Monthly Archives: janeiro, 2019

O Imparcial

Othelino Neto (PCdoB) foi eleito para seu terceiro mandato seguido como deputado estadual e ao que tudo indica deve ser reconduzido ao cargo de presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão sem candidatura de oposição. 

Identificado e engajado com o projeto de mudança proposto polos comunistas maranhenses, Othelino filou-se ao PCdoB a convite do governador Flávio Dino. “Umas das coisas que mais nos aproxima é que temos uma visão de mundo pelo mesmo campo, o de esquerda. Ao mesmo tempo em que temos essa relação política estreita, compreendemos que é preciso ter uma relação de independência entre os poderes”, afirma o deputado em entrevista exclusiva ao jornal O Imparcial.

Jornalista e economista, Othelino é considera por muitos como um dos mais atuantes do Legislativo. “A sociedade maranhense soube compreender e reconhecer esse momento de transformação que passa o estado. Apesar de todo esse momento de crise financeira e política que vem passando o Brasil, o Maranhão está equilibrado, e isso é importante para todos, que o estado não quebre como quebraram importantes como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul”, afirma.

Confira a entrevista exclusiva:

Perspectivas futuras

O povo pode esperar muito trabalho pelo Maranhão. A Assembleia tem dado respostas rápidas e cumprindo bem seu papel de legislar, não só com leis de iniciativa própria, mas com projetos de lei vindo do judiciário e do executivo. Temos feito também discussões políticas importantes aqui, o Maranhão tem sido discutido. E como estabelece o regime democrático, prevalece a vontade da maioria. A Assembleia nesses quatro anos vai continuar com essa postura, cumprindo suas prerrogativas: legislar, fiscalizar o executivo, e fazer uma discussão ampla e irrestrita da nossa política maranhense e nacional.

Eleições na Assembleia

Caso no dia 1º de fevereiro os deputados confirmem minha recondução ao cargo de presidente da casa, o sentido principal será esse: manter a postura de independência do poder legislativo e harmônica com outros poderes. Existe um equívoco de alguns seguimentos da sociedade de achar que os poderes devem viver em conflito, mas quando isso acontece (o conflito) é ruim para o estado democrático de direito.

O Maranhão dá um bom exemplo para o Brasil onde as instituições conseguem se relacionar de forma respeitosa, mas cada um cumprindo com suas prerrogativas. Existe um diálogo produtivo do legislativo com o executivo, do legislativo com o judiciário, do judiciário com o executivo, e isso sem perda de atribuições e mantendo o equilíbrio que é necessário. Por que, quando um dos poderes se sobrepõe aos outros esse desiquilíbrio fere o estado democrático de direito, e na falta de diálogo entre os poderes quem sente primeiro é a sociedade.

Ampla vitória do campo político de esquerda no Maranhão

A sociedade maranhense soube compreender e reconhecer esse momento de transformação que passa o estado. Apesar de todo esse momento de crise financeira e política que vem passando o Brasil, o Maranhão está equilibrado, e isso é importante para todos, que o estado não quebre como quebraram importantes como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Aqui no Maranhão conseguimos manter essa estabilidade. Os três poderes vem cumprindo suas tarefas, pagando os funcionários em dia, e no caso do executivo conseguindo suprir os serviços essenciais à população. Então, acho que o reconhecimento da sociedade foi que deu ao nosso campo político essa ampla vitória em 2018. Elegemos 32 deputados estaduais, 12 federais, dois senadores, a reeleição do governador no primeiro turno. É um reconhecimento do trabalho que vem sendo feito por este grupo político que vem fazendo o Maranhão melhorar.

A experiência comunista maranhense

É razão de muito orgulho pertencer aos quadros do PCdoB, um partido que tem uma história dedicada as lutas populares e as boas causas dos brasileiros. Eu, que tenho uma formação à esquerda, me sinto muito à vontade no PCdoB. Nós somos os comunistas do Brasil, e aqui no Maranhão mostramos o quanto essa experiência está sendo exitosa no sentido de promover a melhoria da qualidade de vida da população, de valorizar programas sociais que alcançam os seguimentos que mais precisam, e de ir corrigir distorções que ainda prevalecem, mas que estão sendo corrigidas, onde um segmento da sociedade tem muito e outro, que é segmento muito maior, não tem quase nada.

