Em um grande ato político com lideranças o Deputado Estadual Zé Inácio (PT), realizou nesta quinta-feira 09/08, uma plenária de pré-campanha com as lideranças da região da grande Ilha de São Luís, no hotel Green Smart.

Zé Inácio com militantes de sua campanha em São Luís

Com representantes de mais de trinta e cinco bairros da Grande Ilha, Zé Inácio apresentou as ações do seu trabalho durante quase quatro anos de seu mandato, como a luta pela classe trabalhadora, pelo movimento negro, o homem do campo, a juventude  a defesa pela baixada, como algumas das principais propostas.

Desta vez, além do trabalho que já foi realizado no mandato, cada liderança falou um pouco do seu bairro.

“Foi um momento oportuno para realizar um diálogo com as lideranças, e esse grande público demonstra o trabalho que já estamos realizando pela cidade no âmbito da educação, saúde, infraestrutura, cultura, o que se confirma com esse grande encontro”, disse Zé Inácio.

Zé Inácio também reforçou a candidatura do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva no próximo dia 15 de agosto, e do lançamento do seu comitê localizado na Avenida  Beira Mar, com previsão de lançamento no dia 20.

Participaram da mesa o professor Dimas Salustiano, o candidato a deputado federal pelo PT Raimundo Monteiro, a ex-deputada estadual Helena Heluy, a ex-prefeita de Itinga Vete Botelho, o secretário adjunto da secretária estadual de cidades  Kleber Gomes, o secretário estadual de juventude do PT Carlos Augusto, e Nonato Chocolate secretário municipal de agricultura, pesca e abastecimento.

Ricardo Diniz esclarece que dinheiro de empréstimos não estão sendo usados em asfalto em São Luís…

Ricardo Diniz foi entrevistado no Programa Espaço Capital, na Rádio Difusora AM, pelos jornalistas Ricardo Santos e Lorena Amorim, na tarde desta sexta-feira, 10 de agosto.

O vereador Ricardo Diniz, que é pré-candidato a deputado estadual pelo PRTB, pontuou, durante uma entrevista na Rádio Difusora AM, que obras na capital, como recapeamentos asfálticos, não estão sendo feitos com dinheiro de empréstimos.

Ricardo Diniz, durante entrevista, esclareceu que o presidente Michel Temer (MDB), vetou pedido de um empréstimo junto à Caixa Econômica Federal para a Prefeitura de São Luís, e, que ainda não recebeu dinheiro de outro empréstimo contraído com aval da Câmara de São Luís, ao Banco do Brasil, que será empregado em obras na capital.

Vereador de segundo mandato, Ricardo Diniz afirmou seu compromisso com a população ludovicense, e traçou planos para a educação das crianças e adolescente em todo o estado do Maranhão.

Advogadas e advogados, 11 de agosto é simbólico para nós.

É Dia da Advocacia, que acolhemos com paixão e altivez. Além dos meus parabéns a todos vocês, peço a cada um que reflita sobre a importância de nosso papel no Estado Democrático de Direito.

Não podemos nos entregar à submissão de qualquer autoritarismo e à resignação silenciosa quando somos atacados por fazer justamente aquilo que somos vocacionados. Viver para a advocacia é cultivar o direito, é defender a justiça e a democracia. Em tempos sombrios, não podemos ficar à margem da história. Por isso, conclamo a todos que acreditam em uma OAB forte, que lute e que diretamente faça parte dela.

Só democratizando a OAB, dando voz à todos, poderemos lutar POR UMA OAB FORTE. Viva a advocacia e parabéns à todos nós!

Uma boa reflexão deixada antes de Flávio Dino ter assumido o poder, com a ajudo de todos, que depois fomos traídos.

Para aqueles que acreditam nas desculpas esfarrapadas, mentiras do CHEFÃO comunista, uma breve reflexão de quem sentiu na pele a traição. Detalhe, (não) “foi o Sarney”. Adivinhem…?

