Browsing: Ricardo Santos

Quando vão tirar os oligarcas Weverton Rocha e Astro de Ogum, do poder de São Luís?

Quem vota em Edivaldo elege oligarcas.

Pouca gente sabe, mas, na aus√™ncia do prefeito de S√£o Lu√≠s, quem assume seu lugar √© o vereador Astro de Ogum. Alguma d√ļvida sobre esse oligarca do legislativo municipal?

Sabem quem domina a maioria das secretarias e cargos p√ļblicos municipais, desde Jackson Lago, passando por Tadeu Pal√°cio, Jo√£o Castelo, at√© Edivaldo Holanda?

Weverton Rocha, cacique do PDT.¬†Ou seja, todos que votaram em Astro de Ogum e Edivaldo Holanda no primeiro turno, ¬†elegeram “oligarcas”. Mas isso os comunistas n√£o falam ou comentam.

Na imagem, Astro de Ogum, h√° d√©cadas tem sua cadeira cativa na C√Ęmara de Vereadores de S√£o Lu√≠s. Ao lado do deputado federal Weverton Rocha, cacique pol√≠tico que lidera o PDT, legenda que tomou do ex-governador Jackson Lago, tamb√©m, h√° d√©cadas tem a maioria dos cargos p√ļblicos da prefeitura da capital do Maranh√£o. Abaixo, tirem suas conclus√Ķes:

Práticas de olicargas continuam. Precisamo mudar nossa mentalidade política

Práticas de olicargas continuam. Antes de mudar a mentalidade política do povo, precisa ser mudada dos políticos, que fazem pior que o Sarney

Nota do blog: Sarney está vivo nas práticas políticas atuais. Ora, se o Sarney foi ruim, péssimo, a prática da oligarquia precisa ser combatida, mas, depois que Edivaldo Holanda ganhou há 4 anos, e Flávio Dino, há 2 anos, nada se viu de mudança.

Como evang√©lico n√£o entro nas quest√Ķes religiosas, mas, ao povo crist√£o (sal e luz do mundo) e todos que lutam por justi√ßa, igualdade, mudan√ßa, vale uma boa reflex√£o sobre ¬†quem est√° ocupando os cargos p√ļblicos em nossa capital, confira na imagem acima.

Outra coisa que os comunistas n√£o comentam √© sobre persegui√ß√Ķes de aliados (e ex-aliados) que antes das elei√ß√Ķes de 2014, que deram vitoria ao governador comunista, todos eram iguais, mas, depois que o “poder subiu √† cabe√ßa” houve “ca√ßas √†s bruxas”.

A pr√°tica de ditador, de perseguir e acusar pessoas de serem “sarneisistas” por elas n√£o concordarem com as pr√°ticas absurdas adotadas pelo alto escal√£o comunista (leia-se M√°rcio Jerry) √© constante no Maranh√£o do p√≥s Sarney.

Nas elei√ß√Ķes de 2016, todos que se aproximaram de pol√≠ticos do PV, PMDB, eram taxados assim, no entanto, a bancada de bajuladores do governo na Assembleia, est√° lotada desses pol√≠ticos, que batem contin√™ncias ditatoriais.

Sem novidades, o hor√°rio eleitoral de Edivaldo trouxe as mesmas desculpas esfarrapadas do primeiro turno…img_2431

Comunistas elaboraram um discurso esfarrapado e manjado para o ne√≥fito Edivaldo Holanda J√ļnior, embalar durante sua campanha:¬† As velhas desculpas de quem protela e pretende se perpetuar num cargo por v√°rios anos, coisas do grupo Sarney e do PDT de Weverton Rocha, que se arrasta mandando nos cargos p√ļblicos desde Jackson Lago, passando por Tadeu Pal√°cio, Castelo, at√© hoje.

Dizer que em quatro anos n√£o conseguiu fazer um hospital, que n√£o trabalhou por causa da crise, do dinheiro que Castelo roubou, etc. Tudo desculpa esfarrapada, n√£o cola mais.

