NOTA DE RETRATAÇÃO E ESCLARECIMENTO

Diante das matérias publicadas nos últimos dias na imprensa, obtidas através de um áudio feito em uma audiência pública realizada no município maranhense de São João do Carú no dia 04 de julho onde fui convidado pela Associação de Produtores Rurais de São João do Carú – MA (APROCARÚ), venho a público fazer uma retratação formal em relação aos indígenas, homossexuais, ao PCdoB e a todo o povo do Maranhão.

Gostaria de reforçar que em nenhum momento tive a intenção de denegrir a imagem do povo indígena que muito contribuiu para a formação do povo brasileiro, em especial do Maranhão.

Infelizmente, me deixei levar pelo calor do momento e acabei falando o que não condiz com o meu pensamento e minha formação.

Diante destes esclarecimentos reitero que o meu trabalho sempre foi a serviço da população maranhense, sem distinção de raça, gênero ou religião, sempre na defesa dos direitos de todos e à frente das lutas pela garantia da igualdade e dos direitos humanos, como prega o nosso partido PCdoB.

Eu, deputado Fernando Furtado e cidadão, reitero minhas sinceras desculpas a toda a população do nosso Estado.

Fernando Furtado Deputado Estadual – PcdoB

Bomba na Câmara de Vereadores

Tem vereador de São Luís prometendo detonar uma bomba contra a administração do prefeito EDH (Edivaldo Holanda).Fábio-Câmara

Bomba pode virar pum…

A segunda-feira estava prometendo, até que, um inexplicável apagão acontecesse no exato momento que um vereador de São Luís se preparava para “detonar” uma bomba.

Bomba pode virar pum II…

Por pura coincidência, após o “apagão” calar o “edil bombástico”, seu telefone também ficou fora de área, resultado, toda a imprensa está ligando para  saber sobre o  teor bombástico de sua denúncia, mas, durante todo o dia,  o edil bombástico, sumiu, desapareceu, escafedeu-se…

Será que o “edil bombástico” vai aparecer amanhã na Câmara, ainda vai detonar a tal “bomba”?

Violência, assassinatos, polícia em greve…

Enquanto governo mente desrespeitosamente, vários assaltos, assassinatos, até invasão de escolas estão acontecendo em plena luz do dia. Só nesse final de semana, 14 corpos passaram pelo IML de São Luís, sendo que, em menos de 24 horas, foram registrados seis homicídios.

Campanha eleitoral antecipada…

Para o “governo da mudança”, parece que tem coisa mas importante que a segurança, fazer política…

Comunistas filiam sarneysistas…comun

A ordem é fazer o maior números de prefeitos…

Lembram das denuncias que fiz aqui, sobre a corrida política para fazerem 100 prefeitos?

Pois é, os governistas parecem que se esqueceram de “mudar” a realidade de pobreza da população e caíram na politiquice desenfreada.

O pior de tudo é que deixaram os aliados para filiar políticos tarimbados pelo grupo Sarney, Lobão, Cutrim, etc…

Comunistas fazem igual no tempo do Sarney: “Com a máquina nas mãos, vale tudo, só não vale é perder eleição”!!!

Mentira, Jerry?

Uma nota assinado pelo Sindicato dos Policiais Civis desmente secretário Márcio Jerry:

No documento, Sinpol mostra que fez várias reuniões com vários pedidos de prazo de Márcio Jerry para negociar com a categoria. Mas, até hoje nada resolvido.

Abaixo, trecho da nota:

SINPOL/MA vem a público esclarecer que:

Não é verdadeira a afirmação de que a categoria dos Policiais Civis, ou o SINPOL/MA, tenha interrompido qualquer diálogo com o Governo. Na verdade, o SINPOL/MA sempre priorizou a negociação e tentou evitar ao máximo a atual situação, fato demonstrado pelos mais de 8 (oito) meses de negociações e dezenas de reuniões realizadas entre representantes do SINPOL/MA e secretários de Governo, inclusive com Márcio Jerry.

