Browsing: Ricardo Santos

Prefeito que destruiu S√£o Jos√© de Ribamar e “quebrou” a Federa√ß√£o dos Munic√≠pios, posa de bom gestor ao lado de deputado comunista na Assembleia.

dino2

O deputado Othelino Neto (PCdoB) não poderia ter sido mais infeliz ao posar na foto com o prefeito que destruiu São José de Ribamar, Gil Cutrim (PDT), o mesmo que, também, faliu a FAMEM.

A imagem oficial do vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranh√£o ao lado do presidente da falida Famem (Federa√ß√£o dos Munic√≠pios) no final da tresloucada gest√£o “cupiniana” retrata muitissimo bem esse momento pol√≠tico de nosso estado; um caos.

Para mostrar a trag√©dia que foi a gest√£o de Gil “Cupim” deixarei um v√≠deo que comprova o total descalabro p√ļblico que tomou conta da cidade durante longos ¬†oito anos cupinianos:

 

Coisas da “democracia” comunista: At√© hoje, o presidente Michel Temer n√£o passa de um zero √† esquerda no Pal√°cio dos Le√Ķes…

Como pode isso, o governo do estado desconhecer o l√≠der m√°ximo da Rep√ļblica do Brasil? As fotos oficiais do Presidente da Rep√ļblica n√£o foram e talvez nunca ser√£o colocadas na parede do Pal√°cio dos Le√Ķes.H√° quem diga que nas paredes da Prefeitura de S√£o Lu√≠s, tamb√©m.

Vendo alguns blogues ligados ao comunismo, a clara demostração da falta de reconhecimento do governo estadual ao presidente Michel temer, sucessor da ex-presidente Dilma Rousseff. Confira numa foto feita no dia 03 de novembro:

dino1

Como assim, ‚Äúolhar para frente‚ÄĚ?

Esse comunismo irresponsável e desumano parece tentar ao mesmo tempo que incrimina adversários políticos, esconder os malefícios da esquerda brasileira da qual Flávio Dino faz parte. Falo do lulopetismo, que tanto malefícios trouxe ao Maranhão e Brasil, que os comunistas tentam dar continuidade.dino

O governador parece olhar para tr√°s, ou para baixo, quando repete a t√°tica de Lula, de querer acusar o tempo inteiro FHC, quando na verdade ele que estava roubando os cofres do Brasil. Lula e Dino t√™m em comum a defesa dessa ‚Äúesquerda‚ÄĚ criminosa que lutou para impedir o afastamento de Dilma.

No maranh√£o da atualidade, al√©m de Sarney, os comunistas acusam v√°rios advers√°rios pol√≠ticos. Bem pior que acusar Sarney √© destruir a reputa√ß√£o de outros pol√≠ticos, ali√°s, os mesmo que lhe deram as m√£os para que vencesse as elei√ß√Ķes de 2014.

Olhando para baixo:

Tenham muito cuidado com not√≠cias plantadas em jornais do Sul do Brasil, site e blogues locais, aqui tudo “requenta-se” para atacar.

Foi esse grupo de Fl√°vio Dino que usou a m√°quina p√ļblica, que entrou em campo para desconstruir os opositores de Edivaldo nestas elei√ß√Ķes municipais, grifa-se: Eliziane Gama, Wellington do Curso e Eduardo Braide, foram todos desconstru√≠dos pela m√°quina de triturar dos comunistas, que dizem olhar para a frente. Seu secret√°rio de Comunica√ß√£o, que prometeu a “Comunica√ß√£o Democr√°tica” faz inveja ao¬†Joseph Goebbels de Hitler.

Lembram da campanha do ‚Äún√£o vai ter golpe‚ÄĚ, que Fl√°vio Dino ensaiou nas depend√™ncias do Pal√°cio dos Le√Ķes para salvar Dilma do impeachment? A mesma Dilma que enganou a popula√ß√£o de Bacabeira. Como pretende justificar os roubos do Lula em parceria com os Sarneys em Bacabeira?

