Professora perseguida e atacada: onde está o Estado; as secretarias da Mulher, e Direitos Humanos?

2

Proibição: manifestantes novamente indo para delegacia no Maranhão…

Ditadura no Maranhão, “tudo dominado”, “tudo patrulhado”? Alô, secretaria da Mulher, alô, secretaria dos Direitos Humanos, tem alguém aí?

Perseguição? Professora foi atacada e deturpada. Onde estão os representantes do povo, onde estão as secretarias da Mulher e Direitos Humanos?

Professora e outros profissionais de São Luís teriam sido monitorados em grupo de whstsapp, logo após, tiveram que dar explicações na polícia pelo conteúdo das conversas.

Tudo indica que as intimações (ou perseguições como dizem os membros do grupo) foram causadas por conversas num grupo de whatsapp de membros da direita favoráveis ao presidente Bolsonaro.

O certo é que, de forma deturpada, a imagem duma mãe, mulher, educadora está sofrendo ataques nas redes sociais só por causa de uma foto em que a professora aparece ao lado da prefeita de sua cidade.

“Como líder comunitária do Caiaré, nome indígena dado ao bairro de Paço do Lumiar, fui com outros líderes de comunidade do Paço reunir com a prefeita em busca de beneficios aos bairros, mas acabei sendo noticiada num blog da cidade, como sendo aliada e membro do PCdoB, beneficiada pela prefeita, uma mentira, sou concursada. Por causa disso estou indo registrar um BO na delegacia do Maiobão”, disse a professora Ana Melo.

Carcarás UFMA

Pior que isso, a motivação da perseguição foi por causa de um vídeo gravado pela professora Ana Melo Sekeff, da rede municipal de Paço do Lumiar, que explica que ao chegar em casa tinha uma viatura da policia com uma intimação para dar explicações de uma manifestção que “vazou” do whatsapp e foi parar, com prints, nomes de cada participante do grupo sem que tivesse acontecido o evento, sendo que estava marcado para o dia depois do ‘lockdow’, e foi parar nas mãos da polícia, que está sob o comando do delegado Jefferson Portela, do PCdoB, que está ocupando o cargo de secretário.

O grupo Carcarás da UFMA escreveu sobre o assunto no Instagram, confira clicando aqui:

Além da profesora, mãe, mulher perseguida e deturpada, outros profiissionais gravaram mensagens nos grupo de whatsapp, abaixo áudio e também um vídeo:

AÚDIO DOS MANIFESTANTES:

Coincidencias?

Até um deputado de oposição ao grupo governista do PCdoB teria sido monitorado:

A politica do Maranhão parece favorecer em todos os aspectos o grupo governista e, segundo alguns acontecimentos, tem colaborado para encobrir ações nada republicanos do grupo comunista, que apesar dos pesares, passa incolome diante das evidencias gritantes que no Maranhão não se vive uma república, mas seim, uma ditadura.

Confira abeixo clicando nos linkes:

Após denúncia do deputado Wellington, MP investiga espionagem sob comando de Flávio Dino

Essa não seria a primeira vez que a secretaria de segurança teria agido de forma anti-republicana, pesam acusações graves contra o secretário e sua gestão, conforme mostram as notícias dadas pela imprensa local:

“Lava-Jato” maranhense teria sido barrada por Portela para proteger aliados de Dino

 

Vídeo de manifestantes sendo intimados pela polícia que tem como secretário o amigo pessoal do governador Flávio Dino, que também é membro do PCdoB.

2 respostas para “Professora perseguida e atacada: onde está o Estado; as secretarias da Mulher, e Direitos Humanos?”

  1. Fiquei impressionado hoje com um video de um sujeito, até bem vestido, parecia de classe media ou alta agredindo um cinegrafista da Globo em Minas Gerais, como era da Globo e aparentemente sem motivo, há de se imaginar que era bolsonarista, pois os mesmos odeiam a Globo, tá ficando ruim, foi enfermeiras, repórter e fotografo agredidos em Brasília, dupla presa em São Paulo após esculhambar ministro do STF, cidadão preso no Paraná por ameaçar juiz de morte, estão se achando acima das leis, e isso é perigoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.