Leia na íntegra a nota do Simpol clicando aqui:

 

Um pacotão sem rumo

É impressionante observar a completa dissonância do governo federal com a realidade da nação. Realidade, aliás, criada no seu próprio bojo, ao passar por cima de tudo para ganhar a eleição.

No vale-tudo em que se transformou a disputa eleitoral, Dilma fez de tudo. Criou recursos fictícios, fazendo “pedaladas fiscais” – hoje comprovadas – e mentiu deliberadamente sobre a verdadeira situação econômica do país. Resultado disso foi o caos que se instalou logo depois, dias após a eleição.dirminha

Agora, ao invés de reconhecer a terrível situação do país, envolto em gravíssima crise política, econômica e social, ela tenta escapar de suas imensas responsabilidades colocando a culpa em uma inexistente crise mundial.  Sim, pois o mundo globalmente crescerá neste ano cerca de 3 por cento e o Brasil terá crescimento negativo nesse mesmo valor.

Enquanto o mundo cresce, nós diminuímos de tamanho, jogando fora trabalho de mais de uma década de crescimento e de mudança. E o pior é que, quando tínhamos dinheiro sobrando – aí sim, beneficiados pelo crescimento mundial –  jogamos tudo fora perdulariamente em consumo, sem criar riquezas e sem mudanças qualitativas na educação, por exemplo. Só que os ventos mudaram de direção e o balão do falso crescimento explodiu, levando junto a saúde da economia brasileira.

O bilionário e megainvestidor americano Warren Buffet diz com muita propriedade: “Quando a maré baixa é que vemos quem estava nadando nu”. O Brasil nadava nu! Estava descoberto.

Famosa por não dizer frases conexas e não completar o seu raciocínio, ela, coerente apenas com esse comportamento que causa estranheza a todos, parece desconhecer a realidade. E ao negar a realidade é impossível enfrentá-la de maneira apropriada. E assim, como tudo está se deteriorando ao seu redor, obrigada pelas circunstâncias, ela anuncia e submete um pacote de medidas que “cortam o vento”, como classificou Delfim Neto.

As medidas não trarão de imediato nenhum alívio às combalidas finanças públicas e agravarão o terrível quadro instalado de recessão com inflação alta. Em contrapartida, sem efetuar negociações, joga as suas próprias bases, fincadas no funcionalismo público e em movimentos sociais ligados ao PT, contra ela e contra o seu governo, sufocando a sua já pequena base de apoio.

É de se notar que ao seu lado estão políticos experientes que poderiam, se pudessem agir com mais independência, abrir um diálogo com o Congresso, mas as informações é de que ela não ouve ninguém e trata mal quem lhe contraria, afastando pessoas que poderiam ajudá-la.

No entanto, resolve apelar para mais a arrecadação, como se a população brasileira estivesse disposta a dar mais dinheiro ao governo, além dos quatro meses de salários anuais que este já toma. Isso para receber em troca o desperdício, a corrupção, e os péssimos serviços da previdência, da saúde, da educação, do transporte e da segurança, além dos juros estratosféricos que penalizam a todos, forçando atitudes radicais como a contração de empréstimos. Por falar nisso, os juros que são cobrados pelos cartões de crédito são um escândalo mundial. Chegam a 400 por cento! É até criminoso e as autoridades do Banco Central agem como se esse problema não estivesse inviabilizando a vida de milhões de pessoas. Parece que aqui tudo pode!

Qual então poderia ser a proposta ideal para nós? Eu faria diferente. Mesmo sem conhecer todos os dados do governo arrisco que a presidente, até para se proteger e ficar mais resistente às pressões normais do dia a dia do governo, poderia propor uma espécie de Lei de Responsabilidade Fiscal para o governo federal. Proporia parâmetros para o tamanho da folha de pessoal, do salário mínimo, do endividamento do governo, do superávit primário.

Proporia ainda uma reforma tributária que simplificasse o pagamento de impostos, desde o ICMS, acabando com a maioria deles e concentrando a arrecadação somente em alguns mais simples de coletar, e promoveria uma abrangente desburocratização que facilitasse a vida de empresários e cidadãos em geral. E, claro, diminuiria o número de órgãos públicos, concentrando em poucos a ação do governo.

