Monthly Archives: junho, 2018

Enganação eleitoral?

De como Flávio Dino se propaga na maior cara dura sem que a Justiça, MP, façam valer e assegurar os direitos da população.

Ainda em 2017, Fl√°vio Dino foi para a TV alugada por seu grupo pol√≠tico propagar as publicidades pol√≠ticas de seu governo em pleno hor√°rio nobre¬† numa emissora de TV dar ‚Äúentrevista‚ÄĚ.

No mesmo saco s√£o farinhas do mesmo gosto…

Sistema comunista:

Sem falar que, at√© hoje, ningu√©m do grupo comunista explicou como fizeram das emissoras de Edinho Lob√£o uma esp√©cie da TV Mirante (Sistema Sarney), que propagava as mentiras de quando Roseana Sarney era governadora. Ela usava suas emissoras dia e noite para ‚Äújogar‚ÄĚ publicidades enganosas nas casas dos pobres maranhenses das 217 cidades do estado.

Comunistas fazem o mesmo, ou pior.

S√£o essas emissoras ‚Äúalugadas‚ÄĚ pelos comunistas que todos os dias propagam ‚Äúentrevistas‚ÄĚ trabalhadas para beneficiar os candidatos: Weverton Rocha, Fl√°vio Dino, Marcio Jerry, Bira do Pindar√©, Eliziane Gama, Duarte J√ļnior, etc. at√© o Ciro Gomes do Cear√° foi beneficiado pelo boom de emissoras, que se interligam, usando a r√°dio estatal e pequenas emissoras locais.

A “entrevista” foi mostrada no ano de 2017, pela TV Difusora num programa criado para exaltar o grupo dos pr√©-candidatos: Weverton-Jerry-Dino. Ap√≥s “entrevista” essas imagens foram parar nos grupos de whtsapp.

Mas a justiça parece fingir não ver.

Confira a baixo um bom exemplo de como burlar as leis e fazer propagandas fora de época sem que a justiça eleitoral interfira:

O senador Roberto Rocha (PSDB) é o político que mais tem se movimentado nessa fase de pré-campanha rumo ao Governo do Estado.

Com a sua ‚ÄúCaravana da Esperan√ßa‚ÄĚ, formada pelos demais pr√©-candidatos do PSDB, ele est√° percorrendo os munic√≠pios maranhenses em busca de apoio e, mais do que isso, levando a sua mensagem de esperan√ßa aos milhares de maranhenses cansados da falta de perspectiva e da m√° gest√£o do governo atual.

Neste √ļltimo s√°bado, 23, Roberto Rocha e os deputados estaduais Alexandre Almeida e Wellington do Curso, o deputado federal Waldir Maranh√£o, o ex-deputado Z√© Gen√©sio e ainda o ex-deputado Clodomir Paz, visitaram as cidades de Presidente Juscelino, Morros e Humberto de Campos. Em todas, eles foram recebidos com entusiasmo pela popula√ß√£o que defende uma terceira via nas elei√ß√Ķes deste ano.

Em presidente Juscelino, a reunião foi na residência do prefeito, Magno Teixeira, que na presença de vereadores, secretários e lideranças comunitárias, ratificou o seu apoio ao senador Roberto Rocha e aos demais pré-candidatos do PSDB.

Na oportunidade, ele anunciou algumas conquistas para o munic√≠pio, por meio de emendas de sua autoria. Entre elas, a constru√ß√£o de 50 casas que ser√£o destinadas aos trabalhadores rurais, por meio do Programa Nacional de Habita√ß√£o Rural. Em parceria com a Codevasf, Roberto Rocha tamb√©m conseguiu, para Presidente Juscelino, 20 kits de irriga√ß√£o de 500m2 , destinados √†s associa√ß√Ķes rurais do munic√≠pio.

Ainda em Presidente Juscelino, Rocha participou de uma reunião organizada pelo empresário Ricardo Lago, liderança política da região,.

