Uso da máquina pública eleitoralmente desmistifica o “fenômeno de votos” Flávio Dino…

0

Não existe diferença alguma entre Sarney e Flávio Dino, ambos se beneficiam das estruturas públicas. 

Para “lotar” sua “pré-campanha” eleitoral e se reeleger governador, o comunista Flávio Dino constantemente aparece em eventos do governo, bombando suas mídias fazendo uso das estruturas públicas para dizer que é popular.

Na tarde de ontem a imprensa cooptada pelos comunistas alardeou que sua rival mais importante das eleições de 2018 não teve público. A verdade é uma só: nem Flávio Dino, nem Roseana Sarney conseguem lotar espaços públicos.

A mentira de que Flávio Dino é um fenômeno de votos esbarra no uso eleitoreiro da máquina pública, cooptação de aliados de Roseana Sarney, na disputa de partidos de “direita”, incluindo na lista, o próprio PT de Lula, que no Maranhão só apoiou Flávio Dino uma vez, nas eleições de 2008, quando Flávio Dino foi candidato a prefeito pelo PT.

Nem o próprio capataz Jerry, foi capaz de negar que o comunista Flávio Dino (criatura) foi um projeto político iniciado pelas mãos de seu criador, ex-governador Zé Reinaldo Tavares, traído, e constantemente escrachado pela mídia palaciana de Jerry & Dino. Há a enas uma diferença entre Flávio Dino e Roseana Sarney: ele prometeu fazer diferente, ganhou as eleições de 2014 até com o PSDB, partido tucano, mas, logo depois traiu Aécio Neves, Roberto Rocha, Zé Reinaldo, etc.

Abaixo, trecho do blog do John Cutrim exigindo de uma pré-candidata afastada da maquina pública, com pouco público. Mas, lógico que teria pouca gente, afinal, qual político nessa Brasil da atualidade consegue “lotar” campanha eleitoral, senão usando as estruturas públicas?

A própria Roseana e todo seu grupo sempre fez isso, coisa que, depois que o comunista Flávio Dino foi eleito prometendo “mudar” continua imitando o grupo Sarney.

Na foto: grupo Sarney, que sempre foi “campeão de votos”, cercados de pouca gente.

Os comentários estão desativados.