“Caos na educação: professores em greve há 17 dias e mais de 20 escolas ainda nem começaram o semestre letivo”, denuncia deputado Wellington

4

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) voltou a cobrar, na manhã desta quinta-feira (17), um posicionamento por parte da Prefeitura de São Luís diante do caos estabelecido na educação pública. Há 17 dias os professores da Rede Municipal de Ensino iniciaram greve por tempo indeterminado e, até o presente momento, a Prefeitura sequer sinalizou vontade em ouvir a categoria e solucionar o problema.

Sobre a situação, o deputado Wellington, que desenvolve o projeto “De Olho nas Escolas”, mencionou várias escolas que sequer iniciaram o segundo semestre de 2017.

“Nós conhecemos a realidade das escolas públicas municipais e estaduais. Visitamos várias escolas e o que constatamos foi a precariedade. A falta de infraestrutura, sem as condições básicas para funcionamento. O que se estabeleceu foi um verdadeiro caos na educação: professores em greve há 17 dias e mais de 20 escolas ainda nem começaram o semestre letivo Encaminho aqui ao Prefeito a solicitação que não é minha, mas sim de pais que estão desesperados e revoltados com a possibilidade de seus filhos perderem o ano letivo”, disse Wellington.

Entre as escolas municipais já visitadas pelo deputado Wellington, estão a UEB Jackson Lago; UEB Profº Nascimento de Moraes; UEB Profº Mata Roma, entre outros.

4 respostas para ““Caos na educação: professores em greve há 17 dias e mais de 20 escolas ainda nem começaram o semestre letivo”, denuncia deputado Wellington”

  1. O deputado vai se cansar assim como eu que estou sempre usando os espaços dos blogs para criticar e chamar atenção acerca dos problemas da educação cujo fracasso de Edivaldo é notório, estamos no final de agosto e tem escolas que sequer iniciaram o ano letivo, as merenda oferecida aos alunos só é boa no discurso do prefeito e de Moacir, as merendeiras continuam com problemasdo salário a licitação, estranha, não convenceu ninguém, os porteiros sem nenhum treinamento a empresa que teoricamente “venceu” a licitação só cumpriu do edital da licitação a camisa usada pelos porteiros que como dizia o mesmo tinha que estarescrito “a serviço da Semed” isso a Jm já fez e só, aliás, eu não entendo até hoje por que de fato o MP não investiga os contratos feito na gestão de Edivaldo como relação às terceirizaçoes feita por ele nas escolas, colocam qualquer um para trabalhar nas escolas sem uma única referência sem atestado de boa conduta isso vale para turma de serviços gerais também, ontem os operacionais numa escola precisaram colocar umas cadeiras para as crianças no pátio para uma atividade e a operacional ficou furiosa questionando a diretora, dentre outros absurdosque vejo acontecer fruto da incompetência que ao contratar pessoas na base do improviso sequer fazem uma palestra informando quais são suas atribuições, em fim eu costumo dizer que o legado deixado por Edivaldo na educação é só de terceirizar os péssimos serviços ofertados na educação cuja importância é desprezada pelo gestor

    • Como assim?
      O único dos 42 deputados que demostra interesse pelas causas do povo e sai em defesa.
      Lutar pela transparência, pelo bom funcionamento, denunciar problemas é promoção?

  2. A grande maioria dos nossos aliados de nosso governador estão em sala de aula. Uma pequena minoria que luta por nós não está trabalhando.