Como o pr√≥prio Edivaldo faz quest√£o de enfatizar, “n√£o existe f√≥rmula m√°gica que transforme a realidade da noite para o dia”. Mas, levou 4 anos para fazer um hospital, que ainda vai levar no m√≠nimo mais 2 anos para ficar pronto, √© brincar com a inteligencia do eleitor…

Rocha no v√°cuo de Dino: n√£o se decidiu, est√° em cima do muro…

dinocabeca-de-xiri

Diferente do anunciado, o governador n√£o disse quem ia apoiar. Seu an√ļncio mentiroso trouxe especula√ß√Ķes, gerou d√ļvidas, avalia√ß√Ķes negativas e criticas severas, como feita pelo seu senador, Roberto Rocha.

Um chefe de estado precisa ter firmeza, palavra, decis√£o. Mas, ao que pareceu, o governador Fl√°vio Dino preferiu ficar em cima do muro. Pior para ele, no seu v√°cuo, Roberto Rocha aproveitou para alfinetar.

 

Outro inc√™ndio criminoso, outra vez fac√ß√£o toca fogo em viatura da Cemar…

incebdio

Incêndio criminoso aconteceu numa avenida por detrás do Shopping da Ilha, que, apesar de ser muito movimentada continua sem policiamento. Fiquem com as imagens de outro incêndio, enviadas pelo whatsapp, que teria acontecido às 11h30 da manhã desta terça-feira, 11.

Falta de segurança: Depois dos incêndios desta segunda-feira, que a policia não sabe dizer se foi criminoso, bandidos rondam shoppings da cidade.

O PDT apareceu na m√≠dia criticando cortes, mas, onde estava quando o governo do PT despejou dinheiro p√ļblico para beneficiar pol√≠ticos em esquemas de corrup√ß√£o?

De repente o PDT se arvora para protestar, é sempre assim, com discursos a la Che Guevara, bandeiras vermelhas, punhos fechados, no estilo comunista, tentando passar uma mensagem de gente correta.

S√≥ nos resta bater palmas para o deputado Weverton Rocha, que apareceu para criticar o governo quando nosso economia est√° no buraco. Espero que apare√ßa tamb√©m, ap√≥s as elei√ß√Ķes, para pagar a conta das emissoras do Lob√£o, alugadas para o partido do prefeito de S√£o Lu√≠s, o PDT.

Abaixo, reportagem que mostra os esquemas do PDT, um ministro que foi afastado por corrupção:

weverton

Leia na íntegra aqui:

Emissoras do Lob√£o, alugadas ao grupo pol√≠tico do prefeito Edivaldo noticiam que Braide √© racista. Mas, n√£o querem discutir as contas no vermelho da prefeitura…

A cidade continua caindo aos pedaços, mas, nossos políticos ainda preferem discutir quem é menos pior e mais vulgar. O atual prefeito, depois de passar 4 anos debaixo das asas do atual governador, ou vice-versa, apareceu sorrindo na televisão.

Nos primeiros dois anos ningu√©m sabia ao certo quem era o prefeito, at√© que o governador fosse, enfim, eleito com total influencia da m√°quina municipal de S√£o Lu√≠s. O prefeito Edivaldo Holanda J√ļnior apareceu sorrindo na televis√£o como se tudo estivesse √†s mil maravilhas.

N√£o, prefeito Edivaldo, nada vai bem.

A come√ßar pelas contas do munic√≠pio, dos d√©bitos milion√°rios, das campanhas midi√°ticas que fazem tantas maquiagens na administra√ß√£o p√ļblica (dando at√© vontade da gente morar na televis√£o). Quero destacar a publicidade rasteira, que √© pior, que √© feita para atacar a honra das pessoas nas emissoras do Lob√£o $.

Mas o prefeito vive aparecendo bem, sorrindo.

