Browsing: Ricardo Santos

Black Friday à brasileira…

No Rio de Janeiro não poderia faltar um fuminho com promoção de 50%.34423644_file_-_in_this_nov_14_2012_file_photo_a_marijuana_grower_shows_plants_he_is_cultivating_wit

Inédito no Brasil, enquanto traficantes derrubam helicópteros e afrontam as leis, justiça, o Estado, etc, uma loja no Rio, La Cucaracha, em Ipanema,  fará hoje, em alusão à Black Friday, a “Beque Friday”. É que “beque”, como se sabe, é um dos apelidos da marijuana.

A loja de artigos para fumantes pertence a um dos organizadores da Marcha da Maconha. (Com informações do Ancelmo Gois)

Absurdo: resposta de subprefeito “a emenda saiu pior que o soneto”.

Escultura está há mais de um ano “guardada” num museu. Para não ser roubada a subprefeitura de São Luís removeu da Praça Pedro II, pois o local, que fica a poucos metros dos Palácios do Governo, Prefeitura e Justiça (área de segurança) não têm câmeras de seguranças, nem policiamento, os ladrões, vândalos, assaltantes, pelo jeito “fazem e acontecem”.

Está confirmado pelas palavras do subprefeito de São Luís, que a “mãe d’água” não tem previsão de retornar para seu lugar original. A escultura que embelezava um antigo chafariz da Praça Pedro II, no Centro Histórico de São Luís, “está sendo protegida de ladrões e vândalos”, segundo Fábio Farias. Ainda, segundo o subprefeito, “obras de readequação do chafariz estão barradas por falta de orçamento”, é que a subprefeitura está esperando a liberação de verba federal para trazer a escultura de volta.

Enquanto isso, a escultura de bronze, que faz parte do antigo acervo colonial de São Luís, desde que o Centro Histórico foi reconhecido e tombado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, foi retirada do local por falta de segurança e está sem previsão para retornar a embelezar a praça.

estaua-sereia

 

Luiz Fernando que é reconhecido como liderança em todas as cidades do Maranhão, foi agraciado com outro importante título…lf

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB) foi agraciado como Título de Cidadão de Imperatriz, em concorrida solenidade na Câmara Municipal.A homenagem foi uma iniciativa do vereador Hamilton Miranda (PP).

– Pelo currículo do homenageado e pela larga lista de serviços prestados em favor da nossa cidade, Luis Fernando é mais do que merecedor. É a melhor pessoa que já conheci na minha vida política – declarou o vereador. (Informações do blog do Marco Deça)

Motivo religioso estaria por trás da retirada da sereia da Praça Pedro II?sangue-de-jesus

Se por um lado o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, falhou com a população ao deixar um bem público, no caso, uma estátua que há várias décadas servia para embelezar o conjunto arquitetônico do Centro Histórico de São Luís, faltou a fiscalização da Câmara de Vereadores, que até agora aceitaram calados a retirada da antiga sereia do chafariz da Pedro II.

Astro de Ogum aceitou a retirada da “mãe d’água” calado?

Dizem que o subprefeito da região do Centro de São Luís, Fábio Farias, sequer tomou às devidas providencias legais, o fato deu-se com a total e plena conivência do parlamento municipal, que até hoje aceitou a transferência do bem público de seu lugar de origem, para ser esquecida num terraço de um museu…

Onde estavam os vereadores que nada fizerem? Onde estava o presidente da Câmara, Astro de Ogum?

Se por um lado a religião do prefeito de São Luís, evangélico, proíbe a “idolatria” a imagens, que dizer da atuação religiosa do presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, Astro de Ogum, que é, também, presidente da Federação de Umbanda e Cultos Afro-brasileiros do Maranhão, que deveria ter o mínimo de zelo pela imagem da mãe d’água, conhecida por Iemanjá?

É desse tipo de vereadores que nossa cidade está servida, que só quer o poder, mas, se ausenta das decisões que favorecem a população de São Luís?

Abaixo, protesto da população ganhando espaços nas redes sociais:

15175512_10207260886065752_1209555656_n

A alcateia dos Lobos da política oligarca celebrando a continuidade dos alugueis de suas emissoras.

Emissora de Lobão deu vitória ao grupo de Wevrton Rocha...

Continuação dos alugueis: Emissoras de Lobão deram vitória ao grupo de Weverton Rocha…

Mudança boa se faz desse jeito: não é que a antiga emissora do outro lado da Ponte Bandeira Tribuzi, que passou meses antes das eleições atacando uns e exaltando outros, acabou vencendo a eleição de 2016?

A tática é a mesma exercida desde os tempos da oligarquia, bater nos opositores dia e noite.