A agenda do senador pela Região do Munim contemplou também a cidade Morros, onde ele concedeu entrevista para a Rádio Antena 1 FM. Em seguida, ele participou de um encontro organizado por Milton José, mais conhecido como Paraíba, uma das mais fortes e influentes lideranças da região.

Durante o encontro, o senador anunciou a libera√ß√£o de recursos totalizando R$ 1.683.600,00 para o Programa Nacional de Habita√ß√£o Rural do Minist√©rio das Cidades para a constru√ß√£o de 46 casas para agricultores da cidade de Morros. O an√ļncio foi comemorado por todos que participaram da reuni√£o.

‚ÄúA nossa cidade precisa de muita coisa, por isso temos que seguir em frente, confiando e acreditando que as coisas v√£o melhorar. O senador Roberto Rocha tem bons projetos e √© por isso que n√≥s estamos aqui hoje para apoi√°-lo‚ÄĚ, disse Mardelli Gomes, 42 anos, moradora de Morros.

Roberto Rocha encerrou a agenda da semana com uma visita de cortesia ao prefeito de Humberto de Campos, Jos√© Ribamar. Na ocasi√£o, ele falou sobre as oportunidades para o munic√≠pio e anunciou ao prefeito sobre a possibilidade de incluir Humberto de Campos na Rota das Emo√ß√Ķes, projeto de sua autoria que cria uma frente parlamentar em defesa do fortalecimento da regi√£o.

‚ÄúAqui, na Regi√£o do Munim, n√≥s andamos em v√°rios munic√≠pios e percebemos que, como em qualquer outra regi√£o do estado, √© uma regi√£o rica, por√©m com um povo pobre. Isso acontece porque n√£o h√° uma explora√ß√£o econ√īmica dessa riqueza, s√≥ h√° explora√ß√£o pol√≠tica da pobreza. E n√≥s queremos fazer diferente, pois o PSDB tem o compromisso de voltar a fazer do Maranh√£o um estado que produza cidad√£os capazes de acreditar e lutar pelo potencial de desenvolvimento econ√īmico do seu estado e do seu povo‚ÄĚ, disse Roberto Rocha.

Povo rejeita comunistas e sua tentativa de “polarizar” a pol√≠tica do Maranh√£o entre ruins e piores:

Pelo jeito a gest√£o comunista do governador ideol√≥gico Fl√°vio Dino n√£o conseguiu prender a aten√ß√£o de alguns corajosos que romperam o medo e sa√≠ram √†s ruas para demostrar a indigna√ß√£o.¬† Sabe a velha t√°tica de acusar jogando a culpa no outro? Essa “polariza√ß√£o” comunista n√£o vai colar mais.

Durante sua passagem pela cidade de Rosário, neste final de semana, a comitiva eleitoral de Flávio Dino foi recebida com protestos. Um local bonito, cercado de verde e rios, que vive ameaçado pelo fedor dos esgotos, que está sendo assoreado pela falta de ação do Executivo (estadual e municipal).

A população precisa acordar e protestar: para que a comitiva governamental-eleitoral desperte para a realidade, que o Maranhão não vive de propaganda nem de polarização política.

Essa mesma comitiva de apaniguados pol√≠ticos, que s√≥ se movimenta com gigantescas estruturas, que custam horrores aos cofres p√ļblicos, que v√£o de helic√≥pteros, avi√Ķes a jato, carros de luxo (hilux), palanques, etc, tudo bancado pelos bolsos dos contribuintes. Est√£o corretos os moradores de Ros√°rio, fora!!!

Abaixo, imagem do blog do Gilberto Leda:

Eu tenho clareza que levarei para o debate eleitoral uma outra visão para o Maranhão, que em nada se compara com essa triste e fatalista escolha que querem impor ao nosso Estado, entre o passado que não quer passar e o presente que não tem futuro. 