Alguns, por preconceito, ficam tentando desqualificar a experiência comunista do Brasil. Boa parte daquilo que foi escrito por Marx e Lênin ainda vale hoje. Mas, o que se aplicou nas primeiras revoluções, na Revolução Russa, que foi a primeira e a mais importante de todas, é claro que não pode ser aplicado da mesma forma em 2019. O mundo se transformou e as experiências concretas vão fazendo com que ajustes sejam feitos nos modelos. Nós somos o Partido Comunista do Brasil, nós temos uma formação política consolidada, mas vivemos em um país cujo modo de produção capitalista. Então, as nossas normas e leis são de um país capitalista e assim nós nos adequamos, embora em nenhum momento pensamos em abrir das convicções que são essenciais da nossa “fé”, que é, principalmente, a construção de um país mais justo e igualitário.

Inspirações dos comunistas maranhenses

Nesse modelo tem muita coisa nova, mas existem programas importantes que desenvolvemos analisando experiências de outros lugares. Por exemplo, observamos em Pernambuco, ainda sob o comando do saudoso Eduardo Campos, o projeto Cidadão do Mundo e os IEMAs (Instituto de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão), que não são exatamente iguais, mas vimos lá e achamos uma boa e aplicamos aqui. Alguns aspectos do sistema de educação pública do Ceará, que em alguns municípios tem sido referência no Brasil, e nesse aspecto podemos citar Sobral, que tem um dos melhores índices na área educacional do país.

Mas temos também experiências que podem servir para o Brasil, e eu destacaria o projeto Escola Digna, que tem uma marca muito forte. Primeiro pelo aspecto de resgate da autoestima do professor, dos responsáveis pelo aluno e do próprio estudante, que por falta de opção estudava em uma escola sem as mínimas condições, muitas vezes de taipa, sem carteira ou banheiro, enfim… E, essa transformação, onde o estado substituiu a escola antiga por uma nova é uma marca muito forte, não só pelo aspecto subjetivo de resgate da autoestima, como pelo aspecto objetivo, que estimula a criança a estudar. Isso vai ter resultados concretos na melhoria da qualidade de vida do maranhense a médio e longo prazo, e talvez esse seja o nosso legado principal. Não é uma obra que tem “caráter eleitoral” mais forte, mas é a que vai marcar definitivamente o compromisso dos comunistas com o futuro do Maranhão.

Composição com vários partidos

Nós somos comunistas, mas, sobretudo, democratas. E entendemos que um estado como o Maranhão, com todas suas necessidades e carências, precisa dessa junção de forças, e nós não temos a pretensão nem a arrogância de achar que só nosso credo é o que vale, é a verdade absoluta. Então, nós temos condições de dialogar com partidos e políticos que tem formações ideológicas diferentes, mas que tem o mesmo propósito, que é o de transformar o Maranhão em um estado mais justo. Então, aqui nós temos a capacidade de discutir e ter uma aliança forte com partidos que não militam no mesmo campo político que o nosso. Na base de apoio do PCdoB do Maranhão nós temos o DEM, o Solidariedade, PP e PTB. Do PT, passando pelos partidos do “centrão”, chegando até em alguns de direita, vários compõem a nossa base e respeitam o nosso programa.

Consenso na união dos partidos

O programa de governo para os próximos quatro anos apresentado a sociedade foi amplamente discutido. Eu acredito que o essencial numa aliança tão heterogênea é estabelecer qual o caminho a ser trilhado: cada um dá sua colaboração, mas respeitando aquilo que é o essencial deste comando político atual, no caso Flávio Dino e o PCdoB.

Como exemplo podemos citar a própria Assembleia do Maranhão, onde nós não fizemos um trabalho para fazer do PCdoB um partido hegemônico. Aqui a representação dos partidos fruto das eleições de 2018 mostra como tratamos os aliados de força democrática e respeitosa.

O PCdoB é o partido do governador e historicamente foi assim: o partido do governador sempre fazia a maior bancada com uma diferença numérica muito grande para os outros partidos. Objetivamente falando, enquanto elegemos seis o PDT elegeu sete, o DEM colocou cinco, o PR fez três, e vários partidos com dois ou apenas um. Temos uma presença partidária muito forte na Assembleia, e diferente do que muitos defende, não é ruim, o problema nosso não está na quantidade de partidos, a pluralidade é necessária e faz parte de uma boa Assembleia.

