enquanto os deputados que ficaram conhecidos como os “Menudos” de Flávio Dino (Duarte Jr, Rubens Jr, Neto Evangelista Jr, etc…) fazem da Assembleia Legislativa um verdadeiro ringue no parlamento estadual.

São Luís não precisa de “Mais Menudos”.

Tudo que um pré-candidato a prefeito da capital maranhense precisar fazer para se dar bem é ficar distante de Flávio Dino e Edivaldo Holanda. Mas Madeira não entendeu isso.

O blogueiro John Cutrim deu logo o furo: Carlos Madeira teria ido “beijar a mão” do padrinho Flávio Dino. Segundo o blogueiro Dino-holandista, Madeira, que horas antes disse que era “independente”, foi logo “visitar” o chefão comunista acompanhado de seu secretário. É bem verdade que Madeira pode ter caído no velho truque comunista de aparecer na foto sorrindo com Flávio Dino, neste quesito, faltou “traquejo político” .

Na leitura de John, com foto e tudo do ex-juiz Carlos Madeira, que teria dito na sua coletiva de imprensa que não ia “ficar em cima do muro”, mas foi logo visitar o “chefão”.

É bem verdade que os blogueiros governista só têm interesses na divulgação dos candidatos Dinistas: Rubinho, Netinho, Duartizinho, que são apontados pelo establishment (panelinha comunista, ou elite Dinista) como preferidos para a sucessão de Edivaldo Holanda Jr, que cumpriu seu dever de casa, por 8 anos, ficando em submissão total ao chefão comunista.

Cheque mate nos Leões, por hora o consórcio dos Menudos ainda sobrevive. A tática de 2020 continuará sendo a mesma de décadas: os dois leõezinhos comandarão tudo, o governador que será, de fato, o prefeito.

John jogou pro limpo que o lançamento da pré-candidatura do ex-juiz federal, Carlos Madeira, filiado no Solidariedade, partido do secretário Simplício Araújo, que também é submisso total ao governador Flávio Dino, deverá ser outra candidatura de Menudo.

Pelo visto Madeira iniciou de forma péssima sua pré-campanha. Essa talvez seja sua pior atitude, demostrando que não há novidade alguma, afastando quem tinha esperança de fazer diferença. Abaixo, trecho do John Cutrim:

Madeira caiu no velho truque comunista de aparecer na foto sorrindo com o chefão do comunismo…

Governador tenta aparecer na mídia atacando Sérgio Moro com retuítes de seguidores eletrônicos…

Quem quer respeito, dá respeito. Depois reclama que tá sendo chamado de “paraíba”…

Como não tem nada para mostrar, o novo picolé de chuchu adora desrespeitar autoridades do governo federal para dizer que existe.

Desta forma Dino só cai no conceito do povo. Se continuar caindo, vai parecer que “derreteu” feito picolé de chuchu.

Robôs de Dino?

Essa imagem do governador do estado desrespeitando autoridades corriqueiramente é, antes de tudo, desrespeito ao nosso povo. É esse o exemplo mequetrefe que Flávio Dino tem dado ao povo do Maranhão?

Ridículo: Além de grosseiro, anti-democrático, beira as piores irresponsabilidades cometidas por quem deveria demostrar que segue as leis, e não o contrário, ficou feio para um ex-juiz. O pior que tem gente que aplaude, acha lindo.

É justamente desse tipo de político, sem respeito,  que a democracia brasileira vem sofrendo “vertigem”. Depois quer reclamar do azar.

Na imagem do dia, outra “gogozada” do comunista que adora aparecer nas mídias eletrônicas. Uma perguntinha, seus seguidores, que batem palmas, são funcionários, pagos, ou apenas robôs-teleguiados?

Midiático ao extremo,quando não aparece nas mídias pagas com dinheiro dos pobres, ao lado de gente sem expressão, como o apresentador Luciano Huck do PSDB, o governador maranhense, que deveria se dar ao respeito, aparece agredindo publicamente autoridades do governo federal.

Após 5 anos de gestão desastrosa do comunismo, Maranhão permanece em vertigem sob o Dinismo…

Maranhão em vertigem: extrema pobreza denuncia verdadeiro “investimento” do ex-juiz que prometeu “tirar o Maranhão da pobreza”.

O Maranhão é o único estado do Brasil que os municípios são quase todos administrados pelo PCdoB. Em nenhum outro estado do Brasil o Partido Comunista tem governadores, senadores e prefeitos, só no Maranhão. Foi esse o esforço maior de Flávio Dino. É esse seu maior investimento?

Democracia em vertigem: Maranhão foi induzido ao erro, por isso permanece no atraso. Investimento? 

Não adiantou inventar o “Mais IDH” para tirar as 30 cidades mais pobres do Brasil (e do mundo) se o verdadeiro investimento do ex-juiz federal Flávio Dino, foi em crescer sua legenda, o PCdoB, e defender o indefensável, como fez várias vezes, tendo que viajar de jatinho para outras capitais do Brasil, para se pronunciar em defesa de um ex-presidente preso por corrupção.