O Estado do Maranhão (Gilberto Léda)

O senador Roberto Rocha, pré-candidato a governador do Maranhão pelo PSDB, acredita que seu projeto tende a crescer junto com a candidatura do presidenciável tucano Geraldo Alckmin e que a eleição maranhense será inevitavelmente decidida em dois turnos.

Em entrevista exclusiva a O Estado, ele acrescentou que, por conta da certeza de que o pleito estadual não se resolve no dia 7 de outubro, avalia que o melhor para os pré-candidatos de oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB) é marchar unidos num segundo turno, quem quer que passe.

Roberto Rocha acredita em crescimento ao lado de Alckmin e prega unidade da oposição no MA

‚Äú√Č natural que haja uma converg√™ncia entre as candidaturas estaduais e a nacional. Isso √© da pr√≥pria l√≥gica pol√≠tica. Tanto mais que partilharemos o mesmo n√ļmero. Por enquanto o cen√°rio pol√≠tico nacional est√° turvado por um ambiente de muita animosidade, fruto da criminaliza√ß√£o da atividade pol√≠tica. Eu creio que o curso da campanha ajudar√° a dar mais racionalidade √† escolha do eleitor, que hoje est√° movido por uma justa indigna√ß√£o. Mas essa indigna√ß√£o levar√° a uma reflex√£o sobre os projetos e os nomes postos e ficar√° claro que nenhum candidato re√ļne os atributos de integridade e experi√™ncia de Geraldo Alckmin‚ÄĚ, disse Rocha, sobre sua campanha vinculada √† do ex-governador de S√£o Paulo.

Sobre a unidade dos nomes da oposição, ele ressalta que essa nem sequer precisa ser uma estratégia, porque se trata de uma verdadeira aspiração do eleitorado.

‚ÄúEssa unidade nem precisar√° do aval dos pol√≠ticos. Ela acontecer√° por vontade do eleitorado‚ÄĚ, completou.

Senado ‚Äď O senador tamb√©m comentou a recente pol√™mica envolvendo o lan√ßamento da pr√©-candidatura do deputado federal Waldir Maranh√£o ao Senado ‚Äď o que ocorreu na semana passada, em Carutapera, durante discurso do pr√≥prio Rocha.

Até aquela data, o PSDB tinha apenas dois pré-candidatos a senador: o deputado federal José Reinaldo Tavares e o deputado estadual Alexandre Almeida. Com três nomes, o natural seria uma disputa entre eles em convenção.

Apesar disso, Roberto Rocha crê em uma decisão consensual antes da definição oficial da chapa majoritária tucana.

‚ÄúEsse √© o caminho protocolar. Mas acredito no di√°logo e no entendimento, para chegarmos a uma solu√ß√£o de consenso‚ÄĚ, completou.

Abaixo, a íntegra da entrevista.

O Estado ‚Äď Senador, sua pr√©-candidatura est√° muito vinculada √† imagem da pr√©-candidatura do ex-governador Geraldo Alckmin. O senhor acredita que o recente desempenho do seu colega de partido ‚Äď que melhorou segundo as mais novas pesquisas ‚Äď pode tamb√©m funcionar como uma alavanca ao seu nome no Maranh√£o?

Roberto Rocha ‚Äď √Č natural que haja uma converg√™ncia entre as candidaturas estaduais e a nacional. Isso √© da pr√≥pria l√≥gica pol√≠tica. Tanto mais que partilharemos o mesmo n√ļmero.

Por enquanto o cen√°rio pol√≠tico nacional est√° turvado por um ambiente de muita animosidade, fruto da criminaliza√ß√£o da atividade pol√≠tica. Eu creio que o curso da campanha ajudar√° a dar mais racionalidade √† escolha do eleitor, que hoje est√° movido por uma justa indigna√ß√£o. Mas essa indigna√ß√£o levar√° a uma reflex√£o sobre os projetos e os nomes postos e ficar√° claro que nenhum candidato re√ļne os atributos de integridade e experi√™ncia de Geraldo Alckmin. Ser√° o caminho natural para conduzir o pa√≠s no rumo da reconcilia√ß√£o e respeito entre as diferentes correntes de opini√£o.

