Quem é “genocída”, Flávio Dino? Por falta de medicamentos homem acaba morrendo em hospital psiquiatra de São Luís…

A notícia foi dada pelo site Notíciaslz, mostrando que o paciente Francisco Osvaldo Dias, de 38 anos, sofria de depressão e transtorno bipolar, e fazia uso de remédios controlados há 13 anos.

Segundo a mãe, mesmo tomando as medicações, Francisco levava uma vida normal, trabalhava, e até foi criador de uma patente para o mercado automotivo.

Com a pandemia, o Serviço Único de Saúde (SUS), que fornecia os remédios de forma gratuita, suspendeu o fornecimento, e funcionários alegaram que os remédios não chegavam à Farmácia Estadual de Medicamentos Especializados (FEME).

A família então começou a adquirir o medicamento, porém, devido ao período em que ficou sem o tratamento, Francisco passou a ter surtos e precisou ser levado pelo SAMU ao Hospital Nina Rodrigues, no dia 24/11/2020. No dia seguinte (25/11), foi encaminhado para a clínica São Francisco de Neuropsiquiatria, na Cidade Operária.

Durante as visitas à clínica, a irmã de Francisco relata: “Quando a mãe percebeu que ele já apresentava marcas de maus-tratos, as visitas foram suspensas, desde o dia 31/12/20, sob a alegação de isolamento social, por conta da pandemia.

No dia 05/03/2021, a mãe tentou pelo menos um contato telefônico com o filho, mas a assistente social alegou não ser possível pois se encontrava muito alterado.

No dia 10 de Março, 5 dias depois, ele foi entregue para a família, sem aviso prévio, em companhia da mesma assistente social, que informou sua melhora junto à uma guia para tratamento no CAPS”, afirma a irmã.

De acordo com os familiares e imagens nos vídeos, o estado de saúde do jovem era assustador. Com menos 40 quilos, Francisco morreu três dias após chegar em casa.

Confira no vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.