Monthly Archives: outubro, 2017

Sinecura era uma termo usado pelos aliados de Roseana Sarney para ocuparem vagas no governo.

No governo atual, apenas na sede administrativa da EMSRH – Empresa Maranhense de Administra√ß√£o Hospitalar, que mudou-se recentemente para outro pr√©dio maior (que custou mais caro aos cofres p√ļblicos) por falta de espa√ßos para “sinecuras”, para “controlar” todos os contratos da Secretaria de Sa√ļde do Maranh√£o, anunciou uma esp√©cie de concurso em pleno ano eleitoral.

Após criticas da imprensa, órgão do governo, que ocupa prédios alugados em quase toda a cidade, anunciou concurso para preenchimento de apenas 10 vagas.  Abaixo, um trecho da denuncia feita pelo blog Atual 7.

Já chega a exatos 637 a quantidade de cargos comissionados no Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) no Maranhão.

A informa√ß√£o sobre o incha√ßo desmedido no contingente da autarquia est√° numa peti√ß√£o da Confedera√ß√£o Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen) a respeito dos pareceres do Governo do Maranh√£o, Advogacia-Geral da Uni√£o (AGU) e Procuradoria-Geral da Rep√ļblica (PGR) sobre uma Argui√ß√£o de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF, proposta pela entidade no Supremo Tribunal Federal (STF), contra o uso de comissionados pelo Procon-MA para atividades que deveriam ser executadas por concursados ‚ÄĒ baixe o documento.

‚ÄúAcerca da inconstitucionalidade material dos ‚Äėanexos‚Äô introduzidos pela Lei Estadual 10.438/2016, importa registrar ‚Äď e informar ‚Äď que, atualmente, a indicada situa√ß√£o de les√£o a preceito fundamental encontra-se deveras agravada, sobretudo pela edi√ß√£o do Decreto n¬ļ 32.731, de 23 de mar√ßo de 2017 , que disp√īs sobre a organiza√ß√£o administrativa do PROCON/MA (ora reproduzido em anexo). Isto porque, a partir das altera√ß√Ķes na estrutura org√Ęnica do Executivo local determinadas pela Medida Provis√≥ria n¬ļ 229, de 02 de fevereiro de 2017 , foram introduzidos mais quatro ‚Äėanexos‚Äô, em adi√ß√£o √†queles tr√™s estabelecidos um ano antes pela Lei Estadual 10.438/2016, criando, por ato administrativo, um total de 637 (SEISCENTOS E TRINTA E SETE), APENAS DE CARGOS COMISSIONADOS, integrantes da estrutura organizacional do PROCON/MA‚ÄĚ, diz trecho do documento.

No pedido, protocolado no início desta semana, a Confenen ironiza e derruba o argumento de que a ampliação de cargos comissionados ocorreu em razão da fusão do Procon com o Viva Cidadão.

‚ÄúA mencionada ‚Äėfus√£o‚Äô (sic), malgrado servir de pretexto para a formid√°vel cria√ß√£o e aumento de cargos exclusivamente comissionados previstos nos ‚Äėanexos‚Äô do ato administrativo, Decreto n¬ļ 32.731, de 23 de mar√ßo de 2017 ‚Äď em absoluto desacordo com o estabelecido no art. 37, II e V da CF e na pr√≥pria Lei Estadual 10.305/2015 (art. 13) ‚Äď, trouxe, com efeito, para o quadro da autarquia Interessada, certo n√ļmero de servidores de incomprovado v√≠nculo efetivo com a administra√ß√£o, bem como mais outros tantos em cargos comissionados, oriundos daquele ‚Äė√≥rg√£o at√≠pico‚Äô, referidos numa lista constante nos autos‚ÄĚ, destaca.

Apesar do alto n√ļmero de comissionados, mesmo diante de fortes cr√≠ticas, al√©m de uma outra a√ß√£o pela substitui√ß√£o desses comissionados por concursados, a autarquia respons√°vel pela defesa do consumidor no estado abriu recentemente apenas 10 vagas para o quadro permanente da institui√ß√£o. √Ä √©poca, sabia-se da exist√™ncia de apenas pouco mais de 300 comissionados.

