Browsing: Ricardo Santos

Deputado federal Pedro Lucas Fernandes disse que o seu partido pretende indicar o companheiro de chapa do atual presidente da Câmara Municipal.

O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) oficializou, neste sábado (14), apoio à pré-candidatura a prefeito de São Luís do presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT).

O anúncio foi feito por dirigentes da sigla durante evento político no qual foram empossados os novos presidentes do diretório municipal de São Luís e da JPTB, Paulo Casé e Yanna Kléper, respectivamente. Centenas de militantes participaram do ato, no qual ocorreram novas filiações.

“O PTB está unido. É um partido que tem representatividade na Câmara Municipal e, ano que vem, nós queremos triplicar. Também estamos fortes em todos as demais cidades do Maranhão e iremos, tenho certeza, fazer grande número de prefeitos e vereadores. Quero dizer ao presidente Osmar que o PTB está unido à sua pré-candidatura a prefeito de São Luís. O Osmar é o mais jovem presidente da Câmara; já mostrou uma gestão inovadora, participativa e moderna; e o Osmar conhece São Luís, conhece seus problemas, e sabe como resolvê-los. Ele sempre terá um parceiro em Brasília para ajuda-lo”, disse o deputado federal e presidente do diretório estadual petebista, Pedro Lucas Fernandes.

Fernandes explicou que a sigla, a partir de agora, promoverá uma agenda permanente de debate sobre temas de interesse da coletividade, como a mobilidade urbana. Disse que Osmar Filho estará engajado neste trabalho e aproveitou a oportunidade para confirmar que o PTB tem interesse em indicar um nome que comporá como vice na chapa encabeçada pelo pedetista.

Paulo Casé destacou a juventude e a vontade que o presidente da Câmara tem para trabalhar, ainda mais, por São Luís.

“O Osmar é um político que representa a juventude, uma nova forma de fazer política e de administrar. São por estas e outras qualidades que o PTB estará com ele neste projeto relacionado à Prefeitura”, comentou.

Presente no evento, Osmar Filho agradeceu as manifestações de apoio e carinho.

O pré-candidato confirmou que participará da agenda de diálogo do PTB objetivando uni-la a sua e, desta forma, construir um plano de governo coletivo para cidade.

“Agradeço à confiança dos filiados ao PTB, nas pessoas dos amigos Pedro Lucas, Paulo Casé e do ex-deputado Pedro Fernandes. Nossa pré-candidatura, como já disse em outras oportunidades, é um projeto coletivo, que está sendo construído desta forma, dialogando com o cidadão e com todos os agentes da classe política”.

Agência Assembleia

O município de Balsas sediou, nesta sexta-feira (13), no auditório da Unibalsas, a primeira edição do “Assembleia em Ação”, programa itinerante da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), com o objetivo de levar a atuação parlamentar aos quatro cantos do estado. O presidente da Alema, deputado Othelino Neto (PCdoB), acompanhado de vários parlamentares, fez a abertura do evento e a mediação da programação, que contou com palestras e debates sobre temas variados.

O “Assembleia em Ação” mobilizou a participação de prefeitos, vereadores e lideranças de dezenas de municípios da Região Sul do Maranhão. Os deputados estaduais Glalbert Cutrim (PDT), vice-presidente da Alema; Wellington do Curso (PSDB); Pastor Cavalcante (PROS); Rildo Amaral (Solidariedade); Dr. Yglésio (PDT); Felipe dos Pneus (PRTB); Ricardo Rios (PDT); Antônio Pereira (DEM) e Marco Aurélio (PCdoB) também participaram.

Othelino Neto destacou que a escolha da cidade de Balsas como anfitriã da primeira edição do programa levou em consideração a distância em relação à sede do Legislativo maranhense, bem como a sua importância para a economia do estado.

“Nós sentimos a necessidade de aproximar o Poder Legislativo, que é sediado em São Luís, do sul do Maranhão.  E a escolha da cidade de Balsas decorre de sua importância para o estado, para que essa região se sinta mais próxima da Assembleia Legislativa. É uma forma de mostrarmos aquilo que é produzido na Casa e que serve para todos, o que é decidido, as leis aprovadas, os requerimentos, as indicações, que  geram impactos na vida das pessoas”, afirmou o presidente da Alema.

