Browsing: Ricardo Santos

O acusado seria titular do blog Arena Net.

Uma jovem acompanhada de seu esposo esteve na sala de imprensa da Assembleia Legislativa, na tarde desta segunda-feira, 13, para denunciar uma tentativa de estupro, que teria acontecido nas dependências da prefeitura de Santa Rita-MA.

A jovem Georlanny Carvalho, teria sido vítima de uma tentativa de estupro, pelo assessor de imprensa municipal de Santa Rita, que também é blogueiro da cidade. A prática de assedio sexual tem crescido desde as eleições de 2014, uma prática que lamentavelmente tem se alastrado pelo estado.

Abaixo, imagem da denunciante gravando vídeo para as redes sociais:

Ao lado do esposo jovem relata tentativa de estupro…

Bastou uma manhã de chuva para população reviver o caos.

Toda vez que chove é o mesmo caos. Tente chegar cedo no trabalho, ninguém consegue. A cidade para.

Confira nas imagens que fiz nesta manha chuvosa desta segunda-feira, 13, de fevereiro de 2017:

Pedestres prejudicados…

Se as eleições para prefeito e vereadores fossem durante as chuvas, será que Edivaldo Holanda e a turma de Weverto Rocha e Astro de Ogum seriam reeleitos?

Caos é a ausência de ordem, de governo, justamente aquilo que se vê quando chove, e isso, já vem se arrastando por vários anos.

Confira nas imagens:

Pedestres molhados, carros e ônibus jogando lama nas pessoas…

água parada, lixo e doenças…

Engarrafamentos quilométricos em toda a cidade.

Mais engarrafamentos: cidade parada, não tem agentes de trânsito para colocar em ordem. 

 

Enquanto o prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando, começa a todo vapor o trabalho de reconstrução da cidade, destruída na gestão passada, a coluna “O Informante”, do Jornal Pequeno, publica uma nota interessante.

A postagem diz que a “promotora da Improbidade Administrativa de São José de Ribamar, Elizabeth Mendonça, já foi informada do discurso do vereador do PMDB, Osvaldo Brandão, na solenidade de reabertura dos trabalhos da Câmara Municipal”. Leia a nota completa aqui:

Brandão, autor da “reclamação improba”, um imberbe e uma espécie de marionete de um candidato derrotado ribamarense, já na sessão solene realizada no início de fevereiro, levou uma grande bordoada do líder do governo, Vereador Cristiano, por conta da falta de ética e de decoro.

Quem ouviu a bisca, ficou até com pena do “pobre e sem contrato”.

O blog foi informado de que outros dois vereadores, ligados ao ex-prefeito Gil Cupim, estão mortos de saudade desse tempo desastroso. E o motivo seria o mesmo relatado pela coluna do JP. Apesar de o município ter sido sucateado, os edis estão carentes dos “fantasmas” que mantinham na ex-gestão.

O mais inconformado é um tal de Negão, que desde que voltaram os trabalhos na câmara, só fala naquilo: “cargos, esquemas e benesses daquele tempo”.

Segundo uma fonte que esteve na última sessão, a pressão é comandada por Nonato Lima, que não tem coragem de mostrar a cara, mas recebe ligação diária de Gil Cutrim e seus cupinchas.

Pelo andar da carruagem, se esses vereadores ribamarenses continuarem a falar abertamente de suas faltas de cargos no Executivo, não vai faltar trabalho para a promotora Elizabeth Albuquerque.

O exemplo mora ao lado: Em artigo, Roberto Rocha destaca o crescimento do estado do Pará e a inércia do Maranhão, que permanece pobre (cada vez mais).

Falta ao Maranhão justamente formular um plano de longo alcance, definindo metas e prioridades. Nós estamos paralisados por uma paroquial guerra retórica ideológica que nos impede de avançar para um projeto comum de sociedade”, escreveu o senador socialista.

A produção industrial brasileira teve queda de 6,6% no ano passado, provocando a perda de milhares de empregos. Dos 27 estados da federação, apenas um teve crescimento positivo: o Pará, com o impressionante índice de 9,5%, contrastando com o resultado obtido no Nordeste, de -3,1%.

