Sabe a violência que o governador tentou esconder?

Dois irmãos assassinados na Vila Esperança no dia do natal, a mãe chora as perdas e desabafa sobre o descaso do governo.

O ano de 2016 começa violento, mais duas agências de bancos destruídas por assaltantes, também, uma mãe perdeu dois filhos, segundo o Bandeira2, para presidiários que usavam tornozeleiras eletrônicas, que deveriam ser monitorados, mas, estavam livres e armados de revolveres num bar.

Resultado, os presidiários, que foram soltos, mataram dois irmãos na frente da mãe. Isso é o governo da “mudança”, que diz ter reduzido a violência.

Olha aí a mentira do governador vindo à tona…

Taí uma coisa que o governador não falou ontem, em entrevista aos gaúchos, que a violência está pior. Só no ano passado, as agências que assaltantes explodiram chegaram a quase 100 casos.

Ainda no inicio do ano de 2016, mais duas agências foram explodidas, os assaltantes levaram todo dinheiro, e a polícia, não prendeu ninguém…

Justiça solta presos e não monitora: Mãe perde dois filhos para assassinos durante as festas de final de ano.

Abaixo, a denuncia feita pelo Bandeira2, que desmente as peças publiciárias enganosas do governo comunista que “não houve assassinatos nas festas do final de ano na capital”:

É essa a mudança?

Observamos que os comunistas fazem no Maranhão a mesma coisa que o PT tem feito em Brasília: Amordaça a imprensa.

Abaixo, a verdade que o governo comunista tentou mascarar sobre os números da violência e mortes na capital maranhense.dino mentira

Por Abimael Costa

Jornal Pequeno ataca Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH)

A Nota técnica Mortes Violentas Intencionais na Grande São Luís (2015) divulgada pela Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) parece continuar incomodando muita gente dentro e fora do governo Flávio Dino. Entenda o caso: Mil mortes violentas intencionais em São Luís no ano de 2015.

Mesmo tendo sido produzido a partir do monitoramento de veículos de comunicação e da análise de relatórios da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), o documento, seus autores e a SMDH, vem sofrendo duros ataques e criticas por parte daqueles que até dezembro de 2014 elogiavam, defendiam e aplaudiam a SMDH, suas Atividades, relatórios e notas.

Em um agressivo, covarde e deselegante editorial, escrito e assinado pelo poeta e jornalista JM Cunha Santos, – Sofisma na SMDH – o Jornal Pequeno desta terça-feira (05), faz o vergonhoso papel de porta voz do governo do Estado do Maranhão e parte para o ataque.

O matutino inicia tentando desqualificar a nota, ao afirmar tratar-se SOFISMA – uma mentira, propositalmente maquiada por argumentos verdadeiros, para que possa parecer real – que teria sido criada com objetivos políticos e com “propósito de buzinar sensação de insegurança na sociedade. Talvez, em busca de um irrealizável sonho eleitoral.” o articulista chega ao ponto de insinuar “O que se pergunta é a que propósitos servem essa manipulação.” Ao defender os números oficiais, que destoam dos divulgados pela SMDH o matutino afirma:  Não se trata, como nas bárbaras compilações do senhor Wagner Cabral, de matéria de inclinação política.

Referindo se a nota da SMDH, o editorial diz: “A má intenção é gritante…Política rasteira, inconformismo”   Conclui afirmando: O que a frieza dos números não mostra é a guinada de 180 graus à direita, de quem passou a vida se dizendo de esquerda e parece sentir muitas saudades do sarneisismo que, graças a Deus, passou.

Neste Editorial, que transcrevo abaixo na integra, o Jornal Pequeno além de atacar a SMDH de forma grosseira e vil, faz graves insinuações contra o historiador Wagner Cabral, e demais membros da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos e tenta desqualificar e desacreditar perante a opinião publica uma instituição séria e honrada que tem relevante serviços prestados à sociedade maranhense. Só resta lamentar que na ânsia de defender o governo comunista e na falta de argumentos sólidos, reste ao Jornal Pequeno este papel vil e desprezível.