Aventureiro foi eleito prefeito em 2012 para criar "puxadinho"

Enquanto isso no “puxadinho da Pedro II”: Prefeito dando sua contribui√ß√£o ao comunismo, Edivaldo poder√° sair de cena e concorrer na chapa de vice governador em 2018, abrindo m√£o da prefeitura para seu vice, o comunista J√ļlio Pinheiro…

 

 

 

Folhapress

O plen√°rio da C√Ęmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (10) o texto base da proposta de emenda √† Constitui√ß√£o que congela os gastos federais pelos pr√≥ximos 20 anos, prioridade legislativa do governo Michel Temer para 2016. O resultado -366 votos a favor, 111 contra, com 2 absten√ß√Ķes- foi obtido com o empenho pessoal do presidente da Rep√ļblica, o que incluiu um jantar para mais de 200 deputados na noite deste domingo (10).image-1

Temer ainda exonerou tr√™s ministros -Fernando Coelho (Minas e Energia), Bruno Ara√ļjo (Cidades) e Marx Beltr√£o (Turismo)- para que reassumissem suas cadeiras de deputados federais e votassem pela aprova√ß√£o da iniciativa.

A chamada PEC do Teto obteve, assim, 58 votos a mais do que o mínimo necessário (308).

A C√Ęmara votar√° ainda nesta segunda-feira nove emendas de bancada que podem alterar a PEC. Ap√≥s essa fase, o texto tem que passar ainda por uma segunda vota√ß√£o, provavelmente na √ļltima semana de outubro. Depois disso, segue para an√°lise do Senado.

Embate

Nos discursos em plen√°rio, os deputados aliados de Temer pregaram a necessidade da medida sob o argumento de que ela √© imprescind√≠vel para o equil√≠brio das contas p√ļblicas. J√° a oposi√ß√£o (PT, PDT, PC do B, PSOL e Rede) bateu na tecla de que o novo regime fiscal ir√° cortar investimentos, principalmente nas √°reas de educa√ß√£o e sa√ļde.

“O governo Dilma Rousseff aprofundou toda essa crise que estamos vivendo. O modelo atual √© o do discurso f√°cil. O pa√≠s precisa de medidas en√©rgicas”, afirmou Danilo Forte (PSB-CE), que presidiu a comiss√£o especial da proposta. “[A PEC] √© a busca da recomposi√ß√£o da credibilidade do Brasil, necess√°ria para a retomada dos investimentos”.

Tamb√©m favor√°vel, o l√≠der do PMDB na C√Ęmara, Baleia Rossi (PMDB-SP), apelidou a proposta de “PEC da responsabilidade” em contraponto √† oposi√ß√£o, que chama a medida de “PEC da morte”. “Se queremos um pa√≠s nos trilhos, precisamos confirmar a PEC numa grande vota√ß√£o”.

Marcos Pestana (PSDB-MG), aliado do senador A√©cio Neves, disse que a n√£o aprova√ß√£o da proposta levaria ao “caos”. “Temos que aprovar. Se n√£o √© a travessia para o abismo”.

Representando a oposição, Henrique Fontana (PT-RS) acusou a situação de apressar a votação para evitar debate -os parlamentares alinhados com o governo derrubaram seu próprio pedido de retirada de pauta como estratégia para prejudicar requerimentos da oposição.

“Se essa emenda fosse de fato a solu√ß√£o do Brasil, imagino que gostariam de debater dois dias aqui. Eles t√™m medo de que o debate desloque votos de deputados que ainda est√£o indecisos. Essa emenda aprofunda a recess√£o e o desemprego”, disse.

Arnaldo Faria de S√° (PTB-SP) foi muito mais enf√°tico. “Caras de pau, caras de pau! Devem, n√£o sabem que devem e querem ainda tomar mais do trabalhador”, discursou. “E o pior de tudo, com a complac√™ncia e a coniv√™ncia de grande parte deste plen√°rio, que ontem esteve num lauto jantar no Pal√°cio da Alvorada. E querem o qu√™? Querem pegar aquela faca e traduzir em punhais para apunhalar os trabalhadores. (…) √Č tudo mentira! √Č tudo fal√°cia! √Č tudo safadeza!”

O argumento de que a PEC n√£o atinge o pagamento com juros da d√≠vida p√ļblica tamb√©m foi recorrente na oposi√ß√£o. Orlando Silva (PCdoB-SP) afirmou que “√© l√≥gico” que √© necess√°rio congelar todas as despesas. “O que n√£o dizem √© que metade do Or√ßamento √© financeiro, √© para pagar juros. Votar essa mat√©ria √© atacar carreiras fundamentais para o estado brasileiro”.