N√£o tenho d√ļvida tamb√©m que o eleitor compreender√° que, aqui no Maranh√£o, o projeto do PSDB estar√° alinhado a essa perspectiva de solu√ß√£o pelo trabalho e o respeito √† coisa p√ļblica. Sem demagogia, sem bravatas. P√© quente, cabe√ßa fria, como diz a m√ļsica.

O Estado ‚Äď O senhor se considera um representante da terceira via?

Roberto Rocha ‚Äď Ningu√©m pode se auto proclamar a terceira via. Cabe ao julgamento da popula√ß√£o determinar quem re√ļne os atributos de contraste para se constituir numa via alternativa. Eu tenho clareza que levarei para o debate eleitoral uma outra vis√£o para o Maranh√£o, que em nada se compara com essa triste e fatalista escolha que querem impor ao nosso Estado, entre o passado que n√£o quer passar e o presente que n√£o tem futuro.

O Estado ‚Äď Recentemente surgiram informa√ß√Ķes de que o senhor teria convidado a ex-prefeita Maura Jorge para uma composi√ß√£o. Estrategicamente, o senhor acredita que √© melhor diminuir a quantidade de candidaturas no campo de oposi√ß√£o ao governador Fl√°vio Dino? Esse movimento n√£o enfraqueceria esse campo?

Roberto Rocha ‚Äď Sempre tive um di√°logo fraterno com a Maura Jorge e nesse di√°logo j√° discutimos cen√°rios eleitorais, o que √© da natureza da pol√≠tica. N√£o vejo essa quest√£o como um c√°lculo matem√°tico. Na pol√≠tica, podem haver converg√™ncias, mas √© importante que se preservem os campos pol√≠ticos. Toda candidatura √© leg√≠tima, desde que represente um projeto com identidade pr√≥pria.

O Estado ‚Äď Qual a rela√ß√£o atual com o deputado federal Jos√© Reinaldo? Ao anunciar a pr√©-candidatura do deputado Waldir Maranh√£o ao Senado, Jos√© Reinaldo √© considerado carta fora do baralho tucano?

Roberto Rocha ‚Äď Sobre a minha rela√ß√£o com Z√© Reinaldo, da minha parte ele ter√° sempre o respeito que merece, por sua biografia e import√Ęncia na hist√≥ria do nosso Estado.

Sobre a pr√©-candidatura do deputado Waldir, √© bom que se entenda que √© uma leg√≠tima postula√ß√£o dele, n√£o do partido. Assim tamb√©m as pr√©-candidaturas dos deputados Alexandre Almeida e Z√© Reinaldo. √Č um direito deles. Eu n√£o anunciei a pr√©-candidatura de Waldir Maranh√£o. Apenas fiz men√ß√£o em um contexto da presen√ßa dele em um evento. Ali√°s, outras pr√©-candidaturas ainda podem se manifestar, dentro do partido, inclusive para governador. Esse √© um direito assegurado no estatuto partid√°rio.

O Estado ‚Äď No caso da manuten√ß√£o das tr√™s pr√©-candidaturas ao Senado, a defini√ß√£o dos dois escolhidos se dar√° mesmo em conven√ß√£o, com os tr√™s submetidos ao voto dos correligion√°rios?

Roberto Rocha ‚Äď Esse √© o caminho protocolar. Mas acredito no di√°logo e no entendimento, para chegarmos a uma solu√ß√£o de consenso.

O Estado ‚Äď O senhor acredita em elei√ß√£o em dois turnos no Maranh√£o?