Sofisma na SMDH – JM Cunha Santos

Editorial Jornal Pequeno, 05 de janeiro 2016

Partir de premissas verdadeiras para chegar a conclusões falsas, usando dados publicados no site da própria Secretaria de Segurança, aglutinando critérios e manipulando dados. Eis o sofisma que, por razões políticas as mais torpes, foi usado por cavaleiros que imputam falsas estatísticas de violência à Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, no propósito de buzinar sensação de insegurança na sociedade. Talvez, em busca de um irrealizável sonho eleitoral.

Os critérios de mensuração adotados pela Secretaria de Segurança Pública não foram inventados aqui; têm origem na Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) e foram convencionados na própria Organização das Nações Unidas (ONU). Não se trata, como nas bárbaras compilações do senhor Wagner Cabral, de matéria de inclinação política.

A má intenção é gritante. Juntaram tudo: afogamento, morte por descarga elétrica, acidente de trânsito, homicídios, naturalmente, e até ataque cardíaco, para concluir e divulgar que houve mais mortes violentas em 2015 (homicídios) que em 2014, que está havendo mais violência no governo Flávio Dino que houve no governo Roseana Sarney. E isso é querer zombar demais da capacidade de discernimento da população.

Política rasteira, inconformismo. Mas mentira tem perna curta. Esse povo inteiro viu São Luís ser eleita entre as cidades mais violentas do mundo nos últimos anos de governo da patronesse; viu o sangue dar no meio do pescoço na Penitenciária de Pedrinhas e entidades de defesa dos Direitos Humanos de todo o mundo desembarcarem, aqui, assustadas e indignadas, como se fosse o Maranhão, em 2013 e 2014, uma zona de guerra.

Foi nestes anos que o crime organizado praticamente assumiu o controle do sistema penitenciário; nestes anos que as facções criminosas tiveram o topete de incendiar, arrastar e provocar pânico na capital, São Luís; nestes anos que a polícia inteira do Maranhão se sitiou na Assembleia Legislativa em defesa de uma reestruturação do sistema de segurança. O que se pergunta é a que propósitos servem essa manipulação.

Ontem, em rápida conversa com repórteres, o delegado-geral Lawrence Melo Pereira exibiu dados comparativos: foram 910 homicídios em 2014 e 801 em 2015, uma redução percentual de 12% ou 109 mortes violentas a menos. Sob o critério “Crimes Violentos Letais Intencionais”, (que reúne homicídios, mais lesão corporal seguida de morte, mais latrocínio), bem distante das contas subjugadas de Wagner Cabral, os dados da Secretaria de Segurança são: 987 homicídios em 2014 e 910 em 2015, ou seja, 8 % a menos, 77 mortes violentas evitadas.

O que a frieza dos números não mostra é a guinada de 180 graus à direita, de quem passou a vida se dizendo de esquerda e parece sentir muitas saudades do sarneisismo que, graças a Deus, passou.

Não apenas uma vez, várias vezes, o governo “republicano” dos comunistas, tenta passar com a mentira…

Dé férias, Flávio Dino tenta mostrar um Maranhão televisivo que, da mesma forma que fez Roseana Sarney, dá até gosto de morar na televisão, na bela propaganda do governo…

Pega na mentira…

Olha aí o governador maranhense investindo na sua candidatura para presidente da república…

A Secretaria de Comunicação enviou e-mails, contendo trechos duma “entrevista” de Flávio Dino, numa rádio em Porto Alegre. Na pauta, um Maranhão que só existe nos sonhos, e também na televisão…

Viram aí, o governador Flávio Dino dando entrevistas, vendendo um Maranhão ilusório, que só existe nas propagandas do governo?

De férias, dando entrevista? 

Aqui está o grande motivo do recente confronto entre os comunistas e os membros da Sociedade de Defesa dos Direitos Humanos, que tem desmentido o grupo do governador. Os comunistas, lógico, atacaram da forma como sempre fazem: acusando quem bate de frente contra seus interesses, chamando-os de “sarneysitas”. Veja, abaixo:

Um dos pontos da “entrevista” serviu para exaltar a segurança “nota dez”, os “investimentos” de Dino, que falou para os gaúchos uma maravilha de Maranhão, que não houve mortes nas festas de final de ano, que nomeou mais de 1500 novos policiais, parari, parapá. Um sonho esse nosso Maranhão.