Em detrimento a pobreza e atraso, a única coisa que cresceu vertiginosamente no Maranhão foi o PCdoB. Na Grande Ilha (Região Metropolitana) dois prefeitos foram eleitos pelo PCdoB, a capital é dominada há anos pelo maior aliado de Flávio Dino, o PDT.

Vale lembrar que, foi justamente na gestão de Edivaldo Holanda Jr, que Flávio Dino iniciou sua campanha e governador, há exatos 8 anos, iniciou pela prefeitura da capital do Maranhão, São Luís.

Sabem como estão as várias cidades administradas pelos aliados de Flávio Dino, hoje? Esquecidas na pobreza extrema.

Menudos de Dino, PSL sem Bolsonaro?

Menudo 2020: PSL sem Bolsonaro, só Bivar….

Na imagem do dia, a visita dos deputados da base governista da Assembleia Legislativa ao PSL, legenda que deu vitória ao presidente Jair Messias Bolsonaro.

Ao lado do presidente estadual da legenda, Chico Carvalho, os deputados: Neto Evangelista, que é pré-candidato a prefeito no consórcio comunista (Dinista), e Stenio Resende, ambos do DEM, partido dos traíras do Congresso Nacional, em visita ao PSL.

Segundo membros do PSL, os deputados foram falar com o vereador Chico Carvalho a respeito das eleições de outubro para prefeito de São Luis.

No detalhe da foto, apenas a foto do presidente nacional do PSL, Luciano Bivar.

Antes da visita dos “menudos”, era impensável mostrar o PSL sem a foto do presidente Bolsonaro. Coisa do DEMO?

Quem vive no Maranhão da atualidade sabe que a política está piorada.

O mal do petismo parece ter sido continuado em alguns estados que teimam em subjugar a população com práticas ignóbias.

As pratica escusas vão além de acusações. Elas continuam sendo mantidas, o pior de tudo, há indícios que pelo dinheiro dos pobres e dos explorados pagadores de impostos. É dessa gente humilde que se apropriam, talvez pela falta de discernimento político, falta de instrução, o certo é quem os pobres vêm sendo enganados, roubados, por inescrupulosos que se intitulam “defensores”, representantes dos direitos humanos, mas agem contra seus direitos básicos.

Loucura?

Abaixo, trecho do Jornal da Cidade Online:

Modus Operandi: Diz que luta contra a homofobia, mas encara a “homossexualidade” como forma de ofensa.

Esquerdista tentam atingir adversários com aquilo que dizem defender?

Como a esquerda age, quando quer desqualificar um desafeto? Ataca a sua sexualidade.

Sim. Eles mesmos, que dizem lutar contra a homofobia, que se dizem os defensores das minorias, que fazem escândalo com uma piada sobre gays, quando querem ofender alguém, retratam-no como homossexual.

É a turma que defende a liberdade, atacando o mundo livre; defende a democracia, exaltando ditadores; defende os
“direitos humanos”, tentando legalizar o aborto…

Esses também defendem os gays, apoiando o Irã e seu Aiatolá genocida. Para eles, os “amigos” dos LGBTs, homossexualidade é uma forma de ofensa. Esquerdismo é doença mental.

“Foge, por um instante, do homem irado. Mas foge sempre do hipócrita.” (COFÚNCIO)

Em relação às expectativas econômicas, o ano de 2020 se inicia da mesma forma que 2019. O Relatório de Mercado Focus de quatro de janeiro de 2019 – informativo editado pelo Banco Central (Bacen) que agrupa as projeções dos maiores bancos e consultorias econômicas do país – indicava que a economia iria crescer 2,5% naquele ano.

O Focus de três de janeiro último projeta expansão de 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2020.

Contudo, apesar da expectativa inicial quanto a um bom desempenho do PIB no ano passado (2,5%), esse deve crescer, apenas, cerca de 1% – o dado oficial sai no dia quatro de março – se igualando, praticamente, à performance de 2017 e de 2018. O possível crescimento de 1% em 2019 está razoavelmente em linha com os mais realistas, que não acreditavam que os complexos problemas econômicos e socias nacionais iriam ser resolvidos rapidamente, somente porque um novo grupo, com visões diferentes, se instalou no em janeiro passado.

Em realidade, é forçoso reconhecer que não se muda as políticas econômicas e os rumos do país de supetão ou por arroubos verbais. Não foi assim em 2003, quando Lula assumiu o governo trombeteando que recebeu uma “herança maldita”, e não será assim com Bolsonaro. Para se contornar o colapso que abateu o Brasil ao final da era petista, têm-se que persistir nas boas ações econômicas, que já vinham do governo anterior – o futuro fará justiça à boa equipe econômica de Temer – e introduzir paulatinamente as mudanças que se acredita como necessárias. Até mesmo porque transformações econômicas levam tempo para produzir resultados efetivos.