Como a população de Bacabeira vai poder olhar para a frente, com seus sonhos enterrados no pior crime eleitoral feito por Lula e Sarney para eleger Dilma?

Desenterrem suas caras se quiserem olhar pra frente…

O deputado estadual J√ļnior Verde (PRB) recebeu nesta sexta (4), a visita de alunos do Centro de Ensino M√©dio Almirante Tamandar√©, como parte do projeto resgatado pelo parlamentar que visa a aproxima√ß√£o de estudantes da rede publica de ensino ao parlamento estadual. Esta √© a terceira visita de estudantes √† Casa.verde

Os alunos foram recebidos pelo presidente em exerc√≠cio da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PC do B), e conduzidos por J√ļnior Verde pelas depend√™ncias da Casa. Verde explicou aos alunos o funcionamento, o trabalho dos parlamentares e de que forma os cidad√£os podem acompanhar e sugerir demandas para o Legislativo.

A visita teve in√≠cio no Sal√£o Nobre, que abriga uma galeria de fotos dos ex-presidentes. L√°, os alunos conheceram um pouco da hist√≥ria daqueles que j√° conduziram o Parlamento Estadual. O grupo seguiu para o Plen√°rio Nagib Haickel, onde o deputado explicou de que forma ocorrem as sess√Ķes.

‚ÄúAt√© ent√£o eu, por exemplo, n√£o conhecia essa parte da Assembleia. Ent√£o √© muito interessante que a gente possa participar mais, saber como √©, tirar nossas d√ļvidas. Tem coisas aqui que n√£o sabemos o que acontece, por isso √© interessante esse momento conosco, que somos o presente e o futuro‚ÄĚ, declarou a estudante Stefany Neves.

O deputado Othelino Neto destacou a import√Ęncia da inser√ß√£o do jovem no Parlamento. ‚Äú√Č importante que visitas como essa se repitam sempre, porque quanto mais a juventude e os estudantes conhecerem a Assembleia, mais ter√£o consci√™ncia da import√Ęncia de valorizar a pol√≠tica‚ÄĚ, assinalou.

Os estudantes tamb√©m conheceram a Sala das Comiss√Ķes, onde debateram sobre diversos temas, fizeram questionamentos e sugeriram pautas, que devem virar proposi√ß√Ķes. ‚ÄúAqui foram postas v√°rias necessidades. Inclusive, no ano passado, eu solicitei a reforma dessa e de outras escolas. Em um momento como esse temos a oportunidade de ouvir os estudantes, formular pol√≠ticas para a juventude, atrav√©s dos anseios que eles est√£o nos repassando hoje. √Č um momento de intera√ß√£o, que nos permite ouvir as necessidades da juventude do estado e transform√°-las em proposi√ß√Ķes‚ÄĚ, ressaltou o deputado J√ļnior Verde.

Telma Maria Ramos, diretora da unidade de ensino, elogiou a iniciativa do deputado J√ļnior Verde, que s√≥ tem a beneficiar e incentivar o senso pol√≠tico nos jovens. “√Č importante para eles entenderem o que √© pol√≠tica. No momento em que eles s√£o esclarecidos, come√ßam a compreender e crescem politicamente. O deputado deveria expandir esse projeto, porque outras escolas precisam fazer com que seus alunos compreendam que precisam se politizar”, afirmou.

Corrup√ß√£o c√≠clica: mudan√ßa de h√°bito que √© bom, at√© agora, nada…

Ainda é vista com certo receio (nada de preconceito) a relação do umbandista com o prefeito evangélico. O motivo seria Astro assumir o lugar do prefeito.

Ainda é vista com certo receio a relação do umbandista com o prefeito evangélico pela população.

Acabamos de reeleger o prefeito que vai comandar a capital do Maranh√£o por mais quatro anos.

Junto dele, os mesmos vereadores, o  mesmo grupo, as mesmas práticas deverão continuar.

Aos vencedores das elei√ß√Ķes de 2016, caber√° pagar as contas com o suor do eleitorado, que s√£o os verdadeiros prejudicados de sempre.

De como a politicagem tem destruído nosso país sem que o povo tenha conhecimento.