Igor Lago bate forte em Flávio Dino: “um barato messianismo”

Publicado em 2 de setembro de 2013 por Gilberto Leda

Igor Lago rechaça candidatura de Dino

O médico e filho do ex-governador Jackson Lago, Igor Lago, não aliviou para o presidente da Embratur e pré-candidato ao Governo, Flávio Dino (PCdoB). Ainda magoado com o que aconteceu a Jackson em 2010, quando Flávio rachou a oposição e impediu aquela que poderia ser uma vitória de Lago, Igor criticou em artigo, no fim de semana, a postura do comunista para a eleição 2014.

“Em 2010, quando havia uma forte razão para que esta (união) acontecesse – a cassação do mandato legítimo de um governador oposicionista -, os interesses de grupo e pessoais prevaleceram e, durante a campanha eleitoral, o comportamento desleal de um setor para com um outro acabou provocando a não realização do segundo turno. Uma oposição desgastou a outra, representada pelo ex-governador Jackson Lago, até o dia da eleição, o que fez com que muitos eleitores deixassem de votar, votassem em branco ou nulo”, afirmou Igor Lago.

“Desde 2010, assistimos as ações de um mesmo grupo oposicionista no sentido de hegemonizar-se, a qualquer custo, sobre as demais, e no eleitorado que deseja a alternância política. O seu candidato não parou de fazer campanha eleitoral desde então, o que reflete nas pesquisas patrocinadas pelo mesmo grupo ao qual representa”, disse Igor, talvez sobre os já desgastados “Diálogos pelo Maranhão”.

“Pior, esse mesmo grupo oposicionista tenta se impor aos outros e a todos como a única solução, o único caminho, a única via para se conquistar a alternância de poder no nosso estado. Assim, optam pela estratégia de um tosco salvacionismo, um barato messianismo com o ungido já “escolhido e eleito”, conforme percebemos nos espaços midiáticos tradicionais e alternativos. Ai de quem se atreva a pensar, falar e escrever diferente! Quando surge algum texto, ideia ou palavra discordante, atiram as pedras e soltam os cachorros para inibir ou calar aos poucos desinibidos. É o que temos assistido, o que não é nada mais que um comportamento pouco afeito à democracia e típico dos autoritários.”

O médico e ex-militante do PDT, também falou da pré-candidatura da deputada estadual Eliziane Gama (PPS), que vem sendo perseguida e patrulhada pela oposição, justamente por discordar da candidatura de Flávio Dino.

“Daí que devemos ver com bons olhos, e torcer muito, para que a pré-candidatura ao governo da deputada estadual Eliziane Gama (PPS) consiga superar todos esses obstáculos e sensibilizar parte das oposições. A tarefa não é simples e pequena. A camisa de força está aí, no nosso dia-a-dia. Cabe a todos nós, que pensamos diferente, ajudar a tirá-la”, completou.

 Alô, feministas!!!

Alô, secretária da Mulher, feministas do Maranhão, um deputado na Assembleia atacou a honra de uma mulher no exercício de sua função.

Rota de colisão entre poderes:

Executivo, Legislativo e Judiciário em rota de colisão? Nunca na história do Maranhão um governador causou tantas crises.

Ataques orquestrados contra a honra de uma mulher pipocaram de todos os lados após membro do Judiciário ter cassado os direitos políticos do governador, seu secretário e um prefeito.

No Maranhão da “mudança” já era esperado que jornalistas, blogueiros palacianos e bajuladores, fizessem o trabalho sujo, mas um deputado, um membro do Legislativo, não.

Segundo a Coluna do Cláudio Humberto, o deputado Rogério Cafeteira teria sido “escalado” para “zombar” de uma juíza usando o plenário da Assembleia Legislativa.

Abaixo, trecho da Coluna Diário do Poder, de Brasília, mostrando o nível baixo da política comunista do Maranhão.

Como sempre, ele culpou os adversários da família Sarney pelo “golpe” e ainda desdenhou da decisão da magistrada. “Me desculpem não ter me manifestado antes. Mas estava muito preocupado com coisas sérias”.

O deputado Rogério Cafeteira, líder do governo Dino na Assembleia Legislativa, também zombou da juíza, chamando sua decisão de “fake” (falsa).