Piso

A proposta votada nesta segunda restringe as despesas do governo ao IPCA (√ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo) dos 12 meses anteriores, e tem dura√ß√£o de duas d√©cadas, com possibilidade de mudan√ßa na forma de limitar os gastos a partir do d√©cimo ano.

O texto final prev√™ maior folga em sa√ļde e educa√ß√£o. Nessas duas √°reas, a corre√ß√£o do piso dos gastos s√≥ valer√° a partir de 2018, ou seja, o ano base levado em conta para c√°lculo do quanto poder√° ser gasto a mais ser√° 2017, quando se espera que a receita seja mais alta que em 2016.

Al√©m disso, o relat√≥rio estabelece ainda que a base de c√°lculo do piso da sa√ļde em 2017 ser√° de 15% da receita l√≠quida, e n√£o de 13,7%, como previa o texto original.

A mudan√ßa permitir√° um piso de cerca de R$ 113,7 bilh√Ķes na √°rea no ano que vem, ou seja, R$ 10 bilh√Ķes a mais do que estava previsto inicialmente.

Magistrados

Al√©m das cr√≠ticas recebidas da PGR (Procuradoria-Geralda Rep√ļblica) semana passada, a PEC tamb√©m √© alvo de ataques por parte da AMB (Associa√ß√£o dos Magistrados Brasileiros).

Em nota, a associa√ß√£o chama a proposta de “atentado ao Judici√°rio e √† sociedade brasileira”, acrescentando ainda que ela “fere a autonomia entre os poderes”. “A PEC √© uma puni√ß√£o √† sociedade, quando imp√Ķe aos cidad√£os um regime fiscal severo com o intuito de pagar uma conta que √© resultado da corrup√ß√£o”.

O texto da AMB diz ainda que a situa√ß√£o econ√īmica do pa√≠s decorre do “desgoverno” e deveria ser solucionada com “a√ß√Ķes que cobrem os respons√°veis”. “Parte da classe empresarial que sonega impostos, frauda licita√ß√Ķes e usa caixa dois deveria arcar com o custo dessa crise, e n√£o a sociedade, n√£o o servi√ßo p√ļblico, magistratura, Minist√©rio P√ļblico, Pol√≠cia Federal, entre outras categorias que ser√£o altamente prejudicadas”.

O projeto √© de autoria do senador Roberto Rocha (PSB ‚Äď MA) em parceria com a senadora L√≠dice da Mata (PSB-BA) Os estudantes de baixa renda poder√£o ter a garantia de transporte p√ļblico gratuito da resid√™ncia at√© a escola onde est√£o matriculados. √Č o que estabelece projeto (PLS) 353/2016 que aguarda a apresenta√ß√£o de emendas na Comiss√£o de Educa√ß√£o, Cultura e Esporte (CE).

A proposta cria o Programa Passe Livre Estudantil, com o objetivo de estimular os munic√≠pios a garantirem o passe gratuito para estudantes. Apresentado pelo senador Roberto Rocha (PSB-MA), atualmente licenciado, em parceria com a senadora L√≠dice da Mata (PSB-BA), o projeto beneficia os alunos da rede p√ļblica e os bolsistas da rede privada de ensino fundamental e m√©dio.

Os benefícios também poderão ser estendidos aos estudantes de cursos profissionalizantes e técnicos, bem como aos matriculados em curso de qualificação profissional oferecido pelo programa do seguro desemprego. Para ter direito à gratuidade, o aluno deverá comprovar a condição de baixa renda e a frequência mínima requerida pelo Ministério da Educação.

O município também poderá estabelecer mais exigências para o ingresso do aluno no programa. Para custear o Programa Passe Livre, o projeto prevê a criação do Fundo Nacional do Passe Livre Estudantil, de onde serão transferidos, mediante ressarcimento, os recursos para os municípios que implementarem o programa.rr1

O munic√≠pio que reduzir o n√ļmero de benefici√°rios do programa ter√° direito a receber uma parcela extra, para investir em obras e servi√ßos de mobilidade para pedestres e ciclistas no entorno das escolas p√ļblicas.

