Monthly Archives: março, 2018

Blog do Seu Riba

Desde que a nova diretoria do São José de Ribamar Esporte Clube foi eleita, em pleito com chapa-única, transformaram o clube em curral da cupinzada. Usa-se o time para fins políticos e satisfazer o ego de quem, outrora, deixou de zelar, irresponsavelmente, pelo esporte profissional e amador da cidade.

Declaradamente, a cupinzada usa a diretoria do São José para atacar, sem qualquer veracidade dos fatos, a atual gestão, tentando culpá-la pelos desmandando comentidos contra o clube e, também, o estádio municipal, ao longo dos seis anos da destruição.

O São José sofre até hoje as consequências de seguidas gestões fracassadas do clube, principalmente no ponto de vista fiscal e de transparência, além do quesito futebol, que hoje tem melhorado.

Mas nem só de futebol sobreviverá um time, mas também de toda diretoria que for competente e compromissada com as contas e orçamentos. A atual diretoria do Peixe Pedra esqueceu qual a função de uma diretoria e resolveu adotar medidas que mais remetem àquelas velhas e antigas fofoqueiras de vilarejos das pequenas cidades.

O time que leva o nome da cidade está impossibilitado de receber quaisquer incentivos financeiros por se encontrar em condições fiscais irregulares, não conseguindo emitir certidões negativas e, pior ainda, com débitos trabalhistas não cumpridos.

Ainda assim, o presidente alardeia pelos quatro cantos da cidade que a prefeitura, por perseguição, não ajuda o time, entretanto, em contradição ao que ele alega, o mesmo se recusa a abrir conta em bancos, no CNPJ do São José, porque a justiça irá fazer os recolhimentos.

Ora, se a diretoria é incapaz de sanar dívidas do time, incapaz de exercer uma gestão que torne o Peixe Pedra passivo de receber benefícios do Poder Público, não esclarece sobre os gastos, como pode cobrar apoio da prefeitura?

Conselho de amigo: cumpram o que estabelece a Lei, coloquem o São José em condições legais de receber apoio do Poder Publico, façam gestão fiscal e, em seguida, cobrem a administração do Município. A partir disso teremos certeza de quem é ou não comprometido com o sucesso do clube ribamarense.

Estádio Dario Santos

O Estádio Municipal Dário Santos passou por vistoria técnica que constatou irregularidades e vícios em suas estruturas internas e que levaram a FMF a sugerir que os jogos que ocorressem no local fossem de portões fechados.

As fotos abaixo mostram a situação do teto que abriga os torcedores e que poderia, em caso do não cumprimento da orientação da FMF baseado em laudo técnico, vitimando os torcedores.

Portanto, trata-se de uma questão de segurança e de responsabilidade e não de perseguição, como tenta insinuar a diretoria do clube.

Faltou apoio governista?

O plenário calou-se para ouvir o pronunciamento do deputado Cabo Campos (DEM), que trouxe a público seus problemas familiares.

O deputado Cabo Campos apareceu e falou sobre sua situação familiar, chorou, pediu desculpas. O deputado reconheceu que errou, não esquivou-se dos julgamentos, mas pediu apoio dos colegas de parlamento.

“Quero pedir perdão a todos. Quero agradecer a todos e dizer que amo minha família, minha esposa e que não há maldade na minha esposa. Quero pedir aos meus irmão parlamentares: já fui julgado pela mídia, pelas pessoas dos tribunais, por favor não me julguem”, disse Cabo Campos.

Logo em seguida, aparentemente nervosa, a deputada Valéria Macedo (PDT), elevou sua voz evocando sua condição de Procuradora da Mulher da Assembleia Legislativa, declarando que nada tem de pessoal contra o deputado Cabo Campos, mas, que seria alcançado pelos rigores da Casa.

Rigores, aliás, que faltaram sobre o deputado Levi Pontes do PCdoB, que pela segunda vez será levado ao Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Maranhão, por quebra de decoro parlamentar, em novo caso relacionado a ato de corrupção.

Nos bastidores do Poder, fala-se em afastamento de Campos, para a entrada de um suplente da Região Sul do Maranhão, região da deputada Valéria e Marco Aurélio.

O deputado Cabo Campos não teria sido procurado por nenhum deputado governista, inclusive, pela deputada Valéria (procuradora da mulher), cujo gabinete fica ao lado do deputado Cabo Campos.

Abaixo, a imagem do gabinete da Procuradoria da Mulher, ao lado do gabinete do deputado Cabo Campos, que estranhamente nunca teria procurado o deputado.

“Estamos é piorando e nos afastando de todos os outros estados”, afirma José Reinaldo sobre índices sociais do MA.

O deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido) fez duras críticas ao Governo do Maranhão no seu artigo semanal publicado no Jornal Pequeno.

Já no primeiro parágrafo, José Reinaldo Tavares sentencia: “propaganda é bonita, mas nossa realidade é cruel, numa alusão à belezura que o Maranhão é nas peças publicitárias do governo de Flávio Dino (PCdoB), mas na vida real a situação é outra.

Intitulado A questão fundamental 1, o artigo do ex-governador afirma que não adianta colocar a culpa das mazelas do nosso estado em apenas um único grupo político e faz uma avaliação crítica, e ao mesmo autocrítica, já que inclui a sua gestão, dos sucessivos governos maranhenses que, na sua opinião, não deram a devida atenção para as potencialidades do Maranhão, bem como para políticas públicas que realmente elevassem os índices socioeconômicos desta Unidade da Federação.

“E os governantes e grande parte das nossas elites precisam aceitar essa realidade e que não pode querer fazer um jogo político com isso. A saída, para que não se discuta o assunto a sério, é jogar a culpa em um grupo político, ao invés de chamar todos para somar esforços e encontrar a solução. Se continuarmos esse discurso sem sentido de que nós somos o “bem” e os adversários-eles- são o “mal” e continuar a politizar assunto tão sério, só vamos retardar as medidas que teremos que tomar (…) A verdade todos nós, que estivemos no governo e não resolvemos, somos igualmente responsáveis porque não aplicamos políticas que fossem focadas nos centros geradores de nossa pobreza e que fossem ao mesmo tempo, permanentes”, escreveu o parlamentar.

Confira a íntegra do artigo, que é só a primeiro de uma série.

A QUESTÃO FUNDAMENTAL 1

O Maranhão tem tudo para ser um estado desenvolvido, pujante, líder de desenvolvimento na região, uma terra de oportunidades mas não é. A nossa realidade atual está muito longe do que poderíamos ser, do que tanta gente sonhou, e se empenhou. As estatísticas do IBGE estão aí para mostrar que a propaganda é bonita, mas nossa realidade é cruel. Somos o estado brasileiro mais atrasado do país com os piores indicadores sociais, com consequências terríveis para o nosso povo.

E os governantes e grande parte das nossas elites precisam aceitar essa realidade e que não pode querer fazer um jogo político com isso. A saída, para que não se discuta o assunto a sério, é jogar a culpa em um grupo político, ao invés de chamar todos para somar esforços e encontrar a solução. Se continuarmos esse discurso sem sentido de que nós somos o “bem” e os adversários-eles- são o “mal” e continuar a politizar assunto tão sério, só vamos retardar as medidas que teremos que tomar. Isso é apenas um escapismo fácil para tirar a nossa responsabilidade, afinal isso vai nos dar um discurso que funciona durante um certo tempo, mas, no melhor da festa, vem o IBGE com as estatísticas que mostram que, na verdade, estamos é piorando e nos afastando de todos os outros estados, que estão melhores do que nós. Assim temos futuro? Nenhum, pois a desigualdade aumenta, a pobreza aumenta, a educação piora, e na verdade, não pode melhorar por mais que se esforcem os responsáveis porque, para que isso tivesse êxito, seria preciso mexer nas causas primárias formadoras de nossa pobreza e nada foi feito que permitisse mudar as coisas.

Na verdade todos nós, que estivemos no governo e não resolvemos, somos igualmente responsáveis porque não aplicamos políticas que fossem focadas nos centros geradores de nossa pobreza e que fossem ao mesmo tempo, permanentes.

Assim, hoje, além da terrível realidade de termos mais de 50% de nossas famílias sobrevivendo precariamente graças a esse programa imprescindível que é o Bolsa Família, temos mais um dado gritante e vergonhoso que derruba todo a nossa propaganda.

O IBGE publicou o Rendimento Mensal Domiciliar Per Capita, por estado. O que é isso? É a soma dos rendimentos de todos as pessoas que moram na mesma casa, ou seja todo o dinheiro que entra na casa, em salários, pensões, aposentadorias, bolsas de estudo, aluguéis, rendimentos de poupança, e outros, divido pelo total de moradores da residência, incluindo crianças e outras pessoas sem qualquer fonte de renda. E os valores são nominais, sem descontar a inflação do período.

E aí regredimos muito pois quando deixei o governo haviam dois estados piores que nós, pois estávamos melhorando rapidamente. Vejam que o salário mínimo é de 937 reais e no Maranhão a renda de tosas as pessoas da casa, não de uma pessoa, é de 597 reais quase a metade de um salário mínimo. E para evidenciar ainda mais a nossa incúria, as famílias de Alagoas que vem em seguida tem 658 reais, as do Pará 715 reais, e salve, salve, as do Piauí 750 reais, ou seja 153 reais a mais que as do Maranhão. Estamos ficando para trás, rapidamente.