Só para ilustrar, quando fui Ministro dos Transportes, faziam parte dele a Rede Ferroviária Federal, a PORTOBRÁS, o GEIPOT, o DNER, a EBTU, a VALEC, etc., e hoje, quase todos se transformaram em outros ministérios. Para quê? Com a diminuição da máquina, também cortaria essa infinidade de cargos em comissão.

Também acabaria com as vinculações de setores ao orçamento, que só levam ao desperdício dos gastos de recursos obrigatórios, pois engessam o orçamento em 92 por cento, não deixando espaço para os governantes modernizarem o país.

É sonho? Acho que não! Isso mobilizaria o país e atrairia apoios ao governo no Congresso. Ninguém se sacrifica sem confiar.

Mudando de assunto, o Supremo concluiu a votação sobre o tema das doações para campanhas políticas, considerando inconstitucional a doação efetuada por empresas privadas. O que parecia ser uma boa medida, está se revelando o contrário, pois do jeito que está, ficam altamente privilegiados os candidatos ricos e os que possuem muita visibilidade, os que tem grandes sindicatos por trás, os líderes partidários de grandes partidos que podem direcionar o Fundo Partidário, e os que estejam exercendo cargos nos governos, com muita presença na mídia, além das celebridades e dos aventureiros com dinheiro. Perdem os partidos pequenos com pouco fundo partidário e os novos na política, fato que impede a renovação. É uma boa solução?

Isso sem contar que a decisão tomada pelo STF também poderá incentivar a pratica do caixa dois e mandar as campanhas para a ilegalidade. Melhor seria estabelecer regras rígidas para as doações que pudessem ser capazes de impedir casos como o do Petrolão.

Uma decisão dessas, para funcionar como pensado inicialmente, teria que vir acompanhada de muitas leis que equilibrassem a disputa. Do jeito que ficou, em que pesem as boas intenções da OAB e do Supremo, vai, ao final, desequilibrar as campanhas em favor de alguns privilegiados.

 

 

A republicana Ana do Gás cumpriu agenda de compromissos durante o fim de semana. Na cidade de São Roberto do Maranhão, a parlamentar participou da Conferência Municipal do PC do B, realizado na Câmara Municipal João Aristide.

Deputada Ana do Gás, ex-prefeito Zé Wilson e sua esposa Raimunda

Deputada Ana do Gás, ex-prefeito Zé Wilson e sua esposa Raimunda

O evento reelegeu Dr. Vando presidente da legenda no município. Vanderley Ramos dos Santos, mais conhecido por Dr. Vando, é advogado e atualmente exerce o cargo de procurador-geral adjunto do Estado do Maranhão, um cargo de destaque e de confiança do governador Flávio Dino.

A sigla também ganhou novas adesões como a do Joãozinho do Gás, Eudes do Zé Eduardo (Líder agricultor do Assentamento João do Vale Verde, do povoado Canãa), Paulo Paixão (Presidente da Colônia de Pescadores de São Roberto), Professora Cristiane (Presidente do SINPROESSEMA de São Roberto), Artur (líder comunitário do povoado Café-sem-troco), Raimundinho Guilherme (líder comunitário do povoado Vidal), Professora Elizângela Castro (Diretora do Ensino Médio de São Roberto), Carlinhos Locutor. Todos são pré-candidatos a vereadores pelo PCdoB.

 Dr. Vando, presidente do PC do B em São Roberto, deputada Ana do Gás e o vereador Mundinho, pré-candidato indicado pelo grupo,  deputado Rubens Pereira Júnior,  Zé Wilson e dona Raimunda,  sua esposa

Dr. Vando, presidente do PC do B em São Roberto, deputada Ana do Gás e o vereador Mundinho, pré-candidato indicado pelo grupo, deputado Rubens Pereira Júnior, Zé Wilson e dona Raimunda, sua esposa

O vereador Mundim do Luizão foi indicado pelo partido a pré-candidato a prefeito de São Roberto para as eleições de 2016.