De férias, dando entrevista? I

Essa “entrevista” dada aos gaúchos, serviu para mostrar que os comunistas investem muito dinheiro na imagem de Flávio Dino fora do Maranhão. Tá na cara que seu desejo agora é ser presidente da república.

Tucanou? Flávio Dino sai de cena…

Brandão movimenta Palácio na ausência de Dino…

1_Governador-Carlos-Brando-e-Luis-Fernando

Hoje durante o dia inteiro o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), foi visitado pela classe política. Entre tantos políticos influentes, o ex-prefeito de São José de Ribamar, Luíz Fernando Silva, preferido para as eleições desse ano.

IMG-20160105-WA0040A candidata Eliziane Gama, também, preferida no eleitorado da capital.

Governador de fato…

A conversa dos bastidores é a saída de cena do governador maranhense. Flávio Dino, mesmo de férias, não desgruda do tuiter, e mesmo passando oficialmente seu cargo ao vice-governador, Carlos Brandão (PSDB), colocou (de fato) a faixa de governador, foi no seu secretário faz tudo, Márcio Jerry.

Governador de fato II

De agenda para sua terra natal, o vice-governador, Carlso Brandão, teve que levar à tira colo, o secretário Marcio Jerry, que, investe pesado na campanha de sua irmã a prefeita em Colinas. Já Carlos Brandão, que tem familiar candidato, terá que observar tudo de longe, pois, a faixa, pende para o lado esquerdo…

Governador de fato III

Não foi por causa do fracasso da campanha “golpe nunca mais” realizado com vigor e euforia pelos comunistas em favor da presidente Dilma Rousseff, usando, inclusive, as estruturas do Palácio dos Leões para promoção política de um candidato a presidente da República, Ciro Gomes do PDT.

Factoides contra prefeita…

Virou marcação. Novamente a prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, é alvo de mentiras pelos blogueiros do palácio.

Desta feita, inventaram que a prefeita recusou um caminhão repleto de alimentos que foi enviado pelo governo. Quem em sã consciência iria recusar comida?

Abaixo, uma nota enviada pelo historiado Wagner Cabral, chamando o governador Flávio Dino de mentiroso:

88eb73f0-4d7c-4773-81b0-e2929e83ecde

Só no Maranhão: Planos de internet ilimitada foram mudados pela Vivo prejudicando usuários.

Um abuso sem precedentes: mesmo assinando um contrato para usar internet ilimitada, fui obrigado a mudar de plano para ter mais dados de internet, simplesmente porque a Vivo negava fornecer pacote de dados.

Mesmo pagando minhas contas mensalmente, tive meu pacote de internet diminuído várias vezes, até que, não tendo mais alternativas, tive que cancelar meu número. Aviso: quem ligar para o número 98 991884199, não vai estar mais ativo. Culpa da Vivo.

Clica na imagem para ampliar

Clica na imagem para ampliar

A empresa Vivo de telefonia móvel, de forma arbitrária, rasgou o contrato de vários usuários, obrigando-os a cancelar seus planos de internet.

Os usuários que assinaram contratos de internet ILIMITADA, foram obrigados a migrar para outros planos, pagarem mais, até que pedissem para cancelar suas linhas. Alguns, como no meu caso, foram obrigados a perder seus números, sem que pudessem fazer a portabilidade para outra empresa de telefonia móvel.

Texto do deputado José Reinaldo Tavares

Em recesso de final de ano, na praia, procurando relaxar desse ano tenso e turbulento que ficou para trás dediquei-me a leitura, o que faço com prazer. Comecei a ler um livro comprado há anos atrás, que eu sempre postergava mas, que agora achei que estava na hora.maxresdefault

Trata-se do Lanterna na Popa tomo um das memorias de Roberto Campos. Um livro maravilhoso que vale a pena ler. Entremeando a leitura com jornais e revistas vi na revista Veja um trabalho denominado Ranking de Competitividade Entre os Estados elaborado pelo Centro de Liderança Pública(CLP) em parceria com a consultoria Tendências e com a Economist Intelligency Unit(EIU), divisão de pesquisa e análise do mesmo grupo que edita a revista inglesa The Economist. Esse trabalho que será repetido ano após ano procura aferir e comparar a qualidade de serviços públicos e privados, além da boa infraestrutura existente nos estados capazes de atrair investimentos das empresas privadas. Assim é um ranking de competitividade entre os estados.