Qual o segredo para esse resultado?

Em primeiro lugar o Pará abandonou a insípida e infértil agenda ideológica e ao invés de brigar com o passado resolveu projetar o futuro. O Governo, juntamente com o empresariado, universidades e organizações sociais criou o plano Pará 2030, subdividido em três agendas: a agenda social, a econômica e a ambiental. Todas três ancoradas na educação e no conhecimento, em novas formas de produção e na busca por novas modalidades de gestão e governança.

O segredo do crescimento foi investir forte em parcerias, capacitação e exportação, apostando todas as fichas nos setores de energia, mineração, logística, infraestrutura, turismo, ciência e tecnologia e inovação. Ao invés de desmontar a Secretaria de Minas e Energia, o Pará criou um Cadastro Estadual de Recursos Minerários (CERM), fortaleceu a articulação com o setor produtivo e credenciou 615 empresas de geologia e transformação mineral, além de auxiliar na elaboração de políticas públicas para o setor mineral.

Além disso, para enfrentar a concorrência chinesa, resolveu jogar o jogo, montando um polo têxtil para beneficiar a matéria prima que é a celulose solúvel. Outro exemplo, muito caro ao Maranhão, é o que o Pará fez com a produção de açaí. Produto abundante no Maranhão, teve ampliada a área de cultivo em 10 mil hectares, com fornecimento de sementes e, mais importante, com a assinatura de protocolos de produção industrial com empresas estrangeiras, como a Açaí Frooty, para garantir o pleno escoamento da produção. O mesmo foi feito no beneficiamento do alumínio, produção de grãos e cacau. Ou seja, o Estado atuou como parceiro dos investidores para fechar o ciclo virtuoso da produção, do beneficiamento e da comercialização.

Esse impressionante resultado na produção industrial aconteceu apesar da retração inevitável na capacidade de investimento e na arrecadação, como aconteceu em todo o Brasil. Ou seja, o Estado foi o promotor, mas não o provedor do desenvolvimento. E os ganhos sociais derivam do crescimento econômico, com a forte criação de postos de trabalho.

Claro que nada disso teria acontecido sem a mobilização de um novo modelo de governança e forte ajuste fiscal. Somente a partir dessas premissas o Pará conseguiu identificar as oportunidades de investimento, formular as ações setoriais e melhorar os indicadores socioeconômicos. Condição para isso foi também reforçar a posição e imagem nos mercados mundiais, apoiando a concepção de novos produtos e da criação de redes e cooperações entre fornecedores, produtores, clientes, governos municipais e grupos de interesse.

O estado do Pará se orgulha de estar situado em posição privilegiada, na logística mundial de transportes. É verdade, mas está longe de ombrear com as condições do Complexo Portuário do Itaqui, que conjuga a maior profundidade de águas com a maior capacidade de expansão e integração modal. Esse é o eixo de minha concepção da ZEMA, a Zona de Exportação do Maranhão, que será votada este semestre no Senado Federal.

Falta ao Maranhão justamente formular um plano de longo alcance, definindo metas e prioridades. Nós estamos paralisados por uma paroquial guerra retórica ideológica que nos impede de avançar para um projeto comum de sociedade. Sem abrir mão das diferenças, mas estabelecendo um mapa de navegação para um futuro que pode e deve ser pactuado por todos os segmentos responsáveis, sejam o Governo, as universidades, as associações de classe, o mundo empresarial.

Enquanto patinamos em discussões estéreis o Pará, bem aqui ao lado, dá o bom exemplo.

O desastre da Gestão comunista do Maranhão.

É comum nos artigos de jornalistas experientes o governador comunista ser elevado ao grau máximo da popularidade. Mas a realidade é outra. Para tanto, viver no Maranhão e ter que falar a verdade não combina. O jornalismo tem que buscar um ponto de vista que alinhe os fatos de acordo com a ótica imposta pelo governante.