O prefeito de Balsas, Erik Silva, agradeceu à Assembleia Legislativa e ao presidente Othelino Neto por levarem o Legislativo ao sul do Maranhão e parabenizou pela iniciativa de promover essa aproximação com as regiões do estado.

“Agradeço a Assembleia e o presidente Othelino por ter escolhido Balsas para ser a primeira cidade a receber essa ação tão importante, bem como prefeitos e vereadores, que vieram participar. Nós temos um agronegócio muito forte, isso fruto das terras férteis da nossa região e, também, graças aos empreendedores do agronegócio e dos agricultores que transformaram Balsas em um celeiro do Maranhão”, disse.

“Nós não poderíamos ter um momento mais oportuno para iniciar esse debate e manter esse diálogo, haja vista que estamos há um ano do processo eleitoral e ainda são muitas as incertezas referentes às alterações das leis eleitorais e vários outros temas que foram abordados. Nós, de Balsas e do sul do Maranhão, só temos a agradecer por a Assembleia Legislativa iniciar esse processo pela nossa região”, completou Moisés Coelho, presidente da Câmara de Vereadores de Balsas.

Troca de experiências

A programação contou com palestras sobre processo legislativo, mudanças na legislação eleitoral e Reforma da Previdência. Após as explanações, os participantes fizeram perguntas e expuseram as demandas da região.

“Nosso objetivo é levar informação, conhecimento, tecnologia, possibilitando que os vereadores exerçam seu mandato de maneira mais tranquila e com maior competência e produtividade”, assinalou Bráulio Martins, diretor-geral da Mesa Diretora da Alema e um dos palestrantes.

Asaf Sobrinho, presidente da Associação dos Vereadores do Maranhão, disse que a aproximação entre os Legislativos estadual e municipal só tem a beneficiar a população. “Hoje, Balsas, certamente, está muito satisfeita por ser a primeira regional a receber o ‘Assembleia em Ação’. Nossa gratidão é muito grande por a Assembleia entender a necessidade de aproximar os trabalhos da comunidade. Certamente, os vereadores e prefeitos que estão aqui presentes, em grande número, têm muito a contribuir e aprender”.

“É uma atitude muito nobre do deputado Othelino Neto. Quanto mais nos aproximarmos e estivermos unidos, mais poderemos fazer pelo Maranhão”, declarou Mayra Guimarães, prefeita de Nova Iorque do Maranhão.

“Pela primeira vez na nossa região sul, a Assembleia vem buscar esse diálogo. Isso é muito importante e tem um grande significado. Parabenizo a Assembleia Legislativa e o presidente Othelino Neto pela iniciativa”, completou o prefeito de Riachão, Joab Santos.

Democracia sem atitude é igual tentar prender o vento.

Uma comparação se faz necessária: antes do fatídico ano de 2014, duma eleição derrotada para si própria, Flávio Dino venceu o Sarneysismo e ascendeu na política criticando outros políticos e prometendo fazer diferente, caso eleito.

Como fez José Sarney, Vitorino Freire, oligarcas da políticalha rasteira, Flávio Dino (Dinismo) vai escrevendo a cada dia com tristes atitudes sua breve história na política do Maranhão. Vamos ao caso recente:

Dinistas sofrem constantes estragos nas redes sociais…

Deixo essa tirada do blog do Marco Déça, para reflexão sobre aquilo que ainda assistiremos até o próximo ano, das estocadas dadas pelo grupo dinista em aliados próximos.

Como fez José Sarney, Vitorino Freire, oligarcas da políticalha rasteira, Flávio Dino (Dinismo) vai escrevendo a cada dia, com tristes atitudes, sua breve história na política do Maranhão.

O bom dos tempos atuais, dessa era tecnológica, é que todos observam a falta de democracia em tempo recorde.

A primeira tragédia:

Vale lembrar que a vitória de Flávio Dino, em outubro de 2014, se deu pela unidade de grupos, mas logo após o primeiro turno da eleição, tratou de passar para trás todos seus aliados, inclusive no segundo turno, deu logo um pé na bunda de Aécio Neves, sem o qual não teria vencido as eleições, pulando para o palanque de Dilma, que era apoiada pelo grupo Sarney e não queria ouvir falar de Flávio Dino.

