Quando os olhos do prefeito não conseguem ver o óbvio, é sinal de que a cabeça do gestor tem espaços apenas para números de pesquisas e eleição.

Fiquem abaixo com a postagem do blog do Varão:

mart

A construção de um  muro numa área da Prefeitura de São Luís nas proximidades do Residencial Pedra Caída, no bairro do Bequimão tem nuances claras de irregularidades. Uma Área de Preservação Permanente está sendo invadida  com a construção da extensão do muro a partir de uma residência no Bequimão.

Pela imagem, a construção tem como objetivo cercar toda área de preservação. O que chama mais atenção por quem passa pelo acesso da via alternativa que vai do Bequimão/Angelim é que a invasão tem a conivência da Prefeitura de São Luís. Uma placa do Mais Asfalto da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior se encontra dentro da própria área invadida. A fiscalização desse tipo de irregularidade é feito pela Blitz Urbana, órgão ligado à Secretaria de Urbanismo e Habitação (Semurh).

Nosso Maranhão precisa de boas ideias…

Como faço todos os domingos, desde que comecei escrever nas tirinhas das cartas ao Dr Peta, tinha até comunidade no Orkut onde selecionava e postava nela as cartas mais criativas durante a semana, o certo é que hoje, ao logo de quase dez anos, compartilho minhas ideias, pensamentos, opiniões e críticas (construtivas ou não) no intuito de serem aproveitadas para o bem de todos.843_flavio_di

Sem querer ofender nosso governador, que na minha concepção iniciou sua gestão com o pé esquerdo, perseguindo e expulsando (inclusive aliados), quando deveria aproveitar o momento para ouvi-los, compartilhar ideias, opiniões, até mesmo sonhos. Mas, o radicalismo comunista não deixou. 

No texto abaixo, escolhido por se tratar de uma temática importante para nosso Maranhão, terra amada, que foi escravizada, que agora merece ser repensada, aos novos mandatários, após o primeiro ano seria importante abrir para novas ideias. Nesse sentido, vale compartilhar um texto do ex-deputado Joaquim Haickel, que, diferente de mim, a exemplo de quase todos os políticos do Maranhão, teve mão de gente para impulsiona-lo na política.  

Da mesma forma que o Joaquim, sonho também ser um bom político, talvez, governador. Quem sabe um dia, por hora, apenas compartilho ideias, sonhos. 

Um sonho para compartilhar (texto de Joaquim Haickel)

Eu tive um sonho… E no comecinho, do que me lembro dele, vi o reverendo Martin Luther King, que me dizia: “Se estás tentando me plagiar tens que colocar o verbo ‘ter’ no presente!” Mas eu não queria plagiar descaradamente o líder dos direitos civis! Eu tive mesmo um sonho no qual eu havia me elegido governador do Maranhão.

Elegi-me pelo PCB e meus maiores cabos eleitorais eram Maria Aragão e João do Vale. Estava nas mídias nacionais e internacionais como o primeiro governador eleito pelo Partido Comunista Brasileiro. Fui recebido por Prestes, que naquela altura havia até ressuscitado, tal qual Cristo, só para me dizer do orgulho que sentia por ver que logo o Maranhão, um lugar tão atrasado, havia dado ao Brasil seu primeiro governador comunista.

Eu convoquei, para me assessorar, os melhores quadros que havia nas fileiras dos exércitos que me levaram a aquela privilegiada posição. Nessa hora, dentro de meu próprio sonho, lembrei-me de gigantes da história mundial e de algumas de suas famosas frases como aquela do sonho do senhor King, que não se deveria perguntar o que nosso país poderia fazer por nós, mas nos colocarmos a fazer coisas em benefício de nosso país como falou JFK, que o comunismo não é amor, mas um martelo com o qual se deve golpear o inimigo, segundo o mestre Mao ou aquela outra, também dele, que diz que a bosta do gado é mais útil que os dogmas, pois com ela se faz estrume…

De repente meu sonho saltou no tempo e no espaço, e fui parar em um imenso auditório onde eu falava em mandarim para uma atenta plateia de membros do PC chinês, que me ouviam falar sobre as oportunidades de negócios no Brasil, especialmente no Maranhão, e eu os convidava para implantarem algumas indústrias aqui, para que aproveitassem o aço que iria ser produzido pela siderúrgica que o governo chinês e a Baoshan Iron & Steel Co iriam construir no mesmo lugar onde outrora seria a Refinaria Premium, da Petrobrás.

Meses antes, isso aparece em flash back em meu sonho, meu governo havia feito um acordo com a Petrobrás e ficamos com o terreno e com as obras ali realizadas por ela, e oferecemos aos comunistas chineses, para que nele fosse instalado todo um complexo industrial que garantisse ao Maranhão o progresso do qual tanto precisamos.