De onde tirei essas conclus√Ķes?

Fácil, não podemos nos esquecer que após Dilma ser conduzida à reeleição, o Brasil foi para o fundo do poço, estamos até agora pagando as contas dessa reeleição maldita.

Se preparem para o pior: o natal vai ser magro, o ano novo sem novidades.

Governador e seu vice viajam, mas deixam o “rato tomando conta do queijo”

Se achando dono do PL (pal√°cio dos le√Ķes), M√°rcio Jerry foi fiscalizar BL (boca livre) de deputados. Sob os olhares vigilantes do secret√°rio “primeiro ministro”, deputados sentiram-se constrangidos durante almo√ßo oferecido por Humberto Coutinho.

Deu o que falar a presen√ßa do secret√°rio M√°rcio Jerry no almo√ßo comandado pelo substituto do governador Fl√°vio Dino, deputado Humberto Coutinho. O¬†presidente da Assembleia, teria convocado os 42 deputados para um momento seu, mas, a presen√ßa do primeiro ministro acabou afastando alguns parlamentares, que recusaram ao convite do governador Humberto Coutinho. Informa√ß√Ķes do blog do Marco De√ßa:

rato

√Č preciso que Fl√°vio Dino possa ter vis√£o de √°guia e enxergar um pouco al√©m de ‚Äúseus bot√Ķes‚ÄĚ ou ‚Äúumbigos‚ÄĚ, que a li√ß√£o deixada pelo velho oligarca, Jos√© Sarney, o √°guia, que atravessou a dura conjuntura pol√≠ticas da ditadura, passando por Collor, FHC e Lula, sempre soube estar colado ao poder central, seja copiada no bom sentido.robrto-3

Espera-se mais ju√≠zo do gestor da ‚Äúmudan√ßa‚ÄĚ, que o representante do Executivo maranhense entenda os novos rumos e saiba se conduzir pelos estreitos horizontes que podem ser abertos diante das conjunturas que se formaram depois da sa√≠da do lulopetismo.

S√≥ com a uni√£o de for√ßas o Maranh√£o poder√° entrar nos trilhos da mudan√ßa, afinal, o pal√°cio n√£o foi pintado de vermelho. √Č preciso que o governador olhe para cima e abra ‚Äúseu‚ÄĚ governo. Que deixe de ser de “alguns” e passe a ser de ‚Äútodos‚ÄĚ. √Č preciso mudar a dire√ß√£o, deixar de conduzir o governo sob a √≥tica err√īnea de seu campo politico, neste caso, a esquerda vi√ļva da Dilma e demais petistas.

Esperamos que V.Exa. saiba se adequar para o bem de nosso povo, que se fa√ßa pol√≠tica para a mudan√ßa, e ai vale enxergar que n√£o apenas seus correligion√°rios devem participar do ‚Äúgoverno de todos‚ÄĚ, que para um bom entendedor, dever√° ser de m√£os dadas com gente do quilate de Roberto Rocha/Alkimin, Z√© Reinaldo/Siqueira Campos, e outros pol√≠ticos √°guias.

Junte-se aos s√°bios, deixe os rancorosos.

Nota: De viagem particular para o outro lado do mundo, Fl√°vio Dino e parte de seu governo deixar√£o as terras maranhenses por alguns dias. Tempo o bastante para fazer reflex√Ķes. Aproveite governador. Um cordial abra√ßo.

robrto-rochaPrefeito do PCdoB, Rodrigo Coelho, foi recebido pelo senador Roberto Rocha (PSB) em gabinete político de São Luís.

Na pauta do encontro, al√©m de conversas sobre a atual conjuntura pol√≠tica a t√īnica prevaleceu sobre os tramites no plano federal, onde o senador tem se colocado inteiramente √† disposi√ß√£o dos prefeitos eleitos, assim como toda a classe pol√≠tica.

“Recebi, em meu escritório de representação de São Luís, o prefeito eleito de São Raimundo das Mangabeiras, Rodrigo Coelho (P C do B), que veio acompanhado do seu irmão Márcio Coelho e do ex-deputado Rubem Brito (PPS). Conversamos sobre vários assuntos de interesse daquela região.