A ideia de uma oligarquia construída a partir de uma legenda na capital dominada por Flávio Dino já ganhou o imaginário do eleitor ludovicense.

Desde 2014, Dinistas vivem “desarticulando” aliados vistos como “possíveis adversários”, uma paranoia baseada na figura do líder comunista Josef Stalin, da qual Dinistas demostraram que são apreciadores.

O problema disso é que a mascara de “democrata”  sempre cai a cada vez que fazem  aliados sentirem o peso da mão de ferro da elite comunista (stabelichment ), de tantos casos que faltou aquilo que pregava, a democracia.

Democracia ao vento, Dino não conseguirá manter seu grupo (oligarquia da capital) por muito tempo, a contar de agora, até 2020. Que o mal não demore muito a cair.

Até lá, façam boas reflexões.

Debate foi promovido pela CNT, com empresários e economistas, e a participação dos autores e relatores das propostas que tramitam no Congresso Nacional

senador do PSDB disse que essa discussão não tem cor partidária e visa o Brasil

O relator da Reforma Tributária, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), defendeu nessa quarta-feira, em debate com empresários do setor do transporte, o novo modelo de sistema tributário brasileiro que está sendo discutido pelo no Senado Federal. O parlamentar maranhense foi um dos palestrantes do Fórum de Debates “O que esperar da Reforma Tributária? Impactos das Propostas para o Transporte”, promovido pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), na sede da entidade, em Brasília. Entre os palestrantes convidados, estavam os autores das propostas de Reforma Tributária que estão sendo analisadas no Senado (o ex-deputado federal Luiz Carlos Hauly) e na Câmara dos Deputados (Bernard Appy, economista e diretor do Centro de Cidadania Fiscal), e os dois relatores da reforma: Roberto Rocha (Senado) e deputado Aguinaldo Ribeiro (Câmara).

DESIDEOLOGIZAÇÃO

“As duas propostas, me parece, têm o mesmo chassi. O que muda é a carroceria. Na verdade, essa reforma é uma potência que vai gerar na economia do País”, disse Rocha. O senador do PSDB disse que essa discussão não tem cor partidária e visa o Brasil. “Acho que deve haver desideologização no Executivo. Isso é uma matéria de Estado, não é de governo. Não estamos legislando para nós, para o Bolsonaro, mas para o País. Nós todos somos brasileiros. Está correto que pelo menos nessa matéria a gente tenha um jejum ideológico”, declarou, concordando com algumas colocações feitas pelo relator da matéria, na Câmara, Aguinaldo Ribeiro.

“A ideologia no Executivo é a imbecilização da política. Não existe. A gente pode até admitir no Parlamento, sobretudo na Câmara, que representa segmentos. No Senado é mais majoritário. Mas no Executivo não dá, pois além de majoritário, tem que executar, fazer entregas a cada dia”, disse Roberto Rocha “E como se faz entregas – saúde, educação, segurança? Se tiver dinheiro. E a União, estados e municípios perderam a capacidade de investimentos. É de algum tempo que os estados só fazem investimentos com dinheiro de empréstimos. Na formação das despesas você tem pessoal, custeio, dívidas e investimento. Não tem mais para investimento. E os estados querem mais dinheiro emprestado, mais dívidas, e que a União seja avalista”, afirmou o senador.

EQUILÍBRIO E JUSTIÇA SOCIAL

O parlamentar maranhense revelou, ainda, que hoje, 50% da arrecadação tributária vão para a Previdência, daqui a mais anos será 70%. E lembrou que “a reforma Previdência busca reequilibrar receitas/despesas por uma questão de sustentabilidade fiscal. Mas justiça social se faz com assistência tem que ter dinheiro. No Brasil a coisa se inverteu: não é o governo que sustenta as pessoas, mas as pessoas que sustentam o governo”. Roberto Rocha disse, também, que precisa melhorar o sentimento de brasilidade e cidadania. “Nessa matéria (Reforma Tributária) não tem esquerda ou direita, governo ou oposição. Estamos na mesma direção. Diverge-se num ponto aqui e acolá. Mas, na essência, estamos de acordo: não dá para tributar no consumo o tanto que faz. Temos muito mais convergência, que divergência”, destacou.