O projeto determina ainda que haver√° um conselho gestor do programa e um comit√™ gestor do fundo nacional, que orientar√° as prefeituras na aplica√ß√£o dos recursos. Ap√≥s an√°lise da Comiss√£o de Educa√ß√£o, o projeto ser√° votado na Comiss√£o de Assuntos Econ√īmicos (CAE) em car√°ter terminativo. Se aprovado e n√£o houver recurso para vota√ß√£o do texto pelo Plen√°rio, poder√° seguir para a C√Ęmara dos Deputados. Demanda Na justificativa do projeto, argumenta-se que o Programa do Passe Livre Estudantil atende a uma demanda generalizada da popula√ß√£o brasileira e poder√° contribuir com a melhoria do ensino.

Na visão dos autores, o projeto pode ajudar a aumentar a frequência dos alunos às aulas e também estimular os municípios a oferecerem à população escolas mais próximas da residência dos estudantes. Os autores da proposta acreditam que o programa atuará em parceria com outras iniciativas já existentes no Ministério da Educação, como o Caminho da Escola e o Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar.

Roberto Rocha ressalta ainda que a maioria da popula√ß√£o brasileira habita os grandes centros urbanos, sendo que parcela muito expressiva dessa popula√ß√£o reside nas periferias das cidades, onde em geral n√£o h√° escolas p√ļblicas em n√ļmero suficiente para a enorme demanda.

Novamente mostrando abandono da área turística da capital do Maranhão.

Edivaldo perdeu o timing: Rel√≥gio continua quebrado, S√£o Lu√≠s, cidade hist√≥rica que n√£o informa as horas…c01

A imagem do relógio quebrado, que por décadas marcou os horários de chegada e saída dos frequentadores do local, se perdendo no meio da destruição e descaso.

Largo do Carmo está abandonado, Praça João Lisboa, Centro Histórico de São Luís, que deveria ser cuidado está abandonado.

Cadê a parceria de Edivaldo e Flávio Dino?  Onde estão os governos? Onde estão os vereadores, a grande maioria reeleitos? Onde foi parar o sub-prefeito?  O Ipham?

c5

c1

c3

Amanh√£ mostrarei as fotos da Rua Grande, com√©rcio informal de S√£o Lu√≠s, totalmente esburacada…

Planta√ß√£o midi√°tica de Fl√°vio Dino em S√£o Paulo: Comunista quer mudar imagem de ditador…cabeca-de-xiri

Em recente passagem pela TV Vermelho, o governador maranhense, chamado de ‚Äúditador‚ÄĚ pela classe pol√≠tica maranhense, resolveu ‚Äúplantar‚ÄĚ na m√≠dia sulista que quer conversar com todos, depois que perdeu as elei√ß√Ķes nas 154 cidades, das 217, que seu partido disputou as elei√ß√Ķes, com o peso da m√°quina p√ļblica.

Para quem n√£o sabe, nos principais munic√≠pios do estado, onde o PCdoB imp√īs sua candidatura, a legenda do governador pedia votos afirmando que o governo do estado s√≥ iria ter parceria com candidatos ligados aos PCdoB. Confira nos v√≠deos abaixo:

Dilma continua desempregada…

Por falar em mídia nacional, repercute ainda nos sites do Brasil a noticia de que a presidenta impeachmada, Dilma Rousseff, deverá assumir um cargo numa secretaria do governo comunista.

O alto escal√£o j√° teria se pronunciado, via tuiter, sobre o assunto, negando que Fl√°vio Dino chamaria Dilma para fazer parte do seu secretariado. Na verdade, a¬†manobra poderia ser mais um duro golpe na combalida popularidade do ex-juiz federal, que ficou numa saia justa logo ap√≥s a sa√≠da de Dilma, por ter chamado o presidente Temer de “golpista”.

V√≠deo:¬†Ou√ßa o governador falando “as a√ß√Ķes do governo s√≥ chegar√£o ao munic√≠pio se o candidato do PCdoB for eleito:

 

1 286 287 288 289 290 387