Pior que João Dória, Flávio Dino continua gastando milhões em promoção pessoal…

O ódio remunerado ?

Muita coincidência que a mesma mídia esquerdista que ataca Bolsonaro é a mesma que vive elogiando o comunista…

Parece até que alguns jornalistas – militantes vivem para atacar desafetos e, por pura coincidência, elogiar o comunista que está sentado sobre os cofres públicos mandando ao seu bel prazer.

Parece também que nada é de graça, por trás dos ataques contra Bolsonaro, que digam os endinheirados Carta Capital e Ricardo Noblat.

No Maranhão milhões são usados para promover a imagem politica de Flávio Dino, enquanto o povo passa necessidades básicas.

Lamentável que muito dinheiro continua sendo desviado da principal finalidade, que seria cuidar do povo pobre (educação, saúde e segurança), para promover a imagem de políticos em palanques eleitorais. Abaixo, trecho da reportagem de Crítica Nacional sobre os gastos de João Dória.

Contrato de R$ 8 Milhões: Explicações do Antagonista Diogo Mainardi Não Convencem

Critica Nacional  

As explicações dadas até agora pelo antagonista Diogo Mainardi sobre o contrato de R$ 8 milhões entre a empresa que produz o programa-traço Manhattan Connection e a Fundação Padre Anchieta não foram convincentes e não esclarecem os fatos. Segundo Diogo Mainardi, os recursos supostamente privados que bancam o programa seriam repassados à TV Cultura, que por sua vez os repassaria à empresa que o produz.

É evidente que esta triangulação é totalmente incomum entre entes públicos e privados. Ela é tão estapafúrdia que poderia servir para descrever a forma como a Fundação Padre Anchieta é remunerada por ceder ou alugar o horário em sua grade de programação para o Manhattan Connection. Cabem então outras perguntas ao antagonista Diogo Mainardi:

A TV Cultura alugou horário para o Manhattan Connection?

Se não, ela contratou o programa? Se não, quais os custos incorridos para a TV Cultura para ceder horário de sua grade para o programa? O que significam os R$ 8 milhões determinados no estrato do contrato? Se é estimativa, é estimativa do quê e a cargo de qual parte? Diogo Mainardi ainda tem muito o que explicar, e de nada adianta tergiversar falando sobre “bolsonaristas”.

Leia aqui nossa reportagem completa:
Os Blogueiros de Crachá de João Doria: R$ 8 Milhões Em Recursos Públicos Para Atacar o Presidente Bolsonaro 

SEMAPA distribui uma tonelada de pescado na Semana Santa

Peixe na Mesa:

A Prefeitura de São Luís, por intermédio da Secretaria de Agricultura, Pesca e Abastecimento (SEMAPA), realizou, na Sexta-feira Santa, 2 de abril, a distribuição de uma tonelada de peixes para cinco comunidades da Zona Rural de São Luís.

A ação contou com o apoio da Secretaria de Segurança Alimentar (SEMSA), que doou uma tonelada de peixes do Programa Peixe na Mesa para a SEMAPA distribuir em cinco comunidades da Zona Rural de São Luís.

Presente durante a distribuição dos pescados, o secretário Liviomar Macatrão destacou a importância da realização do programa Peixe na Mesa, parabenizando o prefeito Eduardo Braide e demais secretarias municipais pelo sucesso do programa.

“É de extrema importância que ações sociais estejam contemplando pessoas em situação de vulnerabilidade. Está de parabéns o prefeito de São Luís e todos que se uniram neste propósito.”, disse Liviomar Macatrão.

As ações do Peixe na Mesa foram realizadas pela equipe da Semapa atendendo 5 associações de moradores que enviaram oficio à secretaria.

Os bairros atendidos foram:

Associação dos Moradores da Vila Isabel – Itaqui Bacanga.
União dos Moradores do Bairro da Vila Dom Luís – Itaqui Bacanga.
Associação de Pais e Amigos da Vila Esperança.
Associação Sociocultural Zona Rural Vila Industrial – Maracanã
Instituto de Mulheres em Ananandiba – Pedrinhas

Síndrome de Judas? Um verdadeiro consórcio do ódio bancado por governadores…

Sobre o ódio dos comunistas, Jesus disse: “a boca fala aquilo que o coração está cheio”.

Flávio Dino arrota ódio junto com o governador de São Paulo, o João Dória que prometeu arruinar Bolsonaro. Estão neste propósito com outros aliados do Fernando Haddad do PT, em plena pandemia de um vírus mortal.