Abruptamente, no meio de meu sonho, aparece Ademir Santos gritando: “Se tu estás pensando em escrever domingo, sobre esse teu sonho, trata de sonhar pouco, pois só tens 3.200 toques!”. Peguei um susto tão grande que até acordei. Mas como faço desde muito jovem, sou capaz de voltar para os sonhos que porventura sejam interrompidos por um despertar inapropriado.

Voltei a dormir e a sonhar que eu era governador do Maranhão e que estava trazendo para nosso Estado grandes investimentos industriais que de forma encandeada, fariam do nosso estado uma grande potência econômica de nosso país.

Em meus devaneios oníricos, fazíamos negócios com Andrew Carnegie e com Cornelius Vanderbilt, um no setor de aço e o outro no setor de ferrovias.

Meu sonho era o sonho de um megalômano, um maluco com um pouquinho de informação e um pouco menos de cultura que sabe até dormindo das excelentes condições geográficas e logísticas de nosso Estado que favorecem a grandes empreendimentos, e de como atrairmos os chineses para cá, para implantarem uma siderúrgica e no entorno dela construírem outras indústrias de transformação e exportação para o mercado sul-americano! Isso seria equivalente a inventar a pólvora, que é criação dos mesmos chineses.

Reconheço que meu sonho é difícil de realizar-se, mas acredito que todos nós, principalmente quem mais pode fazer esse sonho se transformar em realidade, deveria sonhá-lo um pouquinho.

 Papai Noel FDP, uma cantata de natal diferente da perspectiva capitalista:

Papai-Noel-punkAlguns jovens resolveram criticar a figura mitológica do Papai Noel numa movimentada praça de São Paulo. Jovens recitaram, em forma de protesto a musica da banda punk Garotos Podres.

 Apesar de Jesus ter nascido em outra data, o natal deveria celebrar o seu nascimento.

Por acreditar que existem outras mensagens diferentes das apresentadas pelo comércio, de dar presentes, como bom cristão, prefiro acreditar nos abraços e confraternizações, e também, na figura do aniversariante, Jesus Cristo, quase esquecido devido apelos das lojas e comerciantes gananciosos ávidos por lucros.

Deputado ligado a Eduardo Cunha revela: Bancada maranhense é a favor do impeachment de Dilma, apenas uma deputado está contra.

“Judicialização do Legislativo”, veja como pensa o deputado federal André Fufuca, que fazia parte da comissão de impeachment de Dilma, que foi destituída pelo STF.

Foto: Robert Lobato

Foto: Robert Lobato

André Fufuca, que ficou conhecido como “homem de confiança” do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), fazia parte do grupo de parlamentares de oposição ao governo do PT, que aliás, segundo entrevista concedida ao blog, disse que da bancada maranhense no Congresso, apenas o comunista, Rubens Júnior, estava contra o impeachment.

“Fomos surpreendidos, o poder Legislativo, ontem (17), com a decisão do Judiciário (STF) em relação ao rito processual do impeachment. Veja bem, não estou dizendo que sou favorável ao contrário, mas, o Legislativo deveria ser respeitado, até mesmo para valer o principio de Montesquieu (independência dos poderes) o que estamos vendo aqui é uma judicialização do poder legislativo, o rito processual foi totalmente mudado, diferente de 92 (diferente do que aconteceu com Collor)”.

Jogando para a galera:

O deputado André Fufuca, disse ainda que, a prisão do senador Dilcídio Amaral foi um termômetro negativo para o Congresso. Assim como Fufuca, a grande maioria na Câmara dos Deputados está totalmente descontente com a atitude do Senado e do STF. Encerrando nossa conversa, deixou um recado para os maranhenses: “Apenas o povo nas ruas poderá mudar essa situação de judicialização”.

A entrevista concedida ao blog do Ricardo Santos, aconteceu na tarde dessa sexta-feira, 18, no escritório do senador Roberto Rocha, no Calhau, durante prestação de contas do primeiro ano de mandato.

Dilma deu as costas para Flávio Dino, preferiu Sarney e Amapá…

Para fechar o ano, a presidente Dilma Rousseff, apareceu hoje (18/12),  em evento com Sarney. Ainda ontem, mostrei que Sarney tinha entrado na defesa de Dilma, que, lógico, isentaria a presidenta de suas broncas mediante impeachment (reveja). Dito e feito, Dilma livrou-se das broncas, Sarney já aparece com Dilma em eventos.dilma-rousseff-jose-sarney-waldez-goes-zona-franca-verde-1202x540

Parece castigo: governador maranhes, que deu as costas para aliados, acabou recebendo as costas daquela que bajulou tanto.

