Monthly Archives: julho, 2019

A importância da prefeitura de uma capital não estar aparelhada pelo comunismo.

Lá vem eles te pedir votos. O chefe do comunismo imitando a velha politicagem do Sarney.

No “Kremlin”  da Pedro II, o chefe comunista, tuiteiro, vive iniciando obras que nunca termina. Em tudo tentar mostrar os seus pré-candidatos.

De como Holandinha se deixou cegar pela chefe do Lulo-comunismo, que à época queria tomar a prefeitura da capital para, em 2014, ter a garantia de sair candidato a governador montado numa estrutura sólida e ganhar as eleições.

Prioridade do prefeito Holandinha foi em politicagem (enganar eleitor), ou melhorar a vida da população?

O ano era 2012, o novato prometia “tirar do atraso” a capital do Maranhão, mas tudo que se viu, a exatos 7 anos, foi uma “lotação” nas estruturas públicas municipais de aliados do lulo-comunismo, sem deixar a estrutura gigantesca de uma capital progredir, o mesmo que deixar o plano de “restauração” e dar continuação à mentalidade do atraso, por aqui conhecida como “fazer politicagem” ao invés de obras em benefícios da população.

Em sete anos, várias creches prometidas deixaram de existir. Em sete anos, um VLT apodrece num galpão. Em sete anos uma maternidade agoniza para sair da fundação no bairro da Cidade Operária. Em sete anos, um Hospital da Criança no bairro da Alemanha se arrasta a passos de jabuti.

Lá vem eles te pedir votos.

Lá vem eles querendo tomar as prefeituras. PCdoB de Flávio Dino foi o partido que mais cresceu em sete anos em todo o Maranhão. Enquanto tem cidades pobres que sequer tem esgotos, água encanada, ruas pavimentadas, mas tem um partido politico.

Progresso?

Assim foi feito em 7 anos, de lá para cá, o prefeito Holandinha saiu da antiga legenda que ajudou a construir, o PTC, e passou para o PDT de Weverton Rocha, que depois de 7 anos, foi feito senador nas eleição de 2018. É pra isso que serve uma prefeitura?

Lá vem eles te pedir votos. O chefe do comunismo imitando a velha politicagem do Sarney.

Entendem porque investem tanto em eleição?

Entenderam pra que serve seu voto?

Entenderam para que servem as estruturas públicas duma capital?

Até quando povo?

 

Por DANIEL SANTOS

O blog do Daniel Santos, denunciou a poucos dias um possível esquema de desvio de recursos, na areá da saúde do município de Pinheiro. Ao todo 33 milhões de reais podem terem sido desviados, através de uma empresa que presta serviços médicos no município.

Fontes informaram ao blog, que assim que os vereadores voltarem do recesso, essa denúncia será acatada por eles, e os mesmos podem pedir o afastamento do prefeito Luciano Genésio.

Reveja a matéria que mostra documentos, e contratos com a empresa ADM médica.

O prefeito Luciano Genésio terá que prestar esclarecimentos a Polícia Federal e ao Ministério Público do Maranhão por conta da contratação de uma empresa que presta serviços médicos ao município de Pinheiro. A atual gestão contratou por um ano pelo valor de R$33 milhões, a empresa ADM Médica, que também já é investigada por contratos semelhantes nas cidades de Codó e Coroatá.

Acontece que o contrato celebrado entre a Prefeitura de Pinheiro e ADM Médica ocorreu com dispensa de licitação, o que traz muitas suspeitas. Em consulta ao Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, a empresa mantém um padrão de contrato a várias prefeituras para “fugir” das licitações.O mesmo contrato celebrado por dois anos na cidade de Coroatá, foi assinado na cidade de Pinheiro, ou seja, não houve nenhuma modificação em clausula alguma do contrato, o que eleva a suspeita.

A ADM Médica prestará serviços básicos de saúde como atendimento médico e ambulatorial no período de 12 meses na rede municipal.

