Bandidagem? Após usar estruturas publicas para dar “banquete” e fazer “palanque” para Lula enquanto população passa fome, Flávio Dino faz compra milionária para outros “banquetes”…

ESCÂNDALO: Flávio Dino vai reabastecer geladeiras do palácio com picanha, maminha e filé de pescada, enquanto em 30% dos lares do Maranhão pessoas passam fome.

Daniel Matos – Nem mesmo a recente pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que aponta o Maranhão em primeiro lugar no ranking da fome no Brasil parece ter sensibilizado o governador Flávio Dino (PSB) para a gravidade da situação.

Em meio à miséria absoluta para a qual foram arrastados 400 mil maranhenses desde 2015, quando Dino assumiu o poder no estado, as geladeiras do Palácio dos Leões serão reabastecidas com picanha bovina, maminha, contra-filé, pernil de carneiro, filé de pescada e outras iguarias que o povo maranhense mais humilde nem sonha em ter à mesa. Custo total da comilança: R$ 153.894,80 (cento e cinquenta e três mil, oitocentos e noventa e quatro reais e oitenta centavos).

De acordo com o processo administrativo n° 190459, no dia 20 deste mês será realizado o pregão presencial n° 17/2021 para a compra de 3,5 toneladas de carnes, grande parte de primeira qualidade e de alto valor de mercado, ainda mais no atual momento da economia, em que a inflação bate a porta dos brasileiros, tendo como gatilho a crise da Covid-19. O certame é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Governo (Segov), que tem a atribuição constitucional de atender as necessidades diretas do governador.

3,5 toneladas do bom e do melhor.

Ao todo, serão nada menos do que 3.500 kg (três toneladas e meia) de carne bovina, frango, carneiro e peixe para consumo no Palácio dos Leões, na residência oficial do vice-governador, no bairro Jardim Eldorado, e demais imóveis cujo sustento provém dos cofres públicos estaduais.

De acordo com as regras contratuais, os alimentos serão fornecidos de forma parcelada, conforme a demanda das casas governamentais. Detalhe: as marcas dos produtos são as mais caras disponíveis no mercado: Sadia, Friboi, Fribal e Seara.

420 kg só de picanha

Um dos gastos que mais chamam atenção neste segundo ano da pandemia é o que bancará a compra de carne de sol de picanha (R$ 91,74 o quilo) e em postas em formato triangular (R$ 72,95 o quilo), ambas da marca Friboi. O contrato prevê o fornecimento de nada menos do que 420 kg da nobre carne, totalizando quase R$ 35 mil. Haja apetite para degustar tanta proteína de primeira qualidade.

A maminha, outra carne de primeira, também será servida em abundância na despensa palaciana. Serão 200 kg, também da marca Friboi, ao preço unitário de R$ 45,35 e custo total de R$ 9,7 mil. Outros R$ 9 mil foram reservados para a compra de 200 kg de alcatra, outro corte de carne de rara frequência nas mesas das famílias mais pobres.

760 kg de postas e filé de pescada

O gasto com filé de pescada amarela (R$ 58,35 o quilo) e em postas (R$ 49,16 o quilo) é ainda maior. São 760 kg – 440 kg de filé e 320 kg de postas -, com valor somado de mais de R$ 41,3 mil.

Outra iguaria requisitada para satisfazer o requintado paladar dos comensais palacianos é o pernil de carneiro. São 40 kg da marca Friboi ou de qualidade superior, com preço unitário de R$ 59,95 e custo total de R$ 2.398,00 (dois mil, trezentos e noventa e oito reais).

As geladeiras do Palácio dos Leões e das outras residências oficiais do Governo do Estado também serão abastecidas com quase duas toneladas de coxa e sobrecoxa de frango, galinha de granja e caipira inteira abatida, peito e moela de frango, bisteca bovina, rabada bovina, patinho sem osso, costela de boi, contra-filé, coxão mole e linguiça calabresa.

Importante deixar claro que não se trata de um ato ilegal. Mas, diante das atuais circunstâncias, não são poucos que consideram a despesa imoral, o que fere pelo menos um dos cinco princípios básicos da administração pública.

6 pensou em “Bandidagem? Após usar estruturas publicas para dar “banquete” e fazer “palanque” para Lula enquanto população passa fome, Flávio Dino faz compra milionária para outros “banquetes”…

  1. Falar em usar estrutura publica o TCU já enviou para o TSE as despesas feitas pelo presidente referente as famosas motociatas, bancadas parte com dinheiro publico, isso é abuso de poder politico e financeiro, o que Dino faz também a nível estadual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.