Monthly Archives: abril, 2018

Antes n√£o tinha despejo de jogadores, hoje tem…

Na propaganda do governo est√° tudo bonito: dinheiro para o esporte, incentivos para o futebol, mas na vida real(fora das propagandas) atletas est√£o sendo despejados, sem dinheiro nem para pegar √īnibus. A triste fase do futebol maranhense chegou ao seu pior momento. O Moto Clube, time tradicional maranhense de futebol desceu tanto de n√≠vel que foi parar na delegacia.

(Informa√ß√Ķes Bandeira2)

Governador erguendo o trof√©u na foto com os campe√Ķes maranhenses de 2016.

Dirigente partid√°rio com mandato, parlamentar diz que entrada do deputado federal vai fortalecer o partido em todo o Maranh√£o.

Um dos poucos representantes da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB) com mandato parlamentar, o deputado estadual Zé Inácio tem saído em defesa da filiação do deputado federal Waldir Maranhão ao PT.

Maranhão entregou semana passada documento pedindo filiação do partido, mas enfrenta resistência dos principais dirigentes petistas.

‚Äď N√≥s, da CNB, acreditamos que a vinda de Waldir Maranh√£o para o nosso Partido vai ajudar a fortalecer o PT em todo o Estado ‚Äď declarou Z√© In√°cio.

Ele defende que Maranh√£o se comprometa com as centrais sindicais a atuar no Senado em defesa da classe trabalhadora brasileira.

Apenas setores da CNB manifestaram apoio à filiação de Waldir, que tem rejeição dos presidentes municipal e estadual do PT.

O partido tem até o dia 7 de abril para decidir sobre a filiação do deputado federal…

O deputado estadual J√ļnior Verde (PRB) participou da programa√ß√£o do II F√≥rum de Apicultura do Alto Tur√≠, realizado no √ļltimo final de semana, no munic√≠pio de Governador Nunes Freire. O evento foi promovido pela Federa√ß√£o dos Apicultores do Estado do Maranh√£o (FEMAMEL) e contou com a presen√ßa de centenas de apicultores da regi√£o do Alto Tur√≠ e outras localidades do Estado.

O encontro foi realizado no Centro Educacional Professor Hamilton Wernek. Tamb√©m participaram das discuss√Ķes representantes do Governo do Estado e institui√ß√Ķes financeiras. O objetivo foi dar continuidade aos debates sobre a cria√ß√£o de uma Lei que possa disciplinar a atividade da apicultura migrat√≥ria no Maranh√£o.

J√ļnior Verde representou a Assembleia Legislativa e destacou a import√Ęncia do momento para a regulamenta√ß√£o e a moderniza√ß√£o tecnol√≥gica da apicultura, e tudo que envolve a cadeia produtiva do mel de abelha, bem como o fortalecimento de parcerias.

‚ÄúNa primeira edi√ß√£o do evento, propus que o F√≥rum fosse realizado todos os anos. Agora, estamos reunidos em mais uma edi√ß√£o, avaliando os avan√ßos que conseguimos e discutindo as a√ß√Ķes que v√£o fortalecer essa importante atividade em toda a regi√£o produtora‚ÄĚ, garantiu o parlamentar.

Antes n√£o tinha agora tem….

Nesta postagem, o destaque vai para a transparência do ex-governador Zé Reinaldo Tavares, que agiu com clareza e não escondeu a sua intenção de promover uma terceira via no Maranhão. Muito diferente daquilo que fez Flávio Dino, quando embalou ao mesmo tempo, e sem nenhum pudor, seus dois aliados: Elizane Gama e Waldir Maranhão, com promessas sem a menor chance e nenhuma intensão de cumprir.

Antes de tudo, √© importante destacar que Z√© Reinaldo fez a coisa certa ao decidir-se pelo PSDB, atendendo ao convite do presidente nacional do partido, Geraldo Alckimin, que tamb√©m √© governador do estado de S√£o Paulo. Ao contr√°rio do que fez Fl√°vio Dino, que nunca atendia suas liga√ß√Ķes, sem falar das intermin√°veis horas e ch√°s de cadeiras que o Z√© sofreu na recep√ß√£o do Pal√°cio, tendo que se humilhar para ter uma simples conversa (audi√™ncia) com o governador.

O que Flavio Dino n√£o esperava era que, com a sa√≠da de Z√© Reinaldo de sua base aliada, ele favoreceu n√£o apenas o surgimento da terceira via, mas, tamb√©m de uma quarta via, que √© Eduardo Braide, nas elei√ß√Ķes de 2018. Este fato s√≥ comprova que, diferente de Fl√°vio Dino, que impede, vinga, e mata no nascedouro, Roberto Rocha e Geraldo Alckim estendem as m√£os aos outros pol√≠ticos.

Zé que o diga. Por falar nele, fecho com a paródia da campanha publicitária do governador: antes não tinha, agora tem autofagia.