Diante dessa situação, uma Notícia Fato foi apresentada ao Grupo de Atuação e Repressão ao Crime Organizado no Maranhão (Gaeco), órgão do Ministério Público e também a Superintendência da Polícia Federal do Maranhão.

A ADM Médica é de propriedade do casal Victor Hugo Pinho da Silva Pereira e Samira Raquel Martins da Silva, ambos mantém parentesco com a esposa do médico Josué Pinho da Silva Júnior, conhecido como Dr Júnior, o qual foi candidato a prefeito em Peritoró em 2016 e apoiou a candidatura de deputada estadual de Dra Thaiza Hortegal, ex-esposa do prefeito Luciano Genésio.

Chama atenção ainda que no corpo técnico da ADM Médica está o próprio Dr Júnior, que é escalado para trabalhar pela empresa, assim como também o médico Dr Kaio Aguiar Hortegal, irmão da deputada Dra Thaiza Hortegal e naturalmente cunhado do prefeito Luciano Genésio até a presentada data da celebração do contrato que ocorreu em 2017.

https://kelsonvinicius.com.br/arquivos/DENUNCIA-POLICIA-FEDERAL-LUCIANO%20GENESIO-E-ADM-MEDICA.pdf

https://kelsonvinicius.com.br/arquivos/DENuNCIA-GAECO-LUCIANO%20GENESIO-E-ADM%20MEDICA.pdf

A obra será um espaço para que os produtores da região comercializem seus produtos. Em vídeo, nas redes sociais, a prefeita agradeceu pelos recursos.

Na última quinta-feira,11, foi assinado o convênio entre a prefeitura de Vitoria do Mearim e a Codevasf para a construção da Praça do Produtor no município. Os recursos, que aguardam liberação do Governo Federal, foram viabilizados por uma emenda do senador Roberto Rocha, no valor de 760 mil reais.

A obra será construída Rodovia BR-222, na altura do km 40, e contara com estrutura adequada para que os produtores da região possam comercializar seus produtos de forma segura e higiênica. Em vídeo, nas redes sociais, a prefeita agradeceu pelos recursos que vão possibilitar a obra.

A Praça do Produtor e um anseio antigo dos trabalhadores rurais do município. E o que afirma a prefeita Dídima Coelho: “A Praça do Produtor é uma demanda antiga e vai fortalecer as comunidades e associações de pequenos produtores rurais, gerando mais renda e inclusão produtiva”, destacou a prefeita Dídima Coelho, que agradeceu o senador por mais uma ação em benefício do município. “Agradeço ao senador Roberto Rocha que está sempre atento às necessidades de Vitória e tem trabalhado junto conosco para proporcionar melhorias aos vitorienses”, destacou. Confira no vídeo:

Fascismos, desespero comunista?

Cara de pau: Aliados de Flávio Dino queriam mandar até nos cargos federais?

Pra inicio de conversa, qual o problema de tirar adversários das estruturas do governo federal para colocar gente de confiança, que não se submete aos adversários?

Comunistas sentiram o golpe e passaram a atacar Bolsonaro. Ora, quem ocupa cargos de confiança do governo federal precisa ser aliado do presidente. Qual o problema, então?

Nas emissoras alugadas (ou compradas e pagas, ninguém sabe ao certo) pelos comunistas,  uma nova polêmica foi criada para atacar Bolsonaro: um sobrinho do presidente, segundo uma entrevista da Folha de SP, teria sondado os ocupantes do governo federal, após a saída do ex-presidente Michel Temer.

Cargos de confiança precisam ser ocupados por aliados e não “vira-casacas”.

Duro golpe nos comunistas enrustidos: cargos do governo federal deverão ser de aliados de Bolsonaro e não de “vira casacas”…

E os grampos nos telefones de adversários de Flávio Dino?

Pelo visto a agenda do presidente Jair Bolsonaro no Maranhão, anunciada recentemente, já começou causar desconfortos no chefe do comunismo, que despeja a maquina pública em mídias para aparecer como pré-candidato a presidente.