Na decisão a magistrada também tornou inelegível o ex-secretário Márcio Jerry (PCdoB), candidato a deputado federal pelo Estado, Dino também buscava uma reeleição.

Foram cassados os mandatos de Luís da Amovelar Filho, prefeito da cidade de Coroatá, e seu vice Domingos Alberto Alves de Souza. Também é alvo da ação o Secretário de Estado de Articulação Política, Clayton Noleto Silva.

Por falar em polarização eleitoral, Flávio Dino até tentou fazer uma gestão voltada para o “retrovisor”, exaltando o atraso, culpando terceiros. Abaixo, a opinião importante que retrata a falha dos planos do comunista de permanecer no poder.

Vários fatores mostram a  derrota de Flávio Dino, dentre eles estão:

Aliados políticos: vários políticos que compunham o grupo de Flávio não estão mais com ele, e não foi por outra coisa, foi exatamente por serem fortes e importantes que foram os primeiros a verem quem realmente é o Flávio e não são poucos, como : Roberto Rocha, Valdir Maranhão, José Reinaldo,Sebastião Madeira, Igor Lago  e muitos outros; pessoas cujo o voto e apoio foram importantíssimos para Flávio Ganhar as eleições.

Agregação, Flávio Dino nesses 4 anos, da campanha passada até agora, não conquistou nenhum eleitor que não fosse seu. Todos que votaram contra ele continuam contra ele, ele não conquistou eleitores nesse período, mostrando um governo que alguém pudesse dizer: É não votei nele mais agora voto.

Empresários; o Flávio Dino conseguiu simplesmente massacrar essa categoria, os impostos subiram as galáxias e o empresário desceu ao chão.

Classe humilde, com a falta de programas que realmente viesse a beneficiar os mais necessitados -a maior parte do seu eleitorado- esquecidos e abandonados por ele nesse governo, e mais, o Povo que tinha sua Conta de Energia paga no Governo de Roseana que tinha a conta de água paga hoje pena para somar esse gasto a seu orçamento que é mínimo ou às vezes inexistente, o povo que sorria ao receber o talão hoje chora, e o que mais teme é o carro com as escadas.

Pecuaristas, a quantidade de multas que esse governo buscou através de GTA e penalizou de forma cruel essa categoria, vemos os pecuaristas correndo léguas de distância de Dino.

Leilões, as apreensões de veículos e os leilões foi uma forma cruel de querer arrecadar, sabemos a obrigatoriedade do IPVA mais a forma feita foi tão negativa que com a proximidade do pleito eleitoral o próprio governador recuou. E disse : não vou prender mais. Então da pra saber que ele havia dito. “prenda e leiloa”.

Acabou a novidade, no pleito passado Flávio era o Novo, a esperança, o outro lado, o humilde, e falava 24 horas de Oligarquia, atraso e mudança. Hoje nada disso cola mais, cada vez que ele fala a palavra Sarney é um voto que se perde, e mais um que se chateia, e diz : Coisa chata esse homem só fala nisso, além do mais falar Sarney de hoje em diante é marketing para Roseana.

Demonstração da verdadeira personalidade, o homem que se mostrava, humilde desapegado a coisas matérias, que criticava o luxo que falava da revolta que tinha em ver as pessoas voando de helicóptero, a máscara caiu, de tanto falar em Lagosta parece que ficou fissuardo neste prato especial, ficou mais tempo no helicóptero da Polícia que no Palácio dos Leões. E dizer que não gosta de luxo e de dinheiro quando não tem é fácil. Mais agora fala uma coisa e vive outra. E demonstrou o quanto é Mau, perseguidor, o que fez com a máquina e com a polícia em todas as cidades no pleito municipal em 2016, o quanto perseguiu quem não era do seu lado. Muitas pessoas que votaram em Flávio mais eram em grupos divididos nas eleições municipais hoje tem pavor de Flávio Dino pela perseguição.

Justiça, o homem que é juiz federal que diz conhecer as leis, por várias vezes teve seu governo acionado na justiça, e agora no pleito, já teve propagandas tiradas da internet por ordem da justiça, vídeo da convenção por ordem da justiça, e agora julgado e condenado em primeira instância. O Homem que conhece a lei mais não a respeita e não a obedece.

