A genialidade ao contrário de Weverton Rocha: Um ex-pobre que quer se meter nas riqueza dos outros…

0

Meter a mão sem pena…

Avanço nas riquezas dos outros: políticos esquerdistas que nada fazem sobre a pobreza de seus estados, que aumentaram patrimônios, não deveriam dar palpites “mirabolantes” ou “geniais”.

Maragato acaba de soltar uma pérola: que taxar riquezas de quem produz, expulsando quem quer produzir… Gênio ao contrário?

Adivinhem: Weverton Rocha, novo rico do Maranhão, quer taxar grandes fortunas da Argentina? Como assim, Weverton, o Maranhão saiu da pobreza com tantos impostos que um governo “gordo”, um estado gigantesco, que vive metendo as mãos e avançando sobre as riquezas dos pobres, nada consegue fazer pelos pobres?

Como assim, Weverton Rocha, se o Maranhão em seis anos está mais pobre devido atuação vergonhosa, pífia, de seu grupo político?

A situação calamitosa do aumento da pobreza e recessão no país vizinho da América do Sul, a Argentina, ainda não chegou no nível precário da Venezuela. Ainda não. Por lá, o Estado é gigantesco e cada vez avança sobre os bens particulares abocanhando e lavando tudo.

Sabem da última?

Vão “taxar grandes fortunas” com a justificativa é de que o pais precisa sair da crise. Santa hipocrisia.

Ainda tem “gênios” que acham que expulsando empresários e se apossando dos lucros de quem tenta vencer com trabalho, aumentando de forma tirana as cargas de impostos, podem fazer justiça social.

Coisa de esquerdista. Mas pior que nos países “hermanos”, é a realidade de um estado pobre que fabricou ricos através da política. Bem pior que a Argentina, Venezuela, e também, Cuba, países governados pela esquerda, é o Maranhão. O pior que esse tipo de políticos hipócritas se multiplicam, cada vez aparece com ideias mirabolantes.

Querem exemplos?

Vou dar apenas um:

Dizem que um jovem nascido num interior pobre, ele mais pobre ainda, que chegou na capital “puxando a cachorra”, e conseguiu “se dar bem” na política aumentando em poucos anos seu patrimônio milionariamente. Esse “novo rico” tem emissoras de rádios e TVs espalhadas pelo pobre estado, que por décadas passou sendo impedido de desenvolver, por causa de uma único problema: seus políticos.

Esse político, uns apelidaram de “velho escroto”, serviu de exemplo, com toda certeza, para outros bem piores ascenderem na vida usando a política como trampolim deixando o povo no esquecimento. Esse tipo de político, velhaco, escroto, que deveríamos extirpar do nosso  pobre e roubado estado.

Por falar nisso, o jovem senador Weverton Rocha, que acredito que não seja um bom exemplo para falar das riquezas dos outros, pois até agora, em 3 anos como senador, recebendo salários altíssimos, apesar de ter aumentado seu patrimônio, nada fez para tirar o povo da pobreza, aliás, extrema pobreza.

O que faz um senador ex-pobre deixar seu povo na pobreza?

Será que Weverton Rocha, Eliziane Gama, eleitos para “mudar o Maranhão”, e todos os novos políticos da geração nova, que criticavam os “velhos escrotos” de outrora, só pensam nas suas vidas e esquecem dos pobres?

Os comentários estão desativados.