Nas emissoras do comunismo, fala-se de tudo para atacar os adversários do presidente do Brasil, de filhos, sobrinho, só não se fala, por exemplo, dos “grampos” ilegais praticados pelo governo comunista, segundo delação de delegados, que foram ouvidos na Câmara dos Deputados.

O último sábado (13) foi mais um dia de atenção especial à saúde em São José de Ribamar. Por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a Prefeitura realizou mutirão de cirurgias eletivas no Hospital Municipal e na  Unidade Básica de Saúde do São Raimundo, de exames preventivos.

Prefeito Eudes Sampaio na UBS do São Raimundo

Presente no início dos trabalhos, o prefeito Eudes Sampaio pode conferir o atendimento aos pacientes e aproveitou para verificar o funcionamento do hospital e da maternidade municipal.

Durante a visita, Eudes Sampaio fiscalizou diversos serviços, passou por alas da enfermaria e do hospital e da maternidade e cobrou ações efetivas para melhorias no atendimento prestado à população. Acompanhado do secretário municipal de saúde, Tiago Fernandes, o prefeito conversou com pacientes e acompanhantes e orientou funcionários e equipe médica, afirmando o compromisso da gestão municipal em se fazer presente em todas as áreas onde as políticas públicas são mais necessárias.

“No último ano investimos até mais do que é obrigado por lei porque entendemos que essa é uma área de alta prioridade por lidar com vidas, com a saúde das pessoas. Trata-se de uma condição que não dá pra esperar e que o gestor não tem como não se preocupar com a qualidade. E é isso que estamos fazendo”, disse o prefeito.

Durante o mês de julho, o mutirão de cirurgias eletivas que ocorrerão aos sábados, nos dias 13, 20 e 27, atenderá uma grande quantidade de pacientes que já compõem a lista de espera, sendo que todos os procedimentos são marcados antecipadamente e os pacientes comunicados.

O objetivo dessas ações é potencializar o número de procedimentos, agilizando a fila de espera de pacientes e garantindo maior qualidade na saúde. O sistema de saúde municipal é pioneiro na efetivação desse tipo de procedimento de pequena e média complexidade, permitindo maior conforto aos pacientes que não precisam serem transferidos para unidades de alta complexidade na capital.

Para Christyellen Castro (12 anos), que passou por um procedimento para a retirada de um cisto, o processo não poderia ter sido melhor. Ela diz que desde a consulta com o médico até a cirurgia tudo ocorreu de forma rápida e sempre com cuidado e até não de toda a equipe de saúde. “Foi tudo muito rápido e tranquilo. Eu fiz a consulta com o médico e fui logo encaminhada para a cirurgia. Eu sentia muita dor e agora sei que vou melhorar. Gostei bastante do atendimento que recebi”.

Segundo a mãe de Christyellen, Cíntia Cristina, a realização dos mutirões é efetivamente benéfica para os pacientes que aguardam para realizar procedimentos que podem ter resultados significativos em suas vidas. “A cirurgia foi ótima, o atendimento muito bom, tanto na consulta quanto na cirurgia. É muito bom quando tem mutirões como esse, pois as pessoas podem fazer essas cirurgias pequenas e que estão esperando. Mesmo que sejam coisas pequenas, prejudicam no dia a dia, e com a cirurgia ela não vai mais sentir isso”.

Do hospital municipal, o prefeito Eudes Sampaio seguiu para a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro São Raimundo onde estava sendo realizado outro mutirão: de exames preventivos, que teve como propósito principal promover a saúde de prevenção das mulheres ribamarenses através do acompanhamento médico adequado e orientação sobre doenças sexualmente transmissíveis, bem como distribuição de material informativo, preservativos entre outras ações.

Robin Hood às avessas ataca outra vez.

Inciando a semana mostrando a terrível forma do populismo barato que sai caro ao povo. Flávio Dino imita seu ícone, o ex-presidente Lula, do PT, que enganou o povo pobre em troca de migalhas durante vários anos até ser preso por crimes de lesa-pátria.