O Procon no Maranh√£o √© comandada pelo advogado Hild√©lis Duarte Junior, filiado ao PCdoB e pr√©-candidato a deputado estadual nas elei√ß√Ķes de 2018.

 

 Péssimo sinal: só no gogó!

Pela segunda vez, Fl√°vio Dino postega “encontro de gratid√£o” de Z√© Reinaldo. Muitas palavras e pouca atitude do governador, que, at√© agora, n√£o compareceu aos encontros do seu criador.

Nas mangas da criatura Dino, dois nomes, aliás, três nomes até agora estão confirmados na chapa governista ao senado na frente do Zé: Weverton Rocha, Waldir Maranhão e Eliziane Gama.

A falta de apoio √† candidatura de senador do ex-governador Jos√© Reinaldo Tavares se d√° pela sua performance no Congresso. Fl√°vio Dino n√£o engoliu at√© hoje a vota√ß√£o de Z√© Reinaldo de votar pelo impeachment de Dilma, tamb√©m a recente vota√ß√£o do arquivamento da den√ļncia contra Temer.

Com letras garrafais de “GRATID√ÉO”, o encontro promovido pela Federa√ß√£o dos Munic√≠pios, Famem,¬† em favor do ex-governador Z√© Reinaldo, foi postergada pelo governador, que √© criatura do Z√©.

Atenção: alguém da assessoria de Flávio Dino, por favor, informe sobre GRATIDÃO ao governador.

Está sobrando palavras e faltando atitude: para um bom entendedor da politica atual, a atitude postergada de Flávio Dino em relação ao candidato ao senado, Zé Reinaldo. Todos falam que o Zé ainda espera apoio de Dino, mas, o governador tem demostrado atitudes contrárias: de ingratidão.

Abaixo, em letras garrafais: o “encontro de GRATID√ÉO” de Z√© Reinaldo, pela segunda vez, sem Fl√°vio Dino:

2008 foi um ano a ser esquecido pelo l√≠der do comunismo maranhense, Fl√°vio Dino…

Amnésia política: discurso da malandragem para esquecer apoio do PT ligado a Roseana Sarney na primeira eleição majoritária de Flávio Dino.

H√° quase dez anos atr√°s Fl√°vio Dino iniciava sua primeira disputa majorit√°ria contra o tarimbado Jo√£o Castelo (ex-governador, ex-senador). De um lado o comunista oriundo dos sindicatos, ex-juiz federal, deputado federal, uma esp√©cie de ‚Äúcriatura pol√≠tica do governador Jos√© Reinaldo Tavares‚ÄĚ, Fl√°vio Dino e muitos de seus aliados costumam usar discursos¬† eloquentes para dizerem que s√£o inimigos do Sarney. Naquele mesmo ano, Dino foi visto na casa da senadora Roseana por um deputado, que hoje est√° calado em sua legenda comunista.

Velha política: Por trás da eloquência do falar, um simples malandro.

Mas, os históricos daquela importante eleição de 2008 mostram o contrário.

Velha política: Por trás da enlouquecia do falar, um simples malandro.

H√° quase dez anos atr√°s, Comunistas e Petistas celebravam uni√£o com o grupo Sarney: Houve uma disputa acirrada entre PSDB (e PDT) contra o PCdoB, tendo apoio do PT e PMDB (de Lula e Roseana Sarney).

De Vitorino Freire, passando por José Sarney, ainda, nos dia atuais, a velha e rabugenta forma de fazer política impregnada de malandragens.

