Me desculpe, Marcos, e o histórico da Rádio Timbiras?

0

Essa turma da imprensa pintada de vermelha anda meio nervosa, não conseguem relevar criticas feitas aos seus veículos de comunicação,  mas quando é para se encontrar e dar “tapinhas nas costas” , trocar “sorrisos amarelos” nos blocos da imprensa , falar mal dos donos da Mirante etc, tá valendo.

Apenas uma critica construtiva feita ao triste histórico de uma rádio que tomou víeis ideológico rende inimizade.

A questão é: Flávio Dino prometeu mudanças, fazer diferente do Sarney, mas esqueceu sua principal promessa? Quando a rádio estatal vai ouvir seus senadores, seus deputados? O senador Roberto, o deputado Wellington, por exemplo, até hoje esperam. Só os governistas são ouvidos pela rádio bancada pelos cofres do estado?

Usar uma rádio estatal para personalismo é continuísmo do atraso.

Os colegas devem deixar de agir como a turma antiga, que usava muita verba para manter a pose de serem “donos” e não funcionários, e bancavam farturas usando veículos de comunicação com seus personalismos.

O Histórico da Rádio Timbiras merece destaque de quem passou, e dos que ainda fazem um trabalho de elevar nosso estado, não desmereço, não desconheço.

Ao colega historiador, comunicador, meu sincero reconhecimento.

Só lamento que o assunto não rendeu uma boa discussão, não comoveu os diretores, não cumpriu sua importante tarefa que é valorizar de verdade uma rádio estatal, que deveria ser usada pelos políticos de mandatos do Maranhão, mas, até hoje só serviu para que o grupo do governador se “esbalde” em elogios patronais.

Ao amigo historiador cabe um pedido de desculpa por ter entrado na sua página, em seu “insta”, quando tentei fazer uma critica ao estilo “personalista” que a antiga rádio, de reconhecido histórico do Maranhão, ainda insiste em propagar o inquilino do palácio, e não seus verdadeiros donos, o Povo do Maranhão.

Abaixo, trecho da critica ao personalismo atual:

Os comentários estão desativados.