Monthly Archives: fevereiro, 2018

Em vídeo, Jerry tenta reverter estragos.

“Não cabe ao governador Flávio Dino, de maneira coronelista do passado, de maneira imperial, chegar e dizer que ele deve ser candidato. Deve ser uma resultante de um consenso progressista, do diálogo e do entendimento, entre as forças partidárias do Maranhão” afirmou o secretário. (Jerry)

Explicações do comunista não convence o ex-governador Zé Reinaldo, que sabe que o principal candidato de Flávio Dino já está escolhido, é Weverton Rocha.

Situação atual é a mesma de 2016, quando o candidato a prefeito já estava escolhido, mesmo Flávio Dino afirmando que tinha quatro candidatos, que eram:  Edivaldo Holanda, Eliziane Gama, Bira, por fim,  Eduardo Braide.

Quando na verdade, Edivaaldo Holanda Jr era o único.

Jerry, tal como um capataz,  tenta feito louco desdizer Flávio Dino, tarefa difícil, pois, Zé Reinaldo Tavares conhece de perto traição.

Correm na vã tentativa de consertar os erros praticados contra aliados desde o inicio do governo. Flávio Dino escalou Márcio Jerry para “justificar” as atitudes de traições dos comunistas, mas só piora ainda mais a situação.

Na tarde desta terça-feira (27), o deputado estadual progressista Wellington do Curso destacou decisão do juiz João Vinicius Aguiar dos Santos que determina a suspensão imediata do processo seletivo simplificado para contratação de professores, em caráter provisório, que trabalhariam na Educação Infantil e Ensino Fundamental no Município de Barreirinhas.

A Ação Civil Pública (ACP) com pedido de liminar foi ajuizada pelo promotor de justiça Guilherme Goulart Soares e já foi ponto de audiência realizada pelo deputado Wellington, ainda em março de 2017.

Ao destacar a decisão, o deputado Wellington ressaltou a importância de se respeitar os aprovados no concurso público.

“A Prefeitura de Barreirinhas realizou concurso público para provimento de diversos cargos no âmbito municipal, com homologação do resultado final em 30 de junho de 2016. Em março de 2017, realizamos uma audiência para discutir sobre a convocação dos aprovados no concurso de Barreirinhas. Por isso, destacamos e ficamos contentes com essa decisão do juiz João Vinicius Aguiar dos Santos que determina a suspensão imediata do processo seletivo simplificado para contratação de professores, em caráter provisório, que trabalhariam na Educação Infantil e Ensino Fundamental no Município de Barreirinhas. Isso é compromisso com o povo do Maranhão. Isso é respeitar quem estudou para obter aprovação em um concurso público”, disse Wellington.

ENTENDA O CASO

No dia 24 de fevereiro de 2017, os professores ocuparam a sede da prefeitura de Barreirinhas e só deixaram o local após reunião com o deputado Wellington. Após isso, no dia 08 de março de 2017, Wellington realizou importante audiência pública no município para discutir sobre a situação. Em seguida, já no dia 20 de setembro de 2017, Wellington e uma comissão que representou os aprovados no concurso se reuniram com o promotor de justiça Guilherme Goulart, titular da cidade para solicitar a suspensão das contratações.

Jerry foi chorar o leite derramado nas emissoras de Edinho Lobão alugadas pelo grupo comunista. Pelo jeito, comunistas continuam prometendo fazer  senadores. Doido quem acredita.

Pouca coisa interessante pôde ser retirada da entrevista do patrão Jerry aos seus subalternos. A principal “pérola” do secretário “todo poderoso” do governo comunista foi confirmar a candidatura principal de Weverton Rocha a senador, alem de Waldir Maranhão, Eliziane Gama, até o ex-governador José Reinaldo Tavares foi citado.

Jerry só não explicou como Flávio Dino, que esqueceu de governar o estado do Maranhão para fazer campanha abertamente pretende eleger 4 senadores em apenas duas vagas no senado federal em Brasília. Abaixo, trecho da “entrevista” palaciana:

“Vou sair em defesa da família de quem estiver sendo atacado”

O parlamento maranhense vive dias de verdadeiro desespero político, até nos debates apela-se para xingamento de familiares. Na tarde de ontem, 26, o plenário da Assembleia Legislativa por pouco não virou um ringue de luta.

Reação, Adriano Sarney  bem mais que briguento, demostrou que honra de verdade o nome da família.

Não deveria ser diferente, o comunismo conseguiu reverter a verdadeira ojeriza que as pessoas tinham ao grupo Sarney, que antes era escrachado, esculhambado, e ninguém falava nada. Mas ontem aconteceu diferente.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Rogério Cafeteira (PSB), que tem a incumbência de defender o governo comunista, acabou xingando os familiares do deputado Adriano Sarney, que não se conteve e xingou os familiares de Rogério.

No dia seguinte, de cabeça fria, o deputado Adriano Sarney (PV), subiu à tribuna da Assembleia Legislativa para se redimir, pedindo desculpas a todos.

Adriano Sarney fez diferente, honrou seu mandato e o nome da família, já o líder do governo, Rogério Cafeteira, sequer apareceu na Assembleia Legislativa. Adriano está correto ao seguir a máxima luterana, que zela pelo bom nome: “o homem de verdade se conhece pela reação e não pela ação”.