A verdade √© que Fl√°vio Dino (PCdoB) s√≥ conseguiu ir para o segundo turno disputar contra Jo√£o Castelo(PSDB) com a for√ßa do PT local, comandado por Washington Oliveira, o ‚Äúmacaxeira‚ÄĚ, e toda sua corrente (sarnysista) da CNB (Construindo um Novo Brasil). Na √©poca, o PT local estava atrelado ao comando de Lula, que se recusava vir ao Maranh√£o por conta da derrota de sua candidata Roseana Sarney, sobre o pedetista Jackson Lago.

2008 foi um ano a ser esquecido pelo líder do comunismo maranhense, Flávio Dino, que enfrentou a máquina pesada do Estado, do então governador Jackson Lago, que entrou de cabeça na eleição do tucano João Castelo. Jackson Lago, não demoraria ser cassado pelo mesmo PT/PMDB que ajudou a eleição do comunista Flávio Dino, que hoje é governador.

Nota:

A cobertura eleitoral de 2008 virou artigo de formatura do jornalista Marco Déça, onde os próprios jornalistas da época, Décio & Deça (opositores ferrenhos do governador Jackson Lago) acabaram por demostrar uma leve queda aos comunistas. Abaixo, trechos da eleição de 2008:

Wikipédia:

Feitiço vira contra o feiticeiro: Brandão pode ser expulso do PSDB.

O blog apurou que o vice-governador Carlos Brand√£o pode ser expulso do PSDB antes da conven√ß√£o estadual do partido prevista para o pr√≥ximo m√™s. Segundo um tucano, “Brand√£o desagrada tucanato de A√©cio, Jereissat a Alckimin”.

Interesses do vice-governador Carlos Brandão nada têm em comum com os interesses da legenda tucana.

Carlos Brand√£o, que ainda est√° no cargo e presidente estadual PSDB, j√° √© visto pela c√ļpula nacional do tucanato como um mero instrumento a servi√ßo do projeto comunista, tanto no plano local quanto nacional.

“A situa√ß√£o do Brand√£o √© muito delicada junto √† dire√ß√£o nacional do PSDB que j√° sabe que ele n√£o est√° afinado com os projetos do partido, mas apenas se transformou num instrumento de manipula√ß√£o para defender os interesses dos comunistas tanto no plano estadual e nacional”, disse um membro do tucanato maranhense, que acabou de pular do palaque comunista, e que j√° teve mandato pelo PSDB.

No dia 11 de novembro próximo, o governador de  São Paulo, Geraldo Alckmin, liderança forte tucana, estará em São Luís para participar de um evento promovido pelo senador Roberto Rocha.

Até lá é possível que Carlos Brandão já tenha sido defenestrado dos quadros do PSDB e ainda ter que se explicar junto à Justiça Eleitoral.

Elei√ß√Ķes 2018: eleitores n√£o podem votar em pol√≠tico que beneficia a corrup√ß√£o.¬†

Na gest√£o passada, da governadora Roseana Sarney, esses mesmo pol√≠ticos diziam¬† era prejudicial para os cofres do Maranh√£o contrair empr√©stimos, mas, nesta gest√£o da “mudan√ßa” n√£o √© mais?

Atenção eleitores, aí estão os culpados pelo divida milionária. Agora pode?

Na mesma semana em que o grupo comunista faz campanha contra alguns deputados federais, que votaram a favor do Presidente Michel Temer, estampando em suas manchetes, nos blogues, sites, r√°dios e tvs e apaniguados etc, alguns deputados estaduais, da base governista votaram pelo endividamento de mais 100 milh√Ķes.

Abaixo, informa√ß√Ķes do blog do Felipe Mota:

 

Leandro Karnal teve seu pico de audi√™ncia a partir do momento que confrontou os telespectadores da tv chamando-os de ‚Äúcorruptos‚ÄĚ.

A sociedade que busca solu√ß√Ķes √© a mesma que prefere apontar e n√£o olhar para si.

Recebi um convite para ouvir sobre a busca pela verdade, que vai acontecer durante uma palestra proferida por um intelectual da moda, num preço accessível, só tenho que pagar uma inscrição que custa algumas dezenas de reais. Beleza, todos querem ouvir intelectuais com receitas imediatas.