A última vítima do comunismo, que tanta a todo custa se propagar às custas de gente de boa fé, como neste caso, dum talentoso garoto pobre, que fez um vídeo tocando latas e panelas velhas, e acabou viralizou nas redes sociais, ganhando destaque nacional.

Enquanto tira dos pobres, deixando-os mais pobres ainda, o chefe do comunismo maranhense tenta passar a todo custo uma imagem de “bom samaritano”, quando na verdade, explora ainda mais a pobreza do povo do Maranhão, distribuindo “bondade” enquanto aumenta impostos.

Foi justamente bem aí que o “Robin Hood às avessas” resolveu atacar, mandando publicar nas redes sociais a doação de um instrumento musical ao garoto baterista, na clara intenção de ganhar visibilidade.

Nada contra a atitude louvavel, de ajudar, quando feita sem intenção midiática, que não foi a caso de quem vive querendo aparecer na mídia dia mesmo que visivelmente forçando a barra.

Confira abaixo:

Parecia que não ia dar certo novamente. Só entre 1986 e 1991, seis planos econômicos – Cruzado 1 e 2; Bresser; Verão e Collor 1 e 2 – tinham falhado na tarefa, que parecia impossível, de domar a inflação.

Mas dessa vez – para a grande fortuna dos brasileiros – foi diferente.

Em primeiro de julho de 1994 entrou em circulação a nova moeda, o real, e o descontrole inflacionário foi superado. À época, tanto o PT quanto Bolsonaro votaram contra o Plano Real, e quando essas duas forças políticas – aparentemente antagônicas – são contra uma ideia é um sinal inequívoco de que se trata de uma excelente proposta.

A inflação – o aumento persistente e generalizado dos preços – provoca desarranjos severos para uma sociedade. As pessoas e as empresas perdem a capacidade de planejamento e organização, pois não sabem como estarão os custos dos produtos nos meses seguintes. Dessa forma, investimentos e aquisição de bens mais caros são adiados, prejudicando o crescimento econômico.

Antes do Real, para tentar escapar da subida diária dos preços, as pessoas compravam rapidamente tudo que precisavam, assim que recebiam os salários. Buscavam promoções, estocavam alimentos, que vez por outra estragavam. O drama cotidiano, era sair para comprar gêneros básicos – alimentos, medicamentos e combustíveis – e não se saber quanto iria pagar por eles.

Os pobres eram sempre os mais prejudicados, pois não tinham acesso às aplicações bancárias para se proteger da escalada do custo de vida, e viam seus rendimentos perderem o valor rapidamente – por isso a inflação é chamada de “imposto dos pobres”. Os mais ricos e as empresas tinham como suavizar as perdas, mediante investimentos financeiros, como o “overnight”, que recuperavam, em parte, a desvalorização da moeda. O governo também conseguia se defender da inflação, pois a maioria da arrecadação de impostos era protegida por indexadores, que garantiam o valor real de suas receitas.

O Plano Real foi elaborado na presidência de Itamar Franco, tendo liderado o projeto o então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso – o quarto ministro da área em sete meses de governo – que arregimentou uma equipe de brilhantes economistas. Entre eles: Pérsio Arida, André Lara Resende, Edmar Bacha, Gustavo Franco, Pedro Malan e Winston Fritsch, que tiveram, entre outros méritos, terem trabalhado em planos econômicos anteriores, e assim, aprendido com o insucesso desses.

Uma das grandes virtudes do Real, foi a criação da Unidade Real de Valor (URV) – mecanismo originado de artigo científico de André Lara Resende e Pérsio Arida, “Inflação inercial e reforma monetária no Brasil” (1985). A URV foi uma referência monetária virtual, atrelada à cotação do dólar, e para a qual convergiam todos os preços ainda expressos na então moeda, o cruzeiro real. De tal modo, paulatinamente a URV foi capaz de apagar a memória inflacionária sedimentada por décadas na população brasileira. Em 1º de julho de 1994, 2.750 cruzeiros reais correspondiam a uma URV, que passou a valer um real – a nova moeda – que equivalia a um dólar.

