Monthly Archives: maio, 2017

Press√£o contra Lava Jato…

Dirceu solto, Palocci interrompeu dela√ß√£o na Lava Jato: por hora Lula continua correndo livre para 3¬ļ mandato de presidente.

Não há como negar que a soltura do mensaleiro José Dirceu foi um golpe duro na Lava Jato. O próprio ex-ministro de Lula, Antonio Palocci, também complicadíssimo na Lava Jato, que estava disposto a delatar voltou atrás depois que Dirceu foi solto.

Enquanto não chega a prisão do líder da organização petista, até quem já estava condenado por vários crimes é solto.

Nos bastidores do poder, comenta-se que a movimentação de governadores do Nordeste ligados ao PT é grande para livrar o ex-presidente ao mesmo tempo que tentam obstruir a Lava Jato.

 

Z√© Reinaldo lan√ßa pr√©-candidatura ao senado e Roberto Rocha confirma que nas elei√ß√Ķes de 2018, elei√ß√£o vai ter uma ¬†terceira via. (Coluna Ponto & Contraponto)

Ex-governador mantém lançamento de candidatura, dia 6, em Tuntum, com apoio de Tema Cunha

Tema Cunha e José Reinaldo: amizade e aliança política sólidas

Ainda que n√£o tenha definido o partido que o embalar√°, o ex-governador Jos√© Reinaldo Tavares tem data marcada para al√ßar voo em dire√ß√£o ao Senado da Rep√ļblica: ser√° no pr√≥ximo s√°bado, em Tuntum, num grande ato pol√≠tico de repercuss√£o estadual a ser organizada pelo prefeito e presidente da Famem, Cleomar Tema Cunha, que muito provavelmente tamb√©m poder√° se desfiliar ao PSB.

Setent√£o em plena forma e caminhando para 80, Jos√© Reinaldo sabe que esta ser√° sua √ļltima chance de realizar o sonho de chegar ao Senado, completando uma carreira com dois mandatos de deputado federal, meio mandato de vice-governador e um mandato e meio de governador, al√©m de uma rica trajet√≥ria no servi√ßo p√ļblico: secret√°rio de Estado v√°rias vezes, diretor geral do DNOCS, presidente da Novacap, superintendente da Sudene e ministro dos Transportes. Al√©m disso, ampliou seu lugar na Hist√≥ria como o grande articulador e avalista do movimento que levou Jackson Lago ao Governo do Estado em 2006, na primeira grande derrota eleitoral e pol√≠tica do Grupo Sarney.

O ato de lan√ßamento em Tuntum tem dois sentidos. O primeiro √© a reafirma√ß√£o da sua candidatura, numa demonstra√ß√£o de que ter um partido forte √© muito importante, mas tamb√©m pode-se se afirmar que um candidato com a estatura os pilares pol√≠ticos que disp√Ķe torna seu nome muito maior do que muitos partidos nas circunst√Ęncias atuais. O segundo vi√©s √© o apoio do prefeito de Tuntum pela quinta vez e presidente da Famem pela terceira. Pol√≠tico h√°bil e experiente, Tema Cunha √© hoje uma das principais lideran√ßas pol√≠ticas do Maranh√£o, o que o torna a lideran√ßa mais autorizada dar ao ex-governador o suporte necess√°rios para ele dar a largada em grande estilo na corrida senatorial de 2018.

Com saída de José Reinaldo, Roberto Rocha fica livre para comandar o PSB e se lançar ao Governo

Roberto Rocha fica com caminho livre no PSB

A sa√≠da do ex-governador Jos√© Reinaldo Tavares do PSB, rompendo com a legenda recriada pelo c√©lebre governador pernambucano e √≠cone da esquerda Miguel Arraes, o livra de uma situa√ß√£o inc√īmoda e abre caminho para o senador Roberto Rocha arquivar o projeto de se reconverter ao tucanismo, ganhar de vez o comando do partido e se lan√ßar candidato a governador sem um contrapeso importante para contrariar o seu projeto.

Plen√°rio do Senado

Assim, Jos√© Reinaldo procura outra seara para disputar uma cadeira de senador e Roberto Rocha vai tentar viabilizar seu sonho pol√≠tico de morar quatro anos no Pal√°cio dos Le√Ķes, interrompendo assim, para o bem dos dois, mais de uma d√©cada de inc√īmodas e traum√°ticas interfer√™ncias um na vida pol√≠tica do outro.