Antes de ser eleito governador, Flávio Dino achava normal blogueiro fazer críticas. Hoje, não! É “ódio”!

Bem diferente da “verdade” criada nos porões da Comunicação Estatal, Flávio Dino foi apenas o resultado do desgaste político do grupo Sarney e outros ingredientes que forçaram um desfecho favorável ao comunista, cito como exemplo, a fatídica decisão da ex-governadora não ter saído de cena para que a Assembléia Legislativa indicasse seu sucessor.

Por aí já observamos que não houve mudança, como prometido durante as campanhas de 2014, antes de Flávio Dino ser feito governador com a união de esforços, unidade política em torno de seu nome, e o maior ingrediente de todos: A verdadeira ojeriza que a população estava do grupo Sarney.

Não é de agora que acompanho a politica. Ainda em 2006, término do governo Zé Reinaldo, já atuava nas redes sociais em favor da chamada oposição. Através de meu primeiro blog combati contra a tirania que cassou o governador eleito da oposição, Jackson Lago, este sim, pôs fim ao regime ditatorial da antiga oligarquia.

Por falar em tirania, quem antes era amigo, rejeita por completo a gestão comunista do Maranhão. O motivo é obvio: Não mudaram o ciclo de oligarquias, Flávio Dino faz o mesmo do Sarney, um enganador.

Não entendo como alguns amigos da política, que me conhecem, dizem que ajo com “ódio” quando faço críticas aos governantes. Sempre fiz criticas, inclusive, eram até mais pesadas, sendo que os governantes não iam para as redes sociais se desculpar ou colocar a culpa de suas atitudes em blogueiros.

De lá para cá, sempre favorável à oposição, tinha livre acesso aos políticos que hoje estão trancafiados no Palácio e se defendem com o ódio que destilam contra quem tenta falar a verdade.

Que mudança. Com certeza, o Maranhão piorou. Um desastre.

 

 

 

Festa pobre: Na passarela do samba, o pior carnaval do Maranhão…

Quanta pobreza, até parece que o carnaval de 2017, passará na avenida sob a trilha sonora da Gal Costa, que diz: “Não me convidaram pra essa festa pobre…”

Não adianta dizer que os “inimigos torcem contra”, afinal, usar uma bandeira de plástico para enfeitar um carnaval de rua é inédito de tanto mal gosto.

Abaixo, a imagem da “crise”. Créditos da foto: Blog do Davi Max.

 

Comunistas não explicaram…

O deputado federal (doido pra ser senador) Weverton Rocha (PDT), vai, enfim, explicar os alugueis das emissoras de Edinho Lobão?

Até pouco tempo, os comunistas incriminavam o empresário Edinho Lobão, dono do complexo de comunicação de mais de 20 emissoras (Rádios AM, FM, e TVs). Mas, deixaram de incriminar para “contemplar” financeiramente.

Comunistas não explicaram I

As emissoras de Edinho Lobão (Difusora) foram usadas para perseguir e atacar candidatos nas eleições de 2016, dando vitória para Edivaldo Holanda em São Luís, vivem atacando pretensos candidatos contrários ao Palácio dos Leões.

Atual dono da emissora manda detonar Zé Reinaldo:

Marrapá, nos blogues subalternos ao primeiro ministro comunista, a linha editorial é só perseguição a Zé Reinaldo, Roberto Rocha, Eduardo Braide, Wellington do Curso, “irmãzinha maluquinha”, etc…

Confira abaixo uma recente postagem tentando colar a imagem de Zé Reinaldo com o grupo Sarney:

Cadê a transparência, Sr. Governador da Mudança?

Até agora, nem o governador Flávio Dino, nem seu primeiro ministro, que usaram e abusaram das estruturas públicas durante as eleições de 2016 para elegerem, com expressivo uso do programa de Governo, o Mais Asfalto, seu pupilo, Edivaldo Holanda Jr. na capital.

Cadê a transparência, Sr. Governador da Mudança? I

Flávio Dino, com medo de sua baixa popularidade, busca criar, na cara de pau, sua própria verdade, usando, também, as estruturas públicas da comunicação do governo para “maquiar” as transações espúrias que existem no governo comunista.

