Mais escândalo no IEMA de Axixá: impunidade, perseguição e nepotismo rolam soltos na instituição

0

Por Daniel Matos

Desde que circulou um vídeo nas redes sociais onde a gestora Léa Paixão aparece cercada de alunos menores de idade do IEMA de Axixá, consumindo bebidas alcoólicas em um bar da cidade, ela iniciou uma caça às bruxas, implantado o terror dentro da instituição, chantageando servidores, ameaçando e mandando demitir funcionários e pressionando os pais e alunos envolvidos na farra.

Léa Paixão, gestora acusada de oferecer bebida alcoólica a alunos menores de idade

A matéria foi denunciada por blogs da capital e teve ampla repercussão no estado. Mesmo assim, a gestora nega o envolvimento e afirma que tudo não passa de um fake news.

Ora, amigos, o vídeo é claro e comprova os fatos. A exemplo disso, destaca-se a linha de pensamento do Ministério Público da comarca de Icatu, que, atendendo a uma denúncia do Conselho Tutelar da cidade de Axixá, está executando uma força-tarefa, com o apoio de outras autoridades competentes, para apurar os fatos. As investigações já iniciaram e, segundo apurou o blog, diversos artigos do ECA foram desrespeitados.

APOIO DO GOVERNO FLÁVIO DINO E DA PREFEITA DA CIDADE

Ao contrário do que a comunidade escolar e a cidade de Axixá esperava, Léa paixão afirma, em bom tom, que tem total apoio do governador Flávio Dino (PCdoB) e do reitor do Iema, Jhonata Almada. Com base nessa suposta proteção, a gestora já começou a sua vingança, pois conseguiu junto ao reitor a demissão da gestora pedagógica da instituição, a professora Célia, uma das denunciantes do caso em que se encontra a instituição, ou seja, para o governador, quem denuncia deve ser demitido e quem deveria ser investigado é premiado.

E na contramão do que prega o Governo do Estado, o reitor do IEMA contratou o filho da gestora, Victor Paixão, para o cargo de recepcionista do IEMA, como prêmio para sua impunidade, o brinde é o nepotismo.

Léa Paixão é professora do Município de Axixá e recebe seus vencimentos religiosamente todos os meses, sem colocar os pés na sala de aula da rede municipal de ensino. Além disso, emplacou seu filho, Léo Paixão, como uma espécie de faz tudo da Secretaria Municipal de Educação. Ou seja, é muito prestígio e impunidade junto às autoridades.

SUMIÇO DE DOCUMENTOS E OUTROS FATOS

Desde sua implantação do IEMA na cidade de Axixá, a gestão da instituição tem sido marcada por vários episódios negativos, a exemplo do uso de entorpecentes, assédios sexuais, festas regadas a bebidas alcoólicas, chegando até à prisão de um professor no prédio da escola, acusado de estelionato, fato sobre o qual o Conselho Tutelar já fez várias intervenções e denúncias junto ao Ministério Público. Acontece que, misteriosamente, a sede do Conselho Tutelar foi arrombada pelo telhado neste mês de agosto, embora nada de valor tenha sido roubado, a não ser documentos, entre os quais os papéis que fazem referências aos problemas do IEMA.

Contra Léa Paixão também pesa a questão de estar se beneficiando como bolsista de um curso de mestrado ministrado no prédio do IEMA de Axixá.

Com a palavra as autoridades citadas.

Os comentários estão desativados.