Na imagem ao lado, Flávio Dino xinga Bolsonaro mas não fala das suas férias, que tirou recentemente…

Governadores-militantes passam o tempo todo fazendo “resistência” para prejudicar o Brasil, esse tipo de político que não desceu dos palanques, não ligam para o azar dos pobres, gastam milhões em mídias. Dino e Dória são exemplos de traidores do povo que cobram impostos caros, e passam horas nas mídias estrebuchando contra Bolsonaro.

Sabem aquele consórcio de governadores que fizeram sumir respiradores e outros bilhões enviados para socorrer o povo do Nordeste que estava com os hospitais sucateados?

Elegemos judas: Alternância para o mal.

Sabem aqueles governadores do PT eleitos em 2018? Esse tipo de militante que não desce do palanque eleitoral e diz fazer “resistência” montado na maquina pública, politizando tudo ao arrepio das leis e democracia, enquanto deveriam governar em harmonia com o restante do Brasil para tirar o povo da pobreza (fome e desemprego). Sabem quem comanda este conluio?

Ora, o estado do Maranhão estava há 48 anos sob uma oligarquia, em 2014, trocou de grupo político, desta vez, não mais o poderoso grupo Sarney, mas o maligno grupo comunista, que, segundo números do IBGE, em 8 anos, fizeram o Maranhão entrar na Extrema Pobreza.

A política nociva do comunismos, da mesma forma que os oligarcas fizeram por 48 anos, manda em tudo, aumentando impostos, empobrecendo, inviabilizando ainda mais o povo e falindo um estado tão rico.

O Brasil poderia ter um outro rumo a partir de 2018, se os eleitores não resolvessem votar em traidores, como fazem nas nações prosperas.

Agora é esperar sentado na pobreza, tipo aconteceu na Venezuela, enquanto a população era enganada pelo falso sentimento de “revolução” pelos judas ideológicos, que saqueavam aquela nação.

Desemprego e fome avançam na pandemia e mostram que Bolsonaro estava certo

Conexão Política

O surto da Covid-19 tem evidenciado diversos problemas sociais no Brasil e no mundo. Um indicador surpreendente do impacto econômico pós-pandemia é que os índices da extrema-pobreza seguem aumentando no país.

Consequentemente, os pedidos de auxílio emergencial cresceram drasticamente, revelando a luta de milhões de famílias para sobreviverem financeiramente.

De acordo com números projetados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), entre agosto de 2020 e fevereiro de 2021, cerca de 17,7 milhões de pessoas voltaram à pobreza.
Em agosto, a população pobre era cerca de 9,5 milhões: 4,52% do total de brasileiros, 210 milhões. Em fevereiro, saltou para 27,2 milhões: 12,83%.

Uma outra pesquisa, do Instituto Datafolha, divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, revela uma grande preocupação dos brasileiros. Segundo o levantamento, divulgado no início deste ano, 69% dos brasileiros que receberam o auxílio emergencial ainda não encontraram outra fonte de renda para substituir o benefício.

Já era possível calcular os danos causados.
Um ano após o primeiro caso do novo coronavírus ter sido identificado no Brasil, o país ainda segue se deparando com brigas e discussões políticas sobre medidas concretas para o enfrentamento da doença que continua assolando o território brasileiro de ponta-a-ponta.

A pandemia já deixou mais de 300 mil mortos e, certamente, levará outras dezenas de milhares de vidas brasileiras.

Mediante ao exposto, a resposta é que sim, era possível pressupor, com maior ou menor grau de probabilidade, os danos causados pelo vírus no Brasil.

Fome

Em maio de 2020, quando o surto da Covid-19 chegava ao país, o presidente Jair Bolsonaro tecia fortes críticas às restrições e medidas de isolamento radicais, alegando que a fome iria desencadear problemas muito maiores no país.

“Tem que reabrir, nós vamos morrer de fome. A fome mata, a fome mata! O Brasil está se tornando um país de pobres. O que eu falava lá atrás, que era esculachado, estão vendo a realidade agora aí. Para onde está indo o Brasil? Vai chegar um ponto que o caos vai se fazer presente aqui. Essa história de lockdown, de fechar tudo, não é esse o caminho. Esse é o caminho do fracasso, quebrar o Brasil”, disse o chefe do Executivo, na época.

Ele, desde o início, tem destacado que as políticas adotadas ao longo dos últimos meses necessitam de revisão para que se possa ‘voltar à normalidade’, argumentando que os efeitos colaterais do combate à pandemia podem ser mais danosos do que o próprio vírus.

Desemprego

Com os primeiros casos registrados, o presidente já discursava sobre a preocupação em torno do desemprego que poderia assolar no país. Na ocasião, ele dizia que as autoridades, em conjunto, deveriam se unir para preservar os empregos dos brasileiros.