Roberto Rocha ‚Äď N√£o tenho d√ļvida alguma de que a elei√ß√£o ser√° decidida em segundo turno. S√≥ quem acha que as pesquisas s√£o progn√≥sticos, e n√£o diagn√≥sticos, √© que pode se iludir imaginando que o Maranh√£o tenha capitulado ao marketing da propaganda oficial.

O Estado ‚Äď Havendo segundo turno na elei√ß√£o no Maranh√£o, o senhor acredita em unidade da oposi√ß√£o, seja em torno do nome da ex-governadora Roseana Sarney, seja em torno do nome de outro candidato que passar?

Roberto Rocha ‚Äď Essa unidade nem precisar√° do aval dos pol√≠ticos. Ela acontecer√° por vontade do eleitorado.

Dando continuidade à sua movimentada agenda de visitas pelos municípios do estado, o senador Roberto Rocha (PSDB), pré-candidato ao governo do Maranhão, esteve nesta quinta-feira, 21, nas cidades de Icatu, Axíxá, Cachoeira grande e Rosário. Em todas, ele angariou apoios importantes para o seu projeto eleitoral.

A comitiva do senador foi formada pelos pré-candidatos do PSDB, entre eles, os deputados estaduais, Alexandre Almeida e Wellington do Curso, o deputado federal Waldir Maranhão, o ex-deputado Zé Genésio, o promotor de justiça aposentado, Celso Pinho e o ex-deputado e atual chefe de gabinete de Roberto Rocha, Clodomir Paz.

Em todos os munic√≠pios por onde passou, o senador deixou sua marca, anunciou projetos importantes conquistados pelo seu mandato no Senado Federal, a exemplo da amplia√ß√£o da Codesvaf- grande conquista para o estado, pois vai poder atuar em todo o Maranh√£o com obras e a√ß√Ķes estruturantes, segundo o senador.

A agenda come√ßou na cidade de Icatu, onde ele conversou com pessoas da comunidade, em uma reuni√£o organizada pela jovem lideran√ßa da regi√£o, Alex Gon√ßalves. Para o munic√≠pio, Roberto Rocha anunciou projetos que ir√£o contribuir para o seu crescimento econ√īmico, como a possibilidade de incluir Icatu na Rota das Emo√ß√Ķes, um dos principais roteiros tur√≠sticos do Pa√≠s. Falou ainda sobre a import√Ęncia do projeto de sua autoria que dobra o repasse de recursos para a merenda escolar em munic√≠pios em situa√ß√£o de extrema pobreza.

Para a habitação, o senador anunciou que já está em andamento no Ministério das Cidades, a construção de 100 casas para Icatu pelo Programa Nacional de Habitação Rural.

‚ÄúPara n√≥s, a vinda do Roberto Rocha √© muito positiva, porque j√° conhecemos o trabalho dele como senador. Eu tenho certeza de que vai ser de grande relev√Ęncia a presen√ßa dele aqui, porque n√≥s vamos ter a oportunidade de apresentar os nossos pleitos para Icatu, que √© melhorar as nossas estradas, a nossa sa√ļde, educa√ß√£o, transporte escolar, al√©m de outras coisas que eu tenho certeza de que podemos conseguir com a ajuda dele‚ÄĚ, disse √Člida Torres, presidente da Associa√ß√£o Quilombola de Santa Maria, em Icatu.

Da cidade de Icatu, Roberto Rocha e sua comitiva seguiram até Axixá, para uma reunião com a prefeita Soninha Campos. A prefeita aproveitou a presença do senador para conversar sobre as demandas do município, entre eles, a construção do balneário na Beira Rio, cujo projeto já está pronto, aguardando apenas recursos para início das obras.