O nome do vereador Mundim do Luizão teve o apoio do ex-prefeito José Wilson, que é presidente do PDT, e todos os outros partidos que formam a base de apoio do governador Flávio Dino (PSDB, PP, e PSB). “O nosso grupo está satisfeito com a indicação do vereador Mundim do Luizão e o ex-prefeito Zé Wilson terá nosso apoio para eleger seu candidato “, garantiu a deputada estadual Ana do Gás.

Mundim do Luizão está no 4º mandato de vereador, tendo sido Presidente da Câmara nos anos de 2007 e 2008. Também foi Secretário Municipal de Administração nos anos de 2004 e 2005.

O ato de filiação contou ainda com as presenças do Deputado Federal Rubens Pereira Jr. e de lideranças locais.

Apesar das crenças, sempre nos curvamos aos ídolos do capitalismo:

Num giro global, em poucas palavras, as imagens do final de semana que fizeram sucesso nas redes sociais.

Yes, o  Papa é pop. 150920233332_sp_papa_fidel_624x351_ap_nocredit

Em Cuba, o Papa se prepara para destronar  Fidel Castro, ícone da resistência do decadente comunismo.

No Brasil, a banda Metallica, apesar das falhas de som do festival Rock in Rio, outra vez encantou a terra do samba:

https://www.youtube.com/watch?v=1MejJKaMOdA

Entenda como os cargos federais ficam sempre nas mãos da oligarquia Sarney. Veja o último caso e tire suas conclusões:

Um petista, ex-Lobão, com tramites nos “subterrâneos do Palácio dos Leões”, confirmou ao blog que o pupilo do ex-secretário de Segurança Aluísio Mendes, emplacando recentemente num posto no alto escalão do Governo Federal, teve interferência direta do Clã político do Calhau.

E olha que o pupilo, ainda intentou contra a filha do oligarca, impetrando um processo na filhota. Mas, como “Aluizinho” é temido no Clã, emplacou seu pupilo sem problemas.

Dinastia X Oligarquia:

Como explicar o fato do governador do Maranhão perder todos os cargos federais para Sarney?

Essa situação causou mal estar nos dois lados. Mas, apesar das ciumeiras dos comunistas, a sarneysada emplacou todos até hoje, e assim, outro cargo federal, que deveria ser ofertado para os apoiadores de Dilma no Maranhão, outra vez, foi parar nas mão dos Sarneys.

Apesar dos esforços, os comunistas ainda não foram vistos nesses 13 anos que o PT manda no Brasil  como “companheiros”, de fato, do PT, para desbancar Sarney?

Não que na escala superior, em Brasília, Flávio Dino não seja respeitado, ainda, como um cacique político pela liderança do PT.

O problema todo, segundo a fala do petista, é que Sarney tem peso maior. Apresenta mais confiança, mesmo Flávio Dino constantemente sair em defesa de Dilma. Ainda assim, Sarney é mais confiável.

Definitivamente não dá para entender os petistas, mas, o fato é que os cargos de confiança todos ficaram com Sarney. Isso é fato. Os fatos falam mais que simples palavras.

Abaixo, um detalhe que pode ter feito toda a diferença no quesito confiança:

Nas eleições de 2014, que elegeu Flávio Dino governador, seu grupo político  aliou-se aos tucanos…  

fd4Leia a reportagem completa clicando aqui:

 

Haja estômago, Flávio Dino…

Entenda um pouco sobre a crise que gerou as palavras duras do governador Flávio Dino aos jornalistas que cobraram sua atitude em relação a volta da CPMF.

 Governador tuiteiro briga com jornalistas do seu estado, enquanto flerta com mídia nacional. Enquanto esculhamba jornalistas maranhenses, governador está caladinho com a Agência Brasil.