Cadê a transparência, Sr. Governador da Mudança? II

Se por um lado, o grupo Sarney usou e abusou da Comunicação do governo, na gestão de Roseana Sarney, por 4 mandatos, sendo que nesse tempo, à época, tudo era taxado de absurdo, pelo próprio  secretário Marcio Jerry, o primeiro ministro comunista, que prometeu “revolucionar” prometendo uma tal de “comunicação democrática”, mas, ao assumir a comunicação estatal, faz igual (ou pior) que Roseana Sarney,  hoje em dia.

Cadê a transparência, Sr. Governador da Mudança? III

O mistério permanece: Comunistas compraram ou não a TV Difusora?

Abaixo, um trecho retirado de um blog, que mostra como a população do Maranhão quer saber, quer uma resposta ao grande mistério que ronda as emissoras do comunismo:

 

Temer “golpeia” Dino…

Pra quem ainda tem dúvidas que o primeiro ministro comunista criou uma linha editorial que vai de blogues a jornais impressos, confira abaixo:

Viram o mimimi da galera comunista, reclamando que o Maranhão foi excluído por causa de Flávio Dino? Pareceu chororô de perdedor. Até blogueiros palacianos estão chorando o leite derramado: Mas não era o Temer “golpista”?

Jerry desarticulou:

Viram aí o governador Flávio Dino desesperado, correndo atrás de sua releição quando deveria se preocupar em governar de verdade?

Os comunistas não conseguem esconder o medo de Roseana Sarney, que está na área. Como fizeram nas eleições de 2016, novamente os Leões vão ter que “comer muitas carnes” para o comunista ser reeleito.

Jerry desarticulou I

Articulação voltada para perseguir dá nisso.

O  jeito agora é tentar reverter o dificílimo quadro de rejeição,  não apenas dos eleitores, mas, da classe política. Os cofres do governo já começaram uma sangria descontrolada para contratar “aliados”, que vão desde políticos fichas sujas, pastores evangélicos, até pressionar pai de santo envolvido em esquemas de agiotagem.

Jerry desarticulou II

Abaixo, um pouco das redes sociais que mostram a desastrosa gestão Flávio Dino:

Comunistas não conseguem se posicionar de forma coerente, muito menos cumprirem com a palavra, tudo é no “gogó”:

Jerry tenta desesperadamente empurrar a “versão” da verdade criada por ele mesmo, como linha editorial da verdade. SQN!

Ninguém dá créditos a mentirosos:

Outra do Jerry, ao anunciar sua “verdade”, a versão palaciana nas redes sociais, mas, acabou sendo enquadrado:

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, acompanhado do vice, Eudes Sampaio, reuniu na manhã desta sexta-feira (10), secretários municipais, representantes das polícias, Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, e o líder do governo, vereador Professor Cristiano, para apresentação do planejamento do Carnaval e Lava Pratos 2017.

Durante o encontro, Luis Fernando destacou o decreto de n.º 1.220, de 31 de janeiro de 2017, que contempla todas as recomendações feitas pelo Ministério Público, sobre o carnaval, especialmente  nos cuidados com a questão da segurança, que é um fator prioritário.

“O Decreto atende as recomendações da Promotoria de Justiça Especializada de nosso município, e dispõe sobre a regulamentação e licenciamento dos eventos públicos, atividades de fiscalização, sob a competência do município, durante o período carnavalesco”, detalhou o prefeito, designando ainda uma comissão de secretários que deverá integrar a gestão do carnaval.

No total cerca de doze secretarias deverão integrar a força de trabalho para organização da edição do Carnaval e Lava Pratos. Para manter a segurança e a ordem durante as festas momescas, além da Guarda Municipal, a Prefeitura contará também com o reforço das policias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, SAMU e apoio do Conselho Tutelar.

De acordo com o comandante do 13º Batalhão de policia militar, cel. Alexandre Francisco, que participou da reunião, a segurança será rigorosa com o destacamento de cerca de 500 homens.