Maura Jorge dever√° oficializar entrada no partido de Bolsonaro, piorando situa√ß√£o eleitoral dos comunistas no Maranh√£o…

Ex-prefeita foi convidada oficialmente e j√° encaminhou, inclusive, v√°rios aliados para concorrer √†s elei√ß√Ķes pela legenda de Jair Bolsonaro, segundo colocado nas pesquisas para presidente do Brasil.¬† O presidente da legenda no Maranh√£o, o vereador Chico Carvalho, j√° liberou sua filia√ß√£o ao PSL,¬†‚Äús√≥ falta ela marcar a data‚ÄĚ, disse Chico.

A entrada de Maura Jorge no PSL já havia sido definida há duas semanas, quando ela se reuniu com o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ), candidato da legenda a presidente. Mesmo com a filiação ao PSL, a pré-candidata deverá manter o apoio do Podemos ao seu projeto de candidatura ao governo.

Ela j√° teve convite oficial do partido e j√° filiou v√°rios de seus aliados, faltando apenas definir sua pr√≥pria entrada. (Informa√ß√Ķes blog do Marco De√ßa)

 

O deputado estadual progressista Wellington do Curso realizar√° na pr√≥xima segunda-feira, dia 02 de abril, audi√™ncia p√ļblica para discutir sobre impactos sociais da implanta√ß√£o da Resex de Tau√°-Mirim e, assim, articular a√ß√Ķes que garantam a defesa dos direitos dos moradores do Cajueiro.

Ao fazer o convite para participação na audiência , o deputado Wellington destacou que o Parlamento Estadual não pode ficar inerte diante dos impactos sociais causados ao povoado do Cajueiro.

‚ÄúH√° um processo em tramita√ß√£o no Judici√°rio que, inclusive, obriga o Estado do Maranh√£o a cumprir determina√ß√£o de n√£o deslocar as comunidades tradicionais na regi√£o mediante a desapropria√ß√£o de qualquer ato que consista em retirar os moradores para instalar ind√ļstrias n√£o relacionadas √† atividade rural. Sabemos dos impactos sociais, da imin√™ncia de viola√ß√£o de direitos e √© por isso que estamos nessa discuss√£o. Enquanto membros do Parlamento Estadual, n√£o podemos permitir que os moradores do povoado Cajueiro sofram com isso. Portanto, convidamos todos para essa discuss√£o e esperamos encontrar meios que garantam os direitos dos maranhenses‚ÄĚ, afirmou Wellington, que √© presidente da Comiss√£o de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa.

A audi√™ncia acontecer√° na segunda-feira, a partir das 14h, no audit√≥rio Plenarinho da Assembleia. Devem estar presentes membros do Minist√©rio P√ļblico, Judici√°rio, l√≠deres comunit√°rios, Comiss√£o de Direitos Humanos da OAB, moradores do Cajueiro entre outros.

Promessas vazias:

Fl√°vio Dino prometeu assim que eleito, que seus auxiliares n√£o iam disputar elei√ß√Ķes. Passados quatro anos, ele se prepara para exonerar seus secret√°rios nesta segunda-feira, 02 de abril, para que todos, no total: sete secret√°rios possam disputar as elei√ß√Ķes deste ano.

Vai tarde, Jerry…

O governador bolivariano Flávio Dino, que é apoiador da ditadura bolivariana na Venezuela, fez tudo ao contrário, por fim, terá que exonerar seus auxiliares para contemplá-los com cargos eleitorais.

Dizem por estas terras que “se o Jerry passasse mais um ano mandando no governo comunista o Maranh√£o ia √† fal√™ncia” (se √© que n√£o j√° foi). O secret√°rio de comunica√ß√£o, que por ‚Äúcoincid√™ncia‚ÄĚ recebeu tamb√©m a incrementa√ß√£o de fazer a articula√ß√£o pol√≠tica (eleitoral?) M√°rcio Jerry, dizem seus bajuladores, que j√° √© considerado um deputado federal eleito com mais de 300 mil votos.

Dá para acreditar, que a principal mudança que era não usar o governo como trampolim eleitoral, como fez Sarney por décadas, Flávio Dino foi incapaz de cumprir em apenas três anos?

O mais cotado para ser eleito deputado federal √© nada manos que o presidente do PCdoB do Maranh√£o, M√°rcio Jerry, que em tr√™s anos fez a legenda avan√ßar como nunca antes na hist√≥ria do Maranh√£o. Bastou ter m√°quina p√ļblica que o PCdoB cresceu vertiginosamente, inclusive, depois que Fl√°vio Dino, com o uso da m√°quina foi feito ‚Äúpoderoso‚ÄĚ sua legenda ganhou express√£o nacional.

Coincidência?

Talvez não. Pesa sobre Márcio Jerry a peraltice de ter gasto somas milionárias em propagandas em território nacional e no exterior, confira aqui:

E assim, o pobre Maranh√£o, depois de quase quatro anos de gest√£o politica-ideol√≥gica est√° no vermelho (fundo do po√ßo) quase quebrado. O comunismo faz isso, o Maranh√£o n√£o seria diferente de Cuba nem da Venezuela.¬† Despertem, conterr√Ęneos.

Abaixo, trecho do blog Atual 7 sobre a “articula√ß√£o” promovida pelo governo pol√≠tico-ideol√≥gico do maranh√£o:

 

O PSDB é feito de mulheres e homens destemidos e corajosos.