Se n√£o entrar em conflito com a c√ļpula do PSB, o senador Roberto Rocha ter√° caminho livre para assumir, finalmente, o comando do partido no Maranh√£o sem ter de dividi-lo com ningu√©m, evitando assim embara√ßos que possam criar problemas ao seu projeto. Desde que desembarcaram no PSB ‚Äď Jos√© Reinaldo saindo do PTB e Roberto Rocha rompido com o PSDB -, os dois nunca se entenderam. Foram anos de escaramu√ßas, conflitos, dribles e mal-estar, com Jos√© Reinaldo controlando o Diret√≥rio estadual e Roberto Rocha comandando o Diret√≥rio de S√£o Lu√≠s. Agora, o permanente ‚Äúestado de impasse‚ÄĚ dentro do PSB chega ao fim, podendo o partido, mesmo desfalcado de um quadro muito importante, definir um projeto claro, com Roberto Rocha candidato a governador, podendo ainda lan√ßar at√© dois candidatos a senador.

Em tempo: se o PSB ficar inteiramente sob o controle do senador Roberto Rocha, √© quase certo que perder√° seus tr√™s deputados estaduais: Bira do Pindar√©, Rog√©rio Cafeteira e Edson Ara√ļjo. Deve perder tamb√©m pol√≠ticos importantes, como o secret√°rio chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares.¬† A deputada federal Luana Alves provavelmente permanecer√° no partido como aliada de Roberto Rocha. A conferir.

O tema foi proposto pelo deputado Sousa Neto (PROS) que pretende realizar uma audi√™ncia p√ļblica para tratar dos impactos da √°gua de lastro lan√ßada pelos navios na Costa Maranhense na Assembleia Legislativa do Maranh√£o.

Sousa Neto (PROS) destacou a urgência de tratar da problemática, convocando órgãos nas esferas federal, estadual, municipal e, ainda, pesquisadores e entidades ligadas à área para debater sobre o assunto.

‚ÄúChamar aten√ß√£o de todos os √≥rg√£os envolvidos, j√° que √© necess√°rio que eles assumam a responsabilidade pela fiscaliza√ß√£o e o controle dos impactos ambientais ocasionados por esta √°gua armazenada nos navios, jogada junto com dejetos na Ba√≠a de S√£o Marcos, e que, entre outras consequ√™ncias, influencia tamb√©m nas condi√ß√Ķes de balneabilidade das praias. S√£o quase 19 milh√Ķes de metros c√ļbicos de √°gua suja, por navio, jogados anualmente na nossa costa‚ÄĚ.

Para o evento, foram convidados representantes do Minist√©rio do Meio Ambiente, IBAMA, Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA), Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semmam), Minist√©rio P√ļblico, OAB/MA, Capitania dos Portos do Maranh√£o, EMAP, ALUMAR, VALE, Petrobr√°s, universidades e institui√ß√Ķes da √°rea.

A Prefeitura de São José de Ribamar realizou neste domingo (30), as provas do seletivo para o ingresso gratuito no Curso Pré-Vestibular Municipal. As provas que foram realizadas na sede do pré-vestibular, além das unidades de ensino, Humberto de Campos e Maria Elisa, reuniram cerca de 549 inscritos concorrendo à 160 vagas oferecidas nesta edição.

Criado na primeira administra√ß√£o do prefeito Luis Fernando, o equipamento voltado √† educa√ß√£o, sofreu diversas interrup√ß√Ķes em raz√£o da falta de pagamento dos sal√°rios dos professores. De acordo com o prefeito ribamarense, Luis Fernando foram oito meses de atraso, o que ocasionou s√©rios problemas no acesso dos jovens ao ensino p√ļblico superior.

‚ÄúEm 2016, ainda durante a campanha, assumi o compromisso de reabrir o Pr√©-Vestibular e hoje antes mesmo de completar quatro meses de gest√£o, n√£o s√≥ reabrimos como a juventude j√° est√° em processo seletivo para acesso ao curso preparat√≥rio de qualidade e gratuito‚ÄĚ, lembrou o prefeito.

O Pr√©-Vestibular tem como p√ļblico alvo alunos que estejam cursando o 3¬ļ ano ou que j√° tenham conclu√≠do o Ensino M√©dio na rede p√ļblica de ensino e sejam residentes em S√£o Jos√© de Ribamar. Do total de vagas oferecidas, est√£o inclu√≠das vagas para portadores de necessidades especiais, e para o programa Meninos do Santu√°rio, criado pela Lei Municipal n¬ļ 607/06 de 31 de mar√ßo de 2006, e ex-alunos do Pr√©-Vestibular al√©m de vagas para a comunidade em geral.

O resultado será divulgado no dia 05 de maio, sendo afixado no prédio do Pré-vestibular, bem como disponibilizado no site oficial da Prefeitura de São José de Ribamar (www.sjr.ma.gov.br).

