Dr Orlando se reuniu com amigos no último domingo em sua residência.

De camisa preta, Dr Orlando ao lado da esposa Carol e amigos

Dr Orlando (Camisa preta), ao lado da esposa Carol (verde), familiares e amigos

O médico especialista em Oftalmologia, dr.  Orlando Oliveira, que há mais de 30 anos milita na política maranhense, está de volta a São Luís, cidade onde nasceu e cresceu.

Há três anos morando em São Luís, dr. Orlando tem acompanhado de perto a realidade dos ludovicenses, o que o levou a pleitear uma vaga na Câmara Municipal de São Luís.

Dr. Orlando Oliveira, atualmente filiado no PHS, exerceu o cargo de vereador em Santa Inês por três mandatos.  Em breves palavras,  durante um encontro com amigos, o pré-candidato reafirmou que “política é um sacerdócio, assim como a medicina: se bem usada, serve para salvar vidas”.

 

Diego Emir – O pré-candidato a prefeito de São Luís, João Bentivi (PHS), pode estar com sua candidatura com os dias contados. Mesmo o partido compondo em seu atual cenário 60 pré-candidatos a vereador na capital, a maioria anda insatisfeita com o desempenho de Bentivi nas pesquisas, além do tratamento e da postura do pré-candidato diante os próprios correligionários.bentivi

Desde que foi cogitado a concorrer ao Executivo Municipal de São Luís pelo PHS, João Bentivi tem adotado um estilo narcisista,  arrogante e nada agregador, o que tem preocupado os filiados partidários da sigla, fazendo com que a possibilidade de coligação na majoritária surgisse com bastante força.

Durante a reunião do partido,  realizada na Assembleia Legislativa na última quinta-feira (7), o pré-candidato João Bentivi não descartou a possibilidade de  oferecer a sigla a outros candidatos, caso seja oficialmente o indicado à disputa, isso sem nenhum debate com os pré-candidatos a vereador e passando, ainda, por cima das decisões da presidência do partido, o que gerou um clima de desconforto entre os membros. Com a palavra o PHS!

Quatro pontos que ajudam a explicar a larga derrota de Rogério Rosso:

maia

  1. Rogério Rosso é parlamentar de primeiro mandato. A pouca experiência na Casa, querendo ou não, pesou muito.
  2. A imagem de Rosso ficou muito colada com a de Eduardo Cunha, apesar do esforço dos aliados em amenizar essa associação. E Cunha já era.
  3. Rosso não queria ser presidente tampão, já que o mandato de seis meses inviabilizaria os planos dele de presidir a Casa no ano que vem.
  4. Ao decidir se lançar (ou ser lançado, no caso), Rosso demorou demais para puxar para si a principal candidatura do chamado “centrão”. (O Antagonista)

Em plenária aberta do PSTU, que aconteceu no sábado, 9 julho, em São Luís foi lançada a pré-candidatura da professora Cládia Durans à prefeitura da capital do Maranhão.13641081_1638588069793885_1405565265838701735_o

Cláudia Durans é assistente social e professora da Universidade Federal do Maranhão. “Foi uma plenária muito emocionante, que debateu a conjuntura, os desafios colocados para a nossa classe, principalmente para este período que vivemos agora com as eleições”, afirmou Durans.

Os desafios são grandes para uma candidatura revolucionária e socialista num dos estados mais pobres do país. O Maranhão é formado por uma população de quase 70% de negros e marcado pela desigualdade.

“O PSTU está lançando em todo o Brasil candidaturas operárias, de mulheres, negros, LGBT’s, para discutir a condição dos explorados e oprimidos, apresentando um programa que chama a nossa classe pra lutas efetivas para derrubar Temer através de uma greve geral, e construir uma nova forma de poder”, resume a pré-candidata.

Confira no vídeo:

A população de São João dos Patos recebeu, nesta sexta-feira, 08/07, um mutirão de saúde que realizou atendimentos das mais diversas especialidades.  Foram oferecidos serviços de saúde da mulher, medicina cardiovascular, otorrino, entre outros.sl2

O atendimento começou äs oito da manhã, por ordem de chegada, no posto de saúde Dr. Pedro Guimarães, ao lado da Igreja de São Sebastião, e teve expectativa satisfatória, com cerca de 200 atendimentos.

slCentenas de patoenses tem recebido, anualmente, atendimentos proporcionados pelos mutirões de saúde. As dificuldades de acesso a determinados atendimentos especializados tem levado o suplente de vereador Flávio Barbosa a planejar e mobilizar autoridades locais para a realização desses atendimentos. Realizando trabalhos sociais na área da saúde desde 2007, Flávio Barbosa, atual presidente do PSB em São João dos Patos, tem recebido o apoio do prefeito Valdênio Souza, de São João dos Patos, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, além de instituições privadas. O próximo mutirão já é esperado pela população e está previsto para acontecer em agosto.