Isso mesmo, a presidente Dilma Rousseff (PT), assinou hoje o decreto de criação da Zona Franca Verde, que retira o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Trata-se de uma legislação editada em 2009, que somente agora está sendo regulamentada para fortalecer as áreas de livre comércio instaladas nas regiões fronteiriças na Amazônia Legal, como Amazonas e Amapá.

dilma-rousseff-jose-sarney-waldez-goes-zona-franca-verde-1202x540 (1)Recentemente, um projeto similar foi apresentado pelos maranhenses, mas, a presidente Dilma Rousseff, parece que só tem atenção para o Amapá, base política de Sarney.

Nas fotos, ao lado do ex-presidente da República José Sarney, a presidente Dilma Rousseff assinou hoje o decreto que beneficiará  o Amapá.

Antes da solenidade, Dilma reuniu-se com o ex­-presidente José Sarney e os ministros Jaques Wagner (Casa Civil), Eduardo Braga (Minas e Energia), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) e Armando Monteiro Neto (Desenvolvimento, Indústria e Comércio). Leia a reportagem completa aqui:

Dilma terminou no colo de Sarney…

Engraçado, Flávio Dino fez palanque, discursos calorosos de defesas, mas, quem resolveu tudo, de fato, para livrar Dilma foi o Sarney.

Na sua rede de influencia, Marcio Jerry, precursor do comunismo e principal secretário de Flávio Dino, responsável pela porteira, chave, e cofres do estado, tenta respingar desavenças contra a “oligarquia” Sarney, como se o velhote fosse contra Dilma. Enganam-se.kkk

Nesse momento, quem tenta livrar Dilma, de resto, toda turma do PMDB maranhense, Roseana e Lobão, da lava-jatos, é o próprio Sarney, que conhece todos os caminhos das cortes superiores. 

Os comunistas tupiniquins, talvez, enciumados, pela entrada de Sarney no jogo, depois da eminente reviravolta, querem despistar a verdade, com publicações de blogueiro que se beneficia das verbas publicitárias do governo.

dilms

Durante sessão plenária de encerramento dos trabalhos na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) utilizou o grande expediente para fazer um balanço das atividades parlamentares no ano de 2015.unnamed-1-1

Ao iniciar o discurso, o parlamentar fez uma retrospectiva da sua trajetória de vida até chegar ao parlamento estadual, além de discorrer sobre sua atuação como vice-presidente das comissões de Educação e de Direitos Humanos da Assembleia, e membro das comissões de Segurança Pública, Meio ambiente, Administração e Obras.

“Agradeço a Deus a oportunidade de estar nesta Casa e representar o povo do Maranhão. Hoje nesta Assembleia, há um deputado que estudou em escola pública, vendeu frutas na rua, que tem a impressão do povo maranhense por ter origem humilde semelhante à maioria da população e que acredita ser a educação o principal instrumento de transformação da sociedade. Tenho orgulho de estar deputado nesta Casa e representar, não só os que votaram em mim, mas todo o povo do Maranhão. Vivi muitas experiências neste parlamento que marcaram a minha trajetória de vida, me trouxeram muitas aprendizagens e somaram às minhas ações em defesa de todos os maranhenses”, destacou.

Wellington fazendo mediação entre governo e população de Alcântara, após morte de gestante e sua criança...

Wellington fazendo mediação entre governo e população de Alcântara, após morte de gestante e sua criança…

Na ocasião, Wellington, que se destacou como o deputado que mais realizou Audiências Públicas neste primeiro ano de mandato da atual legislatura, citou as 21 Audiências que já realizou, dentre as quais destacou a audiência em defesa dos professores excedentes do último concurso público; em defesa dos autistas; policiais militares; da Enfermagem; das pessoas com Hanseníase; dos aprovados do TJ/MA; dos animais; dos advogados; dos radialistas e demais profissionais da Comunicação; dos conselheiros tutelares, dentre outros segmentos sociais, além de fazer referência às 389 proposições que apresentou até hoje, divididas entre185 Indicações, 27 Projetos de Lei, 172 Requerimentos, 2 Moções e 3 Projetos de Emenda Constitucional.

Deputado, juntamente com sua equipe,  cruzando mares para mediar conflitos em favor da população de Alcantara

Deputado, juntamente com sua equipe, cruzando mares para mediar conflitos em favor da população de Alcântara

O deputado fez referência, ainda, às políticas públicas que destacou em defesa da Baixada Maranhense, às palestras motivacionais que ministrou nas escolas públicas, à defesa de políticas públicas voltadas para os jovens e recordou, também, as denúncias ja feitas contra as gestões municipais de São Luís, Alcântara e Imperatriz.

Após agradecer os apartes recebidos por alguns parlamentares, que destacaram a sensibilidade do deputado Wellington com as diversas causas e enalteceram a atuação do parlamentar em defesa das minorias e dos direitos humanos, Wellington esclareceu sobre as denúncias que apresentou na tribuna durante o primeiro ano de mandato e esclareceu, ainda, suas defesas políticas.