MUNICÍPIOS

O relator finalizou dizendo que a proposta que tramita no Senado será benéfica aos municípios. “Me parece que os que os estados querem é razoável. Quem mais se beneficia com a nossa proposta são os municípios, que é onde o povo mora. Vamos fazer com que o IPVA seja só para os municípios. O imposto causa morte vai ser arrecado pela União, mas será dos municípios. Então, os municípios terão um ganho de 30% na FPM”, concluiu. (Por Gil Maranhão do Jornal Pequeno)

“Eu morro em pé mas não ajoelho”, diz Astro de Ogum para “inimigos ocultos.

O vice-presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, vereador Astro de Ogum (PL), falou nesta manhã em coletiva de imprensa, logo após ter sido liberado da prisão, devido uma arma de fogo ter sido encontrada em sua residência pelos policiais da Seic, durante busca nesta manhã.

Astro diz ainda que muitos inimigos desejam tirá-lo das disputas que se aproximam, mas que permanecerá de pé. Confira no vídeo suas palavras:

Agência Assembleia

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), acompanhado do deputado Adelmo Soares (PCdoB) e presidentes de Assembleias Legislativas dos Estados do Nordeste, participou de reunião, nesta quarta-feira (11), no Senado Federal, em Brasília (DF), para discutir itens da Reforma da Previdência, que tramita na Câmara Alta do Congresso Nacional.

Othelino Neto e os presidente das Assembleias do Nordeste não assinaram o documento em apoio à PEC paralela da Previdência, proposto pela senadora Simone Tebet (MDS-MS), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

“Nós, representantes do Nordeste, fizemos algumas ressalvas e não assinamos o ofício em apoio à PEC paralela, pois entendemos que esse é um tema muito sensível e mantemos nossas ponderações sobre alguns pontos que consideramos prejudiciais para a população mais necessitada do Brasil e, em particular, do Nordeste”, enfatizou Othelino Neto, também presidente do Colegiado do ParlaNordeste.

“Nosso desejo, respeitando a prerrogativa do Congresso Nacional de decidir e legislar sobre a Previdência, é fazer com que entendam nossas posições e que , ao final, quando o Congresso deliberar de forma definitiva, que reconsidere alguns aspectos aprovados na Câmara, que nós consideramos que retira o caráter solidário da Previdência Pública do Brasil”, reafirmou Othelino, em seguida, durante reunião com o presidente do Senado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Para o deputado estadual Nelson Leal (PP- BA), presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, é preciso estar sempre atento aos novos passos da Previdência . “Esta é a Reforma que mais vai mexer com o dia a dia de toda a população. Por isso, sempre estamos vigilantes para que o povo brasileiro, principalmente nordestino, não seja prejudicado”, destacou.

O deputado estadual Adelmo Soares elogiou o posicionamento do presidente Othelino à frente das Assembleias do Nordeste. “Nosso presidente sempre muito bem articulado mostrou a liderança diante dos demais presidentes, fazendo importantes colocações. Mostrou que é a favor da Reforma, porém , ainda vai discutir com nossos pares o teor da PEC paralela. Tenho certeza de que esse é o caminho de participação efetiva do Nordeste, acima de tudo mostrando posição firme para o sul do Maranhão . É isso que nós queremos de um presidente, alguém que seja integrado politicamente e discernimento do papel que desempenha na AL”, disse.

O senador Weverton Rocha (PDT) falou sobre a importância dos presidentes estarem integrados à temática da Previdência. “Essa PEC reduz muitos direitos e diminui o valor agregado de trabalhadores que terão, no futuro, direito à aposentadoria. Menos dinheiro significa menos circulação e, consequentemente, menos renda no nosso país. Os presidentes das Assembleias se anteciparem e poderem vir aqui no Senado conversar conosco os envolvido é de grande valia para estarem sintonizados e também para se alertarem da gravidade que é o tema da Reforma da Previdenciária“, ressaltou.