Como deputados federais de outros campos políticos podem ajudar o Maranhão

Os deputados federais como um todo tem emendas individuais e de bancada que podem ajudar muito o estado. Mas, podem também ser interlocutores do estado do Maranhão junto ao governo federal. E, neste quesito, um aspecto mais importante já que é público e notório que o governador Flávio Dino faz oposição ao presidente Jair Bolsonaro, mas isso não quer dizer que não precisa e que não vai existir um diálogo institucional entre o governo do Maranhão e da República, até porque isso é obrigação dos dois, e a diferença política permanece, mas o que diz respeito aos interesses do povo se faz necessário o diálogo, tanto que é nosso vice-governador Carlos Brandão teve agenda com ministros, Dino também, e nossa expectativa é que no aspecto institucional haja um diálogo permanente com o governo federal.

Diálogos com os comunistas maranhenses

Esta semana tivemos uma reunião com a bancada de deputados estaduais do PCdoB, e o com Márcio Jerry, e tratamos de assuntos diversos. A posição da bancada do PCdoB em relação a composição da mesa diretora já foi tomada faz algum tempo. Tratamos também sobre ações políticas e planos para o próximo mandato, combinamos de convidar os prefeitos para articular nossas definições políticas; estes foram os temas.

Mas, aqui na Assembleia, tenho feito rodadas de conversas com todos os deputados. Essa lógica do diálogo permanente com todos os políticos, sejam da base governista ou da oposição, acontece o ano todo, até porque quem preside o poder legislativo preside todos os deputados, independentemente de sua opção política, ideológica ou partidária.

Relação com Flávio Dino

Umas das coisas que mais nos aproxima é que temos uma visão de mundo pelo mesmo campo, o de esquerda. Ao mesmo tempo em que temos essa relação política estreita, compreendemos que é preciso ter uma relação entre os poderes de independência, e isso é uma coisa que é muito forte, porque não é o fato de sermos aliados e termos uma relação pessoal muito boa que confundamos aquilo que diz respeito aos nosso papeis enquanto comandantes de poderes diferentes.

Claro que é razão de alegria ver o Flavio Dino governar o Maranhão e pra mim de liderar o poder legislativo, mas nem a nossa relação política nem a de amizade que nós temos um com o outro faz com que nós deixemos de compreender a função de cada um, e o poder legislativo exerce na sua plenitude a suas prerrogativas, não só de legislar como de fiscalizar. Alguém pode dizer que “o poder legislativo não briga com o executivo?”, mas o objetivo não é brigar, é manter uma relação harmônica e respeitosa. Em alguns momentos podemos ter divergências, que são legítimas, mas sempre mantendo o respeito institucional. Não é admissível quando um poder diverge do outro fora daquilo que estabelece a constituição. Isso é ruim para todos, para a sociedade, e nisso, eu insisto, o Maranhão é um exemplo para o Brasil, cada qual andando no seu devido espaço, cumprindo com suas obrigações constitucionais, e não tentando invadir o espaço do outro.

Mais IDH deu em nada, só consumiu milhões dos cofres públicos.

O Maranhão continua com  os piores IDHs do mundo, entrou na Extrema Pobreza durante a gestão ideológica de Flávio Dino, ainda assim, torrou milhões em propagandas enganosas.  

Quem ocupou a vaga de homem público, que teve poder para mudar a realidade e não fez, deveria enterrar a cara.

Uma trincheira cairá bem para quem envergonhou nosso estado, quando deveria usar o poder para matar a fome da população pobre, que ficou mais pobre, miserável.

Pelas redes sociais o ex-super-secretário comunista se despede. A despedida não poderia ser mais cômica, Jerry deverá assumir seu mandato de deputado federal, em Brasília, onde diz, que ficará “entrincheirado”.

Acredito que a “trincheira” do ex-secretário que virou deputado, que custou caro aos cofres do Maranhão, deverá ficar entrincheirado, deverá permanecer na insignificância, diferente dos quatro anos de glamour, que comandou a Comunicação, torrando milhões para construir uma imagem positiva do governo que nada fez, de fato, para tirar o Maranhão da pobreza.

Nota do blog:

Provavelmente o chefe do comunismo do Maranhão não vai gostar desta postagem, talvez me processe (como já fez) pelas verdades ditas, que aliás, muitos desejam falar, mas temem mostrar as caras.

Nada tenho que esconder, nada tenho contra a figura do ex-secretário comunista, que sempre desejou por anos ser deputado mas nunca teve “capital”  político.

As criticas que faço são direcionadas ao funcionário público, que mesmo tendo muito poder, dinheiro, foi incapaz de mudar a dura realidade de sofrimento, da pobreza de nossos irmãos maranhenses, que continuam na indulgencia.

Neste sentido, para os incapazes de mudar essa dura realidade de sofrimento, uma trincheira, talvez seja o melhor lugar para ficar.