A maior do Brasil é a do DF com 2.548 reais e a do Rio em crise total é de 1.445 reais.
Será que isso não tem solução? Tem sim, e eu e outras pessoas, estamos trabalhando em um projeto já aplicado com absoluto sucesso em outras partes do mundo, que nos remete a um caminho seguro para mudarmos esse estado de coisa.

Esse projeto ficará pronto na terça feira próxima e em breve será apresentado. Essa união nos dá muita esperança. (Blog do Robert Lobato)

Repórter Tempo

O martelo foi batido no PSDB: o senador Roberto Rocha será candidato ao Governo do Estado, não havendo a mais remota possibilidade de ele vir a desistir desse projeto para apoiar a ainda eventual candidatura do deputado estadual Eduardo Braide (PMN) ao Palácio dos Leões. E a explicação para essa decisão irreversível é a seguinte: uma candidatura do PSDB na corrida ao comando do Estado é de importância estratégica para o projeto do partido de disputar a presidência da República, o que, tudo indica, ocorrerá tendo como candidato o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Roberto Rocha: candidatura ao Governo do Estado é decisão partidária irreversível

Mais ainda: se o ex-governador e deputado federal José Reinaldo Tavares (ainda sem partido) quiser, será o candidato do PSDB ao Senado. E de acordo com o secretário geral do braço maranhense do PSDB, o ex-prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira, o PSDB está aberto a coligações, mas dispõe de suporte e tempo de rádio e TV suficiente para tocar sua própria campanha, independentemente de qualquer aliança que possa vir a comprometer a sua autonomia.

O posicionamento do PSDB funciona como uma ducha de água gelada nas articulações feitas pelo próprio José Reinaldo objetivando construir uma aliança entre Roberto Rocha e Eduardo Braide e na qual viesse a sair como candidato a senador. A posição do comando nacional do PSDB de lançar um tucano ao Governo do Estado é fato consumado e irreversível e exige que o senador Roberto Rocha jogue sua candidatura na rua tão logo a cúpula do PSDB confirme a candidatura presidencial de Geraldo Alckmin. O projeto prevê a candidatura de Roberto Rocha como uma espécie de ponta de lança para propagar o nome de Alckmin nos mais diversos rincões do Maranhão. Não há como ser diferente. E vale lembrar que esse sempre foi o projeto do senador Roberto Rocha, que se elegeu pelo PSB.

O posicionamento do PSDB inviabiliza qualquer projeto de aliança que não tenha Roberto Rocha como candidato a governador. O mundo das especulações já “testou” várias equações, mas nenhuma delas reverte a linha central do plano nacional que movimentará o partido nesta corrida eleitoral. E o senador tucano se encaixa perfeitamente nesse projeto, decidido que está a ser candidato a governador e fazer a diferença no confronto direto com o governador Flávio Dino (PCdoB), a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e o próprio Eduardo Braide, se este vier a confirmar sua candidatura. Ninguém duvida que será um confronto duro e agressivo, mas que não inibirá alianças num eventual segundo turno. Um exemplo: se Geraldo Alckmin for para o segundo turno com o coronel Jair Bolsonaro (?) é quase certo que as forças de esquerda lideradas pelo governador Flávio Dino se aliarão ao candidato dos tucanos ao Palácio do Planalto, tendo como objetivo primeiro a derrota do candidato presidencial da extrema direita.

Na avaliação da cúpula do PSDB, o senador Roberto Rocha tem condições de enfrentar o governador Flávio Dino e a ex-governadora Roseana Sarney de igual para igual nos embates da campanha eleitoral. Rocha tem usado as redes sociais para mostrar que topa a briga, certo de que poderá ser o adversário do governador num eventual segundo turno. Sabe, por outro lado, que Flávio Dino é um dos políticos mais preparados e qualificados em do País, e que Roseana Sarney levará para sua campanha a experiência acumulada de quatro períodos de governos. Portanto, dois pesos pesados, com a diferença de que o governador é, de longe, o adversário mais difícil de ser enfrentado.

Na versão de tucanos de proa, a participação do senador Roberto Rocha na corrida ao Palácio dos Leões é fato decidido e que não está em discussão. E que poderá ser reforçada com a candidatura do ex-governador José Reinaldo Tavares ao Senado, se ele, depois de uma mal sucedida incursão pelo socialismo, resolver se converter à versão tucana de liberalismo.

Depois de atacar, Jerry vai elogiar o DEM?