Confrontando-me com meu eu.

Nem o d√≠zimo nem o quinto dos infernos…

Sem querer abusar das redund√Ęncias, vira e mexe deparo-me com quest√Ķes de subsist√™ncias, quest√Ķes m√≠nimas e b√°sicas de pessoas que falta pouco para resolverem-se: falta a pr√°tica de enxergar-se por dentro, onde uma m√≠nima introspec√ß√£o resolveria, caso soubesse se enxergar nos contextos de crises com a orienta√ß√£o verdadeira, uma orienta√ß√£o sobre a busca pela verdade que pode fazer-se sentir-se leve, solto, “outra pessoa”.

Al√©m de redundar-me, n√£o quero falar de verdades pessoais, deter-me na √ļnica verdade que preciso: ser confrontado, coisa que nossa sociedade n√£o est√° acostumada, que foi escrita h√° s√©culos, despertada recentemente na tela da TV.

√Č bem a√≠ que entra minha narrativa sobre Jesus Cristo e Karnal.

Recentemente o historiador brasileiro, que foi estudante de teologia (estudo que tenta explicar Deus atrav√©s da b√≠blia) mas se diz ateu,¬†Leandro Karnal, pasmem, teve seu pico de audi√™ncia garantido a partir do momento que confrontou os telespectadores da Band News, chamando de ‚Äúcorruptos‚ÄĚ todos que furavam filas em bancos, entregavam atestados m√©dicos para fugirem de compromisso em provas de escolas, faculdades, ou fugirem de compromissos em servi√ßos, etc.

Todos que reclamam da corrupção da política do Brasil praticam a corrupção. Alguém teve que mostrar aos índios o espelho.

Lógico que a narrativa não era acusatória, mas, o filosofo estava apenas usando uma simples tática dos evangelhos escritos por Cristo, de olhar para sí, confronta-se. Aliás, observo que as igrejas católicas e evangélicas estão perdendo espaço para filósofos, mesmo que para e isso, cobrando mais que 10%, daquilo que seria o dízimo das igrejas.

O mundo não teria tantas crises se buscássemos respostas olhando para dentro de nós mesmos, ao invés de simplesmente apontar para outros (acusar alguém) pelos nossos erros.

Para finalizar, é preferível mostrar por testemunho, mostrar por atitudes, de verdade, de honestidade, de caráter, desta forma a coletividade terá oxigênio para viver sob toda situação de crise.

Nota:

Chama-se de “carnal” qualquer fiel que viva de forma infiel (vida desregrada nas igrejas), que n√£o pratica as atitudes do mestre Jesus Cristo.

Nada tenho contra o professor Leandro Karnal, ali√°s, desejo-lhe boas leituras da b√≠blia. Adorei sua indica√ß√£o sobre a literatura que tenta situar o brasileiro de suas origens, retirada do livro ‚ÄúCasa-grande e senzala‚ÄĚ.

Como um mestre, Karnal está bem intencionado na tarefa de iluminar nossa gente. Parabéns a todos que tentam fazer nosso povo refletir sobre a corrupção nossa de cada dia neste imenso país, que infelizmente não consegue olhar para dentro de si, nem evoluir da condição de senzala.

Nos tempos atuais, enquanto o brasileiro dorme em berço esplêndido,  escravistas orientais munidos de bugigangas batem à porta.

Milícia depreda rádio de opositor do governo maranhense

O Maranhão vive tempos muito estranhos, com propriedades invadidas e centenas de mandados judiciais de reintegração de posse ignorados pela polícia do governador Flávio Dino (PCdoB). Milícias também atuam como jagunços. Cerca de 30 criminosos depredaram, na quarta (25), em São Luís os transmissores da Rádio Capital, do senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Ele não reza na cartilha de Flávio Dino e preside a CPI do BNDES, que investiga falcatruas dos governos do PT.

Os jagunços do Maranhão destruíram equipamentos e até derrubaram a antena, tentando tirar a rádio do ar do ar. Ninguém foi preso, claro.