No mesmo sentindo, avaliou o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), líder da oposição no Senado. “Não podemos aceitar Reforma Previdenciária que retire os direitos dos trabalhadores, que retire direitos conquistados historicamente pelo povo brasileiro e que amplie a desigualdade no Brasil”.

Por Felipe Mota

Neste momento, sob o comando do delegado Odilardo Muniz, titular do Departamento de Crimes Tecnológico – cumpre mandado de busca e apreensão na residência do vereador Astro de Ogum, vice presidente da Câmara Municipal de São Luís.

A investigação tem como alvo o funcionário Raimundo Costa, conhecido como “Filho”, suspeito de crime de extorsão.

O caso está sendo investigado há um ano, e foi decretado mandado de prisão preventiva em desfavor de Filho pelo juiz da Central de Inquerito- Flávio Roberto.

Em tempo: De forma irresponsável a notícia foi distorcida em alguns meios de comunicação, acusando até o parlamentar  de ter cometido o crime de pedofilia, meios de comunicação irresponsáveis   que não apuram os fatos só fazem que toda a comunicação  caiam em descrédito e em uma vala comum.

Falta do que fazer?

Mídia sulista lucrando alto com dinheiro dos pobres?

Flávio Dino tentando posar de “liderança” das esquerdas no Brasil, colocando-se como inimigo número um do presidente Bolsonaro, que está internado, não está nem aí para “paraíbas”, nem pensando em campanha eleitoral de 2020.

As eleições para presidente do Brasil só vão acontecer daqui a 4 anos, mas o comunista que vive viajando pelo Brasil, tentando aparecer na mídia sulista como quem “tirou o Maranhão do atraso e pobreza”, contando lorotas e mentiras, doido para se projetar como pré-candidato a presidente.

Alem de nada fazer pelo povo pobre e explorado do Maranhão, ainda mente na cara de pau para um poste:

Era só o que faltava, sem ter muito o que fazer no Maranhão, Flávio Dino resolveu viajar para São Paulo, com dinheiro dos pobres e explorados maranhenses, para “dar entrevistas” ao ex-prefeito de SP, Fernando Haddad do PT, que após sucessivas derrotas está sem mandato. Quanta insensatez.

Teve também a jornalista da Folha de SP, Mônica Bergamo, que vive entrevistando Flávio Dino a tira colo. Na última “entrevista”, chegou a dizer que Flávio Dino vai tentar impedir Bolsonaro nas eleições municipais de 2020, como se o presidente Bolsonaro quisesse ser candidato a prefeito de SP.

Viajando direto, deixando largado o pobre Maranhão, o comunista tenta posar de “liderança” das esquerdas no Brasil, colocando-se como inimigo número um de um presidente recém eleito, que está internado, não está nem aí para “paraíbas”, nem pensando em campanha eleitoral de 2020.

Na falta do que fazer,  o governador comunista poderia visitar Belágua ou Marajá do Sena, cidades consideradas mais pobres do Brasil, ou tantas outras das 217 cidades onde o povo passa necessidades básicas no esquecido e largado Maranhão. Mas Dino prefere “dar entrevistas”.

Quanta falta do que fazer, hein, governador?

COAF aponta 2,5 milhões de movimentações atípicas de marido de Glenn, mas extrema-imprensa ignora

Há quem diga que se a mesma investigação for realizada nas contas de Glenn, os valores encontrados serão bem maiores, estratosféricos.

Como deputado, na vaga provavelmente comprada do nefasto Jean Wyllys, Miranda recebe um salário de R$ 33,5 mil.

A assessoria de imprensa de Miranda disse que o cargo de deputado não é a sua única fonte de renda e que “as movimentações são compatíveis com sua renda familiar”. Segundo a equipe do parlamentar, os depósitos encontrados pelo Coaf vem de uma empresa de turismo da qual ele é sócio com o marido, Greenwald.

Ele declarou que participa da sociedade da Enzuli Management, nos Estados Unidos, e da Enzuli Viagens e Turismo, no Brasil, tendo 18,75% das ações da americana e 1% da brasileira.

Mentiroso contumaz, difícil de acreditar nessa conversa fiada. (Jornal da Cidade Online)

1 2 3 486