As comparações se dão entre dez grandes grupos de parâmetros: Potencial de Mercado; infraestrutura; Capital Humano; Educação; Sustentabilidade Social; Segurança Pública; Sustentabilidade Fiscal; Eficiência da Máquina Pública; Inovação; Sustentabilidade Ambiental. Cada um desses parâmetros é subdividido em outros que são analisados, perfazendo, ao todo, sessenta e quatro parâmetros.

Os dados primários são todos de institutos e publicações oficiais e as notas variam de zero a cem, e são mencionados sempre os três melhores estados e a nota do estado pesquisado e a média do Brasil. Em seguida vem o ranking em cada um desses parâmetros mostrando o lugar do estado e sua classificação entre os demais vinte e sete.

Para não cansar os leitores citarei apenas os parâmetros em que o Maranhão ocupa os três primeiros lugares ou os últimos três.

Sim somos primeiro em alguns, sim, mas infelizmente últimos em muitos e o pior alguns desses são muito importantes para a atração de empresas. No geral ficamos com a média de 44 em um total de cem pontos acima da média brasileira de 37 pontos. Mas o Brasil vai mal em termos internacionais pois em comparação com o México, último da Organização para Cooperação do Desenvolvimento Econômico(OCDE) que reúne os países mais desenvolvidos do mundo, estamos bem pior.

O Maranhão é o primeiro em Taxa de Crescimento de Mercado por causa do crescimento relativo do PIB nos últimos anos. Hoje somos o décimo sexto do país. Na Infraestrutura somos o segundo em Qualidade de Energia mas somos o último em Acesso a Comunicação e primeiros em Tarifa Média de Água, a mais barata e os terceiros em Custo de telecomunicação.

Em Capital Humano somos o primeiro no Custo de Mão de Obra, visto pela ótica do investidor já que a nossa mão de obra tem a mais baixa remuneração de todos os estados. Em PEA com Ensino Superior somos o vigésimo sexto do país, ou seja somos os penúltimos. Em Produtividade do Trabalho somos o vigésimo sétimo, somos os últimos. Em Qualidades dos Trabalhadores somos os penúltimos. Ou seja não temos ainda, mão de obra de qualidade o que é muito ruim para atrairmos empresas e bons empregos. É um fator de pobreza.

Na Educação começamos com a Avaliação da Educação que foi classificada como a pior do país. No IDEB somos os vigésimos terceiros, no ENEM os vigésimos e no PISA os vigésimos sexto. No índice de Oportunidade da Educação ocupamos o penúltimo lugar no Brasil ou seja a nossa educação não nos dá grandes oportunidades como deveria dar. Falta qualidade.

Na Sustentabilidade Social somos os últimos em Segurança Alimentar, os últimos em Inadequação de Moradias, também os últimos em Famílias Abaixo da Linha de Pobreza, os antepenúltimos (25) em Desigualdade de Renda, os últimos em Acesso ao Saneamento Ambiental-Água, os penúltimos em Saneamento Ambiental-Esgoto, os penúltimos em Formação de Mercado de Trabalho assim como os penúltimos Inserção Econômica e no IDH e na Mortalidade Materna. Somos porém os primeiros do país em Previdência Social.

Na Segurança Pública somos os antepenúltimos em Situação do Sistema de Justiça Criminal e penúltimos em Mortes no Trânsito, porém primeiros em Déficit Carcerário.

Em Sustentabilidade Ambiental somos os vigésimos quarto em Emissões de CO² e em Tratamento de Esgotos e antepenúltimos em Serviços Urbanos.

Esse é mais um desafio que o governador Flávio Dino terá pela frente. Mal começando o seu governo enfrenta uma terrível recessão econômica que, entretanto ainda não paralisou o seu governo como aconteceu em quase todos os outros estados graças as medidas que tomou preventivamente.

Creio muito no sucesso do seu governo e tenho certeza que ele se sairá bem ao final.