Para ele, ações simultâneas deveriam ser implantadas para preservar a saúde das pessoas e assegurar os milhões de trabalhos e serviços.

“O Supremo Tribunal Federal decidiu que os governadores e prefeitos é que são responsáveis por essa política, inclusive isolamento. Agora está vindo uma onda de desemprego enorme aí. Informais e o pessoal formal também. Não queiram colocar no meu colo. Compete aos governadores a solução desse problema que está acontecendo quase no Brasil todo”, disse Bolsonaro, na época.

União para vencer o vírus

Ainda em maio de 2020, o chefe do Executivo acenava positivamente para prefeitos e governadores, buscando maiores diálogos para um enfrentamento efetivo contra a Covid-19 no Brasil.

Condenando a ‘guerra política’, Bolsonaro assegurava estar ‘pronto para conversar’. Contudo, ao que parece, parte dos governadores não demonstraram a mesma disposição.

“Então, [este é] o apelo que eu faço aos governadores: revejam essa política, eu estou pronto para conversar. Vamos preservar vidas, vamos. Mas dessa forma, o preço lá na frente serão centenas a mais de vidas que vamos perder, por causa dessas medidas absurdas de fechar tudo”, declarou o mandatário, na saída do Palácio da Alvorada, em maio do ano passado.

No atual cenário em que o Brasil se encontra, restam visíveis os esforços do chefe do Executivo. Ele não só buscou alertar sobre os futuros impactos da Covid-19 no país, mas também esteve interessado em estabelecer diálogos e união entre todos os setores da sociedade para o enfrentamento da pandemia.

Os prefeitos e governadores, no entanto, tardaram entender a escala do risco, postergando em agir coletivamente e de acordo com a necessidade urgente para socorrer os milhões de brasileiros que seriam afetados pela doença. Faltou, sem dúvidas, uma gestão efetiva para controlar o surto da Covid-19, e garantir a manutenção da economia.

Se as atividades econômicas não forem restabelecidas, o Brasil terá problemas ainda mais graves. Não se pode continuar olhando com naturalidade a paralisação da economia em decorrência do coronavírus.

Afinal, quem vai salvar a economia da Covid-19?

Agora, mais do que nunca, as autoridades brasileiras precisam agir para manter os empregos em meio à pandemia. Com os devidos cuidados e protocolos, as ações precisam ser tangíveis, planejadas e de larga escala.

O Brasil não pode mais esperar.

Diferente dos cupichas de Flávio Dino, Senador Roberto Rocha segue como destaque nacional…

Bola dentro:

Senador maranhense novamente foi destaque nacional. Diferente da bancada  comunista que só existe para fazer o mal (bola fora), o senador Roberto Rocha (sem partido) segundo o Site Ranking dos Políticos foi considerado Bola Dentro durante uma sessão que conseguiu a prorrogação da Comissão Especial da Reforma Tributária por mais um mês.

O site que acompanha os políticos de perto, destacou as ações mais relevantes dos parlamentares durante a semana. São publicadas tanto ações positivas (Bola Dentro) como ações negativas (Bola Fora). Dependendo da extensão dos efeitos das atitudes, elas podem valer pontuação extra para o parlamentar. Confira abaixo os destaques:

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Roberto Rocha (@robertorocha_ma)

Imprensa militante: CNN se declara a favor da ideologia de gênero…

Loucura propagada pela imprensa:

Parece que TV americana CNN abraçou de vez a causa gay, segundo informações do site Estudos Nacionais, a tv gringa teria afirmado recentemente numa reportagem, que mesmo olhando para o sexo do recém nascido não é possível dizer qual o sexo da criança.

Pelo visto chegaram ao ponto de olhar e não enxergar, nem mesmo de perto, aquilo que está claro, mas querem ignorar pela cegueira ideológica. O mundo só piora com as ideologias do atraso impostas pelos comunistas.

Ideologia de gênero: CNN diz que não se é possível saber o sexo de alguém ao nascer.

Uma matéria do canal CNN dos Estados Unidos levantou indignação nesta semana ao sugerir que não é possível saber o sexo (gênero) de alguém quando nasce.

O canal, que tem claro viés esquerdista, publicou a matéria em contra-ataque à governadora conservadora do estado da Dakota do Sul, Kristi Noem, que assinou duas ordens executivas recentemente, proibindo homens de competir em esportes femininos sob o pretexto de ser “transgênero”.

“Não é possível saber a identidade de gênero de uma pessoa no nascimento, e não há critérios de consenso para a atribuição do sexo no nascimento”, escreveu a CNN, que também critica o termo “sexo biológico” da ordem executiva, expressão que – critica o canal – é um “termo controverso que se refere ao sexo como o listado nas certidões de nascimento dos estudantes.”