As bancadas do PSDB, do DEM, do PPS e do PSB na Câmara decidiram, em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (13), apoiar a candidatura do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) na eleição que escolherá o sucessor de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na presidência da Casa. Juntas, as quatro legendas têm 117 dos 513 deputados da Câmara.

Para ser eleito em primeiro turno, um candidato precisa obter maioria absoluta dos votos, o que é considerado inviável devido à falta de consenso e ao excesso de candidaturas.

Ao lado de Rogério Rosso (PSD-DF) e Marcelo Castro (PMDB-PI), Rodrigo Maia é considerado um dos favoritos para vencer a corrida pelo comando da Câmara. Filho do ex-prefeito do Rio do Janeiro Cesar Maia (DEM), ele está exercendo seu quinto mandato consecutivo de deputado federal.

No início da gestão Michel Temer, Rodrigo Maia foi cogitado para a liderança do governo na Câmara, mas, no final das contas, acabou preterido pelo líder do PSC, André Moura (SE). Integrante da “tropa de choque” de Cunha, o deputado sergipano foi imposto pelo “Centrão” para a função.

Deixando as diferenças ideológicas e políticas de lado temporariamente, o deputado do DEM chegou a buscar votos até mesmo de antigos desafetos, como PT, PSOL e PC do B. O aceno de Maia até chegou a ser correspondido por parte dos parlamentares da nova oposição, mas perdeu força depois que a bancada do PMDB decidiu adotar oficialmente a candidatura de Marcelo Castro.

Rodrigo Maia, entretanto, pode se tornar uma alternativa para PT, PC do B e PDT caso passe para o segundo turno com o líder do PSD, Rogério Rosso. Neste caso, os oposicionistas apostariam no deputado do DEM para tentar impor uma derrota ao candidato do “Centrão” indicado por Cunha.

Fonte: G1

Detran fazendo vistas grossas?

Repercute no meio político as denúncias feitas pela Rádio Capital AM, sobre o lucrativo negócio dos desmanches de veículos, que, devido “os investimentos na Segurança” anunciados pelo governo comunista, deveria impedir, mas, o crime parece que avançou.

Enquanto desmanches de carros roubados aumentaram assustadoramente, o Detran continua lucrando alto com os proprietários de veículos, que sofrem com os roubos de seus carros. Como sempre aconteceu, os donos de automóveis continuam sofrendo com os lucrativos negócios do Detran, que obriga pagar IPVA, multas, mas, ao que parece tem falhado na fiscalização.

Denuncias dão conta que desmanches de veículos triplicaram na gestão comunista, mas, os órgãos que deveriam deter este absurdo, nada fizeram para que a “mudança” acontecesse de fato. Abaixo, um recorte da notícia retirado do Jornal O Imparcial:

Detran5

O suicídio de Bira…

Dependendo do ponto de vista de quem faz leituras sobre a eleição de 2016, a pretensa pré-candidatura a prefeito da capital de Bira do Pindaré (PSB) tem na sua vaidade a principal derrota.

Bira tem valorizado sua participação num cenário que não lhe cabe.

Devemos dar a atenção que São Luís precisa disse Roberto Rocha

Ora, basta falar do evento do PSB, na presença do presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, Bira fez o anúncio de ser pré-candidato a prefeito, na ocasião, Roberto Rocha, no jogo, afirmou, também, que seria. A partir desse momento, o PSB maranhense virou um jogo de cana de braço, do mesmo lado, o prefeito de Timon e o deputado estadual brigavam para tirar a legenda de um senador.

O senador, bem avaliado no cenário nacional, com aval de Carlos Siqueira, ficou calado e colou no prefeito da capital, também do governador, que tem se relacionado muitíssimo bem. Quem venceria?

Vale lembrar que em 2008, Bira cogitou elevar-se às alturas do Executivo municipal (reveja). Bira repete sua mesmíssima imposição sobre o PSB, que tirou o ex-governador Zé Reinaldo do páreo, nas eleições de 2008. No tempo, Bira evocava os votos da capital quando disputou uma vaga ao senado.