 

 

Ap√≥s sa√≠da de Dilma Rousseff da presid√™ncia do Brasil, que deixou cerca de 13,5 milh√Ķes de brasileiros desempregados; dados segundo o IBGE, coletados ainda no ano de 2017, com taxa elevada de desocupados recordes devido o fechamento de empresas. Pesquisa serviu para mostrar que o brasileiro est√° menos pessimista.

Mesmo tendo que assumir as reformas que foram muitas delas propostas pelo PT de Lula e Dilma, o governo Temer começa a vislumbrar um horizonte positivo na opinião dos brasileiros, isso, não depende da intenção da esquerda, que tenta criminalizar o atual presidente do Brasil, que foi legitimamente eleito vice-presidente na chapa de Dilma.

 

Lei na íntegra clicando aqui:

Rio n√£o corre para o mar?

Enquanto Fl√°vio Dino grita “fora Temer” em regabofe para apaniguados, bajuladores e sindicalistas da” greve”, √≠ndios s√£o atacados, alvejados, decepados. Mas o g governador, l√≥gico que tirou o corpo fora, segundo Fl√°vio Dino, que demostra rivalidade contra o governo federal . “A culpa √© da Funai” (do governo federal).

Festa no AP de Dino começou pela manhã, para familiares, secretários e apaniguados. Varou a noite ao som do bundalelê, festa no ap.

Nada contra os banquetes, nada contra os jetons e mensalinhos a apaniguados políticos que recebem do governo, práticas que antes eram denunciadas por Bira do Pindaré, Marcelo Tavares e Rubens Junior (entenda aqui).

A violência no campo contra os indígenas vem sendo constante em terras maranhenses. Os conflitos entre índios e fazendeiros foram intensificados na tarde deste domingo (30 de abril), quando foram brutalmente atacados fazendeiros armados, que deixaram 13 índios feridos com golpes de facão e pauladas no Povoado das Bahias, município de Viana (MA).

Abaixo, imagens do regabofe comunista, que começou desde cedo e varou a noite.

Galera da CUT aplaudindo comunista dan√ßando “√© golpe “fora temer” nas depend√™ncias¬†do Pal√°cio dos Le√Ķes. Governo de poucos…

 

 

A falta que a informação faz!

Impressiona a falta de debate dos grandes problemas brasileiros. Estamos discutindo e votando na C√Ęmara Federal e no Senado temas cruciais para o nosso futuro e, fora do parlamento, n√£o existe na sociedade nenhum debate s√©rio sobre esses assuntos. Fui at√© acusado de direita porque votei a favor da reforma trabalhista como se lutar pelo emprego fosse de direita ou de esquerda, quando na verdade isso √© apenas economia e acesso ao emprego. A China est√° a√≠ para demonstrar o que estou dizendo.

Estamos apenas colocando de novo a economia que foi colocada de pernas para o ar, pelo desastrado governo de Dilma, de pé novamente.

Parece que quem grita mais ganha a parada, mas at√© isso n√£o √© verdade. Basta ver que o povo deixou as corpora√ß√Ķes sozinhas na sexta 28 de abril na badalada greve geral e foi trabalhar como p√īde.

Pois bem eu estou saindo do PSB exatamente porque resolveu fechar quest√£o contra as reformas trabalhista e previdenci√°ria sem ouvir as bancadas da C√Ęmara e do Senado. Eu fui convidado para ir para o PSB por seu maior l√≠der Miguel Arraes. Eu convivi muito com Eduardo Campos um dos maiores pol√≠ticos contempor√Ęneos, h√°bil conciliador que ouvia e que gostava do debate e foi o primeiro pol√≠tico importante que alertou que o governo Dilma ia nos levar para o buraco. Para poder ser ouvido e poder participar do debate se candidatou a presid√™ncia e vinha fazendo uma campanha diferenciada e com chances de ganhar se n√£o fosse o fat√≠dico acidente que lhe tirou a vida em plena campanha. Relembro tudo isso para basear minha convic√ß√£o de que esse fechamento de quest√£o jamais seria feito sob sua lideran√ßa, porque isso dividiu irremediavelmente o partido que ao inv√©s do r√°pido crescimento que apresentava, vai diminuir de tamanho tal a desconfian√ßa estabelecida na Bancada. O resultado da vota√ß√£o foi de 16 contra a reforma e 14 a favor, inclusive a l√≠der do partido.