Além da URV e do lançamento da nova moeda, outra etapa importante do Plano Real foi a instituição do Fundo Social de Emergência (FSE), que ajudou a equilibrar as contas públicas. Uma das chaves para o sucesso do Real foi a transparência na comunicação. Assim, diferentemente das tentativas anteriores, a sociedade – ressabiada por congelamentos e bloqueios de aplicações – era avisada antecipadamente das próximas medidas que iriam ser implantadas. Procedimento que angariou apoio popular e da mídia.

Porém, o Plano Real foi bem mais amplo, envolvendo ações que ajudaram a redesenhar o Estado brasileiro, entre elas: o controle dos gastos públicos, a renegociação da dívida externa, a privatização de bancos e empresas estatais, a repactuação das dívidas estaduais e o monitoramento, pelo Governo Federal, dos orçamentos dos estados, e culminou com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal/LRF (2000) – um marco cabal na busca pelo vital equilíbrio das contas públicas.

Lembra-se, que tanto o PT quanto o PCdoB foram contra a adoção da LRF.  Tal postura já prenunciava as dificuldades que estas siglas têm em conviver com o equilíbrio fiscal. Visto o exemplo das “pedadas fiscais” da ex-presidente Dilma, ou o desmantelamento do Fepa e as noticiadas transferências indevidas de recursos da EMAP para o cofre estadual, no governo Flávio Dino.

O conjunto de ações do Plano Real alçou o Brasil ao patamar civilizatório do mundo econômico. Por si só, a contenção da inflação, que caiu de assombrosos 2.477% em 1993, para admiráveis 3,75% em 2018, possibilitou a remoção de dezenas de milhões de brasileiros da pobreza. As privatizações, a responsabilidade fiscal e a atuação independente do Banco Central, foram esteios indispensáveis para o crescimento verificado nos anos 2000 – isto não se deve olvidar em nenhum momento.

O Plano Real e suas lições deveriam estar mais vivos do que nunca, pois foi só esquecermos algumas delas nos mandatos petistas, especialmente a disciplina fiscal e o funcionamento insubmisso do Bacen, para que retornássemos décadas no tempo, com as agruras vividas hoje – déficit e endividamento público descontrolados, desemprego elevado e persistente e uma crise longa e ainda sem perspectiva de solução.

*Doutorando em Administração, Mestre em Economia e Economista ([email protected])

No Dia Internacional do Rock, o som hard core da banda Cólera! Uma das mais importantes bandas de rock de São Paulo, o Cólera, com letras de protestos voltadas para a nossa juventude.

 

TJMA nega habeas corpus ao vereador de Vitória do Mearim Oziel Gomes da Silva.

Mesmo sendo afastado, o vereador Oziel Gomes, queria, por força de um HC, participar das sessões da Câmara, talvez na tentativa infeliz de legislar em seu favor, decisão errada e considerada “burra” pela sociedade vitoriense. Segue o caso.

O vereador Oziel Gomes da Silva entrega o grupo dos setes vereadores de Vitória do Mearim que tiveram a prisão provisória decreta por extorsão, quando tentaram instalar uma CPI na área de saúde do município e extorquir a prefeita para que desse fim ao procedimento.

Apesar da soltura, o Gaeco e o Ministério Público deram continuidade às investigações, além da Justiça em dar provimento ao processo.

Pior para o vereador, pois as investigações da Polícia Civil acabaram descobrindo que o vereador Oziel, após ser preso por tentativa de extorsão, vendia armas e munições para quadrilhas criminosas, com isso sua prisão foi decretada.

O vereador ingressou com um habeas corpus, porém foi negado, ontem (11), pelo desembargador José Luís Oliveira de Almeida, conforme decisão abaixo:

(Informações do Blog do Caio Hostílio)

 

1 2 3 6