Pelos dados expostos, entretanto parece que a chave para mudar o Maranhão será uma revolução na Educação, tarefa a que o governador como professor universitário de grande talento tem habilitações pessoais. Mas sozinho nada se consegue, é preciso que a secretaria seja povoada com gente muito habilitada, tenha uma atuação muito focada na qualidade, acompanhamento sistemático dos resultados, tal a urgência e da sua importância para o futuro do Maranhão. Tudo o mais melhora com a educação.

Não estou querendo criticar qualquer pessoa ou dirigente o que eu quero é ajudar o governo Flávio Dino a resolver os grandes entraves ao nosso desenvolvimento. E faço isso porque conheço vários casos de sucesso impressionante na educação. Um desses casos é o de Minas Gerais. Era um dos últimos do Brasil em educação e em quatro anos passou a ser um dos primeiros. Em quatro anos. Se puderam fazer lá poderemos fazer aqui, aproveitando os caminhos que já trilharam com sucesso.

O governador acostumado a enfrentar desafios terá muito trabalho pela frente.

De repente um vereador de uma distante cidade começou a ficar conhecido através dos blogues palacianos.

????????????????????????????????????

Contam que a deputada federal, Eliziane Gama (Rede), bem cotada para ganhar as eleições de 2016 na capital maranhense, terá que deixar suas atividades parlamentares com o alto escalão do Congresso federal em Brasília, para atender um vereador do município de Peritoró-MA.

Além da deputada, outros líderes do PPS, inclusive a própria Marina Silva (Rede) terão que se deslocar até a cidade do vereador para atender todas as suas demandas e pendengas político-eleitorais.

O edil que até então era um “desconhecido”, começou a ganhar notoriedade nos blogues palacianos, através de uma revelação: “se a deputada Eliziane Gama não quiser atende-lo, logo, poderá, inclusive, perder a eleição”.

Na “república” da mesquinharia…

Por essa ninguém esperava: dizem nos bastidores que até cantora de samba está sendo barrada pelos comunistas.alcione-e-roseana

E não é que a cantora Alcione não participou das festas de final de ano no Maranhão?

A justificativa para a “retirada” da lista das atrações seria pelo fato da cantora ser amiga pessoal da ex-governadora Roseana Sarney e por tabela, simpática à candidatura de Edinho Lobão(PMDB), derrotado nas últimas eleições pelo comunista Flávio Dino.

População da capital reclama que foi esquecida por Clayton Noleto, que preferiu dar atenção a Imperatriz.

Foram estranhamente esquecidos, os moradores da Maioba em Paço do Lumiar, enquanto os secretários do governo Flávio Dino, só tiveram olhos para a região Sul do Maranhão, onde o comunista Márcio Jerry queria emplacar Cleyton como prefeito.

Outdoor dos comunistas na entrada de Imperatriz dando visibilidade ao secretário Clayton Noleto, pretenso candidato a prefeito...

Outdoor dos comunistas na entrada de Imperatriz dando visibilidade ao secretário Clayton Noleto, pretenso candidato a prefeito…

Os problemas da MA 202 permanecem há 20 anos e nunca foram resolvidos. Os moradores culpam o governador pelo abandono.

“Nunca um governador resolveu a situação que liga Paço do Lumiar a São Luís, nunca tivemos um governador competente para mudar essa situação”, reclama, Raimundo Nunes, morador.

Há mais de uma ano que os moradores da capital esperam uma atitude do governador Flávio Dino com relação ao trecho da MA 202, totalmente destruida. Mas, nada.

Vejam na reportagem da TV Difusora o desabafo de alguns populares pela atitude desumana e politiqueira de Márcio Jerry e  Clayton Noleto:

Correria nos palácios da Pedro II, correndo para remendar…

Após o “leite derramado”, alguém precisou dar as “caras para levar tapas”.

Agora, governador e prefeito tentam reverter o quadro negativo das imagens do “asfalto sonrisal” que afundou devido as chuvas, e também, as obras mal feitas da Caema nas primeiras horas do 1º de janeiro de 2016.

Corre, Edivaldo, ainda dá tempo de tentar reverter, basta fiscalizar e usar asfaltos de qualidade.  Abaixo, diretor da Caema quarteirizando a culpa que seria da Prefeitura, Governo, Caema, mas, sobrou apenas para a empresa Artec.

culpa

 

1 408 409 410 411 412 459