Comissão de DH visitando dependências do Presidio de Pedrinhas

Comissão de DH visitando dependências do Presidio de Pedrinhas

“As críticas que trazemos a esta tribuna não estavam relacionadas a posições políticas, mas ao fato de que não podemos nos calar diante os desmandos do poder público. Há alguns meses, fui questionado sobre meu ‘lado’ político, mas, mais uma vez, afirmo que o meu lado é o povo maranhense. Hoje sou deputado da base e não tenho nenhum benefício político. Sou da base por espontânea vontade, por coerência, por convicção e por ainda acreditar na ‘mudança’ do Maranhão. Todas as minhas solicitações são em defesa do Maranhão e as denúncias foram feitas com responsabilidade, mesmo não obtivendo respostas até hoje”, enfatizou.

Wellington finalizou o último discurso do ano, agradecendo a Deus, ao povo do Maranhão, aos seus familiares, amigos e colaboradores, a toda a sua equipe de assessores pelo trabalho desenvolvido, aos demais parlamentares pela compreensão e apoio dos pares, ao destacar o trabalho coletivo da Assembleia Legislativa, aos funcionários da Casa, à imprensa pela difusão dos trabalhos realizados e, na ocasião, externou seu carinho, gratidão e reconhecimento, também, aos municipios de São Luís, Imperatriz, Alcântara, São José de Ribamar e Paço do Lumiar, pela receptividade com o qual sempre foi recebido nas vezes que foi a esses municípios, além de reafirmar seu compromisso na defesa dessas cidades e com o povo de todo o Maranhão.

Olha aí, governador Flávio Dino, o golpe de Dilma para não perder a eleição. Pegou dinheiro de propina da Petrobras para irrigar campanha, não deu outra, ganhou a eleição, de forma criminosa, diferente do que manda a Constituição que Vossa Excelência faz de desodorante, usando debaixo do braço. Isso, sim, é golpe.  

Duque pediu propina para PT quando ‘Serra encostou em Dilma’, diz delator

Pedro Barusco, ex-gerente da Petrobrás, afirmou que ex-diretor de Serviços da estatal solicitou US$ 300 mil para campanha presidencial da petista em 2010; delação faz parte da denúncia da Procuradoria da República que deflagrou a Operação Sangue Negro nesta quinta, 17.

Clic na imagem para aumentar

Clic na imagem para aumentar

O ex-gerente de Engenharia da Petrobrás Pedro Barusco afirmou em delação premiada que, em 2010, seu superior, o então diretor de Serviços da estatal, Renato Duque, pediu a ele uma propina de US$ 300 mil ‘para a campanha presidencial’. Segundo Barusco, a solicitação foi feita ‘quando Serra encostou em Dilma nas pesquisas’.

Naquele ano, Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB) disputavam a corrida para o Palácio do Planalto. “O depoente esclarece que no ano de 2010, durante a campanha presidencial, quando Serra encostou em Dilma nas pesquisas, foi solicitado por Renato Duque a intermediar o recebimento de uma contribuição de US$ 300 mil para a campanha de Dilma”, declarou Barusco em depoimento em 26 de novembro de 2014 à força-tarefa da Operação Lava Jato.serra-dilma-fotos-estadao

A denúncia dedica 5 páginas ao capítulo ‘Contribuição para campanha presidencial de 2010′. Pedro Barusco afirmou que ‘não necessariamente esse depósito ocorreu antes das eleições, porque na verdade o depoente não transferiu US$ 300 mil para a conta de ninguém, simplesmente passando ao PT um crédito em propinas a receber’.

Trechos da delação de Barusco constam da denúncia de 99 páginas do Ministério Público Federal, no Rio, contra 12 alvos da Operação Sangue Negro. A ação que investiga desvios na Petrobrás desde 1997 foi deflagrada nesta quinta-feira, 17.

Renato Duque é alvo de uma das ordens de prisão da Sangue Negro. O executivo já está preso desde março de 2015 em Curitiba, base da Operação Lava Jato. Duque recebeu a mais alta pena imposta pelo juiz federal Sérgio Moro aos investigados no esquema de corrupção instalado na Petrobrás.

A Sangue Negro mira em um esquema de propinas da holandesa SBM na Petrobrás. Foram denunciados por corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas Pedro Barusco, Renato Duque, Paulo Roberto Buarque Carneiro (membro de Comissão de Licitação de diversos FPSOs da Petrobrás), Jorge Luiz Zelada (ex-diretor Internacional da estatal), os ex-agentes de vendas da SBM no Brasil Julio Faerman e Luis Eduardo Campos Barbosa da Silva, além dos executivos da SBM Robert Zubiate, Didier Keller e Tony Mace.

1 568 569 570 571 572 614