Pois bem, e o m√©rito da reforma? Eu e a grande maioria dos deputados n√£o tiramos direitos de nenhum trabalhador. Nenhum, e desafio aos palpiteiros de plant√£o, que apontem um sequer. E isso √© f√°cil de provar. Os direitos dos trabalhadores est√£o estabelecidos no artigo s√©timo da Constitui√ß√£o e em seus par√°grafos. Nenhum foi suprimido e s√≥ a ignor√Ęncia do que se debatia podia levar a essa conclus√£o, pois nenhum foi revogado ou substitu√≠do e nem poderia pois o que aprovamos foi um projeto de Lei que obviamente n√£o tem poderes para mudar a Constitui√ß√£o. Votamos pelo emprego, ou √© normal e devemos fechar os olhos para 14 milh√Ķes de desempregados? As leis trabalhistas datam de 1943, estamos em 2017 o mundo mudou, o trabalho mudou, o que fizemos foi apenas uma atualiza√ß√£o da legisla√ß√£o adaptando-a aos novos tempos e destravando a inseguran√ßa jur√≠dica que fazia as empresas evitar contratar trabalhadores como provam milh√Ķes de processos na justi√ßa do trabalho que assustavam os empregadores. Quem ganhou foram os trabalhadores, os jovens, os pequemos e micro empres√°rios e a economia.

A gritaria toda √© por causa do dinheiro da contribui√ß√£o sindical que por ser obrigat√≥ria, tanto para os trabalhadores do setor p√ļblico quanto os do privado, na verdade se tornou um imposto sindical que n√£o podia ter o seu uso fiscalizado pelo TCU. Uma benesse e tanto, t√£o desequilibrada que nos levou a ter 16 mil sindicatos enquanto, outros pa√≠ses, no m√°ximo, tem dezenas deles. Isso porque era tanto dinheiro que fazia com que milhares de dirigentes sindicais n√£o trabalhassem mais e ficassem anos e anos no comando dos sindicatos. A grita foi por esse dinheiro e esse privil√©gio e muitos defendiam o status quo sem saber que apenas estavam defendendo os privil√©gios dos sindicalistas ao defender ‚Äúdireitos‚ÄĚ. E n√£o o emprego.

Nós não acabamos com a contribuição sindical. Elas continuam a existir, mas não são mais obrigatórias e os trabalhadores podem, se quiser, continuar pagando. Mas, aí os sindicatos terão que mostrar que trabalham de verdade para merecerem o pagamento.

E a reforma Previdenci√°ria? Essa todos os presidentes do pa√≠s tentaram fazer. Tamb√©m n√£o √© de direita e nem de esquerda. √Č pela sobreviv√™ncia do pagamento dos aposentados, presentes e futuros, e pelo equil√≠brio das contas nacionais. Se n√£o for feita todo os recursos or√ßament√°rios ir√£o para pagamento de aposentadorias e n√£o sobrar√° recursos para a sa√ļde p√ļblica, para a educa√ß√£o e para a seguran√ßa. Ser√° a fal√™ncia do pa√≠s como na√ß√£o.

Quando falo em todos os presidentes, s√£o todos mesmo. Desde Lula, Fernando Henrique, Dilma Collor, mas, agora sob a presid√™ncia de Temer, com a maior crise econ√īmica de nossa hist√≥ria j√° n√£o pode mais postergar. Todos os pa√≠ses j√° fizeram dentro dos mesmos moldes do pa√≠s. Ou fazemos ou a crise, a infla√ß√£o e o desemprego vir√£o cada vez mais forte. Dizer o contr√°rio √© ser irrespons√°vel e querer o pior, principalmente depois que a C√Ęmara dos deputados suavizou o texto e o tornou menos duro.

Duros tempos, mas os trabalhadores e os que querem ver o país melhor podem contar comigo.

São Luís abandonada: vídeo mostra principais bairros da cidade sem policiamento.

Locais que foram filmados:

Estão sem policiamento os bairros: São Francisco, Centro da Cidade, Camboa, Liberdade, Fé em Deus, Monte Castelo, Alemanha, Jaracati e Renascença.

Durante a filmagem deste domingo não foram vistas viaturas rodando na cidade. Na semana passada, no domingo, neste mesmo horário, 17h30, registrei em vídeo mesmo trajeto e nada de viaturas.

Mentira de Fl√°vio Dino:

Diferente da propaganda do governo, a realidade mostra que n√£o h√° viaturas rodando na cidade.¬†Lan√ßo aqui uma nova modalidade de cobran√ßa aos nossos gestores p√ļblicos, atrav√©s de imagens (videos e fotos), vamos postar nas redes sociais a realidade de nossa cidade.

#vamosfilmaracidade

Confira abaixo no vídeo gravado durante vários bairros da cidade.

 

 

1 12 13 14