Renan comandando o Senado: ex-juiz Flávio Dino vai orientar sua bancada votar em corruptos?

Não é segredo que  os governadores do Nordeste que apoiaram o candidato de Lula, Fernando Haddad, tenham preferencias por Renan Calheiro, do antigo PMDB de Sarney, Michel Temer, Eduardo Cunha, etc. Foi com esse tipo de gente que Lula governou até ser preso. O mdebista esteve reunido com bancada do PT, e foi visto com alguns governadores.

Tentaram abafar, mas o candidato dos Lulocomunistas, é Renan Calheiros, que visitou todos os governadores e suas bancadas

O comunismo de Flávio Dino poderá trazer de volta para a cena política um antigo político envolvido até o pescoço em corrupção. Governadores do Nordeste, seguindo orientação esquerdista não querem a renovação, antes fazem escolhas espúrias, como mostra o site O Antagonista.

Neste sentindo, não será segredo para ninguém qual será o voto da senadora evangélica Eliziane Gama, também, do pedestista Weverton Rocha, ambos não têm escolha própria. Da mesma forma, os demais deputados federais do Maranhão deverão votar segundo ordem do governador. Será que eles querem mostrar suas caras?

Quem votará para o novo Presidente do Senado e Câmara, todos sabem, será  o governador. Cabe uma reflexão ao líder politico do Maranhão, governador Flávio Dino, que é ex-juiz federal, e segundo dizem, era totalmente contra Renan e a corrupção.

Os gabinetes dos 22 deputados que vão sair já estão sendo desocupados na Assembleia Legislativa. A partir da próxima sexta-feira, dia 1º de fevereiro, outros deputados estarão ocupando os gabinetes.

Abaixo, a relação dos dos deputados estaduais que não foram reeleitos:

Andrea Murad, Cabo Campos, Levi Pontes, Edivaldo Holanda, Fábio Braga, Francisca Prima
Hemetério Weba, Junior Verde, Léo Cunha, Raimundo Cutrim, Rogério Cafeteira, Sérgio Frota e Valéria Macedo.

Relação dos deputados estaduais que se elegeram deputados federais:

Edilázio Junior, Bira do Pindaré, Eduardo Braide e Josimar de Maranhãozinho.

Relação dos deputados estaduais que não concorreram:

Max Barros, Nina Melo, Graça Paz, Stênio Rezende e Sousa Neto.

Foi encerrada oficialmente neste domingo (27) a I Assembleia IOV América, em cooperação com a UNESCO, realizada pela primeira vez no Brasil, tendo como destino o município de São José de Ribamar. Durante os quatro dias, a cidade ribamarense se transformou na capital das américas, reunindo mais de trinta países das américas do Sul, Norte e Central, além de convidados de outros países como Holanda, Emirados Árabes e Itália, que discutiram políticas concretas de proteção, preservação e promoção da arte popular e cultura folclórica como elementos do patrimônio cultural imaterial.

Membros da IOV recebidos no Palácio dos Leões pelo governador Flávio Dino

No sábado (26), os conferencistas foram recebidos pelo governador Flávio Dino no Palácio dos Leões, em São Luís. Além de conhecerem as dependências e rica história e acervo de um dos importantes equipamentos símbolo da cultura maranhense, os representantes dos países também participaram de programação cultural que contou com apresentação de danças exposição da história do Maranhão.

Para o prefeito Luis Fernando Silva, anfitrião do evento, o intercâmbio realizado durante estes dias, além de elevar a qualidade e importância da cultura, trouxe um conjunto de benefícios e responsabilidades, uma vez que o Maranhão entrou para o eixo das culturas mundiais.

“Como pessoa e enquanto gestor, estou extremamente feliz, porque além de ser amante da cultura maranhense, principalmente a cultura ribamarense, hoje, em definitivo, estamos ligados para sempre às culturas dos povos e isso sem dúvida é de grande responsabilidade e traz, é claro, benefícios diretos na promoção e difusão de nossa cultura. Agradeço ao governo do estado pela parceria constante que possibilitou a realização deste evento, mas principalmente agradeço ao acolhimento dos ribamarenses que tornaram especial todos os dias da Assembleia IOV”, completou.

O governador Flávio Dino destacou a credibilidade da gestão do prefeito Luis Fernando como sendo fator importante para captação do evento no Maranhão. “O prefeito Luis Fernando mostra mais uma vez sua força e credibilidade na gestão à frente do município que hoje sedia tão importante evento tornando o Maranhão o centro dos olhares internacionais em razão do evento. Não tenho dúvida que difundir culturas, aproxima povos e por esta razão é feito de coração para coração”, disse o governador Flávio Dino.

