Coronelismo: o povo pobre do Maranhão que se exploda…

Pense rápido: quantos candidatos estão na foto abaixo?

POLITICALHA, troca-troca:
Todos que estão marcados com a seta vermelha buscam se eleger

Na imagem abaixo, dá pra ver que não se trata de resolver o problema dos Maranhenses, mas uma entrave eleitoral, pois o prefeito do município de Pinheiro, na Baixada lugar de pobreza e fome, ganhou as eleições de 2016 sem o apoio do PCdoB de Flávio Dino e Othelino Neto (feito presidente da Assembleia Legislativa pelas mãos do governador.

Bastou o senador Roberto Rocha estar neste final de semana em Pinheiro, para que o governador Flávio Dino logo lembrasse da cidade que passou quase 4 anos esquecida.

Abaixo, a nota enviada pela Agência Assembleia sobre o encontro que seria para melhorar a vida do povo pobre(cada vez mais pobre) do interior do Maranhão. Coronelismo?

Já fazia muito tempo que Jerry não pegava “bullying” nas redes sociais. 

Pelo tuíter, o ex-secretário do governo comunista com statos de Primeiro Ministro, demostrou total descompustura ao tentar acusar adversário políticos daquilo que o governo comunista deveria esclarecer. 

Márcio Jerry vivendo um inferno astral, preferiu sair-se com baixarias, quando deveria, se tivesse compromisso com a verdade, explicar as várias denuncias que pesam contra o governo de Flávio Dino.

Jerry, que é pré-candidato a deputado federal pelo PCdoB, deveria prezar pela bom diálogo, mas preferiu “estrebuchar” baixarias nas redes sociais. Confira abaixo na nota retirada do blog do Gilberto Leda:

 

Por Josias de Sousa

Delatado, Lupi suja a ‘hegemonia moral’ de Ciro…

Ciro Gomes, o presidenciável do PDT, adota uma retórica encrespada ao falar sobre corrupção. Chama Michel Temer de “escroque”. Eleito, desmontará o MDB, porque o partido “só existe para roubar”. Eventuais alianças com PP, DEM e assemelhados, só seriam cogitadas depois de um
acerto com PSB e PCdoB, “porque a hegemonia moral e intelectual do rumo estará afirmada.”

Ciro Gomes, candidato do PDT lançou-se pré-candidato a presidente do Brasil no Palácio dos Leões num encontro recente. Pode isso, TRE?

Sempre em riste, a língua de Ciro ganhou um desafio novo. Carlos Lupi, o presidente do PDT, foi
delatado como beneficiário de uma mesada de R$ 100 mil mensais fornecida pela quadrilha do exgovernador
fluminense Sérgio Cabral.

Carlos Miranda, um dos principais auxiliares de Cabral, operador financeiro da quadrilha que
saqueou os cofres do Rio de Janeiro, disse em delação premiada o seguinte:

1) No ano de 2012, o então secretário de governo da gestão de Cabral, Wilson Carlos, ordenou
que transferisse para Carlos Lupi R$ 100 mil por mês em verbas clandestinas.

2) O dinheiro era entregue na sede do PDT por emissários de Renato Chebar, um dos doleiros que
operavam para a quadrilha de Cabral.

3) Quem recebia a mesada em nome de Lupi era um personagem que o delator chamou de
“senhor Loureiro”, tesoureiro do PDT.

4) O mensalão de Lupi durou do início de 2012 até março de 2014.

Lupi nega os recebimentos. Sustenta que jamais manteve nenhum tipo de relação com o delator.
Mas a Polícia Federal e a Procuradoria já dispõem de matéria-prima para fazer o seu trabalho. O
desafio de Ciro é encaixar a sujeira sob investigação na sua fórmula da “hegemonia moral”. O
candidato decerto sabia dos riscos que corria ao falar de corda em casa de enforcado.

Nomeado por Lula para comandar o Ministério do Trabalho, Lupi deslizou para dentro do primeiro
governo de Dilma Rousseff. Foi varrido da Esplanada dos Ministérios pela então “gerentona” em
meio a denúncias de corrupção, no final de 2011. Por uma dessas coincidências implacáveis, a
alegada mesada do esquema de Cabral começou a entrar no ano seguinte.

No momento, Ciro precisa de uma vacina capaz de imunizar sua campanha. Enquanto procura,
talvez devesse fazer um pedido a Lupi. Diria algo assim para o correligionário encrencado: “Não
diga nenhuma mentira que não possa provar.”

 Assassinatos, assaltos, tráficos, facções e drogas.