Ao longo de anos Jaime Santana, Sebasti√£o Madeira, Roberto Rocha e Jo√£o Castelo fizeram do PSDB um dos partidos mais importantes do Maranh√£o.

Há os que se queixam do vento. Os que esperam que ele mude. E os que procuram ajustar as velas. Arrumamos o barco, içamos as velas, e estamos todos motivados e navegando na mesma direção.

Temos agora o desafio de manter a proa rumo a um porto seguro em outubro deste ano, com as candidaturas de Geraldo Alckmin, presidente e Roberto Rocha, governador.

Agora, o PSDB do Maranhão recebe de braços abertos os deputados Alexandre Almeida e Zé Reinaldo para compor a chapa majoritária como candidatos ao Senado Federal.

No PSDB temos rumo e mapa.  Como  uma equipe coesa, rumamos na mesma direção.

Vamos tocar o barco, de vento em popa, todos juntos, para a vitória no Brasil e no Maranhão.

Executiva Estadual do PSDB/Maranh√£o

A atuação parlamentar de Wellington do Curso e a irresponsabilidade de um governador

Por Robert Lobato

Ao sugerir que Wellington do Curso poderia estar ‚Äúa servi√ßo de fac√ß√Ķes criminosas‚ÄĚ, Fl√°vio Dino n√£o apenas comete uma irresponsabilidade medonha como esquece que o seu governo, isso sim, foi acusado por entidades e autoridades s√©rias ligadas ao direitos humanos de ter feito acordos com fac√ß√Ķes do crime organizado para conter rebeli√Ķes no Complexo Penitenci√°rio de Pedrinhas.

‚ÄúMuito empenho de alguns pol√≠ticos em combater a√ß√Ķes policiais s√©rias no Maranh√£o, que est√£o reduzindo criminalidade. Fico preocupado se n√£o est√£o a servi√ßo de fac√ß√Ķes criminosas. Infelizmente esse tipo de infiltra√ß√£o acontece no Brasil‚ÄĚ.

Foram com as palavras acima que o governador Flávio Dino (PCdoB), no alto da sua bazófia, tentou desqualificar a ação parlamentar do deputado estadual Wellington do Curso (ainda no PP).

Wellington √© conhecido e reconhecido pela forma aguerrida com que atua na Assembleia Legislativa e tem sido um cr√≠tico ferrenho quanto √† forma com que o governador comunista tem tratado a seguran√ßa p√ļblica no Maranh√£o, inclusive em rela√ß√£o √†s atrapalhadas cometidas na realiza√ß√£o de concursos para o setor.

Ao sugerir que Wellington do Curso poderia estar ‚Äúa servi√ßo de fac√ß√Ķes criminosas‚ÄĚ, Fl√°vio Dino n√£o apenas comete uma irresponsabilidade medonha como esquece que o seu governo, isso sim, j√° foi acusado por entidades e autoridades s√©rias ligadas ao direitos humanos de ter feito acordos com fac√ß√Ķes do crime organizado para conter rebeli√Ķes no Complexo Penitenci√°rio de Pedrinhas.

S√£o arroubos do tipo que fazem crescer a cada dia, no seio do povo maranhense, o sentimento de que esse governador n√£o tem rumo.

E precisa pegar um cart√£o vermelho nas elei√ß√Ķes de outubro.

O bast√£o de Z√© Reinaldo…

Em sua enc√≠clica, ex-governador garante que entrada no PSDB foi gra√ßas √† interven√ß√£o de Alckmin(nacional), apesar disso, os √Ęnimos na estadual foram contornados. As expectativas soaram mais alto. Bola pra frente.

Torcida de paz e amor tomou conta do tucanato maranhense pela entrada do ex-governador Jos√© Reinaldo Tavares, que disputar√° a senador na chapa encabe√ßada por seu ex-desafeto pol√≠tico a quem acusava de traidor. Rocha passou o bast√£o de “p√© de pano” para Fl√°vio Dino, que num feito hist√≥rico tirou (usando estruturas publicas) todas as legendas de Z√© Reinaldo, esvaziando assim, suas pretens√Ķes senatoriais em v√°rias tentativas de impedir suas chances de sair candidato a senador.

Coisa que s√≥ elei√ß√£o tem poder de fazer…

Os dois tucanos vivem um breve aceno de paz. O PSDB de Roberto Rocha e Z√© Reinaldo dever√° correr para ganhar¬† o carisma do eleitorado maranhense, que foi disperso no final de 2014, quando o l√≠der nacional, A√©cio Neves, foi abortado em pleno trabalho de parto ainda no segundo turno¬† das elei√ß√Ķes de 2014.

S√≥ lembrando que A√©cio ganhou com Fl√°vio Dino no primeiro turno das elei√ß√Ķes de 2014, mas perdeu sem Dino, que pulou para o palanque de Dilma Rousseff, que apoiou Edinho Lob√£o no primeiro turno.

Durante 4 anos o tucanato ficou esquecido.¬†O bast√£o de “traidor” caiu sob medida para Fl√°vio Dino.

1 7 8 9