Neste aspecto, talvez seja esta a principal causa da morte de sua candidatura, aliás, Bira do Pindaré, alma petista na legenda do PSB, que tirou Tavares, quis tirar Rocha, mas, seus votos de senador não fizeram passar de 6% de intenções nas últimas pesquisas.

 

Detran2

Atual 7 – Causou um corre-corre curioso no município de São José de Ribamar a informação de que a Polícia Federal havia deflagrado, nas primeiras horas da manhã desta terça-feira 12, uma operação no Maranhão paralela à Lilliput, que prendeu o megaempresário Antonio Barbosa Alencar, do Grupo Dimensão, e auditores fiscais da Receita Federal.

O desespero, segundo moradores do município, teria se dado por conta do nome da outra operação da PF, batizada de Cupinzeiro, ter sido relacionada ao apelido dado por populares ao prefeito da cidade, Gil Cutrim (PDT), por conta de sua má de sua administração: Gil Cupim. O apelido, segundo os populares, foi criado em analogia aos prejuízos econômicos causados pelo pedetista aos cofres da Prefeitura de São José de Ribamar, corroído como a madeira e outros materiais celulósicos quando mastigados pelos insetos isópteros.

Filho do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Edmar Serra Cutrim, o pedetista teria sido alertado por aliados que os federais haviam deflagrado a operação para prendê-lo, preventivamente, por conta de supostos desvios de verbas federais de obras inacabadas – e até fantasmas – no município.

Após o corre-corre para dar fim a alguns documentos e esconder alguns veículos e outros bens de luxo, um dos assessores do prefeito informou que a operação, embora no Maranhão, nada tinha a ver com a gestão de Cutrim, mas com o objetivo de combater um esquema criminoso de transporte de madeira ilegal, inclusive com a participação de agentes públicos, daí ter sido batizada de Cupinzeiro.

Na manhã desta terça-feira (12), o deputado Wellington do Curso (PP) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa para relatar as 108 denuncias de contratados pelo Instituto Superior de Educação Continuada (ISEC) que está há mais de 6 meses sem receber salários. Segundo os denunciantes, existem contratados que recebem sem trabalhar, caracterizando uma possível fraude ou compra de voto antecipado. 223b186b0976bf754adacfa10a1bbfdb

Wellington alertou sobre a possibilidade de improbidade administrativa praticada pelo prefeito Edivaldo Holanda Junior desde 2015. O parlamentar ainda questionou a exorbitante quantia de 33 milhões de reais que a prefeitura de São Luís suplementou, em mais de 114 mil por cento o orçamento da Secretaria Municipal Extraordinária de Governança Solidária e Orçamento Participativo. Sendo que o ISEC possui idoneidade questionável, em razão de já ter sido denunciado por diversas vezes na justiça por supostas irregularidades.

“Mais uma vez faço essa denúncia de muitos pais de famílias e pessoas que estão há mais de 06 meses sem receber do ISEC sem receber da Prefeitura. Como se tal suplementação em si já não fosse algo estranho, ainda nos deparamos com contratados que trabalharam e não receberam. E ainda existem  casos de pessoas que não trabalham e estão recebendo como cabos eleitorais. Um verdadeiro absurdo! Estamos falando de R$ 33 milhões. Muito dinheiro que poderia ser aplicado na educação, saúde, limpeza pública, mobilidade urbana e transporte, como por exemplo, reduzir o preço da tarifa do transporte público. Qual a lógica da Prefeitura? Quem trabalha não recebe; quem não trabalha recebe? Como explicar isso? Nós já denunciamos isso antes e, ainda assim, a Prefeitura preferiu manter o contrato a ter que reconhecer esse ato imoral”, alertou.

Wellington destacou que tal pratica deixa claro, de acordo com as denuncias, a evidente compra de votos e a manutenção de cabos eleitorais em função da reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Junior.

“Podemos aqui caracterizar atos de improbidade administrativa, já que dinheiro que saiu dos cofres da Prefeitura foi aplicado de forma arbitrária. Estamos diante da aplicação de mais de 33 milhões de reais. Muito dinheiro… recurso que poderia ser aplicado em necessidades urgentes as construções da maternidade da Cidade Operária ou das 25 creches prometidas durante a campanha, bem como conceder reajuste de 11,36% aos professores”, destacou Wellington.

Diante de tantas denúncias, Wellington solicitou atenção dos órgãos de fiscalização e controle, da Promotoria de Probidade Administrativa, Tribunal de Contas do Estado e finalizou cobrando esclarecimentos por parte da Prefeitura.

1 338 339 340 341 342 457