Matemática dos votos. Qualquer cidadão do Maranhão, ” qualquer” pode fazer essa pesquisa, quem não votou Flávio continua não votando. E a cada 10 que votaram  no mínimo 3 dizem não votar mais ou seja: Ele perdeu no mínimo 30% dos seus eleitores. Como ele se elegeu com  63 % . 30% de 63% da média de 19. Hoje Flávio não passa de 44% dos votos. Isso hoje. A tendência agora é só perder mais. Pois essa campanha não é mais de promessas e sim de prestação de contas, o  governo passado não era de fulano mais sim o dele  próprio.

Tenho esperança da derrota ser no 1° turno.

Dioni Alves.

O deputado federal Hildo Rocha apresentou ao Ministro das Cidades, Alexandre Baldy, pleitos e demandas de municípios maranhenses que possuem projetos em tramitação no Ministério. “Diariamente converso com prefeitos preocupados com a questão dos famosos lixões. Alguns municípios maranhenses buscam o apoio do ministério das cidades para a obtenção  de plantas de administração de resíduos sólidos”, explicou o parlamentar.

Liberação de recursos para habitação

O deputado pediu ao ministro Baldy celeridade na liberação  de recursos  para aos projetos de habitação rural e urbana no Maranhão. “Temos um bom volume de recursos já garantidos no Orçamento da União para esse ano que dependem agora de liberação por parte do ministério. Na condição de relator do Orçamento do Ministério das Cidades, no âmbito da Comissão Mista de Orçamento- CMO, destaquei recursos suficientes para a construção de onze mil unidades habitacionais no âmbito do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), recursos para construção de habitações urbanas e para o Programa Cheque Moradia, no Maranhão ”, realçou Hildo Rocha.

Equipamentos urbanos do PAC Rio Anil

Ainda durante audiência com o Ministro Alexandre Baldy, o parlamentar discutiu sobre o andamento de obras do PAC Rio Anil. “Quando exerci o cargo de Secretário de Estado das Cidades, durante o governo de Roseana Sarney, fizemos todo o estudo e projetos para a implantação dos equipamentos urbanos nas áreas de abrangência do Pac Rio Anil. Parte das ações já foram executadas e existem obras  em andamento. O ministro informou que os recursos financeiros de responsabilidade do governo federal já foram repassados para o governo do Maranhão na sua totalidade”, destacou Hildo Rocha.

Projeto elaborado com ajuda das comunidades

O deputado disse que é preciso ficar atento para assegurar que o executivo estadual execute as obras de acordo com os anseios das comunidades. “O projeto de implantação das praças e demais equipamentos urbanos do PAC Rio Anil foi amplamente discutido com as comunidades dos bairros Alemanha; Comboa; Fé em Deus e Liberdade que nos ajudaram a definir as prioridades. Portanto, é imprescindível que a vontade popular seja respeitada por parte do governo estadual que é o ente responsável pela execução das obras”, destacou Hildo Rocha.

MP do saneamento ambiental

Rocha e Baldy aproveitaram o encontro para discutir a Medida Provisória n° 844, de 2018 que define o novo Marco Legal do Saneamento Básico. “O projeto é uma iniciativa do poder executivo que teve origem no Ministério das Cidades.  A proposta estabelece grandes mudanças na legislação do setor. O ministro Alexandre Baldy é um grande entusiasta, um defensor dessa MP. Na condição de presidente da Comissão Especial,  trabalharei intensamente para que possamos aprová-la pois se trata de algo urgente e de relevância para o nosso país”, declarou o deputado.

Do blog do Coletivo Manuel Beckman – Leonardo Moraes

Do dia 09 para o dia 10 de agosto ocorreu o primeiro debate com os candidatos à presidência da república. Álvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) discutiram sobre diversos temas e se atacaram em alguns momentos. Vejamos uma análise individual de cada candidato:

Álvaro Dias (Podemos): Trazendo bastante experiência da vida política, o candidato soube se sair bem. Enfatizou bastante a questão da justiça, evidenciando o convite ao juiz Sérgio Moro para ser Ministro da Justiça. Conseguiu utilizar-se bem das perguntas e respostas, conseguindo coloca-las na maioria das vezes ao seu favor. Transmitiu bastante segurança e muita tranquilidade.