“Há três anos ouço questões sobre minha família; meu pai, minha tia, meu avô, a empresa da minha família, e chega um momento que o combo começa a virar, entornar. Isso não quer dizer que não queira comparar o governo passado com o atual, da governadora Roseana com o atual, mas quando eles começam a entrar na seara familiar a gente começa a entrar numa esfera explosiva. Quero pedir desculpas a todos pelo que aconteceu aqui ontem”.

Piorou para Flávio Dino:

Depois de trair todos, Flávio Dino conseguiu fazer o que nenhum outro político fez: trazer de volta para o Maranhão José Sarney.

Sem falar que, o ex-governador Zé Reinaldo Tavares poderá, depois do encontro com o DEM, legenda que tem lhe causado sérios desconfortos,  permanecer no PSB, ou noutras legendas encabeçadas pela dupla Roberto Rocha/Geraldo Alckmin.

É bem verdade que os comunistas já deixaram as economias do Maranhão no vermelho, e poderá piorar a situação, caso Flávio Dino repita os feitos dos antigos oligarcas, que nas eleições abriam os cofres sem pena de torrar dinheiro público.

Abaixo, uma boa leitura da cena política pelo jornalista Gilberto Leda, que esqueceu o mais importante detalhe, o retorno de Sarney ao Maranhão.

 

 

 

Vigilante. Combativo. Produtivo. Perspicaz.

Sobram adjetivos para classificar a postura de Wellington do Curso no exercício do cargo de deputado estadual. Em seu primeiro mandato como parlamentar é de longe o mais atuante entre todos os membros da Assembleia Legislativa. Onde o povo precisa, ele está presente. Naturalmente isso se transforma em capital político, o que coloca Wellington como favorito para ser o campeão de votos em São Luís.

Existem outros fatores que contribuem para isso. A candidatura a prefeito de São Luís em 2016 ainda lhe traz um bom retorno, o famoso recall, e a não concorrência direta com Eduardo Braide (PMN), na disputa pelo cargo.

Wellington será um dos principais personagens na eleição de 2018. Diferente de 2014, quando entrou como franco atirador ou simplesmente um nome novo na disputa, agora, após ter demonstrado sua capacidade de atuação, ele não chega desgastado, pelo contrário. O deputado estadual pode ser uma peça determinante na disputa proporcional, afinal sua votação pode impulsionar a eleição de outros candidatos.

Não se restringindo a região metropolitana, Wellington do Curso pode conseguir um feito que poucos alcançam: ser votado em todos os 217 municipios, afinal sua atuação é estadualizada. Cumprindo uma demanda do povo e não orientação partidária, de governo e muito menos interesses particulares.

O deputado estadual deve ser o campeão do famoso voto consciente (espontâneo), que prova a existência a eleição de políticos a partir do trabalho desempenhado em favor do povo e não de conchavos ou barganhas políticas. (Diego Emir)

Flávio Dino a criatura que traiu seu criador, Zé Reinaldo. 

Depois do desfecho da traição de 2014, quando Flávio Dino virou as costas para Aécio Neves, que deu importante contribuição para Flávio Dino vencer o candidato do Sarney, Edinho Lobão (naquela eleição foi apoiado por Dilma e Lula).

Que fez Dino? Pulou logo em seguida para o palanque de Dilma.

Já em 2016, a dupla Dino e Jerry já demostravam quem seria seu principal candidato ao senado.

O ex-governador, Zé Reinaldo, que deixou o governo do Maranhão com o claro desejo de ser senador pelo Maranhão, antes de sair, fez um governador (Jackson Lago) e um deputado federal (Flávio Dino).

Só alguém de outro planeta desconhece o fato de que o ex-governador  Zé Reinaldo foi o grande idealizador da carreira política do, então, juiz federal, Flávio Dino. Cansado de esperar pela “consciência” do comunista (algo utópico), o ex-governador Zé Reinaldo anunciou rompimento com Flávio Dino, que prefere demonstrar “gratidão” a Weverton Rocha.

Não é de hoje que Dino e Jerry cometem traição. A reação de Zé Reinaldo foi tardia, mas precisa.

Traição anunciada contra Zé Reinaldo…

O Deputado Estadual Zé Inácio (PT) participou nesta sexta-feira 23/02, do lançamento nacional do programa o “Brasil que o Povo Negro Quer”, na cidade do Rio de Janeiro. O debate pretende criar um programa de governo para ressignificar as políticas públicas de igualdade racial, intensificar o combate ao racismo, e analisar os avanços e retrocessos.

O evento contou com a presença do Secretário Nacional de Combate ao Racismo do Partido dos Trabalhadores, Martvs das Chargas; a Presidenta Nacional do PT, Senadora Gleisi Hoffmann; a Deputada Federal, Benedita da Silva; o ex-chanceler do governo Lula, Celso Amorim e o Deputado Federal, Vicentinho.

Para o Deputado Zé Inácio “esse debate buscar alternativas viáveis para a superação do racismo na sociedade brasileira e criar um novo programa de Governo para o Lula, com a ajuda do povo negro”, disse.

A ideia é que a proposta seja debatida e sirva como contribuição para todos os estados brasileiros. A ponte será feita entre as secretarias estaduais de Combate ao Racismo junto aos movimentos sociais para que sejam firmadas parcerias para a elaboração dos programas estaduais de governo.

1 2 3 8