Também, pudera, a 12fusora tem tudo para continuar. E parece que até as eleições de 2018 muita coisa ainda vai rolar. A noticia badalada agora não é o prefeito 12, já se fala em senador 12, governador 12, e pasmem, se der tudo certo, os alugueis não atrasarem, até presidente do Brasil poderá ser 12.

 

A imprensa foi calada, a Justiça e autoridades do Maranhão continuam calados.

Antes de iniciar esse post quero me desculpar ante a dor dos familiares e dos que ainda sofrem com este insolúvel caso.

Quem realmente pagou pela morte de Décio?

Mistério: Quem realmente pagou para calar Décio?

Antes para ser blogueiro tinha que ser corajoso, ser meio louco. Décio era incansável, um polêmico nato, todo tempo atrás dos fatos, batia de frente, e assim, quem calava acabou calado.

Bastou tirarem a vida de um blogueiro para que muitos tentassem ocupar seu lugar. A briga é feia, de uns tempos para cá todos estão migrado da Tv e Rádio, tem muita gente boa, mas tem espertalhão se dando bem, uns que foram inventados apenas para ganhar dinheiro, extorquir, bajular, ser laranja de governantes.

Quanta falta faz o Décio Sá.

O pior é que tem aqueles que falam mal dos blogues, que julgam, condenam, que passam a vida toda esculhambando blogueiros, mas, nas “horas de aflição”, de “decidir” eleição, de passar informação para atacar adversários, sempre estão lá, de braços abertos.

Todos calados. Por hora, só lembranças boas dos tempos de enfrentamentos, de quando  fazer blog não era tão disputado. O Décio foi calado, e seu lugar continua vago.

 

Durante a sessão plenária desta quarta-feira (23), o deputado estadual Wellington do Curso (PP) utilizou a tribuna para formalizar a solicitação de vários estudantes da rede municipal de ensino de São Luís.

Deputado Wellington do Curso denuncia falta de merenda escolar em São Luís

Deputado Wellington do Curso denuncia falta de merenda escolar em São Luís

Trata-se da denúncia de que algumas escolas da capital estão liberando os alunos por falta de merenda, o que fez com que vários estudantes realizassem manifestação na última terça-feira.

Diante disso, Wellington, que é membro da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, protocolou indicação solicitando que a Prefeitura de São Luís adote medidas a fim de garantir o fornecimento de merenda escolar.

“Recebemos as denúncias de vários professores e pais de alunos reclamando sobre a forma como a educação é tratada em nossa capital. Os alunos das escolas UEB Maria Amélia Profeta, (Coroadinho), a UEB Rubem Almeida (Bequimão), a UEB Professor João de Souza Guimarães (Sol e Mar) e o anexo da UEB Jornalista Neiva Moreira (Bequimão) estão sendo liberados mais cedo por falta de merenda. Em nossas escolas, falta até merenda escolar. Um verdadeiro absurdo. Não estamos falando de uma praça, mas sim de escolas, um ambiente em que se constrói o futuro da nossa cidade e, por isso, requer atenção, exige compromisso. Como membro da Comissão de Educação, eu não poderia me omitir e é por isso que deixo aqui a solicitação que não é só minha, mas de alunos, pais e professores da rede municipal de ensino.”, afirmou Wellington.

Em Entrevista ao Jornal Pequeno, o prefeito eleito de Caxias Fábio Gentil disse que recebeu com perplexidade a decisão do Comitê Intergestores Bipartite (CIB) que alterou a gestão dos recursos do Ministério da Saúde da prefeitura de Caxias para o governo do Estado. Segundo o prefeito eleito, “existe uma tentativa de intervenção injusta na gestão da Saúde em Caxias”.

Prefeito eleito de Caxias Fábio Gentil

Prefeito eleito de Caxias Fábio Gentil

Fábio Gentil conta que má gestão na Saúde é apontada como a maior causa da derrota dos seus adversários políticos. Ele disse esperar uma parceria franca e transparente com o governo estadual para “solucionarmos a caótica situação de Caxias”.

O prefeito eleito de Caxias faz um apelo ao bom senso dos que irão decidir a plena gestão dos recursos da Saúde no Município. “É injusto querer manipular verbas públicas da saúde ao bel-prazer daqueles magoados com a derrota política”, afirmou Fábio Gentil.

No processo de transição surgiu a tentativa de “estadualização” dos recursos da Saúde de Caxias. Como o senhor tem enfrentado esse problema?

