Browsing: Ricardo Santos

O deputado estadual Zé Inácio (PT), utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (8), para fazer referência ao Dia Internacional da Mulher.

Ao discursar, o parlamentar reconheceu o avanço em políticas públicas para mulheres e destacou as conquistas que devem ser celebradas, enquanto outras ainda precisam ser alcançadas, visto os desafios difíceis que elas enfrentam.55cebc76-c920-4f8c-ba7a-c2a94bd52143

“O Dia Internacional da Mulher é marcado como o dia de luta das mulheres que tiveram e ainda têm direitos a serem conquistados, direitos esses que vão desde o voto ao trabalho digno. No Brasil, além do direito ao voto, que se configurou em 1932, as mulheres também lutaram para conquistar o direito à maternidade, à educação e ao trabalho. No entanto, ainda existem diversas barreiras que impedem as mulheres de desfrutarem da igualdade, mesmo diante dos avanços significativos. Dentre eles, há o problema da violência e a baixa representação política”, lamentou Zé Inácio.

Para o deputado Zé Inácio, o combate à violência contra a mulher no Maranhão, é um desafio que deve envolver ações conjuntas entre a sociedade, os poderes executivo, legislativo e judiciário e as organizações da sociedade civil, e é de fundamental importância a participação da mulher no cenário político, a fim do desenvolvimento social da classe.

“Não podemos aceitar que as mulheres sejam violentadas pela sua condição de mulher, como vimos recentemente no assassinato da trabalhadora rural Francisca das Chagas, do município de Miranda do Norte, em fevereiro do ano passado. Em relação à participação das mulheres na política, o Brasil ainda detém de uma das taxas mais baixas da presença das mulheres no Congresso Nacional. O combate à violência, a participação das mulheres na política, sua inclusão no mercado de trabalho e o seu direito às condições dignas, asseguram-se com ações e mobilizações  populares para que possamos construir uma sociedade sem violência, com a participação efetiva e a garantia da igualde de gênero”, ressaltou o deputado.

Mais homenagens às mulheres: Parabéns às mulheres corajosas, patriotas deste Brasil que pedem o fim da impunidade e da corrupção…

Aeroporto de Brasília neste 7 de Março para recepcionar políticos.

Vejam os militares da (Aeronáutica/FAB) cercando as cidadãs que protestavam de forma pacifica, sem representar ameaça. No entanto, as armas estavam apontadas contra suas vidas.

20160308111002

20160308111002 (1)

Mulheres patriotas batendo panelas no Aeroporto de Brasilia, confira no vídeo:

O Dia Internacional da Mulher não é considerado uma data de celebração – ele existe para lembrar a luta por igualdade que ainda acontece. Que tal conhecer algumas mulheres que contribuíram para essa luta?

Vem ver algumas dicas do perfil @malu_mad

 Arábia Saudita e sua primeira delegação de atletas para as Olimpíadas. Wojdan Shaherkhani e Sarah Attar

Gulabi Gang, mulheres indianas que lutam contra a violência doméstica 

Nesta semana de comemoração do Dia Internacional da Mulher, a deputada federal Eliziane Gama apresentou projeto de lei que valoriza as quebradeiras de coco babaçu. A proposta é fruto de encontro entre a parlamentar e representantes de comunidades extrativistas.1260312041_1quebradoras_de_coco_maranhao3

“A ideia é valorizar estas populações, principalmente estas mulheres que arduamente trabalham para conquistar o sustento das suas famílias”, enfatizou.

O projeto de lei apresentado por Eliziane Gama, única representante feminina da bancada maranhense, proíbe a derrubada da palmeira do babaçu nos estados do Maranhão, Piauí, Pará, Tocantins, Goiás e Mato Grosso.

Eliziane esclareceu que a proposta é também garantir que estas áreas sejam destinadas para estas comunidades envolvidas com a coleta do fruto.

“A lei irá garantir que matas naturais de babaçu sejam usufruto comunitário de populações de extrativistas que as exploram em regime de economia familiar”, esclareceu.

De acordo com a parlamentar, hoje aproximadamente 400 mil famílias extrativistas vivem da coleta e quebra do coco babaçu para extração da amêndoa.

Dados apontam que 30 % da renda destas famílias é derivada da venda das amêndoas. Este número diminui para 6% durante período de necessidade de mão-de-obra e crescente escassez de frutos acessíveis.

 

Ao fazer referência aos atos de vandalismo observados durante as manifestações do dia 05 de março de 2016, o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) propôs a criação de Plano de Acompanhamento de Manifestações. A solicitação do parlamentar foi embasada nas consequências negativas das manifestações que ocorreram na Praça Maria Aragão e implicaram em agentes públicos feridos, além de cidadãos lesionados.2e83f7fa-2ac8-419c-94d4-af6617815c1c

Na visão do deputado Wellington, é possível sim que haja manifestações pacíficas, sendo essencial o acompanhamento por parte do Estado.

