O Maranhão piorado de Flávio Dino: pobreza, desemprego e cobrança abusiva de impostos…

5

Desculpem o incômodo, mas preciso falar do desemprego no Maranhão.

Texto do Coletivo Cultural Manuel Beckman

“Senhoras e senhores passageiros, desculpem se estou incomodando a viagem de Vocês!” Qualquer cidadão que utilize o transporte público de São Luís, está mais que familiarizado com está frase, pois ao fazer uma viagem ainda que curta via transporte publico da capital, depara-se com uma variedade e quantidade maior do que nunca antes visto, de vendedores ambulantes oferecendo os mais diversos produtos, que vão desde Escovas de dentes e bombons, a fones de ouvido e bolsas. Algumas vezes mais de um vendedor sobem ao mesmo coletivo de uma só vez, como se a frota do transporte já não fosse suficiente para tantos vendedores e pedintes, em uma disputa por espaço por vezes

De fundo para o Palácio dos Leões, a vergonhosa imagem que cerca nossa capital: palafitados continuam se equilibrando nos paus enfiados na lama. Qualquer político bem intencionado teria vergonha de abrir sua janela e se deparar com tamanha pobreza,mas, Flávio Dino, pelo jeito, não.

constrangedora.

Esta notória constatação , que de fato é percebida por qualquer cidadão leigo em Economia ,infelizmente não é um reflexo do desenvolvimento do empreendedorismo no Maranhão, não significa que mais ludovicenses estejam apostando em um negócio próprio, mas, denuncia um trágico cenário de desemprego e miséria em que nosso querido estado está mergulhado, pois ainda que nos limitemos por hora a falar sobre os vendedores ambulantes nos coletivos, não podemos desconsiderar o crescimento da incidência de pedintes que sobem nos coletivos mendigando desesperadamente por Socorro.

É então que emana a benevolência e compaixão de Nossa gente, que se compadece e ajuda como pode. Infelizmente, a caridade de nosso povo não é o suficiente para trazer uma vida mais digna a população de nosso estado, e quem o poderia fazer, é de fato o principal agente de agravamento da pobreza e miséria causada pelo desemprego, estou falando claramente sobre o Governo do estado do Maranhão.

Em um quadro de constatada recessão econômica, que revelou-se alarmante entre os anos de 2014 e 2015, período em que o desemprego aumentava exponencialmente, elegemos em Nosso estado um Governador que parecia ser uma fagulha de esperança a nossa gente tão sofrida, mas não poderíamos imaginar que tal esperança se tornaria em suplício. Completamente contrária as necessidades econômicas de nosso estado, este governo inicia sua política repressiva a Iniciativa Privada, e mais especificamente ao comércio, assim como a seus cidadãos individualmente, política esta que tornara-se a marca registrada desse governo, “A violenta cobrança de Impostos.” A politica perversa de aumentos e cobrança tirânica de impostos , é o principal agravante da miséria decorrente do desemprego em nosso estado. Com aumento do ICMS de 12 para 18% , em um momento de retroação do crescimento, e consumo em níveis baixíssimos, o comércio que é o setor que mais gera empregos no maranhão, foi o maior prejudicado, e tendo seus encargos tributários elevados drasticamente na medida em que as vendas diminuíam, aqueles estabelecimentos que não fecharam as portas, tiveram de partir para uma dolorosa alternativa, as demissões.

Com tantos milhares de trabalhadores demitidos e sem emprego, qual alternativa teriam para Garantir  com Dignidade mínima o sustento de suas famílias?

É exatamente aí que se dá a segunda via de atuação na promoção da miséria por parte do Governo do estado; desesperados pelo desemprego, milhares de maranhenses viram uma oportunidade de sobrevivência no transporte particular alternativo, buscaram garantir o pão de cada dia as suas famílias, tornando-se motoristas de Uber, 99 Taxi, carrinho lotação , moto taxistas, motoboys e fretistas; desempregados, através de seus únicos bens conquistados com muito suor que são seus veículos , buscavam suprir as necessidades básicas de suas famílias, ainda que minimamente.

Mas o Governo do estado não satisfeito com o desemprego generalizado que provocara, Passou a subtrair este único meio de sustento que possuíam milhares de maranhenses. De maneira ilegal, judicialmente declarada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em ( Código de Transito Brasileiro – Lei 13.281/16 ) , o Governo do estado passou a avançar contra a população tomando a força seus veículos, baseando-se na sádica justificativa da Inadimplência para com o imposto veicular IPVA.

Sem nenhuma sensibilidade ou compaixão para com o povo maranhense em um momento de tamanha calamidade e desespero provocada pela pobreza, o Impetuoso Governo do Maranhão surrupiou cerca de 15 mil veículos, deixando milhares de famílias sem seu único meio de transporte, e milhares delas sem sua única fonte de renda. Milhares de trabalhadores tiveram o direito de sustentar suas famílias confiscado pelo Governo do estado.

Talvez , você que recebe esta mensagem tenha tido seu veículo tomado a força pelo Estado e encontre-se desesperado, por este Ser o meio pelo qual sustentava dignamente sua família  saiba que infelizmente você não está sozinho, pois milhares de outras famílias de Nosso estado encontram-se em igual ou maior desespero, ou possivelmente você ou eles, sejam um daqueles que estejam neste exato momento, ou em breve estarão dentro de um coletivo á dizer:

“Senhoras e Senhores passageiros, desculpem estar incomodando a viagem de Vocês.”

5 respostas para “O Maranhão piorado de Flávio Dino: pobreza, desemprego e cobrança abusiva de impostos…”

  1. O icms cobrado na época de Roseana era de 12%. Ela não confiscava os veículos com ipva atrasados. Por que você acha que o governo dela era pior?

  2. Imagina como era nos desgoverno da “guerreira do povo” era cem vezes pior do que isso em todos as situações que vc citou