Dino provoca Bolsonaro, mas até agora nádegas a declarar sobre o sumiço dos bilhões do Fundo dos aposentados.

0

Por ordem do presidente  que a PF saiu para prender ladrões. Acompanhe as versões:

Não era mais provável acusar os membros da casa senatorial, que o presidente do Brasil? Pelo visto, Flávio Dino tentou burlar a ordem dos fatores para não alterar o produto: dinheiro nas nádegas.

Dinheiro nas nádegas: o detalhe que a Globo e defensores de corruptos não comentaram sobre operação da PF.

A semana fechou com a PF na cola de políticos ladrões. Flávio Dino do PCdoB, governador do Maranhão, que até hoje nunca explicou o sumiço dos bilhões do Fundo dos Aposentados – FEPA- novamente foi para seu tuíter estrebuchar contra o presidente Bolsonaro, que disse o óbvio: a PF segue minhas ordens.

Mas na versão ofensiva e cheia de ódio de Flávio Dino, a versão seria outra: “Bolsonaro sabe onde a corrupção está”, espalhou e virou manchete nos jornais e revistas, como a Carta Capital, aquela mesma que recentemente foi obrigada a reincidir um contrato que faria vergonha ao dinheiro encontrado nas nádegas do senador do DEM.

A explicação é lógica. Alguém tentou acertar a liderança da Casa legislativa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que tenta reeleger-se presidente. Mas Dino seguiu outra lógica, tudo indica para atacar, destratar, ofender a honra do presidente do Brasil.

O governador comunista do Maranhão, Flávio Dino, ao que parece, sentiu na profundidade a prisão de um senador do DEM, aliado de Maia e Alcolumbre, também de meia dúzia que lutam contra o Brasil.

Oportunamente, Flávio Dino voltou a estrebuchar nas redes sociais contra a honra do presidente Bolsonaro, alegando culpa do chefe do Executivo pelo revés de um membro do Legislativo.

Vale lembrar que o senador foi preso pela PF com dinheiro nas nádegas em sua casa, não em Brasília. O senador do DEM estaria sendo favorecido por dinheiro desviado dos repasses federais feitos à Saúde de seu estado.

Aqui no Maranhão, o presidente Bolsonaro, mesmo sendo destratado, acusado, por Flávio Dino, enviou mais de 6 BILHÕES para bancar a Saúde deficitária, sem os quais, dificilmente Flávio Dino poderia fazer alguma coisa pela saúde da população durante a pandemia causada pelo vírus chinês.

Prejuízo bilionário:
Dino preocupa-se em ofender o presidente em acusações esdruxulas e esquece o óbvio: explicar o dinheiro dos aposentados.

Quando será que o MP, TJ, entrarão de cabeça no caso do FEPA, até quando o governador comunista Flávio Dino, deixará de burlar a “ordem dos fatores”?

Só lembrando: quem manda no Brasil é o presidente, a PF tá de olho abertos sobre os corruptos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.