Decepção na Assembleia: deputados negam pedido de transparência…

0

Transparência zero:

Não passa nada na Assembleia. Os primeiros atos de conivência e subserviência já foram sentindos nesta segunda semana da “nova legislatura” de 2019, que traz, novamente, nada de novidade.

Era apena um pedido um de informações, mas os novos deputados preferiram agir como os velhos de sempre, e, impediram que a população saiba a verdade, e comprove que há algo seriamente podre no governo que diz ser da “mudança”.

Abaixo, trecho do blog Atual7:

No primeiro teste sobre como atuarão ao longo do mandato diante de temas de interesse da população, mas contrários aos do Palácio dos Leões, todos os deputados novatos da 19ª legislatura, presentes na sessão desta terça-feira 12, votaram contra o pedido de informações sobre o Escola Digna, principal programa da anterior e da atual gestão de Flávio Dino (PCdoB).

O requerimento foi apresentado pelo deputado Wellington do Curso (PSDB), solicitando, dentre outras coisas, a relação das 830 unidades que o governo diz ter reformado, construído ou reconstruído, detalhando que tipo de ação foi feita em cada.

Embora eleitos sob o discurso de independência e de representantes da nova forma de fazer política, todos os parlamentares novatos presentes na sessão se juntaram aos ditos da velha política e, seguindo o encaminhamento do líder do governo, deputado Rafael Leitoa (PDT), mantiveram o indeferimento da Mesa Diretora da Casa. A votação terminou em 33 contrários à solicitação de informação sobre o Escola Digna e apenas dois favoráveis.

Até mesmo o ex-presidente do Procon, Duarte Júnior (PCdoB), que fez forte campanha eleitoral prometendo ser diferente no Parlamento, que afirmou não ter o direito de errar, e que logo na primeira sessão provocou um acalorado debate moralista com o deputado César Pires (PV), foi contrário à transparência pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.