Quem diria, o desbocado comunista Márcio Jerry, que atacou, desprezou o DEM de Rodrigo Maia, recentemente nas redes sociais, hoje está pronto para elogiá-lo. Eles são assim, quando precisam, elogiam, mas, depois chutam. Como diz um colunista tucano-comunista: “Só muita borracha”.

O deputado federal, que é presidente da Câmara dos Deputados em Brasília, líder do DEM, partido de “direita” na visão dos comunistas, que alardeavam que outrora a legenda de Rodrigo Maia não prestava, mas, hoje está sendo super-valorizada pelos comunistas no Maranhão.

É assim, o mundo dando voltas.

Abaixo, o tratamento do comunista Márcio Jerry sobre o DEM e seu presidente, Rodrigo Maia:

Vereador deixa PCdoB de São Luís ao bater de frente com cúpula comunista: favorável à educação, Ricardo Diniz se posicionou contra a entrada de ideologias esquerdistas no ensino fundamental.

Ponta do iceberg: comentários da saída do vereador do PCdoB, foi de que ele teria se posicionado contra um plano comunista, acabou sendo perseguido e expulso do PCdoB de São Luís.

O vereador Ricardo Diniz (sem partido) anunciou nesta terça-feira, 6, durante seu pronunciamento na Câmara Municipal de São Luís, seu desligamento da legenda do governador Flávio Dino.

A permanência de Diniz nas hostes comunistas já não fazia mais sentido de ser, desde que o parlamentar acabou batendo de frente com a cúpula do Secretariado do Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil em São Luís.

Visivelmente frustrado, após sofrer retaliação de membros do PCdoB, que, ainda no mês de novembro do ano passado, o vereador se posicionou favorável ao Projeto de Lei 113/2017, do colega Francisco Carvalho (PSL), que tramita na Câmara Municipal e trata da discussão sobre a “Escola Sem Partido”.

Diniz ao fazer uso da tribuna da Câmara, agradeceu a acolhida na legenda comunista, ao qual se reelegeu em outubro de 2016, mas, assim como outros, disse que vai trilhar novos caminhos. (Informações blog do Mario carvalho)

A Procuradoria Regional da República da 4ª Região se manifestou pelo imediato início do cumprimento da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva após o julgamento dos embargos de declaração no âmbito do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O petista foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão pelos desembargadores da Corte recursal da Lava Jato no caso triplex.

A defesa do ex-presidente Lula entregou no dia 20 de fevereiro o embargo de declaração contra o acórdão do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). Por meio do recurso, a defesa questionou obscuridades nos votos dos desembargadores da Corte de apelação da Operação Lava Jato, que por 3 a 0 aumentaram a pena do petista por corrupção e lavagem de dinheiro em 24 de janeiro.

A defesa de Lula apontou omissões, obscuridades ou contradições no mérito do acórdão. Os advogados indicaram ainda omissões nas preliminares do julgamento.

Em parecer entregue à Corte, a Procuradoria se manifestou pelo parcial provimento do recurso, reconhecendo dois erros materiais, mas rejeitou as 38 omissões, 16 contradições e 5 obscuridades apontadas pela defesa. (O Tempo)

Onde estão sendo aplicados nossos impostos? 

Rede Globo desmascara farsa da “mudança” do governo bolivariano de Flávio Dino.

Mais impostos e menos retorno em benefícios. A realidade maranhense foi mostrada para o Brasil inteiro ver, desta vez não foram os “alugueis fantasmas”, hospitais desmantelados, agências bancárias explodidas, nem presos mortos em gaiolões, etc.

Um jovem da cidade de Matinha-MA mostrando estradas totalmente destruídas duma cidade lembranda na cobrança de impostos, mas esquecida na aplicação dos recursos públicos.

Da série de depoimentos que pergunta “qual o Brasil você quer para o futuro”, um conterrâneo de Matinha mostrou a realidade do Maranhão: o abandono de quem é explorado pelos governos nas cobranças de impostos.

Acompanhe seu depoimento no vídeo:

Em entrevista, senador diz que governo cobra impostos demais e dificulta a produção no Maranhão.

Em Lago da Pedra, Roberto Rocha pede ao prefeito que envie projeto para que a Codevasf inicie obras com recursos federais para beneficiar o município.

Em sua fala, senador esclarece a importância dos projetos que beneficia a produção de alimentos e criações de animais, que são fatores primordiais para o desenvolvimento do Maranhão, mas que esbarram na burocracia de governos que querem taxar, além da conta, os produtores rurais, que acabam desistindo de produzir.

Abaixo, trecho da reportagem retirado Portal Sua Cidade.

1 5 6 7 8 9