“O direito a livre manifestação de pensamento é uma garantia constitucionalmente, sendo vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística. Vivemos em um Estado Democrático de Direito e é essencial que respeitemos as ideologias distintas, ainda que plenamente contrárias ao que pensamos. No último sábado, cidadãos se reuniram para manifestar e defender um ideal deles, algo legítimo. No entanto, o que observamos foi a prática de atos de vandalismo e, sob dada perspectiva, de repressão, o que esteve demonstrado nas consequências negativas oriundas do simples manifestar em praça pública. Por não desejarmos que tais práticas negativas se repitam nas possíveis manifestações, solicitamos a implantação do Plano de Acompanhamento, não com o objetivo de reprimir ou manipular, mas de garantir o cumprimento daquilo que é direito constitucionalmente assegurado: a livre manifestação”, ressaltou o parlamentar.

CONTEXTO

Após a repercussão da 24ª fase da Operação Lava Jato, que teve como alvo principal o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, intensificaram-se as organizações para as manifestações que devem ocorrer em todo o país no próximo domingo, 13 de março.

Recentemente, houve no cenário estadual e nacional o acirramento exacerbado das discussões, em alguns casos ocorrendo agressões físicas entre militantes políticos. Por isso, há necessidade de acompanhamento e monitoramento pelas autoridades, de todas essas movimentações, uma vez que, é responsabilidade do Estado a manutenção da estabilidade e da paz social.

Com o aproximar do evento organizado por movimentos que defendem o impeachment da presidente Dilma, há uma preocupação com a garantia da integridade física e o direito de livre manifestação de pensamento dos participantes, o que revela a importância de se implantar um Plano de Acompanhamento de Manifestações.

Está aí uma grande oportunidade de mostrar que o Maranhão mudou, que não vivemos mais numa província, e sim, numa “república”.

Em vídeo as cenas da agressão:

linha

Se o governador quiser, já pode prender os agressores que no sábado, armados, agrediram manifestação pacifica da Maria Aragão. Se o governador quiser, poderá, inclusive, exonerar seu secretário de Esporte, flagrado nas imagens liderando o ato de violência.

A tríade da mudança: No começo eram 3, Roberto Rocha, Flávio Dino e Edivaldo Holanda.

Senador posiciona-se novamente por Holandinha, agora só falta Flávio Dino. Em recente aparição, Flávio Dino justificou o uso da máquina pública a favor de Domingos Dutra, afirmando que “só vai apoiar nas eleições municipais quem esteve com ele nas campanhas”.

Ocorre que, no mesmo saco das almas de Domingos Dutra, para receberem o “apoio” dos leões, estão Bira, Eliziane e o próprio Holandinha. Como será que Flávio Dino vai resolver?

Roberto Rocha, já sinalizou. Abaixo, um trecho da reportagem do JP retirada do blog do John Cutrim. Senador eleito pelo consórcio comunista dá o tom, agora só falta o governador comunista.

JP

O Jornal Pequeno publicou na edição de domingo uma matéria de capa feita a partir de entrevista que o senador Roberto Rocha deu ao jornalista Itevaldo Junior. Abaixo, a íntegra:

1) O senhor acertou a filiação dos pré-candidatos a prefeito de São Luís (Eliziane Gama) e Imperatriz (Ildon Marques) diretamente com a direção nacional do PSB, sem conversar com os dirigentes?

Não acertei nada. A filiação é, antes de tudo, um ato de vontade política dos interessados. Ambos conversaram comigo, que sou um dirigente do partido, e com o dirigente maior da hierarquia partidária, que é o próprio presidente do PSB. Quem está tratando disso é a direção nacional. Aliás, com a janela aberta até o dia 18/03, todos os partidos, pelas suas direções nacionais, estão em busca de atrair deputados.

2) O senador acompanhou a deputada Eliziane Gama à reunião com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira?

Sim, com muito gosto. Fui convidado pelo Carlos Siqueira para uma reunião na manhã da última quarta-feira, não pude comparecer, e fui à tarde. Desta reunião, participaram a direção nacional do PSB, eu e a deputada Eliziane Gama.

3) A deputada Eliziane Gama disputou a eleição contra a chapa em que o senhor era o vice-prefeito em 2012, o senhor acha que a parlamentar tem perfil para ser prefeita de São Luís?

Eu e uma grande parcela da população de São Luís e do Maranhão achamos que se trata de um bom quadro da política, tanto que foi a deputada mais votada, tanto na capital, quanto no interior do estado. Cabe ao povo decidir se o perfil dela é adequado.

4) O senhor foi vice-prefeito de Edvaldo Holanda Júnior e hoje já não o apoia mais. Quais os motivos que levaram a deixar de apoiar o prefeito?

Quem disse a você que não apoio a administração do prefeito? Somente na semana passada aprovei projeto no Senado que garante mais de 50 milhões de reais à cidade de São Luís para aplicar na revitalização do centro histórico. Aprovei esse projeto em tempo recorde, numa verdadeira vigília que fiz nos gabinetes dos senadores, em especial junto à presidência da Casa.