Roberto Rocha não descarta possível retaliação ao seu trabalho na CPI do BNDES, que agora também vai investigar empréstimos a Estados.

‚ÄúO Maranh√£o virou Venezuela‚ÄĚ, diz Roberto Rocha sobre o vandalismo pol√≠tico. O governo estadual n√£o comentou o empastelamento. As informa√ß√Ķes s√£o da Coluna Cl√°udio Humberto.

“Fl√°vio Dino √© o governador dos impostos e dos empr√©stimos”, diz deputado Wellington ao repudiar e votar contra o endividamento do governo em mais de R$ 100 milh√Ķes…

Contra o aumento de impostos e em defesa da popula√ß√£o, o deputado estadual Wellington do Curso (PP) votou contra a proposta do Governo do Estado do Maranh√£o que foi encaminhada √† Assembleia, por meio do Projeto de Lei n¬ļ 262/2017, que disp√Ķe sobre um empr√©stimo de US$ 35 milh√Ķes (mais de R$ 100 milh√Ķes) junto ao Banco Interamericano. Os recursos ser√£o usados Projeto de Gest√£o Fiscal do Estado (Profisco II), que na pr√°tica, vai ampliar o sistema de cobran√ßa de impostos no Maranh√£o.

Para o deputado Wellington, al√©m de a medida ser inconstitucional, trar√° resultados negativos para o maranhense e maus endividamento da m√°quina p√ļblica.

“O meu posicionamento aqui √© claro: n√£o sou a favor desse empr√©stimo. Esse projeto √© inconstitucional: Fl√°vio Dino quer que autorizemos os ajustes fiscais que s√≥ ser√£o decididos no final da implanta√ß√£o do projeto. Ou seja: autorizar algo que nem sabemos em que dimens√£o ocorrer√°! Como justificativa, usou o termo t√©cnico de ‘moderniza√ß√£o¬† fiscal’. Na pr√°tica, isso significar√° o arrocho pra cima de pequenos e m√©dios empres√°rios e consequentemente mais demiss√Ķes no Maranh√£o. Com essas a√ß√Ķes a popula√ß√£o come√ßa a ver o desgoverno que tomou de conta do Maranhao. Governador, Vossa Excel√™ncia n√£o est√° satisfeito com o aumento na conta de luz, nos combust√≠veis, internet e telefonia? Ainda acha pouco? Isso √© maldade com a popula√ß√£o! Esse n√£o √© o ‚ÄúGoverno de Todos N√≥s‚ÄĚ! Esse sim, √© o Governo dos Empr√©stimos e do aumento de Impostos. N√£o conte comigo nesse projeto sem transpar√™ncia, que penaliza e endivida mais uma vez¬† o maranhense que √© quem vai pagar a conta”, afirmou Wellington.

Paralisação da frota acontecerá no inicio desta manhã e se estenderá por três horas. 

Abaixo, nota do Sindicato dos Rodoviários. 

O Sindicato dos Rodoviarios do Maranh√£o informa que a paralisa√ß√£o de advert√™ncia da categoria, amplamente divulgada, est√° confirmada para acontecer nesta sexta-feira (27), de 09 horas ao meio-dia. Por tr√™s horas, os √īnibus que circulam por S√£o Lu√≠s ir√£o parar. O Presidente da entidade ressalta, que a decis√£o foi tomada com o apoio dos pr√≥prios trabalhadores Rodovi√°rios, que n√£o suportam mais os constantes atrasos nos pagamentos de sal√°rios e de benef√≠cios, como o ticket alimenta√ß√£o.

Durante a paralisação, Isaias Castelo Branco, permanecerá na Praça Deodoro, no Centro, onde o movimento é mais intenso, a disposição para atender a imprensa, em caso de mais esclarecimentos sobre o movimento, que visa defender os direitos da categoria.

Ascom Sind. Rodovi√°rios ‚Äď MA

1 2 3 4 14