Na quinta-feira, Roberto Rocha ainda visitou o munic√≠pio de Cachoeira Grande, onde participou de uma reuni√£o com o prefeito Ant√īnio Ata√≠des (Tonh√£o), vereadores, secret√°rios e lideran√ßas locais. Na ocasi√£o, Rocha ouviu atentamente todas as reivindica√ß√Ķes das pessoas que estavam presente na reuni√£o e fez um breve resumo de sua atua√ß√£o legislativa no Senado. Muitos deles beneficiam diretamente a cidade de Cachoeira Grande, como a constru√ß√£o, por meio do Minist√©rio das Cidades, de 71 casas para associa√ß√Ķes; o projeto de constru√ß√£o de mais 200 metros de cais na cidade, al√©m de uma ponte que vai ligar as cidades de Morros, Cachoeira Grande e Bal√°gua.

O senador concluiu a agenda com uma reunião na residência da prefeita Irlahi Moraes, em Rosário. Dentre os muitos projetos anunciados, ele destacou a revitalização do Rio Itapecuru, cujo diagnóstico ambiental já foi concluído pela Codevasf e em breve será apresentado para todo o Maranhão.

Por meio de emenda do senador Roberto Rocha, Ros√°rio vai receber tamb√©m kits de irriga√ß√£o para ajudar os trabalhos dos pequenos produtores rurais do munic√≠pio, al√©m de recursos para a manuten√ß√£o das unidades de Sa√ļde e recupera√ß√£o de estradas vicinais.

‚ÄúEstamos percorrendo o estado para levar a nossa mensagem de esperan√ßa, e tamb√©m para mostrar que o Maranh√£o pode ter op√ß√Ķes. Nosso estado n√£o tem apenas dois partidos. N√≥s temos a miss√£o de sermos essa op√ß√£o para o povo que j√° est√° cansado dessa dicotomia Sarney versus antisarney. Estamos tentando construir com as pessoas o sonho e a esperan√ßa de acreditar novamente no Maranh√£o, acreditar que essas pessoas que s√£o mais jovens v√£o ter um futuro melhor do que o nosso‚ÄĚ, disse Roberto Rocha.

 

Conhecido nos quatro cantos de S√£o Jos√© de Ribamar como o ‚ÄúPrefeito da Destrui√ß√£o‚ÄĚ, o ex-prefeito Gil (de sobrenome alcunhado por aquela palavra proibida), passou um vexame na noite da √ļltima quinta-feira (21) com os pouqu√≠ssimos seguidores da destrui√ß√£o que o acompanham no munic√≠pio.

Segundo informa√ß√Ķes da Zona Rural, o ex-prefeito se ofereceu para batizar um boi do povoado Ju√ßatuba, na zona rural do munic√≠pio. Mesmo sendo avisado pelo presidente da agremia√ß√£o boieira de que ele n√£o era bem-vindo na festa, resolveu mandar um pequeno grupo que o segue, que mal lota um carro de cinco lugares, para ver se tinha clima para ele se fazer presente assim mesmo.

N√£o deu outra: os quatro pelados que apoiam o ex-prefeito que destruiu Ribamar ficaram de longe olhando o prefeito Luis Fernando ser ovacionado pelos brincantes e batizando o tradicional boi do bairro numa linda festa.

Com o ‚Äúrabinho entre as pernas‚ÄĚ, os apoiadores da destrui√ß√£o zarparam e recomendaram ao ex-prefeito para ele n√£o chegar mais perto para evitar um vexame ainda maior.

Agora, imaginem como vai ser quando ele aparecer para pedir voto, de fato, no município que ele acabou!

O ex-prefeito chegou a divulgar o evento em sua agenda oficial, mas esqueceu de combinar com a direção do Boi de Juçatuba e com a comunidade em geral. (blog do Seuriba.com)

Astro acertou ao trazer Alcione para “cantar nossa terra”.

A Marrom arrastou a massa para o Arraial Pertinho de Voc√™ na Cohama, mexendo com os egos inflados de pol√≠ticos que se acham dono dos atra√ß√Ķes culturais do Maranh√£o.¬†Como de costume, Astro novamente trouxe a cantora Alcione para cantar com o povo a sua terra.

