Efeito Marcelo Tavares? Respiradores desviados seguem sem a devida tranparência, para piorar, processo está travado, sob sigilo…

Um pouco de luz sobre os “genocídios” da Covid-19… 

Alô, TCE!!!

Governo comunista faz pouco caso dos respiradores desviados, orgãos de fiscalização parecem ter ficados cegos, surdos e mudos. Até o TCE parece fingir-se de morto.

Os respiradores que deveriam salvar as vidas de milhares de pacientes acometidos pela doença, nunca chegaram nos hospitais públicos, mas o governador socialista, Flávio Dino, vive xingando o presidente da República de Genocida, logo ele que não tem moral de acusar ninguém.

Se os orgãos de controle e fiscalização funcionassem a favor da população que paga seus gordos salários, há muito que os assaltantes dos cofres públicos (boa parte desse dinheiro foi enviado pelo presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro) já teriam sido presos, ou enquadrados pela Justiça para pagarem pelos seus crimes. Mas, parece que tais orgãos, como TCE, MP, do Maranhão, parecem dormir um sono profundo.

Teve caso escabroso, que o governo do Maranhão pagou até antecipado, mas até hoje os hospitais nunca receberam as mercadorias. É roubo ou genocídio que chama?

Pelo teor da urgência, acho que seria esta a hora do novo Conselheiro do TCE mostrar a que veio. Alô, Marcelo Tavares, já passou da hora de mostrar diferença.

Vale lembrar que, boa parte dos bilhões enviados pelo governo federal para socorrer a rede hospitalar do Nordeste, que foi sucateada por anos, foi desviada pelos representantes dum tal “Consórcio do Nordeste”.

Confira trecho da reportagem do site Atual7:

Aberto desde junho de 2020 e com as primeiras irregularidades constatadas menos de um mês depois, o processo aguarda parecer do conselheiro-substituto Antônio Blecaute, relator do caso, e travou após o chefe da Secretaria de Fiscalização do tribunal, Fábio Alex de Melo, reforçar a gravidade de irregularidades apontadas pelo núcleo de fiscalização da corte e sugerir a instauração de uma tomada de contas especial, tipo de apuração que busca quantificar danos ao erário e identificar seus responsáveis.

Paralisado por mais de dois meses, o processo voltou a ter movimentação na sexta-feira (10), cerca de 1 hora depois de o ATUAL7 questionar Blecaute, com o envio dos autos para o Ministério Público de Contas, para manifestação.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.