Cabo Daciolo (Patriota): A surpresa do debate. Mostrou-se um cristão entusiasmado e um nacionalista exacerbado. Embora caricato, estava sendo sincero em sua fala. Deu a entender que quer transformar o país em uma teocracia com valores nacionalistas e patriotas. Atacou sem pudor aos demais candidatos, tendo como principal crítica o fato de muitos presentes já terem uma longa carreira política.

Ciro Gomes (PDT): Conseguiu manter-se calmo, desanimando quem esperava um Ciro exaltado como de costume. Atacou fortemente a reforma trabalhista e o PSDB, e não desperdiçou as chances de abater o candidato Alckmin. Também teve um embate com o Bolsonaro e elogios a Marina Silva. Utilizando-se de sua conhecida retórica, saiu-se bem no debate através da firmeza nas suas falas.

Geraldo Alckmin (PSDB): Com um desempenho fraco, Alckmin foi o alvo da maioria dos candidatos. Em suas propostas mostrou uma faceta liberal. Embora preparado para responder as perguntas, como a de segurança pública, mostrou-se apático e sem carisma. O desgaste do PSDB também pode ser apontado como um fator para que Alckmin não seja mais bem visto por parte dos eleitores.

Guilherme Boulos (PSOL): Candidato assumido da esquerda, Boulos não teve muita participação, entretanto quando falou mostrou-se com um discurso repetitivo. Um momento de destaque foi quanto tentou atacar o candidato Jair Bolsonaro, mas acabou sendo surpreendido pelo deputado federal que soube se sair bem. Criticou duramente o governo Temer e o sistema tributário brasileiro.

Henrique Meirelles (MDB): Desconhecido por muitos, teve uma atuação discreta. Destacou bastante seus feitos como ministro da fazenda e presidente do Banco Central, tentando desaproximar sua imagem do governo Temer. Sua dicção se mostrou um problema para o candidato, junto com a arrogância que transpareceu em algumas de suas falas.

Jair Bolsonaro (PSL): Manteve-se estável, mostrando-se bastante moderado. Soube se utilizar de Álvaro Dias e do Cabo Daciolo, e não se comprometeu ao responder as perguntas. Assim como Ciro Gomes, desanimou a quem esperava o Bolsonaro exaltado. Evitou ataques, exceto quando respondeu ao Boulos. Ficou evidente que tem se preparado para os debates, o que, querendo ou não, resultou em uma atuação morna.

Marina Silva (Rede): Junto com Alckmin, também não teve um bom desempenho. Mostrou-se confusa ao responder algumas perguntas. Ao longo do debate teve como rival Alckmin, o qual também a questionou bastante. Transpareceu despreparo, o que, de certa forma, é inadmissível para quem está disputando pela terceira vez o cargo máximo do executivo.

No geral, por ser o primeiro debate, não houve muitos ataques. Os candidatos adotaram uma postura defensiva, com exceção do Cabo Daciolo e do Guilherme Boulos. A falta de embates permitiu que em vários momentos candidatos utilizassem uns aos outros para se promoverem. Um dos pontos fracos foi que o excesso de cautela fez com que a maioria dos candidatos se utilizassem de neutralidade ideológica nas suas propostas. Basta esperar os próximos debates, para aguardamos se a eleição mais disputada da história continuará tendo candidatos com medo de perder votos ou com coragem de ganhar mais

Os moradores da comunidade Santa Julia, próximo à Vila Palmeira, estão agradecidos com as obras de asfaltamento de ruas realizadas por meio do programa Mais Asfalto, fruto de uma parceria institucional entre Prefeitura e Governo, que visa melhorar a trafegabilidade das vias locais.

Durante essa semana, o presidente da Câmara de São Luís, Astro de Ogum (PR), visitou a comunidade, conversou com moradores e ouvir pedidos para que ele pudesse manter entendimentos junto ao poder público visando a realização de obras para melhorar os trechos onde as condições estavam piores.

1 2 3 4 5 6 428