Essa mudança pretendida só foi proposta após o resultado das urnas. Há uma tentativa de intervenção indevida na gestão de saúde em Caxias. Duas resoluções editadas recentemente pelo Comitê Intergestores Bipartite (CIB) confessam isso. Elas alteram a mudança da gestão dos recursos destinados a Fundação Humberto Coutinho. Esses recursos hoje administrados pelo município passariam à Secretaria de Saúde do Estado. Vimos com perplexidade e preocupação. A subseção da OAB em Caxias propôs uma Ação Civil Pública pedindo a nulidade desses atos.

Uma decisão do juiz titular da 1ª Vara da Fazenda Pública de Caxias tornou sem efeito as tais resoluções. Na prática, essa decisão impede provisoriamente a intervenção pretendida.

Qual é o fundamento para estadualizar a gestão da verba de Saúde de Caxias?

Não há fundamento fático e tampouco jurídico. Em sua decisão, o juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública diz isso. Nos ofícios subscritos pela administradora da Casa de Saúde e Maternidade de Caxias, da Secretaria Municipal de Saúde de Caxias e da própria exposição de motivos de casa resolução, não existe fundamento que alicerce a conclusão do CIB para editar as duas resoluções.

Na Ação proposta pela subseção da OAB se aponta possíveis indícios de irregularidade nessa decisão?

A subseção da OAB assinala indícios de montagem de procedimento administrativo pelo fato da requisição da direção da Casa de Saúde e Maternidade de Caxias ter sido autorizada antes mesmo de seu protocolo na Secretaria Municipal de Saúde. Na decisão judicial, o magistrado afirma que é possível identificar nos documentos que integram o procedimento administrativo a ausência de qualquer deliberação pelo Conselho Municipal de Saúde de Caxias a respeito da alteração na gestão dos recursos da Saúde.

A decisão da primeira pode ser derrubada no Tribunal de Justiça?

Sei que podem recorrer para anular a decisão do juiz da primeira instância. Mas, apelo ao bom senso dos que irão decidir a assegurarem a plena gestão dos recursos da saúde de Caxias ao Município. É injusto querer manipular verbas públicas da saúde ao bel-prazer daqueles magoados com a derrota política. Precisamos é unir nossas forças, dar as mãos, Governo do Estado e Município, em parceria franca e transparente, para assim solucionarmos a caótica situação da saúde em Caxias.

Se a intervenção do Governo do Estado ocorrer, o modelo de gestão da UPA pode ser comprometido?

O modelo de gestão da UPA de Caxias, que é administrada pela Prefeitura, pode simplesmente acabar, ficando a gestão sob a responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde com a indicação de todos os funcionários pela livre escolha do grupo que perdeu as eleições no município. A gestão na saúde é considerada a maior causa do infortúnio sofrido em 02 de outubro, pelos meus adversários.

Além dessa surpresa na área da Saúde, sua equipe tem tido alguma dificuldades no processo de transição?

FG- Montei uma equipe capacitada para realizar esse processo de transição, que é coordenada pelo vice-prefeito Paulo Marinho Júnior. Até agora, tudo está transcorrendo de maneira tranqüila. Tenho recebido semanalmente relatórios da situação inerente a cada pasta. Até o final deste mês vamos reunir a equipe e realizar um balanço geral do que vamos herdar da atual gestão e, então, planejar os primeiros 100 dias de governo.

Prefeito, a sua eleição foi uma surpresa no meio político. Existe um segredo para a sua vitória?

O segredo foi o povo, que silenciosamente foi às urnas e provou a sua vontade de mudar a atual realidade da gestão administrativa de Caxias. Durante toda a minha campanha priorizei o debate aberto e franco com a população, fiz uma campanha humilde, limpa e ao mesmo tempo ousada. O povo entendeu e aprovou meu nome. Agora é administrar com todos os sentidos voltados para solucionar as carências da cidade, que não são poucas.

Estevão Aragão faz denúncia na Câmara Municipal pela retomada dos contratos com os fornecedores de alimentação para a rede de ensino na capital maranhense

O vereador Estevão Aragão (PSB) confirmou na tribuna da Câmara Municipal a denúncia deste blog sobre a falta de merenda escolar nas escolas da rede municipal de ensino em São Luís.

– Nós enquanto representantes do povo, fomos procurados a respeito dessa questão. Fica aqui meu apelo ao secretário de Educação e ao Prefeito Municipal para que essas questões sejam resolvidas – afirmou Aragão. ( Blog do Marco Déça)

Pra onde está indo o dinheiro?

Essa imagem printada do tuíter oficial do líder do comunismo maranhense, criou uma espécie de frisson nos seu súditos. É que virou motivo de comemoração pagar funcionário.

Embora no Maranhão pagamento em dia (ou antecipado) sempre tenha acontecido, atualmente precisa ser anunciado e bem comemorado.

Só não se sabe até quando.

screenshot-2016-11-23-at-08-29-29

1 295 296 297 298 299 413