5) Se o senhor não apoia mais o Edivaldo Holanda Júnior o que o faz manter o controle sobre duas secretarias na Prefeitura de São Luís?

Quem controla as secretarias da prefeitura não sou eu, nem você, é o prefeito, ele decide quem é secretário desse partido, de outro partido ou sem partido.

6) O senhor acha correto ocupar secretarias de um governo que o senhor já não apoia?

A premissa da pergunta é falsa. Agora, pergunte ao prefeito ou a quem você achar que deve também ser entrevistado, ou melhor dizendo, interrogado.

7) O senador tem articulado para assumir o controle do PSB no Maranhão?

Tenho feito críticas internas sobre a condução do partido. Não são críticas pessoais, são divergências de orientação política. Todos os partidos têm crescido no Maranhão, menos o PSB. E veja que quando dois quadros políticos de grande envergadura eleitoral procuram o partido, ainda somos questionados. Aliança não é adesão. O PSB pode se aliar a quem achar melhor, mas jamais irá aderir a ninguém!

8) O senhor se encontrou com o vice-presidente da CBF, Fernando Sarney para tratar da CPI da CPF no Senado proposta pelo senador Romário (PSB)?

Não!

9) O deputado estadual Bira do Pindaré afirmou recentemente que o senhor se recusa à atendê-lo para falar sobre 2016 em São Luís, esse fato ocorreu?

Há três dias conversei com ele por mais de duas horas em meu gabinete, que está aberto à toda classe política do Maranhão.

10) O senhor é ou não é pré-candidato a prefeito pelo PSB?

Não disputo indicação, mas o cargo que o povo do Maranhão me honrou me impõe essa condição.

11) O senhor aparenta ter alguma dificuldade em se posicionar sobre as eleições de 2016 em Imperatriz? O senhor considera justo desprezar aliados, como a Rosângela Curado (PDT), Marco Aurélio (PCdoB), para apoiar um nome umbilicalmente ligado a família Sarney?

Não tenho nenhuma dificuldade em apoiar um candidato do meu partido em qualquer município. Se a aliança de 2014 não tinha cláusula de compromisso para 2016, não cabe falar em desprezo. O partido é soberano para lançar candidatura própria, ou apoiar um desses dois candidatos citados. Você, que conhece bem os umbilicais caminhos da família Sarney, deve lembrar quem ela apoiou e quem ela fritou na última eleição em Imperatriz.

12) O senhor anunciou ou não anunciou à pré-candidatura de Rosi Vicentini a prefeita de Imperatriz?

– Anunciei, consegui espaço para ela fazer programa de Rádio e TV com Raimundo Cabeludo, mas ela não se interessou.

13) O senhor é candidato a governador do Maranhão em 2018?

– Não!!

14) O senador conhece Janice Maria Xavier de Carvalho Filgueira, proprietária da sua empresa J M Filgueira Confecções Ltda.?

– Não!

15) A empresa J M Filgueira Confecções Ltda. fez doação de R$ 60 mil para sua campanha de senador?

– Se fez, está na prestação de contas.

16) O senhor responde a algum inquérito na Polícia Federal?

– Não!

A deputada estadual Ana do Gás (PRB) esteve na noite do último sábado (5), na cidade de Raposa, para a festa organizada pela também republicana Ociléia Fernandes, em alusão ao Dia Internacional da Mulher,  comemorado na próxima terça-feira. 491542bb-bac2-40fb-9b61-902d2677b418

A festa na casa da pré – candidata à prefeitura da cidade reuniu centenas de famílias, com atrações culturais e bandas locais. Em seu discurso, a deputada enalteceu o poder e a força da mulher. “Mesmo sendo um ambiente predominantemente masculino,  a mulher pode fazer a diferença na política e para isso tem que criar coragem, encarar a luta e Ociléia tem esse perfil e Raposa terá a chance de constatar”, afirmou a parlamentar. 

A confraternização contou ainda com a presença do deputado federal Víctor Mendes (PV), que também foi votado no município e foi declarar apoio a Ociléia. “A Ociléia sempre faz suas reuniões em casa porque tem todos como família”, destacou o deputado. A presidente estadual do PRB Mulher, Jesus Verde, também marcou presença,  reforçando a importância do papel da mulher na política. f663441a-c5a8-4afa-a4cf-1a31c1a522a4

A mesa também foi formada por lideranças locais como Olgarina Assub; Andrea Coutinho, presidente da Colônia de Pescadores da Raposa; Alisson Penha, presidente de honra do PRB e o ex-prefeito Paraíba. 
Depois de cumprimentar cada um dos pré – candidatos a vereadores, Ociléia reafirmou seu compromisso em dar um novo rumo ao município com o apoio das mulheres da Raposa. A deputada Ana do Gás encerrou sua participação cumprimentando populares e convocando as mulheres a fazerem parte da política.

1 559 560 561 562 563 570