Monthly Archives: novembro, 2017

Usando e abusando da máquina pública, governador esquece promessas e pretende se reeleger criando e distribuindo cargos públicos.

Se está bem nas pesquisas porque alimenta os Leõezinhos que prometeu deixar com fome em tempos de eleições, com as carnes dos pobre?

Onde estão os bons jornalistas do Maranhão, que antes denunciavam as manobras da “oligarquia” usando as estruturas públicas para garantir reeleições? Onde estão as penas de Cunha, Garrone, Manelzinho? 

Abaixo, a excelente análise do jornalista pedetista Gláucio Ericeira:

Eleito prometendo mudanças e novas práticas políticas, o governador Flávio Dino (PC do B) e muitos dos seus aliados, ao longo destes quase três anos de gestão, mostraram-se, tão somente, serem mais do mesmo.

Dino, com o objetivo de reeleger-se ano que vem, promove a boa e velha tática da cooptação política/partidária, tão condenada por ele quando estava na campanha eleitoral, em 2014, enfrentando Edinho Lobão (PMDB), então candidato do grupo Sarney.

Depois de trazer para o seu lado setores do PT e partidos como PP, PTB, PR e PRB – só para citar alguns exemplos – tudo as custas de cargos dados nos primeiro e segundo escalões do governo (reveja) — Flávio Dino deu nesta quarta-feira (01), na cidade de Imperatriz, mais um exemplo da sua incoerência política.

O governador empossou Frederico Ângelo como presidente da recém criada Agência Metropolitana do Sudoeste.

Ângelo é aliado do ex-prefeito de Imperatriz, Ildon Marques (PSB), e foi seu secretário municipal de Infraestrutura.

Sua indicação partiu do próprio Marques, que estava flertando politicamente com o senador Roberto Rocha (PSDB) – reveja – e resolveu abandonar o tucano depois de receber das mãos de Flávio Dino o comando do novo órgão estadual.

No entanto, até bem pouco tempo atrás, o ex-prefeito era pessoa non grata para Dino e alguns dos seus seguidores.

Ano passado, o seu homem forte, o secretário estadual de Comunicação e Assuntos Políticos e presidente do PC do B no Maranhão, Márcio Jerry, dizia cobras e lagartos do hoje aliado Ildon Marques, que foi derrotado no pleito municipal.

É cristalino verificar que para o governador comunista novas práticas políticas não são, nem de longe, prioridade no seu projeto de manter-se no poder.

E o eleitor já percebeu isso.

Madeira pede afastamento de Brandão do PSDB e dá lição em comunistas.

Apesar de pedir “intervenção” na legenda tucana, Madeira não impediu Brandão o direito de falar, nem expôs vergonhas ao público, da forma como fazem os aliados de Brandão.

Antes e depois: Após ganhar com a força do PSDB em 2014, Dino traiu Aécio e fez campamha para Dilma no segundo turno.
Em 2018, Dino quer Ciro ou Lula.

Madeira acabou dando uma boa liçao aos aliados do comunismo maranhense, que de forma autoritária, recentemente, anunciaram nas redes sociais, que expulsariam do PSB o seu representante no senado federal, Roberto Rocha, após ter declarado seu proposito de disputar ao governo do Maranhão.

A lição dada pelo ex-prefeito de Imperatriz servirá para que aprendam usar o poder, sem pisar, sem expor ou envergonhar, “sem perder a ternura”, nem a classe:

Através de uma vasta documentação, o ex-prefeito Sebastião Madeira enviou à direção nacional do PSDB, informações sobre a gestão de Brandão, que por vários anos detêm o poder absoluto da legenda tucana.

Carlos Brandão, ainda no PSDB, estaria, segundo consta no calhamaço apresentado ao tucanato, “completamente envolvido no projeto político do PCdoB que se mantém alinhado com PDT, PT e PSB, os quais visam eleger o próximo presidente do país de uma frente esquerdista, enquanto que os tucanos pensam de outra forma e deve apresentar candidato ao principal cargo eletivo do Brasil”.