No geral, em seu ano inaugural, a gestão econômica de Bolsonaro acertou mais do que errou. Esse resultado se deu, principalmente, porque ela manteve políticas acertadas da administração passada, como o manejo eficiente da taxa de juros Selic pelo Bacen e o ajuste fiscal, e também por não cumprir promessas extremistas e irreais de campanha, como implementar um irrestrito processo de privatizações, adotar um sistema de capitalização na Previdência ou zerar o déficit público logo em 2019.

A aprovação da Reforma da Previdência foi o maior troféu das conquistas de Bolsonaro – um incrédulo liberal recém convertido. A proposta passou com redução de despesas projetada para algo em torno de 800 bilhões para os próximos 10 anos. Aliás, a introdução da Reforma da Previdência, que estabeleceu confiança no retorno do equilíbrio fiscal do país, certamente ainda vai render bons frutos para a economia brasileira, provando para os mais céticos que esse foi um acerto histórico.

A inflação foi outro aspecto positivo. Mesmo fechando o ano em 4,31% – acima da meta que era de 4,25% – o índice de preços comportado, inclusive em razão da fraqueza da economia, impediu que a renda do trabalhador fosse corroída, em muitos casos isso significou mais consumo, e principalmente possibilitou que o Bacen persistisse na queda dos juros, movimento que, da mesma forma, vem do governo anterior.

A taxa Selic finalizou 2019 em 4,5%, acompanhada da expectativa de que essa baixa chegue, de fato, aos financiamentos e empréstimos, como já se vê no mercado imobiliário e no automobilístico. Esse contexto pode impulsionar a economia, além de implicar numa redução de R$ 90 bilhões no pagamento de juros da dívida pública em 2020, o que acabará por melhorar as contas do país.
O desemprego ainda é uma chaga.

A queda é lenta, e ele atinge 12 milhões de brasileiros, muitas das vagas geradas foram no mercado informal, onde não há garantias trabalhistas e o rendimento é menor, o que atrapalha a recuperação da confiança e do consumo. Ademais, as novas relações de trabalho, mais flexíveis e informais, são assunto que dominarão o debate na área nos próximos anos, não só no Brasil, quanto no mundo.

Os desafios para 2020 estão na consolidação fiscal, no andamento das reformas tributárias e administrativas e no avanço das privatizações e concessões. Todas essas medidas sofrerão para serem aprovadas num Congresso que estará de olho nas eleições municipais. Tudo somado, com alguma sorte e dependendo do volátil cenário externo, em que nossos principais parceiros comerciais­ – China, EUA e Argentina – passam por dificuldades próprias, pode-se arriscar, enfim, para um crescimento de 2,5% neste novo ano.

Por Eden Jr., doutorando em Administração, Mestre em Economia e Economista ([email protected])

A primeira Conferência Conservadora do Maranhão aconteceu neste sábado, 11 de janeiro de 2020, no auditório da Faculdade Pitágoras da Avenida São Luís Rei de França, trazendo duas palestrantes: a deputada estadual Ana Campagnolo (SC), a ex-feminista Sara Winter, que faz parte da equipe da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Ana Campagnolo ao lado de Lorena Rachel, que é uma das idealizadoras do evento

O público alvo foram os conservadores maranhenses, que ouviram atentamente as palestras e aprenderam sobre aspectos da ideologia comunista, impregnada com orientações que dominaram sutilmente nossa cultura nos últimos anos.

A deputada estadual Ana Campagnolo, que é historiadora, discorreu pelos aspectos culturais, comprovando cientificamente que o marxismo cultural tem deturpado de forma sutil a vida do povo brasileiro, até dominar a política e todos os setores da sociedade.

Uma das preocupações de Ana Campagnolo foi sobre a cultura da atualidade. Ana advertiu a juventude conservadora sobre os escritores e músicos da atualidade, fazendo uma observação daquilo que foi produzido, por exemplo, nos anos 70, e aquilo que está sendo produzido hoje, numa rápida comparação entre Caetano Veloso e Pablo Vittar.

A ex-feminista Sara Winter, que é analista e consultora de políticas públicas, tem atuado para desfazer as distorções impostas pela ideologia comunista.

Em sua palestra durante a manhã deste sábado (11), Sara Winter falou sobre suas experiências como ativista do feminismo, do seu caminho de volta, de como abandonou a mentalidade “abortista” após ter sofrido no próprio corpo os malefícios causados pela “indústria do aborto”.

Em suas palavras, Sara orientou as jovens maranhenses a não serem levadas pela “sede do empoderamento”.

“A mulher empoderada é aquela que sabe assumir suas responsabilidades. As mulheres não devem fazer sacrifícios em busca da independência para ter uma vida tranquila, sem a sede do “empoderamento”. Tudo tem que ser com equilíbrio, as mulheres precisam do amor da família.

Sobre o feminismo, Sara Winter foi enfática:

“Sou contra o aborto, fui feminista por vários anos e posso afirmar que as feministas não querem ajudar as mulheres, querem  usar as mulheres como instrumento duma guerra ideológica”.

Os idealizadores do evento marcaram para o mês de março a próxima conferência.