Eleições 2018: Para não perder, Flávio Dino segue trocando estruturas do governo por “apoio”…

2

A cooptação de prefeitos e lideranças: Flávio Dino imita Sarney para não perder eleição.

A mesma prática de antes, quando condenava Roseana Sarney que loteava estruturas do governo para “aliados” em troca de “apoio” para garantir a eleição.

Basta lembrar que, em seu discurso de posse, Flávio Dino chegou a afirmar que: os “leõezinhos da entrada do Palácio passariam fome em tempo de eleição”. Mas, passados três anos, foi liberado o uso da maquina.

Em ritmo de eleição, comunista Flávio Dino segue “contemplando” ex-desafetos políticos, gente como André Fufuca, aliados de Eduardo Cunha e Michel Temer do PMDB, que recentemente exigiu a titularidade da SEDEL (Secretaria de Estado do Esporte e Lazer) usando como moeda eleitoral as estruturas públicas em troca de apoio eleitoral (votos) descaradamente.

Desesperado, Flávio Dino teve a coragem de tirar Márcio Jardim, um petista, para colocar um secretário indicado por André Fufuca (PP), que e aliados dos “golpistas” Eduardo Cunha e Michel Temer (PMDB).

Lotado de sarneysistas:

Abaixo, os novos “aliados”, gente tarimbada pela “oligarquia” Sarney, mas que foram, através de (?…) sabe-se lá de que forma, cooptados pelos comunistas para não perderem as eleições de 2018:

 

 

2 respostas para “Eleições 2018: Para não perder, Flávio Dino segue trocando estruturas do governo por “apoio”…”

  1. Bom dia.
    Verdade Ricardo Santos, me recordo que ha bem pouxo tempo atras se criticava essas acoes covardes feitas pelo grupo Sarney, trocava favores pessoais pelas benecias pessoais.
    Em comparacao: O entao Senador Bahiano, ja falecido, Antonio Carlos Magalhaes, conseguiu desenvolver o seu Estado, pois tudo o que fazia, era para desenvolvimento da Bahia, enquanto q o maranhao nunca concseguiu se desenvolver, porque os favores do nosso estado eram usados como moeda de troca pessoal. Tai, um estado que sempre vivera no atraso.
    Me recordo que em ate pouco tempo, tem gente nessa relacao que tinha seu nome envolvido por trabalho escravo.
    O Maranhao do futuro sim, mas um Maranhao que continua no atraso.
    Parabens Ricardo Santos pela coragem de escrever sobre esss praticas espurias da politica do nosso estado.