A verdade apareceu e Flávio Dino foi pego na mentira:

O Bom Dia Brasil desta terça-feira, 12 de junho, mostrou a verdade ao Brasil inteiro, que a capital do Maranhão se tornou uma das capitais mais violentas do Mundo.

Comunistas foram desmascarados nacionalmente pelo Bom Dia Brasil, que mostrou a verdade, que São Luís está entre as cidades mais violenta do mundo, ao contrário daquilo que a propagada comunista tentou afirmar. Que “fora dos muros de Pedrinhas a violência terminou”.

O pior de tudo não são as decapitações que aconteciam dentro dos muros de presídios, mas, fora.

As guerras constantes de facções criminosas nas ruas da capital, matando inocentes, jovens, crianças e adultos.

Dura realidade: a juventude agora é o principal alvo da criminalidade, muitos estão sendo executados, sendo que, cada vez mais estão envolvidos com facções criminosas, praticando assaltos, movimentando o tráfico de drogas.

Confira abaixo, trecho da reportagem:

O governador Flávio Dino e o presidente do Diretório Regional do PCB, Márcio Jerry, terão que explicar à Justiça Eleitoral o sumiço de R$ 800 mil reais que aparecem, ora como pagos pelo partido à empresa Aldoimagem LTDA por serviços prestados durante a campanha de 2014 e depois como dívida de campanha após a eleição. Pior ainda: um membro importante do governo disse ao proprietário  Aldo Oberdan Pinheiro Montenegro que a dívida já estava sendo paga pelo governo, assim que Flávio Dino assumiu o cargo em 2015.

Na prestação de contas da campanha aparecem R$ 1,3 milhão repassados ao Diretório Estadual, com notas fiscais e recibos, embora a constatação é de quem R$ 800 mil do montante sejam frias, arrumadas. Até bem pouco tempo tudo estava normalizado, até o dono da empresa aparecer para denunciar a operação fraudulenta e um advogado denunciar o caso à procuradora Geral da República, Racquel Dodge. Tudo indica que houve lavagem de dinheiro.

Ele havia emprestado a empresa para duas pessoas ligadas ao comunista Márcio Jerry. Mas meses depois percebeu que na conta da empresa havia sido dado entrada somente R$ 500 mil dos R$ 1,3 milhão que o PCdoB havia recebido e informado ter repassado todo o dinheiro para a AldoImagem LTDA. Só soube quando os tributos começaram a ser cobrados.

O dono da empresa foi cobrar o restante do dinheiro, mas um dirigente do partido o ameaçou, sugerindo que ele poderia ser morto. Certa vez, encontrou com Jerry numa agência bancária e cobrou. Ouviu do então secretário que alí não era lugar para falar sobre o assunto por causa do monitoramento eletrônico.

Já existem desconfianças de que o dinheiro possa ter sido doado de parte da propina que era liberado pela Odebrecht para partidos e candidatos, com o dinheiro que arrecadava da Petrobrás. As denúncias contra o PCdoB, Flávio Dino e Márcio Jerry devem começar a ser investigadas nesta semana, podendo acarretar sérios prejuízos aos dois, inclusive a não participação na eleição deste ano. (lLog do Luís Cardoso)

Os ditadores da Venezuela utilizaram o mesmo discurso.

Rafael Pinheiro de Araujo, doutor em História pelo PPGHC/UFRJ. Professor substituto do curso de História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) nas áreas de História da América e Contemporânea (Campus Nova Iguaçu).

Professor dos cursos de História e Relações Internacionais do Centro Universitário La Salle (UNILASALLE/RJ), no trabalho de pesquisa sob o título “Discurso político e o socialismo do século XXI na América do Sul” – disponível em https://periodicos.unifap.br/index.php/pracs/article/view/1441/araujov8n1.pdf,  afirma:

“…Não há uma fórmula que leve ao novo socialismo, porque ele é elaborado e reinventado continuamente. Entre as várias imagens criadas por Morales1, Corrêa e Chávez, achamos interessante a fala do último sobre a construção do novo socialismo. A seguir, reproduziremos a declaração dele, a qual talvez sintetize nossas dificuldades na definição desse novo socialismo”.

De acordo com Chávez (2011):

Para construir o socialismo, temos de recordar Fidel. Em uma resposta que ele deu a Ignacio Ramonet: ‘Qual foi um dos maiores erros que você cometeu? E Fidel disse: ter imaginado que alguém sabia como se construía o socialismo’. Nesse ponto, Fidel tem muita proximidade com Mariátegui, quando afirma: ‘o nosso socialismo não deve ser cópia, nem criação heroica’. Muito robinsoniano, como dizia Simón Rodríguez: ‘não podemos copiar modelos. Ou inventamos ou erramos! Trata-se de uma invenção. Diria uma obra de arte (…) (CHÁVEZ, 2011, p. 372). (Tradução nossa.).