Pelo tuiter, governador dispara contra imprensa local: É mais fácil taxar jornalistas de”jabazeiros” que falar a verdade:5e9dec7683c4c47accb46ec6550196ab-577x1024

Não dá para entender nosso governador. Se não bastasse Flávio Dino ter aumenta imposto sobre herança para os mais ricos no Maranhão, agora é visto pelo Brasil inteiro como o principal articulador pela volta da CPMF, quem afirmou isso foi o governador do Rio.

Por ter sido mostrado desta forma pelo governador carioca, Luiz Fernando, o Pezão (PMDB), Flávio Dino novamente está sendo indelicado com a imprensa maranhense, chamando parte dela, alguns jornalistas que foram cobrar explicações de “jabazeiros”.

Toda a situação criada, oportunamente, respinga noutra situação indigesta para seu governo, que está caladinho com a agência que cobre a cena política do Planalto, e ainda pretende gastar muito dinheiro do Maranhão com agências de publicidades de outros estados.

Tem que ter estômago.

Abaixo, entrevista de Pezão:

fd3

Qual mudança?

Antes de assumirem o poder, os comunistas reclamavam que não havia cooperação entre os governos estadual e municipal de São Luís.

Há perigo na estrada:

olhodagua2

Mas, como explicar alguns casos, como o flagrante abaixo, registrado na manhã deste sábado, 19, onde uma equipe da Caema fez seu trabalho e deixou para trás um lastro de destruição capaz de causar acidentes?

olho dagua

Não que ande atrás de buracos, aliás, por onde passo sempre tem um flagrante fotográfico que mereça a atenção do órgão público responsável, ou neste caso, irresponsável.

Abaixo, um bueiro aberto pela Caema, em pleno sábado, dia de muita movimentação nesta avenida que leva à praia do Olho Dágua.

Obra abandonada, vejam o vídeo e tirem suas próprias conclusões:

 

O deputado estadual Wellington do Curso (PPS), cumpriu intensa agenda de compromissos na Região Tocantina, na tarde da última quarta-feira (16) e quinta-feira (17).wellg

O primeiro compromisso do deputado, na tarde da última quarta-feira (16), foi nos municípios de Davinópolis e Buritirana, localizados a 7km e 60km de Imperatriz, respectivamente, considerados por muitos como cidades “abandonadas” devido à carência de políticas públicas, onde o parlamentar acompanhou de perto a atual situação da educação e da saúde pública nos municípios.

“Conhecer a realidade dos maranhenses de diversas cidades e as condições em que vivem é a principal ferramenta para atender aos anseios da população. Por solicitação de alguns amigos de Davinópolis e Buritirana e enquanto vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa e parlamentar de todo o Maranhão, estive presente nesses municípios para acompanhar de perto a situação de vida dessas populações e, assim, contribuir com demandas que possam fomentar condições mais dignas a esses maranhenses”, esclareceu o deputado.

Na manhã de quinta-feira (17), Wellington participou da sessão plenária na Câmara de vereadores de Imperatriz, onde concedeu entrevistas a emissoras de rádio e TV e, ao ser convidado a utilizar a tribuna, justificou o motivo de sua presença na cidade e citou as proposições que já apresentou em defesa dos imperatrizenses desde o início do seu mandato, entre elas a solicitação do curso de Medicina para a UEMA de Imperatriz, além da solicitação da inclusão de vários bairros da cidade aos programas Mais Asfalto e Água para Todos, a instalação de Unidades de Segurança Comunitária (USCs) no município, entre outras demandas.

Durante a tarde do mesmo dia, o parlamentar realizou uma Audiência Pública, solicitada por ele, na Câmara de vereadores, que discutiu sobre “Os desafios dos profissionais de comunicação na região Tocantina” e contou com a presença do vereador de Imperatriz Raimundo Roma (PPL); do presidente do Sindicato de jornalistas e radialistas de Imperatriz, Josué Aquino; do representante da Secretaria de Estado da Comunicação, Josué Moura; do diretor do curso de Comunicação da UFMA na cidade, Marcos Fábio, além de jornalistas, radialistas, blogueiros, estudantes e comunicadores de atuação que participaram ativamente do debate e, na oportunidade, parabenizaram o deputado pela iniciativa de discutir as questões relacionadas à comunicação e se colocar à disposição da categoria.