Como ressaltou o Christian Headlines, o site da CNN alterou um pouco o texto depois de tantas críticas, embora a substância continuou a mesma. A nova frase diz: “não é possível saber a identidade de gênero de uma pessoa no nascimento e, para algumas pessoas, o sexo listado em sua certidão de nascimento original é uma forma enganosa de descrever o corpo que têm.”

A ideologia de gênero se ocupa em desprezar o gênero biológico das pessoas e parte da ideia de que todos têm uma espécie de gênero “fluido”, maleável, que pode ser escolhido ao sabor da ocasião.

Alô, governador ideológico: Em plena pandemia Maranhão libera mais de 600 presidiários…

 Qual a lógica de soltar presidiários em plena pandemia do vírus mortal do covid-19?

Enquanto adolecentes são assassinadas em covas rasas, outra jovem adolescente evangélica que levou um tiro na testa ao sair da Igreja, sem que providencias sérias fossem tomadas, o TJ manda soltar mais de 600 durante Pandemia.

Vale lembrar que a última soltura (mais de mil) poucos voltaram ao presídio.

Festa da bandidagem:

Muitos fogem. Muitos presidiários que não conseguem conviver pacificamente entre cidadãos de bem saem junto com os que querem se converter ao bem.

O pior que na última soltura, o Maranhão sob o comunismo de Flávio Dino, que manda fazer “motel pra bandidos”, encheu as ruas de presidiários que deveriam estar cumprindo pena, mas foram postos em liberdade.

Adivinha quem sofre as consequenciais da gestão ideológica?

Resta saber se essa decisão absurda não está acontecendo em submissão aos anseios polítizados de um governo que faz tudo contra a população. Alguém duvida do que são capazes?

Flávio Dino e a “ditadura”…

Um engodo chamado Flávio Dino.

Veja abaixo, cenas de trabalhador negro apanhando da “ditadura Dino” no Maranhão.

Olha ai o Flávio Dino xingando o Exército e seus membros de ditadores e golpistas. É o mesmo que esqueceu de cobrar providências ao povo de Bacabeira pelo ROUBO de dinheiro público e engano eleitoral que elegeu Dilma Rosusseff presidenta.

Quem vê, ouve, assiste o governador militante, Flávio Dino do PCdoB falar contra os militares até imagina que se trata de um homem do bem, que é um bom exemplo a ser seguido, mas quando se observa sua gestão desastrosa, seu lastro sujo de político enganador, logo ficamos sabendo de quem se trata.

A baixo, a imagem de um negro, trabalhador, eleitor, pagador explorado de impostos apanhando da policia de um ditador. Onde os Direitos Humanos se enfiaram, os movimentos negros, a turma da lacração?

Recentemente um juiz do Maranhão resolveu (sem seguir ordem do Executivo?) arquivar um processo de roubo de dinheiro desviado para aparelhar UTIs (respiradores) dinheiro enviado pelo governo federal para socorrer a Saúde precária do Maranhão.

Fora isso, Dino vive xingando o presidente  do Brasil de ser genocida, ditador, louco, etc. Tirem suas conclusões.

Abaixo, as imagens de Flávio Dino, que acusa outros daquilo que faz…

Tem mais: a imagem percorreu o Congresso Nacional em Brasília, vários políticos denunciaram a ação truculenta contra um ser humano (um trabalhador negro, desempregado, que precisa se virar para levar alimento para casa).

Confira no vídeo:

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Roberto Rocha (@robertorocha_ma)

Prefeito Eduardo Braide lamenta morte do vereador Batista Matos e decreta luto oficial de três dias

Em nota, o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, lamentou a morte do vereador Batista Matos ocorrida nesta quarta-feira, 31 de março, e decretou luto oficial de três dias em São Luís. 

Nota de pesar – Vereador Batista Matos

Com o coração cheio de tristeza recebi a notícia da morte do vereador e vice-líder do nosso Governo na Câmara, Batista Matos, vítima de complicações causadas pela Covid-19, ocorrida nesta quarta-feira (31).

Batista era reconhecido por sua fé em Deus, extremamente dedicado à sua família e ao povo de São Luís. Como jornalista, tinha uma grande capacidade de diálogo e conciliação, sempre preocupado em ajudar ao próximo.

Nossa cidade perde uma referência na política e eu perdi um amigo. Neste momento de tamanha dor, me uno à Liana, sua esposa; seus filhos, Samuel e Daniel; demais familiares e admiradores do seu trabalho. Peço a Deus que conforte o coração de todos.

Decreto luto oficial por três dias.

Eduardo Braide
Prefeito de São Luís