Na contagem popular, o show agradou a todos, mesmo tendo alguns querendo tirar o brilho da festa, como de costume, causando intrigas, fofocas e outras lamentáveis baixarias, que não cabem mais na nossa política nem na cultura de quem prefere se alegrar e cantar as belezas de sua terra.

De parab√©ns o vereador Astro, que acertou em trazer nossa conterr√Ęnea, Alcione Nazar√© aos palcos do Maranh√£o. A atitude do vereador parece que desagradou alguns poucos, que sa√≠ram praguejando, enquanto a popula√ß√£o cantando felizes e contentes, junto com Alcione, as musicas da nossa terra.

Ilusionismo comunista:

Só faltava essa, além de gogozar, faz sumir?

Se na propaganda mentirosa (Ilusionismo) do governo comunista o Maranh√£o est√° lindo, pr√≥spero, saud√°vel, seguro e educado, imaginem fazendo sumir (M√°gica) v√°rios milh√Ķes?

Só mesmo um político sendo um bom mágico para fazer sumir tantos dinheiros.

Pior que isso, tem a mágica do estado estar caindo num buraco sem ninguém perceber, ou querer saber. Bem ai que o truque acontece. Segue a mágica enganosa.

Al√©m de mentir bastante descaradamente, os comunistas pelo jeito v√™m fazendo muit√≠ssimo bem o velho truque de sumir, fizeram sumir 18 milh√Ķes da Sa√ļde e agora mais 80 milh√Ķes dos Portos da Emap.

Mesmo explorando a população pobre do Maranhão com aumentos desgraçados de impostos, o governo de Flávio Dino está fazendo mágica, quando deveria sobrar dinheiro está sumindo.

Que truque (mágica) é esse, Flávio Dino?

Levantamento realizado pelo blog com base no Sistema de Informa√ß√Ķes sobre Mortalidade (SIM), criado pelo DATASUS para a obten√ß√£o regular de dados sobre mortalidade no pa√≠s, indica que, em m√©dia, 11.1 beb√™s morrem em suas resid√™ncias, sem atendimento medico no munic√≠pio de Turia√ßu, em 2016.

Os dados tamb√©m s√£o semelhantes aos que constam no Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE), em que a popula√ß√£o deu informa√ß√Ķes sobre √≥bitos nas fam√≠lias. Segundo as informa√ß√Ķes, a taxa de mortalidade infantil m√©dia na cidade √© de 11.1 para 1.000 nascidos vivos.

Outro dado que chama a aten√ß√£o √© com rela√ß√£o as interna√ß√Ķes por diarreias que s√£o de 19.2 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os munic√≠pios do estado, a cidade turiense fica nas posi√ß√Ķes 133 de 217 e 29 de 217, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil, essas posi√ß√Ķes s√£o de 3003 de 5570 e 69 de 5570, respectivamente.

Pelos dados do Censo √© poss√≠vel mensurar os altos √≠ndices de mortes de crian√ßas de at√© 1 ano em regi√Ķes rurais de baix√≠ssima renda – o que j√° era conhecido. Al√©m de Turia√ßu, em Santa Helena, por exemplo, 20,6% de todas as mortes ocorridas no munic√≠pio foram de beb√™s.

HOSPITAL PODE ELEVAR √ćNDICE
Como algumas informa√ß√Ķes s√£o referentes ao ano de 2016, √© prov√°vel que a taxa de mortalidade. do munic√≠pio de Turia√ßu venha aumentar no pr√≥ximo levantamento do Sistema de Informa√ß√Ķes sobre Mortalidade. √Č que o Hospital Municipal da cidade registrou quase 15 mortes de beb√™s nos √ļltimos tr√™s meses.

A maior parte dos √≥bitos, segundo den√ļncias que s√£o publicadas nas redes sociais, foi por negligencia. M√£es que perderam filhos chegaram a gravar v√≠deos para denunciar o caso.

1 2 3 4 5 13