Na oportunidade coloquei o meu gabinete √† disposi√ß√£o da nova gest√£o municipal e da popula√ß√£o mangabeirense‚ÄĚ.

Por Camila Costa

Hoje o nosso querido Jackson Lago estaria completando 82 anos se tivéssemos a honra de ainda poder contar, neste plano, com a sua companhia e sabedoria.

Lembro com muito carinho da presen√ßa dele com Clay Lago nas reuni√Ķes do PDT que eram realizadas na nossa casa. Dos anivers√°rios que tivemos o prazer em receb√™-los. De tantos encontros do Partido nos quais conseguia enxergar o valor de sua lideran√ßa, talvez pelo profundo respeito e admira√ß√£o que meus pais sempre demonstraram por ambos, mas muito pela emo√ß√£o que sua presen√ßa causava em todos os presentes.14915159_10206208596248710_3937831108665631968_n

Comigo sempre carrego a memória doce de encontrá-lo e ele se dirigir a mim como Camilinha, com um abraço de pai e perguntando sobre minha vida, o que até hoje Clay faz e que sempre me emociona.

A √ļltima vez que o vi foi em S√£o Paulo em 2009. Eu estava em tratamento contra um c√Ęncer com meus pais e fomos nos encontrar com ele e Clay. Toda viol√™ncia sendo sofrida e eles num carinho imenso nos acolhendo e nos dando for√ßa, com todo cuidado para demonstrar a import√Ęncia daquela situa√ß√£o. Esse momento pessoal foi muito emblem√°tico pra mim, pois ele traduz o que eu mais admirava nele, a consci√™ncia da coletividade, do outro.

Jackson sempre soube se portar como um sujeito da hist√≥ria e da constru√ß√£o social. Nunca em nenhum discurso falava sobre suas realiza√ß√Ķes de forma individualista. Sempre era o “n√≥s”, reconhecendo o valor do trabalho e da dedica√ß√£o dos in√ļmeros companheiros e companheiras de trajet√≥ria e demonstrando o verdadeiro esp√≠rito do homem p√ļblico. Era isso que fazia sua lideran√ßa algo muito natural, o que fazia com que as pessoas n√£o s√≥ reconhecessem nele a experi√™ncia e a sabedoria, mas tamb√©m o amassem.

No dia do seu falecimento eu estava com quase 9 meses de gesta√ß√£o, meus pais emocionados demais, sentindo aquela dor dilacerante. Lembro de falar com eles ao telefone e dizer que n√£o conseguiria suportar a emo√ß√£o dessa despedida, e apenas em minhas ora√ß√Ķes eu lhe disse adeus. J√° ap√≥s o nascimento de Isabele tive a enorme satisfa√ß√£o de receber as visitas de Clay, Cristina e Ludmilla, gestos de delicadeza sem igual. E eles sempre foram assim, in√ļmeros foram os momentos que compartilhamos tamb√©m com outros familiares, e todos sempre delicados e gentis.

Sinto-me extremamente honrada por ter vivido um pedacinho dessa história, por ter desfrutado da presença de Jackson, por ter até hoje o afeto de sua família e por ter minha formação fincada nessa rocha.

Seu legado est√° vivo e hoje se faz ainda mais presente nos di√°logos e atitudes daqueles que ainda n√£o desistiram do sonho de um Maranh√£o democr√°tico, de uma sociedade mais justa e igualit√°ria e de uma conviv√™ncia mais fraterna e humana. Tudo que estamos vivendo hoje em nossa realidade pol√≠tica refor√ßa a necessidade de retomarmos essa luta, por muitos negligenciada. √Č o momento de reivindicar as conquistas e resgatar as mem√≥rias, seguindo os ensinamentos da real democracia trabalhista, de uma pol√≠tica p√© no ch√£o e voltada para o bem social sem privilegiados.

Querido Dr. Jackson Lago, que saudade!!!

A todos os seus familiares e amigos um grande e afetuoso abraço.

1 274 275 276 277 278 384