A programação foi encerrada neste domingo (27) com o plantio de uma árvore no Parque da Cidade. Ao realizar o plantio, cada participante depositou terra dos seus destinos de origem, simbolizando a troca de culturas e experiências além de fixar concretamente a passagem dos países pelo município.

A representante da UNESCO, Isabel de Paula, além de parabenizar mais uma vez a iniciativa do prefeito Luis Fernando em sediar o evento, falou que o plantio hoje feito, também simboliza o laço concreto de parcerias firmadas em terras ribamarenses para a profusão das culturas em nível mundial.

“Trabalhamos por uma cultura de paz, semeando novas perspectivas e essa é a bandeira da UNESCO. Porém, isso não se faz se não houver uma cooperação entre os povos e o município de São José de Ribamar está de parabéns por realizar o evento e, desta forma, entra em definitivo para o eixo dos parceiros que assim como nós, eleva a cultura”, disse.

Já o representante da IOV Brasil, Clerton Vieira finalizou dizendo que terra significa vida e que a cultura de fato tem uma força incrível de unir povos e nações em prol de objetivos que se tornam comuns. “Este encontro foi uma grande confraternização entre as culturas populares das américas e, pela primeira vez, conseguimos alcançar o patamar de concentrar em só espaço as três Américas e isso nos enche de orgulho e responsabilidade. Agradecemos mais uma a hospitalidade do povo hospitaleiro de São José de Ribamar e principalmente o olhar sensível do prefeito Luis Fernando que se torna um amigo mundial que une forças em prol da cultura dos povos”, finalizou o representante nacional da IOV.

Efeito bumerangue: bateu, levou?

E agora, quem vai meter a mão no bolso para bancar?

Esse ano de 2019 iniciou com perdas para o intitulado “auto-suficiente” governo comunista. Nos bastidores da política, em cada curva dos poderes a pergunta ecoa e volta vazia sem resposta: não se sabe de onde o governo ideológico vai tirar dinheiro para cobrir os excessivos gastos com politicagens, que deram ao grupo comunista a vitória das eleições.

Após pedaladas, Emap, empresa estadual que há vários anos foi criada para gerir os portos de São Luís, deverá ser comandada pelos militares.

Esse negócio de fazer chacota com militar não dá certo, o comunista deveria saber disso. Essa mexida deu-se, logo após o governador Flávio Dino ter xingando Bolsonaro nas redes sociais. Comenta-se que alguns empresários que exploram o povo pobre deverão, a parti de agora, estar com a “faca no pescoço”.

Como sempre, quem paga a conta será o povo, que vai ter combustíveis, supermercados, energia elétrica, água, etc, mais caros.

Se a Emap sair, prepare os bolsos. Abaixo, trecho do blog do Daniel Matos sobre as pedaladas de Flávio Dino:

Dino promete ajudar MG:

Num momento delicado, fazer criticas à boa vontade do Estado de Israel não ia cair bem, talvez fazer alguma coisa pelas vítimas do desastre de Brumadinho cairia bem. Ora, Israel é uma potência, pode enviar um avião lotado de homens com equipamentos de tecnologias avançadas, não vai fazer falta.

Vamos esperar pelos resultados, qualquer ajuda neste momento é importante, esperamos que o governador do estado mais atrasado (e pobre) do Brasil não esteja apenas  tentando se promover.

Lagrimas e gogozadas:

Enquanto Flávio Dino se desmancha em demagogias baratas nas redes sociais, lago da dejetos da Alumar continua ameaçando moradores em São Luís, capital do estado. O tamanho do lago de dejetos químicos é maior que três campos de futebol (Castelão) e pode alcançar os lençóis freáticos, manguezais e marés de nossa cidade.

Abaixo, imagem feita por satélite:

Capital do Maranhão, cedo ou tarde, poderá ter os mesmos desastres que aconteceram em MG(Mariana e Brumadinho).

A realidade é que na capital do Maranhão, cedo ou tarde, poderá ter os mesmos desastres que aconteceram em MG(Mariana e Brumadinho). Na imagem, a triste realidade que nenhum político do estado conseguiu mudar desde o ano de 1980, até hoje, continua sendo uma ameaça para a população pobre, cada vez mas pobre do Maranhão.

