Superfaturamento? Aliados de Flávio Dino gastam milhões em respiradores com preços acima do normal. Enquanto isso, os aliados de Bolsonaro dão exemplo e compram abaixo do preço….

0

“Bolsomínium” dá lição nas Oligarquias do Pará e Maranhão:

Governador de Minas Gerais, apelidado de “Bolsomínium” dá exemplo aos governadores ligados ao PT:

Helder e Dino:
Oligarquias do atraso…

A velha política praticadas pelos governadores do Pará e Maranhão continua dando péssimo exemplo ao povo do Brasil.

Para mostrar o contraste, deixarei o péssimo exemplo que vem do Pará, que é filho de um velho oligarca do MDB, Jader barbalho, Hélder Barbalho (MDB) que gastou somas milionárias para comprar aparelhos com preços acima do normal, enquanto outro governador, de Minas Gerais fez diferente, gastou abaixo da tabela e teve condições de comprar mais.

Já Flávio Dino, governador do Maranhão comprou mercadorias da China, sem passar pelos órgaos de controle, como Receita Federal e Anvisa, sendo que até hoje ninguém sabe ao certo quanto gastou-se, já que o governo federal (Bolsonaro) mandou mais de cem milhôes para o Maranhão, e ninguém sabe ao certo o que Flávio Dino tem feito com a baolada milionária, já que o povo tá morrendo por falta de leitos na rede pública.

Confira abaixo:

Superfaturamento: Governo Helder gasta o dobro do valor que o governo mineiro usou para comprar respiradores pulmonares:

Minas comprou 747 respiradores a R$ 43 milhões e o governo paraense 400 por R$ 50 milhões

Minas comprou 747 respiradores a R$ 43 milhões e o governo paraense 400 por R$ 50 milhões

A divulgação de compra de respiradores pelos governadores de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) e do Estado do Pará, Helder Barbalho (MDB), mostra a diferença de valores que os gestores estaduais estão gastando para adquirir os equipamentos de tratamento de pacientes graves da covid-19, durante o período de pandemia.

O governador mineiro anunciou, nesta segunda-feira, 27, a compra de 747 ventiladores pulmonares ao custo de R$ 43,9 milhões e anunciou que parte dos recursos para compra dos esquipamentos é oriundo da multa que a mineradora Samarco depositou na justiça, como parte da reparação pelo rompimento da barragem na cidade de Mariana, ocorrida em 2015.

Aqui no Pará, o Diário Oficial do Estado (DOE) publicou em março que a compra de 400 respiradores feita sem licitação, baseada no Decreto 687/2020, que declara Estado de Calamidade Pública em todo o território paraense, custaria R$ 100 milhões. O governador Helder Barbalho anunciou o feito pelas redes sociais, alegando que os equipamentos viriam da China.

Após uma série de críticas nas redes sociais e em blogs locais, a Secretaria Estadual de Saúde (Sespa), anunciou no início da tarde desta segunda-feira, 28, que houve uma errata no contrato e que o DOE publicaria o novo custo, reduzindo o valor da compra dos respiradores para R$ 50 milhões.

Apesar de se chegar próximo do valor adquirido pelo governo de Minas Gerais, a quantidade dos equipamentos comprados pelo governo paraense é quase a metade do número de respiradores que o governador mineiro adquiriu, como mostra as publicações abaixo e por custo menor, cerca de R$ 7 milhões mais barato. (Romanews)

Os comentários estão desativados.