Circo da vacinação (parte II), ou: o Maranhão vai ficar de novo no rabo da fila por culpa de Flávio Dino?

Picadeiro vermelho:

Novamente o governador comuno-socialista tenta chamar para si os beneficios da vacinação. Desta vez, tentar armar o circo usando as vacinas enviadas por Bolsonaro nas crianças.

Observem as duas imagens: Dino tentou chamar a atenção da imprensa nacional dizendo-se responsável pela primeira cidade totalmente vacinada: Acântara, como não deu certo, usou a Extrema Imprensa alinhada para desinformar a respeito do prefeito Eduardo Braide, que, de fato, foi quem conseguiu vacinar uma cidade inteira sem circo, picadeiro ou motivação política. São Luís, capital do Maranhão, tendo mais de 1 milhão de habitantes, e Alcântara, com menos de 22 mil. Stalinismo?

Pesa contra Flávio Dino, justamente a pior campanha de vacinação. Foi justamente por culpa do governador que o Maranhão teve o pior desempenho do Brasil, recebendo criticas até da ex-governadora Roseana Sarney. Entenda aqui:

Lá vem ele novamente exaltando o SUS, pagando cachês de personagens publicitários, colando adesivo do governo do Maranhão (caixa vermelha por cima do adesivo do Governo Federal), usando as vacinas compradas por Bolsonaro como palanque político, para depois dar entrevistas em TVs, e Sites extremistas, buscando oportunidades de provocar ou xingar o presidente do Brasil, como visto recentemente (leia aqui), mas que foi desmascarado pelo jornalista da Jovem Pan (leia aqui)

O chefão do comunismo Dinista mostrando o que sempre foi, ridiculo.

Não é segredo para ninguém que os Bilhões, também as vacinas compradas por Bolsonaro, viraram publicidade enganosas. Para entender, vale resgatar alguns pontos sombrios do protagonismo Dinista.

Afinal, as vacinas foram pagas por Flávio Dino?

Claro que não. O circo está armado, novamente algo que deveria ser levado a sério, deverá ser levado como palanque político (ou picadeiro de circo) para tentar enganar, fazer novamente o povo do Maranhão pensar que quem bancou as vacinas seria um “serial killer” desdenhando da ingenuidade do povo como se fosse massa de manobra.

Já disse e torno a repetir: Flávio Dino não poderia usar o governo do Maranhão, ao arrepio das leis e democracia, como “resistência”, mas vira e torna, repete picadeiros cíclicos. O ódio por Bolsonaro é compreensivo, mas não vale usar vidas para tentar boicotar um país inteiro usando o governo do Maranhão.

Psicose stalinista?

Os extremistas políticos do Brasil demonstraram ter em comum as mesmas táticas nocivas dos “socialistas” do Leste europeu. Será que no Senado Federal, caso eleito, Flávio Dino vai continuar a sua briga politica ao extremo? Será que o povo pobre merece esse tipo de politica?

Pois foi justamente isso que fez como governador do Maranhão, ao arrepio da leis e democracia, por 4 anos, mesmo durante uma pandemia, quando o povo do Brasil precisava dar as mãos, mas tudo que se viu foram ataques ao governo federal. que foi obrigado, via TSE, pagar a conta de tudo, inclusive com roubalheiras. Entenda aqui:

O povo maranhense sofre por ser o último em tudo. O eleitor maranhense deveria melhorar suas escolhas, aliás, foi aqui no Maranhão que Bolsonaro perdeu, mas, deu surra no PT noutras capitais. Dino não gostou.

Mas, Flávio Dino, por não ter aceitado a derrota de seus candidatos a presidente do Brasil: Fernando Haddad do PT e Manu D’ávilla do PCdoB, que perderam as eleições em 2018 para Jair Messias Bolsonaro, ao que tudo indica, desconta no povo.

Sabe quem paga a conta do picadeiro vermelho?

1 pensou em “Circo da vacinação (parte II), ou: o Maranhão vai ficar de novo no rabo da fila por culpa de Flávio Dino?

  1. ESSE DESGOVERNADOR DINO SE FAZ DE DESENTENDIDO.
    AS ATRIBUIÇÕES SÃO CLARAS EM MATÉRIA DE VACINAS. A PROGRESSIVA CAPILARIDADE DA REDE DE SERVIÇOS PÚBLICOS.
    O GOVERNO FEDERAL ADQUIRE, OS ESTADOS DISTRIBUEM,
    OS MUNICÍPIOS APLICAM.

    SIMPLES ASSIM.
    CHEGA DE “ARRAIAIS” EXTEMPORÂNEOS QUE SURGEM E SOMEM DO DIA PARA A NOITE, SEM DAR QUALQUER SATISFAÇÃO.
    O SOFRIDO POVO DO MARANHÃO DARÁ A MERECIDA RESPOSTA NAS URNAS.
    AFINAL, 2022 É ANO ELEITORAL. DINO E OS CANDIDATOS POR ELE APOIADOS FICARÃO OU PERMANECERÃO SEM MANDATO ELETIVO, À DISPOSIÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DO JUDICIÁRIO, PARA RESPONDEREM POR SEUS ATOS E OMISSÕES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.