O parlamentar destacou ainda, a sua próxima ida a Imperatriz, que será no dia 8 de outubro, juntamente com a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa ao Hospital Municipal de Imperatriz, para a realização de uma visita de inspeção.

Após a finalização da Audiência, em reconhecimento ao carinho e apoio que sempre recebeu da imprensa, o deputado Wellington do Curso reuniu jornalistas, radialistas, blogueiros, fotógrafos, repórteres, editores e comunicadores na Vip Churrascaria, onde realizou o II jantar de confraternização com a imprensa da região Tocantina e reafirmou sua defesa e compromisso com a comunicação no Maranhão.

Os buracos da cidade…

No dia da eleição, nada mais justo que devolver nas urnas do TRE, o pacote de irresponsabilidade dos políticos…

De quem são os buracos, afinal? Observaram que nossos políticos sempre querem jogar a culpa em alguém?

Iniciando esse breve editorial, quero deixar essa pergunta aos senhores e senhoras eleitores de nossa capital: Esses buracos todos são de vocês?

Embora a resposta seja óbvia, tudo indica que o governo, e aí, quero colocar neste mesmo pacote de irresponsabilidades as autoridades constituídas eleitoralmente: Prefeitura de São Luís, Governo do Estado, através dos órgãos como Caema e Sinfra que vivem jogando para outros, e nada resolvem, quando deveriam trabalhar para mudar essa triste realidade que já dura anos.

A mudança:

Nas eleições municipais passadas, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, num feito histórico, venceu o prefeito João Castelo. Edivaldo Holanda Júnior, através da promessa de “mudança”  iniciou um novo ciclo que deverá persistir até que nossa cidade e estado, possam acertar nas suas escolhas.

A mudança, seu efeito na administração pública:

Este mesmo Edivaldo Holanda Júnior, que venceu prometendo mudar, passou quase 3 anos para demostrar a que veio, a resposta para tanta demora, pasmem, senhores eleitores, foi o governo passado, foi a antiga governadora, foi a TV Mirante, a chuva, São Pedro, o bicho papão, o Sarney, etc…

A culpa para o atraso da “mudança” só não foi dele próprio (prefeito) e de seus cumpinchas, que lotearam as secretarias e cargos públicos e ainda estão lucrando alto para fazerem pouco ou, neste caso, nada, até agora…

A mudança II

Outro que foi eleito com o discurso da “mudança” foi Flávio Dino, que está há 9 meses como governador, mas, até agora as mudanças não aconteceram. Na verdade, o PCdoB, partido de Flávio Dino, está mesmo é preocupado e com as eleições de 2016. Dino tem dado amostras disso.

Através de seu secretário de Infraestrutura, o PCdoB tem andado pelos municípios filiando lideranças que eram da base de apoio do antigo governo. Essa atitude, lembra muito a antiga governadora, Roseana Sarney, andando com o então secretário de Infraestrutura, Luís Fernando. Me digam, houve mudança?

Nesse pacotão de irresponsabilidades, que para nós, eleitores, é ofertado,  estão empurrados, por exemplo, os buracos da cidade,  que ninguém quer assumir, mas, todos sabemos que são responsabilidade da Prefeitura, dos órgãos do governo, e se tivéssemos políticos com vergonha na cara (vereadores, deputados, senadores) estariam buscando soluções…

Governador, tome atitude, 9 meses é tempo demais para isso.

Sr. prefeito, tome atitude, 2 anos e 9 meses daria para acabar com os buracos até da Lua.

Mas, outras eleições virão, e nós, eleitores, já sabemos como responder aos irresponsáveis…

Abaixo, “os buracos da cidade”:

Numa das principais avenidas do Habitacional Turu, bueiros estão há vários anos sem tampas. A população improvisa para evitar acidentes…

A cem metros desse bueiro, outro, mais outro…bueiro1

bueiro2

Um próximo do outro, vários bueiros abertos…

bueiro4

 

 

 

1 610 611 612 613 614 625