“Além da segurança para os dias do carnaval também destacaremos um efetivo maior de homens para garantir a tranquilidade durante o Lava Pratos além de 80 viaturas e motos que darão o suporte necessário”, garantiu.

A prefeitura ribamarense, por meio da Secretaria de Saúde, também disponibilizará serviços médicos de emergência durante a temporada pré carnavalesca, carnaval e pós carnaval.

Carnaval e Lava Pratos

Durante o encontro, o secretário adjunto da secretaria municipal de turismo, cultura, esporte e lazer, Paulo Leite, explicou como será a programação e o esquema adotado para os circuitos da folia no município.

“Esta é uma festa tradicional que precisa ser resgatada, principalmente para a população dos bairros distantes da sede. Este ano, além da Sede e Vilas, teremos circuitos em outros seis endereços distintos como: Parque Vitória; Matinha; Mata Grande; Vila Sarney Filho; Turiúba, e Nova Terra”, reiterou.

A 71ª edição do Carnaval do  Lava Pratos será realizada nos dias 04 e 05 de março no Parque Municipal do Folclore Therezinha Jansen, na orla marítima da sede da cidade.

 A falta de democracia dos comunista

O puxa saquismo dos blogueiros palacianos praticados hoje chega a ser ridículo. Como diria o Dr Peta: “SÓ MUITA BORRACHA”!!!

Mas é assim, quando um político chega ao poder esquece aquilo que fazia quando era oposição. A prova disso são os comunistas, que antes aplaudiam as cenas de violência no presidio de Pedrinhas,  que contribuíram para a vitória de Flávio Dino. Na época, era permitido fazer cobranças aos governos, hoje em dia, parece que não pode mais…

 A falta de democracia dos comunista I

Definitivamente fazer oposição é uma tarefa difícil no Maranhão. Qualquer um que tentar fazer cobranças, pedir transparências é logo chamado de fazer parte do grupo Sarney. Mas o que dizer quando a bancada da oposição tem parentesco com o grupo Sarney, no caso, a Andrea Murad, Sousa Neto e Edilázio Jr, e o próprio neto do Sarney, Adriano?

Eles vão ter que ficar calados por isso?

falta de democracia dos comunista II

Viram aí os “puxas” do Palácio dos Leões querendo colocar a culpa da greve do Espirito Santo no Sarney? Só porque a Andrea Murad e Sousa Neto cobraram “transparência” sobre os alugueis das viaturas da PM que foram alugadas com dinheiro tão alto que dava para comprar viaturas novas? Além disso, todos os impostos, como IPVA, vão para outros estados.

Os deputados estão corretos em cumprir seu papel de fiscalizar as contas públicas. Pior fazem aqueles que ficam calados, amordaçados, ou no caso, tem deputado na Assembleia Legislativa que está intimidado pelos atuais “donos do MA”.

falta de democracia dos comunista III

Abaixo, as imagens do antes e depois retiradas do mesmo blog:

Antes podia fiscalizar?

Dino e Jerry batiam palmas e tocavam foguetes quando vidas eram decapitadas em 2014…

Em 2014, quando nós (naquele tempo eu ainda estava no JP), fazíamos cobertura sobre os presídios maranhenses, falávamos sobre decapitações, a oposição batia palmas e comemorava. Aliás, grande parte da vitória de Flávio Dino nas eleições de 2014, deu-se pela campanha  publicitária contra Roseana Sarney, meses antes das eleições. Confira abaixo:

Imagem para os comunistas: 

Aqui no Maranhão atual tudo culpam o Sarney. Abaixo, deixarei uma imagem que mostra quem realmente é o grande culpado pelo caos nos presídios (dentro e fora). O presidente Lula, que governou com Sarney, mas é aliado da esquerda do governador Flávio Dino.

Mas isso os blogues alinhados aos comunistas não falam, pois preferem colocar a culpa em deputados que fazem seu papel de cobrar e fiscalizar.

O culpado:

Nota: a imagem foi enviada pelas redes sociais.

 

1 250 251 252 253 254 403