(…) O socialismo está fixado na consciência coletiva. Os conceitos de igualdade, justiça social, inclusão absoluta, respeito à diversidade cultural, predileção pelo diálogo, valorização da democracia participativa, poder popular, amor à pátria, entre outros, foram manejados de forma retórica e formal em nossa história. Hoje, o associamos às vidas pública e política. Isso é uma grande conquista coletiva (…). (CHÁVEZ, 2008, p. 53). (Tradução nossa.).

“Assumo minha responsabilidade. A única maneira de solucionarmos, definitivamente, o problema da pobreza e da exclusão é avançando pela via do socialismo e da igualdade de todos. Como um dia disse Bolívar: “Algum dia na Venezuela não teremos mais do que uma classe. Seremos cidadãos e teremos os mesmos direitos e deveres…”. Em nosso país, não poderá haver cidadãos de primeira, segunda e terceira. Somos todos filhos de Deus, da mesma pátria e do mesmo povo. Os obscenos privilégios dos que se creem superiores devem terminar. Igualdade, igualdade. Isso vem lá de trás, do Cristo, nosso Senhor. “Amai-vos uns aos outros”, dizia ele (…). Cristo foi um dos maiores socialistas. O primeiro da nossa era. Judas é o maior capitalista, um exemplo do que é o capitalismo, o Judas. (CHÁVEZ, 2011, p. 60). (Tradução nossa.)

Digo eu – Esses discursos são semelhantes aos usados por Flávio Dino para incautos maranhenses que não têm a mínima ideia.

Taí o socialismo do PC do B na Venezuela… Só depois os alienados foram enxergar na merda que fizeram … Só que era tarde demais e agora padecem miséria em terras brasileiras.

Blog Edgard Ribeiro

A pedido do vereador Estevão Aragão (PSDB), a Câmara Municipal de São Luís realizou, nesta sexta-feira (8), o Painel: Situação das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e suas famílias.

Bastante prestigiado, o evento contou com a participação dos vereadores Genival Alves (PRTB), presidente da Comissão de Saúde da Casa, e Francisco das Chagas (PP), do ex-vereador e professor Lisboa, de especialistas na área, além de representantes da Associação de Amigos do Autista do Maranhão (AMA-MA), que tem Iomar da Silva como presidente, e do Grupo Ilha Azul, presidido por Luise Winkler.

Estevão Aragão ao lado da vereadora Barbara Soeiro e da mãe Poliana Gatinho, que luta pelos direitos das crianças

Na oportunidade, Estevão Aragão anunciou a destinação de uma van de 16 lugares para a AMA. O benefício foi um pedido do parlamentar atendido pelo senador Roberto Rocha (PSDB), por meio da Codevasf. “Uma ação concreta, que tenho certeza que dará uma grande ajuda à associação”, enfatizou o parlamentar.

Antes de dar início ao painel, o vereador lamentou a ausência de representantes dos órgãos públicos municipais e estaduais para discutir o tema e, em seguida, ouviu atentamente as problemáticas enfrentadas por pessoas com autismo e seus responsáveis.

Eles relataram o preconceito da sociedade em geral e a ausência de políticas públicas por parte dos governos municipal e estadual, o que dificulta ainda mais o acesso a direitos básicos, como Educação e Saúde. A falta de atenção para os autistas que já estão na fase adulta foi outro problema relatado por várias mães.

“Nossos filhos não possuem esses direitos, porque o Estado não facilita e não proporciona esse acesso. Muitos criticam os pais que tiram os filhos da escola, porém as escolas ainda não estão preparadas para ajudar no desenvolvimento e socialização das nossas crianças”, pontuou uma das mães presentes.

Nos encaminhamentos finais da discussão, o vereador Estevão Aragão, que, no ano passado, destinou emenda no valor de R$ 500 mil para a Rede de Atenção à Pessoa com Deficiência, garantiu que levará a temática ao conhecimento dos colegas parlamentares e, posteriormente irá elaborar projetos de lei que atendam às necessidades dos autistas e de suas famílias.(Informações da Assessoria da Câmara)

Além da boa leitura política, medico João Bentivi alertou sobre doenças trazidas nos porões de navios.

Durante entrevista ao Espaço Capital, o médico, advogado e pré-candidato a deputado estadual pelo PSDB, João Bentivi fala que Lula não é candidato nem com reza forte, que Weverton Rocha não deslancha, e que as praias (todo litoral) de São Luís está sob ameaça de várias doenças de hospedeiros despejados em nossas praias, trazidos por navios que causam sérios impactos ambientais.

1 2 3 4 402