A vasta documentação foi enviada desde o dia 24 de outubro, mas, Sebastião Madeira, Imperatriz pediu ainda, que seja garantida o direito a ampla defesa do vice-governador em um prazo de até oito dias, o qual se encerra nesta quarta-feira (1).

Fato: CPI tem relatos graves contra Flávio Dino, inocentado por Janot, que foi flagrado em “conversas” com advogado de Joesley Batista, dono da JBS (reveja), numa mesa de um bar…

Ataques à honra: Por cobrar a verdade em CPI,  Roberto Rocha é atacado pela imprensa governista.

Houve dinheiro para irrigar várias campanhas de candidatos ao governo em 2014, em seu primeiro depoimento, empresário da JBS afirmou que candidato do PCdoB recebeu propina. Mas, grupo controlado por Márcio Jerry se prepara para acusar outros.

A mídia palaciana saiu em defesa do indefensável. Mas, será que Márcio Jerry, que controla a secretaria que mais gasta milhões do governo Flávio Dino vai ter a cara de pau de dizer que o dinheiro da propina foi “culpa do Sarney”?

Nos grupos de whatsapp “noticiaram”as palavras de Marcio Jerry. Confira alguns ataques ao senador Roberto Rocha, abaixo:

 

 

 

O 16º governador que recebeu propina foi o governador do Maranhão, do PCdoB, cujo o irmão era a alma do Dr. Janot, e talvez o Sr Ricardo Saud tinha interesse de protege-lo à época, lembrou o senador Roberto Rocha ao  empresário da JBS, que foi enquadrado pelo relator da CPI como sendo “protegido” de Rodrigo Janot e Nicolau Dino.

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA), que é relator da CPI que investiga repasses bilionários do propinoduto petista, fez perguntas ao ex-executivo da empresa JBS, Ricardo Saud, sobre dinheiro de propinas da empresa para as eleições de 2014.

Roberto Rocha enquadrou o empresário, que em seu depoimento anterior disse que o 16º governador a receber propina foi o comunista Flávio Dino.

No vídeo, o empresário preferiu ficar calado, alegando o direito constitucional de não falar, porém, o senador maranhense trouxe a lembrança de seu depoimento anterior, complicando o governador Flávio Dino (PCdoB) de envolvimento em esquemas de propina das empresas investigadas. Confira no vídeo:

 

 

“o pior inimigo é aquele que não esboça reação, frio, que te enforca ao abraçar”.

Othelino Neto está preste a tomar o controle de Pinheiro. Ação deve ser para “salvar” a cidade das mãos do Sarney e deu seu pupilo, o Filuca Mendes.

Não é de se estranhar que a Câmara de Vereadores do município de Pinheiro, importante curral eleitoral  de Othenino Neto (PCdoB), esteja sendo acionada para afastar o prefeito Luciano Genésio, que não teve apoio do governador em sua eleição em 2016, mas, depois de eleito foi chamado de “aliado”, ou seja, Flávio Dino tentou matar, mas depois quis abraçar.

Não é segredo pra ninguém que o controle de Pinheiro-MA, passa antes de tudo pelo deputado “comunista” Othelino Neto, que tem sua esposa como vice-prefeita da chapa derrotada nas eleições de 2016, por Luciano.

Novamente o “abraço” comunista:

Para aqueles que pensam que são aliados do governador, seria bom considerar o caso do jovem prefeito Luciano Genésio.

Nas 217 cidades, os munícipes enfrentam as mesmas dificuldades, mas, o governador aproveita o cargo barganhar popularidade ao lado dos prefeitos, foi assim com Pinheiro, de Luciano, que está preste a ser cassado.

Um detalhe nessa tramoia malignamente orquestrada para afastar o prefeito é que ele, assim como muitos outros prefeitos das cidades do interior do Maranhão foram chamados ao líder do comunismo, no Palácio Dos Leões, para tirarem fotos sorrindo ao lado do governador, que é candidato à reeleição em 2018, que está em “pré-campanha”, por onde anda anuncia asfalto, inaugura escolas (muitas delas apenas pintadas), entregando ambulâncias, ônibus escolares, e fazendo dos prefeitos verdadeiros cabos eleitorais.

1 11 12 13