Confira na imagem do google maps, mostrando a real ameaça do Maranhão:

Pelo tuíter, governador comunista explora o acidente se dizendo “triste” pelo desastre que matou dezenas de pessoas. Mas até hoje, passados quatro anos de gestão ideológica, a lagoa vermelha de dejetos tóxicos da Alumar continua ameaçando a população da Zona Rural e seu ecossistema.

Não há como negar que, a grande marca deixada pelo comunista serão as gogozadas. Enquanto não inventam uma “nota” do governo comunista para justificarem a letargia que tomou conta do estado.

Até agora:

Roseana Sarney fez pontes e viadutos,

João Castelo fez a Ponte Bandeira Tribuzi,

Zé Reinaldo o Elevado Alcione de Nazaré

Jackson Lago a ponte da Amizade em Imperatriz,

Flávio Dino só usou o gogó (gogozadas).

 

Ué, até agora ninguém foi para o tuíter negar o encontro de Flávio Dino com Renan?

O assunto Global não será mais as “movimentações suspeitas” de Flávio Bolsonaro vazadas pelo Coaf, mas o assassinato de Jean Willys. Enquanto isso, Renan Calhorda se movimenta para tomar novamente o Senado com apoio da “resistência” dos governadores do Nordeste.

O candidato dos Lulo-comunistas para presidir o Senado é Renan Calheiros, que visitou todos os governadores e suas bancadas de deputados e senadores…

A verdade é que todos os comunistas do Maranhão querem ocultar a movimentação em torno do Congresso, ocultar o retorno do velho Renan ao poder. Preferem um Congresso chefiado por corruptos do passado, que ter gente nova no comando. Palmas para os Renan-Flavistas que desejam sabotar o Brasil.

Janeiro está acabando, o carnaval chegando com mais perseguições pesadas à família  Bolsonaro. O senador eleito pelo PSL, Flávio Bolsonaro, principal opositor de Renan Calheiros do antigo PMDB de corruptos, que vem tendo encontros secretos com governadores Lulo-comunistas, para garantir apoio de seu retorno e controle do Senado.

Diante de uma visível orquestração midiática, onde dados secretos foram vazados para estampar as perseguições transvestidas de  “reportagens” da Rede Globo, visam destruir a reputação de Flávio Boslonaro, e, de paraquedas, outro mandato de presidente do senado para Renan Calheiros do partido mais sujo que pau de galinheiro o PMDB. Renan, cujo filho é governador de Alagoas, que prometeu fazer “resistência”.

Os comunistas querem Renan e fazem questão de esconde-lo, preferindo desnudar Flávio Bolsonaro, sangrando-o midiaticamente até a morte.

Mas não ficaremos nisso, o janeiro de 2019 está terminando com perseguições severas contra senador do PSL, filho do presidente. A tática agora será a vitimização de Jean Wyllys.

Vale destacar o engajamento de alguns governadores do Nordeste, ligados ao candidato do PT derrotado (Lula-Haddad-Manu), que fazem politicagem com  os cargos públicos, mas não conseguem tirar os estados do Nordeste da pobreza, como no caso do Maranhão, que acabou entrando na extrema pobreza por falta de entendimento e gestão de Flávio Dino, que governa ideologicamente.

Jean Wyllys, desmascarado no Brasil pelas constantes crises de mimimis pretende sair para o exterior, não para Cuba de Guevara, nem Venezuela de Maduro, mas para a Europa, para dizer lá fora que nosso país era uma maravilha, mas que se tornou uma “ditadura” que persegue ativistas gays.

Lógico que essa narrativa de “perseguição” criada em torno do deputado das “cusparadas democráticas” são alimentadas por Lulo-comunistas insatisfeitos com a derrota e prisão do chefe do PT, antes de  prometer que vai sair do Brasil, Wyllys esteve com Lula, na prisão da PF em Curitiba.

Pra fechar a semana, um flagrante mostrando um idoso sendo retirado do hospital Santa Casa por não ter médico no local.

Um idoso identificado como João Espíndola, de 71 anos, morreu na noite de terça-feira (22), na porta do Hospital Municipal Djalma Marques, conhecido como Socorrão I, em São Luís. Vídeos gravados por acompanhantes de outros pacientes mostram o desespero da filha da vítima, Franciane de Jesus Espíndola, buscando por atendimento médico para o pai.

João Espíndola estava internado no Hospital Santa Casa de Misericórdia do Maranhão, em uma ala com cerca de 90 leitos para a qual são transferidos os pacientes do Socorrão I com doenças crônicas. (informações do G1)

1 2 3 4 10